Governo sanciona lei que cria banco de sangue para animais domésticos em Mato Grosso

Home/Informativo/Governo sanciona lei que cria banco de sangue para animais domésticos em Mato Grosso

O governador Mauro Mendes (DEM) sancionou na última sexta-feira (02) uma lei que institui a campanha “Pet Sangue Bom” em todo o estado. Na prática, devem ser criados bancos de sangue veterinários para animais domésticos, informou o G1. A doação de sangue é importante para salvar a vida de animais. Muitos donos desconhecem a importância da doação de sangue para os animais de estimação e outros têm receio de que o procedimento cause algum risco ao pet. No entanto, o processo para doar é seguro e não provoca efeitos colaterais. Além disso, é indolor e muito rápido (dura cerca de 15 minutos). Como acontece com os humanos, o cão ou gato pode ficar um pouco fraco nas primeiras 24 horas após a doação, o que é algo comum e passageiro. Conforme a lei, todo o processo será feito da maneira organizada, sempre priorizando a saúde e o bem-estar do animal, bem como nos locais mais especializados e nas mãos de profissionais capacitados. É importante destacar que os cães não podem doar ou receber sangue dos gatos porque a tipagem sanguínea é diferente. No caso dos cachorros, existem 13 tipos de sangue que podem, inclusive, variar entre animais de uma mesma raça. Já os bichanos podem pertencer a três tipos sanguíneos. Em todas as doações é realizado o teste de compatibilidade entre doador e receptor.

Decisão elimina ICMS na troca de gado entre Estados

Uma decisão definitiva do Supremo Tribunal Federal, em abril, eliminou a tributação pelos fiscos estaduais da cobrança de ICMS na transferência de gado do mesmo proprietário entre os Estados. A decisão deixa claro que, se não existir transferência de titularidade, ou seja, não houver comercialização de gado, não há argumento para a aplicação da taxa, apesar da movimentação entre estados. Segundo o portal AgroLink com a profissionalização cada vez maior da pecuária brasileira, é comum que produtores de gado transportem seus animais de uma fazenda para outra, a fim de melhorar a performance de acordo com o ciclo do gado e a gestão da quantidade de confinamentos. Com a decisão os criadores de gado não são obrigados a arcar com a tarifa estadual, como explica o advogado tributarista Rodrigo Totino, do escritório MBT Advogados Associados. Entre os benefícios para os criadores está a otimização das fazendas para objetivos específicos e a facilitação da locomoção do gado no período que seja adequado a determinada fase de confinamento, trazendo economia para o negócio. A decisão traz mais segurança jurídica ao pecuarista, que pode se programar melhor e utilizar o potencial máximo de suas propriedades. Contudo, cabe salientar que a decisão se refere somente às situações sem comercialização de mercadorias, ou seja, quando não houver transferência de cabeças de gado com o intuito de compra e venda, seja para outras propriedades ou para frigoríficos. Nestes casos, o imposto será cobrado normalmente. A decisão deve trazer impulso para a pecuária nacional. Para 2021, espera-se que o rebanho bovino no Brasil alcance o seu maior volume, cerca de 252 milhões de cabeças, o que significa um crescimento de 3,3% no ano, segundo dados coletados pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), que monitora a agricultura e pecuária dos principais países produtores.

Pulgas, carrapatos e outros parasitas: como combater esses inimigos ocultos

Imagine aquela cena de filme: você e seu cachorro caminhando na praia lado a lado, correndo no campo ou brincando em uma praça cheia de amigos. Bom, né? Mas justamente os lugares que a gente mais gosta de ir estão cheios de inimigos ocultos. Não vemos, mas os parasitas estão lá. E o pior: podem transmitir doenças, destacou Cris Berger, jornalista, fotógrafa e autora do guia pet Friendly no Blog Cultura do jornal O Estado de S.Paulo nesta segunda-feira (2). A pulga é o parasita mais popular. Depois que deixa o casulo, precisa de uma casa para morar, ou seja, de um hospedeiro. Adivinha quem ela escolhe? Nosso cachorro. Ela provoca coceira e grande incômodo para os pets. O carrapato é o segundo “superstar” dos parasitas. Ou melhor, é um supervilão, pois transmite a terrível doença do carrapato, que se não for identificada logo, leva a óbito. Semelhante a pulga, faz do nosso cachorro sua casa própria com serviço de quarto, pois se alimenta do sangue dos pets. Também existe a sarna do ouvido, que provoca otite e faz o cachorro coçar a orelhinha e mexer a cabeça porque coça e dói. Ela pode ser transmitida entre os animais e pelo chão. Pedi dicas para o médico veterinário Renato Costa, da Animália Clínica Veterinária do Rio de Janeiro, sobre as melhores soluções para esses problemas. “Combater e prevenir pulgas, carrapatos e sarnas (ectoparasitas) ficou muito simples com o advento das isoxazolinas, uma classe de moléculas administradas via oral que são tão eficientes quanto seguras para os animais. A cada 30 dias escolha entre Nexgard, Simparic ou Credeli. E a cada 90 dias, Bravecto.” Bem que eu queria parar por aqui, mas preciso falar dos vermes. Não é para ficar assustado e proibir seu cachorro de ser cachorro, ok? Mas os vermes são contraídos pelo cheirar. Um solo contaminado pelas fezes de um animal com vermes é território minado. “Os vermífugos livram os pets dos vermes intestinais (endoparasitas). A tradicional associação de praziquantel, pamoato de pirantel e febantel traz excelentes resultados. O Drontal Plus é um produto indicado. Assim como a milbemicina, com o Milbemax”, ensina. Por fim uma boa notícia: “Recentemente, a associação de uma isoxazolina com a milbemicina disponibilizou em um único produto, o Nexgard Spectra, o combate a todos os endo e ectoparasitas”, conta. Em português: acaba com os inimigos ocultos com apenas um tablete.

Animais de zoológico na Califórnia recebem vacinas experimentais contra a Covid-19

Animais do Oakland Zoo, na Califórnia, começaram a receber, na última semana, uma vacina experimental contra a Covid-19. A imunização teve início com ursos, leões da montanha, tigres e furões — os primeiros de cerca de 100 animais que devem ser vacinados durante o verão. Segundo a farmacêutica Zoetis, a vacina é destinada exclusivamente para uso veterinário, pois passa por um processo de aprovação diferente do que para humanos. De acordo com o jornal O Globo ao todo, a Zoetis doou 11 mil doses para cerca de 70 zoológicos, santuários, universidades e outros locais de conservação de animais em 27 estados dos EUA, sendo o Zoológico de Oakland um dos primeiros a se beneficiar. A doação do imunizante é o mais recente desenvolvimento para animais que foram infectados com o vírus. “Isso significa muito mais segurança para nossos belos animais”, disse o Dr. Alex Herman, vice-presidente de serviços veterinários do Zoológico de Oakland. “Nossos primeiros animais a serem vacinados no zoológico foram dois de nossos belos e idosos tigres”. Desde o início da pandemia, donos de animais de estimação, tratadores de zoológicos, fazendeiros e cientistas tiveram preocupações específicas sobre infecções pelo coronavírus em animais. Os donos de animais de estimação se preocupam com a saúde de cães e gatos, enquanto pesquisadores e funcionários da saúde pública alertam que algumas espécies — domésticas ou selvagens — podem se tornar um reservatório de mutações do vírus. O Oakland Zoo não registrou nenhum caso de animais infectados com Sars-CoV-2, o vírus que causa a Covid-19 em humanos. Mas o zoológico tem tomado precauções extraordinárias, disse Herman, exigindo que os tratadores mantenham uma distância segura dos animais e usem equipamentos de proteção. No entanto, grandes felinos e outros animais vulneráveis, como gorilas, foram infectados em zoológicos nos Estados Unidos e em outros lugares. Em fevereiro, o zoológico de San Diego vacinou macacos com a vacina Zoetis, testada pela primeira vez em visons. A farmacêutica também forneceu o mesmo imunizante experimental para criadores de visons, no Oregon, após o estado decidir que os mamíferos deveriam ser vacinados. O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) aprovou a vacina para uso experimental “caso a caso”, de acordo com Christina Lood, diretora de comunicações sênior da Zoetis. As infecções em fazendas de visons dinamarqueses fizeram com que o país destruísse toda a sua população da espécie — cerca de 17 milhões. A Rússia também já aprovou uma vacina para visons e outros animais e, segundo pesquisadores, começou a vacinar cães e gatos.

NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – Nós podemos aprender muito sobre tolerância com outros primatas, diz ensaísta  
Folha de S.Paulo – Gatos também têm alergia e podem sofrer de bronquite e asma; entenda 
O Estado de S.Paulo – Pulgas, carrapatos e outros parasitas: como combater esses inimigos ocultos 
O Estado de S.Paulo – Auvergne, queijo salers dá o tom animal 
O Estado de S.Paulo – Direto da Fonte: SOS Pantanal busca medidas para prevenir atropelamentos de animais em rodovia 
O Globo – Animais de zoológico na Califórnia recebem vacinas experimentais contra a Covid-19  
Correio Braziliense – Primeiro mamífero clonado, Dolly completaria hoje 25 anos  
G1 – Cheia histórica do Rio Solimões preocupa criadores de gado no Amazonas 
G1 – Globo Rural responde dúvida de Ana Maria Braga: por que as galinhas param de botar ovos? 
G1 – Alemanha proíbe definitivamente a venda de plásticos descartáveis 
G1 – Conheça o canto da ave Araponga-da-Amazônia, mais alto que turbina de avião 
G1 – Governo sanciona lei que cria banco de sangue para animais domésticos em MT 
G1 – Veterinário de Uberaba alerta tutores sobre cuidados com cães e gatos no inverno; veja dicas e campanhas para ajudar animais em situação de rua 
G1 – Donos de clínica veterinária em Maceió são presos após denúncias de maus tratos a animais 
G1 – Grupo de Belo Horizonte que resgata animais do Arrudas tem cães e gatos para adoção; FOTOS 
G1 – Socorro oferece serviço gratuito de castração animal 
G1 – Veterinária dá dicas de como identificar uma clínica confiável para internar seu pet 
G1 – Cachorrinha é vítima em veterinária de Maceió e dona desabafa: ‘Não é clínica, é matadouro’ 
Valor Econômico – UE adota código de conduta para elevar práticas sustentáveis na indústria de alimentos 
Valor Econômico – Alta de preços agrícolas pode ser temporária, dizem FAO e OCDE 
Mapa – Embrapa realiza curso sobre pecuária de leite para jornalista 
Mapa – Preços mínimos para a safra de verão e produtos regionais têm reajuste médio de 19,7% 
Embrapa – Prosa Rural – Planejamento alimentar para rebanhos no Semiárido 
Embrapa – Leilão da Embrapa coloca 122 animais em pista 
Embrapa – Debate aborda cadeia do pescado e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 
Anda – UFMG é denunciada por explorar e maltratar cães em experiências científicas 
Anda – Gatinho ganha uma nova vida após ser enxergado nas ruas 
Anda – Projeto que resgata animais em situação de rua passa por dificuldades financeiras 
Anda – Cãozinho paraplégico fica emocionado ao ganhar cadeirinha de rodas 
Anda – Quênia começa o primeiro censo nacional de vida selvagem 
Anda – Espanha proíbe por um ano a caça da pomba-tartaruga 
Anda – Rara matilha de lobos cinzentos cria raízes no norte da Califórnia 
Anda – Abutre ganha pata biônica após passar por cirurgia de amputação 
AgroLink – Micróbios no estômago das vacas podem quebrar o plástico 
AgroLink – Primeiro clone faria 25 anos hoje 
AgroLink – UE proíbe animais em gaiolas a partir de 2027 
AgroLink – Decisão elimina ICMS na troca de gado entre Estados 
AgroLink – Mato Grosso participa pela 3ª vez do Circuito Nelore de Qualidade em 2021 
AgroLink – Painéis do Campo Futuro analisam custos de produção de suinocultura, aquicultura e café 

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »