Iniciativas reduzem o tempo de espera para início do tratamento de câncer

Home/Informativo/Iniciativas reduzem o tempo de espera para início do tratamento de câncer

Iniciativas reduzem o tempo de espera para início do tratamento de câncer 

O sucesso do tratamento oncológico depende diretamente da jornada percorrida pelo paciente desde a suspeita da doença. Embora o Brasil tenha progredido no acesso a medicamentos e tratamentos especializados nos últimos anos, é preciso avançar em relação à trajetória das pessoas com câncer dentro do sistema de saúde. Essa foi a principal mensagem do painel Labirintos da Saúde: Caminhos do Paciente Oncológico, do 8º Congresso Todos Juntos Contra o Câncer, realizado em formato digital entre os dias 20 e 24 deste mês. Em matéria publicada na Folha de S.Paulo, segundo Paola Torres, médica onco-hematologista e presidente do Instituto Roda da Vida, muitos profissionais da atenção básica não entendem os meandros de um sistema fragmentado e não sabem conduzir corretamente um paciente oncológico, fazendo com que um caminho que já é longo se torne mais demorado, prejudicando a experiência do paciente e os resultados do tratamento. Dados do Ministério da Saúde mostram, que o início do tratamento de mulheres com câncer de mama, entre 2013 e 2018, ocorreu em média 122 dias depois de uma biópsia extra-hospitalar, muito distante do prazo de 60 dias definido por lei, que foi respeitado em apenas 36% dos casos. Nesse sentido, algumas iniciativas ao redor do país têm buscado reduzir o tempo de espera entre a suspeita e o diagnóstico do câncer, assim como o intervalo entre o diagnóstico e o início do tratamento. Para acessar a matéria completa, clique aqui.

Com Covid, Queiroga diz estar preocupado com saúde, não com repercussão de gesto obsceno

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, diagnosticado com Covid-19, disse nesta quarta-feira (22) que está bem e que sente apenas sintomas de “uma gripe leve”. Queiroga também falou sobre a repercussão de sua reação a um protesto de brasileiros contrários ao governo Bolsonaro em Nova York, na segunda-feira (21). De dentro de uma van, o ministro apontou o dedo médio para o grupo, informou o G1. De acordo com Queiroga, “quem fala o que quer, ouve o que não quer”. “Mas este é o assunto que menos me preocupa, neste momento. Estou preocupado, mesmo, é com minha saúde”, completou ele. O Ministro permanece nos EUA para cumprir a quarentena, em isolamento, em um hotel. A Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República informou, em nota, que os demais integrantes da comitiva brasileira foram submetidos a testes e todos resultaram negativo. O ministro já tinha sido imunizado com duas doses de vacina contra o coronavírus. Até o retorno do ministro ao Brasil, o secretário-executivo da pasta, Rodrigo Cruz, responderá pelo Ministério da Saúde como ministro-substituto.

Negativa de cobertura e reajustes concentram reclamações sobre planos de saúde

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) destaca, entre os principais problemas relativos aos planos de saúde, as negativas de cobertura e os reajustes, especialmente no caso de contratos coletivos. A informação foi dada pelo analista de saúde do instituto, Matheus Zuliane, em audiência pública da comissão especial que analisa o Projeto de Lei 7419/06, que trata dos planos e seguros privados de assistência à saúde, nesta quarta-feira (22), destacou a Agência Câmara. Zuliane considera a Lei 9656/98, que regulamenta o setor, um avanço, mas disse que ainda há problemas. Segundo ele, essas demandas representam 60% dos casos e normalmente o consumidor é atendido pela Justiça. Conforme Zuliane, também há alto índice de reclamações em relação aos preços, especialmente em relação aos reajustes em contratos coletivos, que não são regulados, diferentemente do caso dos reajustes em contratos individuais, que precisam ser autorizados pela Agência Nacional de Saúde (ANS). Esses reajustes são mais elevados do que a inflação, inclusive na área específica da saúde e, na visão dele, devem ser objeto de análise da comissão. Presidente da comissão, a deputada Soraya Manato (PSL-ES) concorda que é preciso aprimorar a legislação em relação aos reajustes nos contratos coletivos para proteger os consumidores. Para acessar a matéria completa, clique aqui.

Restrito à importação, negócio de maconha deve movimentar R$ 40 milhões em 2021

O mercado de maconha para uso medicinal vem dobrando a cada ano, no Brasil. Reportagem do Blog BC+ do jornal O Estado de S.Paulo mostra levantamento realizado pela empresa de inteligência de mercado em cannabis Kaya Mind apontando que, mesmo restrito à importação e dominado pela burocracia, esse negócio deve girar mais de R$ 40 milhões em 2021. O mercado de maconha para uso medicinal vem dobrando a cada ano, no Brasil. Somente no primeiro semestre, foram R$ 21,8 milhões importados. No ano passado inteiro, foram R$ 21,86 milhões e, em 2019, R$ 9 milhões. O compasso atual não compromete a estimativa de que esse mercado gire R$ 9,5 bilhões em 2025, feita pela própria Kaya Mind. Segundo o chefe de Inteligência da empresa, Thiago Cardoso, a projeção considera que o mercado se abrirá, com a permissão para cultivo em território brasileiro, como aconteceu em outros países nos quais o uso de maconha com fins medicinais foi descriminalizado. Para a CEO da Kaya, Maria Eugenia Riscala, o mercado mudará de patamar quando o SUS passar a importar diretamente os medicamentos feitos a partir do óleo canabinoide. Por enquanto, só via Justiça. No primeiro semestre, foram movidas 154 ações para que o sistema público de saúde pagasse pelo tratamento, a um custo de R$ 40 mil por ação para o SUS, segundo a Kaya Mind.

Veja outras notícias

Agência Senado
Venda obrigatória de planos de saúde individuais é aprovada

Agência Senado
Álvaro quer quebrar monopólio estatal na produção de radioisótopos e radiofármacos

Agência Senado
Senado fará sessão de homenagem ao Dia de Luta da Pessoa com Deficiência

Agência Câmara
Médicos defendem vacinação de adolescentes e reforço para idosos e profissionais de saúde

Agência Câmara
Comissão aprova atenção especial a pessoas com deficiência nas políticas de prevenção ao suicídio

Agência Câmara
Idec: negativa de cobertura e reajustes concentram reclamações sobre planos de saúde

Anvisa
Anvisa determina recolhimento de lotes interditados da CoronaVac    

Anvisa
Anvisa é aceita em programa internacional de inspeções

Agência Saúde
Fiocruz recebe novo lote de IFA para produzir 5,2 milhões de doses

Agência Saúde
Instituições de saúde têm até o dia 24 para se inscrever no Enare

Agência Saúde
Escolhido pela OMS, Brasil vai sediar centro de transferência de tecnologia de vacinas

Agência Saúde
“Precisamos expandir e descentralizar a produção de vacinas”, diz ministro em 59º Conselho Diretor da OPAS

Agência Saúde
Ministério da Saúde lança Linha de Cuidado HIV/Aids para profissionais da área, gestores e cidadãos

Agência Saúde
Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência: conheça o atendimento oferecido pelo SUS

CNS
Multiplica SUS: CNS desenvolve projeto em apoio à Comunicação de Conselhos Estaduais de Saúde

Governo Federal
Anvisa e autoridade sanitária de Israel assinam Memorando de Entendimento

Governo Federal
Seminário online vai discutir o cenário atual dos transplantes no Brasil

Governo Federal
Campanha Setembro Verde destaca a importância da doação de órgãos

Governo Federal
Projeto de planta de escalonamento de medicamentos biológicos é apresentado ao secretário de Pesquisa e Formação Científica do MCTI

Governo Federal
Câncer de boca: pesquisadora desenvolve novos métodos de diagnostico precoce

Valor Econômico
Em meio à pandemia, 80% das empresas não monitoram a saúde dos funcionários

Valor Econômico
STJ começa a definir se plano de saúde deve cobrir fertilização in vitro

O Globo
O impacto dos músculos na prevenção de demências, cânceres e inflamações

Correio Braziliense
Excesso de gordura na menopausa aumenta o risco de desenvolver demência

Folha de S.Paulo
Cuidado continuado para idosos é tabu e ferida aberta no Brasil

Folha de S.Paulo
Internações por Covid-19 diminuíram em 98% dos hospitais privados de SP, diz pesquisa   

Folha de S.Paulo
Possíveis caminhos para solucionar os gargalos de implementação das Linhas de Cuidado de DCNTs na APS – Saúde em Público

Folha de S.Paulo
Iniciativas reduzem o tempo de espera para início do tratamento de câncer

Estado de S.Paulo
Médicos tentam aumentar conscientização sobre um gene menos conhecido do câncer de mama

Estado de S.Paulo
Anvisa manda recolher lotes interditados da Coronavac e decide que doses não podem ser usadas

Estado de S.Paulo
Restrito à importação, negócio de maconha medicinal deve movimentar R$ 40 milhões em 2021
STF
Covid-19: liminar garante imunização de adolescentes por estados, municípios e DF

Veja
Nova droga reduz risco de morte por tipo mais agressivo de tumor de mama   

Portal Hospitais Brasil
Artigo – Dados e imagens proporcionam oportunidades valiosas de auxílio à tomada de decisão 

Portal Hospitais Brasil
Artigo – Telemedicina e o futuro do cuidado digital 

Portal Hospitais Brasil
No Brasil, gastos com Saúde seguem em alta

G1
Com Covid, Queiroga diz estar preocupado com saúde, não com repercussão de gesto obsceno