Governo inaugura primeira antena de 5G em área rural do país

Home/Informativo/Governo inaugura primeira antena de 5G em área rural do país

Ao sobrevoar a plantação de algodão, um drone transmite em tempo real e com alta definição (4K) a situação da lavoura. No escritório, a equipe técnica usa óculos de realidade virtual e consegue reproduzir as imagens a partir de hologramas, recriando, assim, a situação do campo. Segundo o Governo Federal esse é um dos cenários possíveis a partir da conectividade 5G no campo, que passa a estar disponível a partir desta terça-feira (11) com a inauguração da primeira antena em área rural dessa nova geração da internet na fazenda modelo do Instituto Matogrossense de Algodão (IMAmt), em Rondonópolis (MT). É a partir da conexão em 5G que drones, chips, GPS e equipamentos como tratores poderão entrar em ação e enviar informações sobre comportamento e saúde do animal e manutenção de condições climáticas da lavoura, por exemplo. Com esse serviço, a digitalização do agronegócio ganha força e reforça o papel do Brasil como protagonista no cenário mundial de produção de alimentos a partir da redução de custos e diminuição de perdas na produção. O acesso à internet no campo ainda leva cidadania, conhecimento e oportunidades aos produtores rurais das áreas mais remotas, assim como oportuniza aos produtores mais competitivos a implementação das tecnologias mais avançadas no que diz respeito à agricultura digital e de precisão. Instalada pela fabricante Nokia, a antena permite o sinal de internet em alta velocidade a partir de uma transmissão gerada pela própria estrutura. É o 5G standalone, também conhecido como 5G puro. A ministra Tereza Cristina, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), destacou que o Governo Federal trabalha para que a tecnologia 5G chegue a todos os brasileiros. “Esse leilão [das frequências de operação da nova geração de internet móvel] vai bombar para que essa tecnologia seja democratizada, chegue a todos. Com certeza, isso vai trazer melhoria no social, ambiental e na produtividade do agro brasileiro. Isto é o início de uma estrada do que virá para o futuro do agro brasileiro.” “O 4G revolucionou a vida das pessoas e o 5G vai revolucionar as indústrias. Para o agronegócio, que é quem está fazendo o nosso Brasil crescer, mesmo nesta crise, junto às telecomunicações, será um avanço gigantesco. O 5G vai fazer o nosso agro crescer 20% a mais, em média, e esse leilão está muito próximo de acontecer”, ressaltou o ministro das Comunicações, Fábio Faria.

Mapa publica zoneamento agrícola da soja para safra 2021/2022

Foram publicadas no Diário Oficial da União desta quarta-feira (12) as portarias de Nº 110 a 125 com o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc), ano-safra 2021/2022, para o cultivo da soja. De acordo com o Mapa nesta publicação, as unidades da federação contempladas foram: Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Bahia, Maranhão, Piauí, Acre, Pará, Rondônia, Tocantins, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. A soja adapta-se melhor a temperaturas do ar entre 20ºC e 30ºC. A temperatura ideal para seu crescimento e desenvolvimento está em torno de 30ºC. A faixa de temperatura do solo adequada para semeadura varia de 20ºC a 30ºC, sendo 25ºC a temperatura ideal para uma emergência rápida e uniforme. O zoneamento tem o objetivo de reduzir os riscos relacionados aos problemas climáticos e permite ao produtor identificar a melhor época para plantar, levando em conta a região do país, a cultura e os diferentes tipos de solos. O modelo agrometeorológico considera elementos que influenciam diretamente no desenvolvimento da produção agrícola como temperatura, chuvas, umidade relativa do ar, ocorrência de geadas, água disponível nos solos, demanda hídrica das culturas e elementos geográficos (altitude, latitude e longitude). Complementarmente, no zoneamento da soja, também é considerado o risco fitossanitário causado pela ferrugem asiática da soja, pois o Zarc leva em conta as recomendações de instituições de pesquisa e órgãos estaduais sobre medidas de manejo que incluem o período de vazio sanitário e o calendário de plantio. Os agricultores que seguem as recomendações do Zarc estão menos sujeitos aos riscos climáticos e ainda poderão ser beneficiados pelo Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro) e pelo Programa de Subvenção ao prêmio do Seguro Rural (PSR). Muitos agentes financeiros só liberam o crédito rural para cultivos em áreas zoneadas. Produtores rurais e outros agentes do agronegócio podem acessar por meio de tablets e smartphones, de forma mais prática, as informações oficiais do Zarc, facilitando a orientação quanto aos programas de política agrícola do governo federal. O aplicativo móvel Zarc Plantio Certo, desenvolvido pela Embrapa Informática Agropecuária (Campinas/SP), está disponível nas lojas de aplicativos:  iOS e Android. Os resultados do Zarc também podem ser consultados e baixados por meio da plataforma  “Painel de Indicação de Riscos” 

Mapa e Ibama apreendem mais de 5 mil quilos de defensivos agrícolas falsificados no entorno de Brasília

Uma ação de fiscalização conjunta entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) resultou na apreensão de mais de 5 mil quilos de defensivos agrícolas falsificados. A operação, que ocorreu no Distrito Federal e entorno, teve como alvo produtos armazenados que seriam comercializados aos produtores rurais e utilizados nas lavouras. Por serem produtos sem autorização, seu uso poderia acarretar prejuízos aos aplicadores, danos ao meio ambiente e risco à segurança alimentar. Auditores fiscais federais agropecuários e fiscais do Ibama fiscalizaram 11 empresas. Dessas, quatro possuíam grande estoque de produtos vencidos, sem identificação e falsificados. Em uma das empresas foi encontrado um estoque oculto, no qual estavam armazenados os defensivos agrícolas ilegais. Durante a operação, foram analisados documentos de origem, rótulos, bulas, embalagens e QRcodes de segurança que algumas empresas estão utilizando para identificar a autenticidade dos defensivos agrícolas originais por elas produzidos. Os produtos irregulares foram apreendidos e as empresas responderão administrativamente processos nos dois órgãos. “Os estabelecimentos comerciais têm a obrigação de realizar a devolução dos defensivos agrícolas vencidos às empresas registrantes, conforme determina a legislação vigente.  Manter esses produtos vencidos no comércio pode alimentar o mercado de ilegais, além de ser infração gravíssima”, explica o chefe de fiscalização de Agrotóxicos do Mapa, Júlio Lima. As infrações também são consideradas crime ambiental. No total da operação em que participaram AFFAs do Mato Grosso e de Brasília, foram emitidos quatro autos de infração para as empresas fiscalizadas, com apreensão de 18 marcas de defensivos agrícolas diferentes, sendo cinco delas falsificadas.

Mapa abre consulta pública sobre a concessão do Selo Arte para produtos de abelhas

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) publicou nesta terça-feira (11) a Portaria nº 75, que abre consulta pública para produtores e representantes de estabelecimentos, entidades e órgãos agropecuários participarem do processo de elaboração dos requisitos mínimos de Boas Práticas para a concessão do Selo Arte aos produtos de abelhas e seus derivados. Os interessados podem enviar suas sugestões até o dia 25 de junho, em formato de planilha editável, conforme exemplo apresentado na portaria, para o e-mail: artesanal.cgpa@agricultura.gov.br. O material será recebido pela Secretaria de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação (SDI) e deverá subsidiar na elaboração da regulamentação. A portaria apresenta proposta de texto de Instrução Normativa, reconhecendo as atividades de apicultura, criação da abelha Apis Mellifera, e de meliponicultura, criação de abelhas nativas do Brasil, que têm como característica a ausência de ferrão. “Uma das novidades é a de considerar os produtos de abelha sem ferrão, que ainda não são mencionados de forma tão explícita e detalhada em outras regulamentações do Mapa. Essa é a primeira vez que esse tema vem apresentado de uma forma bem clara”, afirma coordenadora-geral de Produção Animal do Mapa, Marcella Teixeira. As abelhas sem ferrão disponibilizam aos consumidores uma grande variedade de produtos, de acordo com a espécie de abelha, local de produção e formas de processamento. “A expectativa é que, uma vez publicada, a norma estimule a formalização de apicultores e meliponicultores, levando ao aumento da comercialização de produtos de abelhas nativas, com valorização de produtos únicos do Brasil”, destaca a coordenadora-geral. Os estados de São Paulo e Santa Catarina foram os primeiros a conceder o Selo Arte para produtos de abelhas, devido aos avanços que possuem na regulamentação destes produtos. Ambos contam com regulamentos técnicos específicos para produtos de abelha sem ferrão. A portaria publicada pelo Mapa propõe o estabelecimento, em todo o território nacional, do regulamento para enquadramento dos produtos de abelhas e seus derivados artesanais, necessários à concessão do Selo Arte. O texto sugere a identificação dos seguintes requisitos para classificar produtos de abelhas como artesanais: adoção de técnicas e utensílios predominantemente manuais; produto final de fabrico individualizado e com características tradicionais, culturais ou regionais; uso de ingredientes industrializados restrito ao mínimo necessário e sem a utilização de corantes, aromatizantes ou outros aditivos considerados cosméticos; e processamento dos ingredientes feito, principalmente, de forma manual, com técnicas e conhecimentos de domínio dos manipuladores. O processo produtivo deverá atender às exigências de Boas Práticas Agropecuárias e de Fabricação previstas nos programas de saúde animal e do Serviço de Inspeção Oficial.

NA IMPRENSA

Agência Câmara – Senado aprova projeto da campanha Junho Verde; texto vai à Câmara 
Governo Federal – Governo inaugura primeira antena de 5G em área rural do país 
Governo Federal – FCO liberou mais de R$ 123 milhões a produtores rurais e empreendedores em 2021 
Governo Federal – Mais de 5 mil quilos de defensivos agrícolas falsificados são apreendidos no DF 
Jota – A regulação da aviação civil em tempos de incertezas 
Folha de S.Paulo – Atraso no plantio de trigo no Paraná preocupa  
G1 – Previsão para colheita de grãos recua com atraso no plantio do milho 
G1 – Exportações de café do Brasil caem em abril; Cecafé reforça alerta para 21/22 
G1 – Câmara pode votar projeto que flexibiliza licenciamento ambiental; ex-ministros criticam 
Valor Econômico – Conab reduz estimativa para a colheita recorde de grãos 
Valor Econômico – Agro brasileiro mostra força um ano após início da pandemia, diz KPMG 
Valor Econômico – Moagem de cana segue em ritmo lento em 2021/22, diz Única 
Valor Econômico – Vendas da Bayer Crop Science cresceram 6,4% no 1º trimeste 
Valor Econômico – ADM mantém avanço no Brasil, com foco em nutrição 
Valor Econômico – Retração sutil no Índice de Confiança do Agronegócio 
Valor Econômico – Próximo Plano Safra da agricultura familiar será semelhante ao atual, sinaliza governo 
Mapa – Safra de grãos deve atingir 271,7 milhões de toneladas, prevê Conab 
Mapa – Mapa publica zoneamento agrícola da soja para safra 2021/2022 
Mapa – Mapa e Ibama apreendem mais de 5 mil quilos de defensivos agrícolas falsificados no entorno de Brasília 
Mapa – Governo Federal inaugura primeira antena de 5G em área rural do país 
Mapa – Mapa abre consulta pública sobre a concessão do Selo Arte para produtos de abelhas 
Embrapa – Embrapa lança programa de inovação aberta em fruticultura tropical 
Embrapa – Tecnologias poupa-terra preservaram mais de 70 milhões de hectares em áreas plantadas com soja no Brasil 
Embrapa – Tecnologia para controlar doença em cupuaçuzeiros é tema do Prosa Rural 
CNA – Senar/MS capacita profissionais que lidam com inflamáveis e combustíveis em propriedades rurais 
CNA – Mário Borba é reeleito presidente da Faepa por unanimidade 
AgroLink – Expocafé 2021 acontece na próxima semana 
AgroLink – Comercialização de commodities nos mercados internacionais requer atenção 
AgroLink – Árabes testam drones que provocam chuvas 
AgroLink – ATeG Olericultura: produtor amplia capacidade produtiva e prepara aplicativo 
AgroLink – Tecnologia reduz estresse hídrico em gramíneas 
AgroLink – RS localiza grande refúgio de morcegos hematófagos 
AgroLink – Zoneamento para cultura da soja é publicado 

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »