Inseminação artificial está em 70% dos municípios

//Inseminação artificial está em 70% dos municípios
Dados divulgados pela Associação Brasileira de Inseminação Artificial (Asbia) mostram o crescimento da preocupação do criador com a qualidade do rebanho, destacou o portal AgroLink nesta quinta-feira (6). Isso porque no primeiro semestre do ano um total de 3.895 municípios brasileiros utilizaram a inseminação artificial em bovinos. O número representa 70% de todos os municípios do país, um crescimento expressivo face aos 57% registrados no primeiro trimestre. O período registrou o movimento de quase 9 milhões de doses de sêmen. Em relação às vendas ao cliente final, o crescimento foi de 33%, mais de 8 milhões de doses. Para o corte, o aumento das comercializações foi de 47%. No leite, foi um aumento de 10%. A produção total de doses de sêmen cresceu 26% em relação ao mesmo período do ano passado, com 5.3 milhões de doses. Na exportação o número de doses passou de 168,2 para 202,5 mil doses. Em relação à genética de raças de corte, foram coletadas 4.4 milhões de doses de sêmen no primeiro semestre de 2020. No ano passado, o número ficou em 3.5 milhões de doses. Já nas raças de leite, a coleta subiu de 652 mil para 838 mil doses. A expectativa da entidade é terminar 2020 acima dos 24 milhões de doses comercializadas no Brasil. “Cresce a produção, cresce a exportação, a venda de botijões, enfim, todos os indicadores. O resultado também é uma ótima resposta para a sustentabilidade: sem aumentar a área, vamos produzir de três a quatro vezes mais carne e leite do que produzimos hoje”, destaca o presidente da Asbia, Márcio Nery.

Veterinário orienta sobre cuidados com a alimentação dos pets durante o inverno

As baixas temperaturas demandam cuidados redobrados para manter a qualidade de vida dos pets. Uma das preocupações dos tutores é com a alimentação dos bichinhos durante a estação mais fria do ano. Afinal, os animais de estimação precisam mesmo se alimentar com mais frequência no inverno. A alimentação é a principal fonte de energia dos pets e eles normalmente sentem mais fome no frio, pois necessitam de mais energia para manter a temperatura corporal estável. No caso do Brasil, por ser um país tropical, o inverno é ameno e aplicar grande quantidade de comida pode causar sobrepeso e quadro de obesidade nos bichinhos. O médico veterinário Flavio Silva explica ao G1, nesta quinta-feira (6), que normalmente os animais passam a maior parte do tempo dentro de casa e usam roupinhas, aquecendo o corpo. Também ressalta que cães e gatos são animais homeotérmicos, ou seja, conseguem manter as temperaturas em um nível constante, favorecendo o metabolismo mesmo com oscilações térmicas. “São diferentes de animais de sangue frio, que têm a temperatura do sangue variável de acordo com o meio ambiente, a exemplo dos répteis”, continua. Por este motivo, não é adequado administrar uma grande quantidade de alimentos para os animais durante o inverno. “Como não há aumento no gasto energético, não tem motivo para repor a energia deles com mais calorias.” O veterinário recomenda atenção com a hidratação dos bichinhos durante o inverno e ressalta a importância da alimentação saudável para manter a qualidade de vida deles e evitar o sobrepeso. “Em regiões onde o inverno é mais seco, é recomendável deixar água fresca sempre disponível em lugares de fácil acesso. Um alimento super premium de alta qualidade também é indicado, pois contém aminoácidos, minerais e gorduras de alta qualidade, que ajudam a manter a pele mais saudável e a evitar o ressecamento”, comenta. Além dos cuidados com alimentação e hidratação, é importante manter os bichinhos dentro de casa nos dias mais frios. O médico veterinário dá dicas para escolher as roupinhas, visando manter o conforto dos pets. “O tutor deve priorizar roupas que realmente aqueçam e tragam conforto aos pets e evitar que escolhas com base na estética causem desconforto e até mesmo alergias. É preciso prestar atenção se as roupinhas estão no tamanho correto e se não geram algum tipo de alergia. Para isso, vale observar sempre se não há sintomas como espirros, coceiras ou manchas vermelhas no corpo”, finaliza.

Mistura de anticorpos protegeu macacos e hamsters da Covid-19, diz estudo

A combinação de dois anticorpos humanos pode ser o caminho para o tratamento da Covid-19, informou o G1 nesta quinta-feira (6). Um artigo publicado na segunda-feira (3) como prévia (pre-print) mostrou que a mistura protegeu macacos e hamsters do coronavírus Sars-Cov-2 em laboratório. Artigos em prévia ainda não foram revisados por outros cientistas. Anticorpos neutralizantes, são aqueles capazes de destruir o vírus. Nos experimentos in vivo, os pesquisadores identificaram dois tipos “mais potentes”: REGN10987 e REGN10933. A combinação dos dois foi avaliada pelos pesquisadores de uma farmacêutica dos Estados Unidos em macacos rhesus (Macaca mulatta) e em hamster-sírios (Mesocricetus auratus). Eles descreveram que os animais injetados apresentaram apenas sintomas leves da doença quando expostos ao vírus. Os resultados levaram em conta a infecção em 12 macacos e 50 hamsters que os cientistas da Regeneron Pharmaceuticals avaliaram separadamente. Cada espécie foi dividida em três grupos diferentes: os que receberam a mistura, os que receberam um placebo e os que não receberam nada – é o chamado grupo de controle. Os macacos não desenvolvem casos agudos da Covid-19, mas os cientistas perceberam que os primatas que receberam a combinação dos anticorpos neutralizantes foram menos propensos a desenvolver pneumonia em comparação com os dos outros dois grupos. Diferente dos primatas, os roedores, quando infectados com o Sars-Cov-2 ficam bastante doentes. Os pesquisadores identificaram que nos animais injetados com a mistura de anticorpos, e expostos ao vírus, os espécimes conseguiram se manter saudáveis e até ganhar peso. Este é ainda um estudo preliminar de fase pré-clinica e os pesquisadores reconhecem que ainda falta entender melhor quais mecanismos são ativados pelos anticorpos e qual a concentração deles capaz de proteger pacientes humanos.

Intensificação do uso de tecnologias digitais compensa impactos da Covid-19 no Agro

Foi necessário “mexer na turbina com o avião em pleno voo”, conforme comparou o zootecnista, mestre e doutor em genética e melhoramento pela UFV, Gilberto Menezes, pesquisador da Embrapa Gado de Corte. Uma tarefa complexa que um setor exemplar para mundo inteiro, como é agro brasileiro, deu conta. Em entrevista ao portal Giro do Boi desta quinta-feira (6), Menezes falou da reinvenção da equipe do programa de melhoramento Geneplus-Embrapa em meio à pandemia de Covid-19. O pesquisador ponderou que a coleta de dados em si para o programa sofreu poucos impactos por conta de as atividades serem realizadas no campo, sem necessidade aglomeração e ao ar livre, mas que outras reuniões técnicas, de capacitação ou de comercialização, tiveram seus calendários alterados. Entretanto, a intensificação do uso de tecnologias digitais atenuou os efeitos da pandemia. “Nós tivemos que usar a criatividade. Não teve jeito. Partimos para o uso intensivo destas tecnologias digitais que, felizmente, hoje nós temos à nossa disposição. Em termos, por exemplo, de capacitações, a gente vez fazendo webinários, lives, que nós temos temos feito também bastante para tentar compensar este momento tão difícil. Agora algumas situações não foram possíveis de reverter, como, por exemplo, um evento importante que nós temos dentro do programa Embrapa-Geneplus, que é o Circuito Geneplus”, lamentou. Dentro da avaliação de reprodutores, as provas das raças Brangus e Santa Gertrudis, por exemplo, tiveram que ser adiadas para 2021, ao passo que a do Nelore, cujo calendário já estava mais avançado, pôde ser concluída. O evento tradicional realizado ao final das provas de avaliação, caso da Semana Técnica do Geneplus-Embrapa, sofreu adaptações e teve contribuição importante na atualização técnica dos parceiros do programa de melhoramento, conforme frisou o zootecnista. “Quando surgiu a questão da pandemia, obviamente já tivemos que pensar em cancelar e aí surgiu a ideia de fazer a Semana Técnica virtual. Nós seguimos uma semana inteira, de segunda a sexta, e aí não dá para você concentrar várias palestras num dia, então a gente fez uma live por dia focando em temas que consideramos relevantes, que eram importantes de a gente discutir. Sempre reunindo alguém da nossa equipe técnica e um criador, um parceiro nosso do Geneplus. Então ao longo desta semana a gente discutiu a parte de preparo de touros para comercialização, uma parte muito importante, […] este assunto muitas vezes é negligenciado, muitas vezes a gente de produção do touro e da venda, mas o preparo destes animais é muito importante”, exemplificou o pesquisador. Entre outros temas tratados nesta semana intensa de capacitação estiveram ainda influência da genética na produção da carne de qualidade, seleção para produzir qualidade de carne, tecnologias para chegar a este objetivo, como ultrassonografia, e uso da genômica na prática, sempre casada com a realidade das fazendas.

NA IMPRENSA

G1 – Veterinário orienta sobre cuidados com a alimentação dos pets durante o inverno

G1 – Protetores de animais denunciam mortes de gatos em conjunto habitacional de Salvador; há suspeita de envenenamento

G1 – Moradores de Camaçari podem participar de feira de adoção virtual de animais; saiba mais

G1 – PMs são afastados suspeitos de atrapalhar investigações sobre tráfico de animais no DF

G1 – Minerva Foods compra fábrica na Colômbia por US$ 14 milhões

G1 – Mistura de anticorpos protegeu macacos e hamsters da Covid-19, diz estudo

G1 – Organizadores de leilões de gado apostam na transmissão pela internet

Valor Econômico – Minerva adquire frigorífico colombiano por US$ 14 milhões

AgroLink – Espécie de “Canal Off Gaudério” traz WebSérie com 4 episódios gravados no sul do Brasil

AgroLink – IDTechEX: Carne à base de células não será comum até 2040

AgroLink – Inseminação artificial está em 70% dos municípios

AgroLink – Zambia reporta cinco casos de Peste Suína Africana

AgroLink – Preço do leite ao produtor registrou forte aumento em julho e deve seguir em alta

AgroLink – Cotações dos lácteos subiram no atacado em julho

AgroLink – BH: preços dos animais de reposição subiram 61,1% em um ano

AgroLink – Mercado do boi gordo com preços firmes

AgroLink – Comportamento das vacas leiteiras revela “rede social”

Anda – Prática cruel criticada por especialista, confinamento para 16 mil bois é inaugurado em RO

Anda – Ursos-da-lua são enclausurados e explorados para suposto tratamento contra a Covid-19

Anda – Cachorro vence luta contra o câncer e é adotado após viver anos na rua

Anda – Alternativas à carne recebem mais atenção e investimentos

Anda – Polícia interdita fábrica clandestina de carne que funcionava em condições insalubres

Anda – Polícia faz vistoria em praça onde gatos foram mortos e protetoras relatam ameaças

Anda – Redes de pesca tiram a vida de 17 arraias no ES: ‘uma família inteira perdida’

Anda – Após ameaças, um cão é esfaqueado e outros são envenenados em abrigo

Anda – Filhote de jacaré é resgatado após ser abandonado por criança em pet shop

Anda – Explosão em Beirute atinge abrigo de animais e fere cães e gatos

SBA – Preços dos animais de reposição valorizaram 61,1% em um ano na Bahia

Giro do Boi – Intensificação do uso de tecnologias digitais compensa impactos da Covid-19 no Agro
______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »