GOVERNO FARÁ CAMPANHA PARA EVITAR INGRESSO DE FUNGO QUE AMEAÇA PLANTAÇÕES DE BANANA

//GOVERNO FARÁ CAMPANHA PARA EVITAR INGRESSO DE FUNGO QUE AMEAÇA PLANTAÇÕES DE BANANA

Mal-do-Panamá é o nome popular de doença causada pelo fungo de solo Fusarium oxysporum fsp cubense (Foc), nova raça de fungos (raça 4 tropical), que está causando grandes perdas no sul da Ásia, Oriente Médio e Moçambique e é considerada a maior ameaça para a cultura da banana no mundo. É o que diz nota publicada no site do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O Brasil é livre da raça 4 tropical que atinge as variedades prata, maçã, nanica e nanicão. No continente americano, a raça ainda não foi encontrada e a sua introdução poderia trazer sérios problemas para a produção de bananas, alimento básico e considerado chave para a segurança alimentar. “Diante da propagação dessa raça de fungo e o que representaria para a cultura de banana no Brasil, o Mapa, por meio do Departamento de Sanidade Vegetal (DSV), juntamente com pesquisadores da Embrapa Mandioca e Fruticultura estão desenvolvendo o Plano Nacional de Contingência, que prevê a adoção de medidas capazes de evitar a sua introdução no território nacional. Com esse objetivo, será realizada ampla campanha de informação, direcionada aos produtores e ao público em geral, visando alertar viajantes que se dirigirem àqueles países com ocorrência da raça 4 tropical, que evitem trazer material vegetal e adotem medidas de mitigação de risco, como a realização da limpeza dos vestuários ou de qualquer outro material, a fim de evitar contaminação”, afirma a nota do Mapa.

Cresce importação de produtos químicos para agronegócio

Nos quatro primeiros meses do ano, o Brasil importou US$ 2,8 bilhões de produtos químicos para agronegócio, que incluem fertilizantes, seus intermediários e defensivos agrícolas. De acordo com o site Agrolink, os dados foram divulgados pela Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), com base em informações do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). Houve aumento de 13,68% no montante adquirido pelo País no exterior na comparação com os US$ 2,469 milhões registrados no mesmo levantamento realizado à época em 2016. “Os dados constam no Sistema Alice (Análise das Informações de Comércio Exterior), mantido pela Secex (Secretaria de Comércio Exterior). Os produtos intermediários para fertilizantes seguem liderando a pauta de importação brasileira de produtos químicos. O País comprou US$ 1,9 bilhão acumulados entre janeiro a abril de 2017, o que representa um expressivo aumento de 28,7% na comparação com os mesmos meses iniciais do ano passado. Os fertilizantes propriamente ditos somaram US$ 304,25 milhões em compras entre os meses de Janeiro e Abril de 2017”, diz trecho da matéria.

Para preservar JBS, holding deve vender ativos

Conforme reportagem do jornal Valor Econômico, a crescente expectativa de que a holding J&F terá de vender alguns de seus negócios para preservar a JBS, principal empresa de seu diversificado portfólio, colaborou para que as ações da maior companhia de proteínas animais do mundo registrasse forte alta na terça-feira (23). Com isso, os papéis recuperaram parte das perdas que se acumulavam desde a última quinta-feira (18), motivadas pelo teor das delações dos irmãos Batista, donos do conglomerado, e de outros executivos da J&F e da JBS. Em boa medida graças à possibilidade de a J&F ganhar musculatura com a aceleração da venda de empresas que já estavam na vitrine, como Vigor, Eldorado (papel e celulose) e Flora (higiene e limpeza), e mesmo de negociar companhias para as quais ainda não tinha esses planos, como Alpargatas, as ações da JBS subiram 9,53%. Um dos negócios que a J&F já vem tentando vender há meses é a Vigor, dona de marcas de lácteos líderes no varejo e de uma participação de 50% na mineira Itambé, outra empresa com produtos de grande penetração. Como informou o Valor no mês de março de 2017, a empresa negociava desde janeiro com a multinacional Pepsico, mas as conversas esfriaram pois não houve consenso sobre o valor da transação.

JBS passa a pagar a pecuaristas só a prazo, e frigorífico menor ganha força

A JBS mudou o modelo de comercialização na compra de gado. O jornal Folha de S.Paulo destaca que a empresa comunicou aos pecuaristas de algumas regiões que não está mais fazendo pagamentos à vista pelo gado adquirido, mas apenas a prazo. O produtor tinha a opção de vender a prazo ou à vista, mas, agora, só terá a primeira opção em regiões onde existem apenas unidades frigoríficas da JBS. A comercialização de gado, quando feita a prazo, tem o pagamento em 30 dias. A mudança de atitude da empresa vai levar mais pecuaristas para os pequenos e médios frigoríficos. E essa tendência deve ser intensificada se a Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) conseguir ser atendida pelo governo do Estado em duas reivindicações dos pecuaristas. Em uma delas, a Acrimat quer que o governo de Mato Grosso, principal produtor de carne bovina do país, adira ao Sistema de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi). Outro pedido da Acrimat para o governo é a isenção de ICMS (hoje em 7%) para a transferência de gado em pé do Estado para outras unidades da Federação. O fim da taxa eliminaria as dificuldades de comercialização que muitas regiões têm atualmente, diz a notícia.

 

NA IMPRENSA

 

Mapa – Governo fará campanha para evitar ingresso de fungo que ameaça plantações de banana

Mapa – Brasil vai exportar material genético para Ruanda e Argentina

MMA – Região Sul vai difundir programa A3P

MMA – Conheça os vencedores do Prêmio da Biodiversidade

MMA – Projeto garantirá investimentos para o Cerrado

Embrapa – Caravanas percorrem rotas de agroecologia no nordeste paraense

Embrapa – Produtores de cooperativa de SC conhecem mais sobre produção de mandioquinha-salsa

Câmara dos Deputados – Debatedores questionam autorização para aeroporto em BH receber voos de grande porte

Câmara dos Deputados – Debatedores apresentam sugestões para revitalizar produção de cacau

Câmara dos Deputados – Presidente da CPI da Funai 2 pede prorrogação dos trabalhos por mais 30 dias

Senado Federal – Aprovada MP que altera unidades de conservação ambiental no PA e em SC

Senado Federal – Participação social é consenso em seminário sobre meio ambiente

Senado Federal – Barroso aponta papel dos juízes na proteção do meio ambiente

Senado Federal – Projeto reacende debate sobre alimentos transgênicos

Valor Econômico – Glencore faz oferta de compra pela Bunge, diz agência

Valor Econômico – Irmãos Batista citam ao Fisco compra da acionista ‘misteriosa’ Blessed 

Valor Econômico – Importação de lácteos caiu 14,7% 

Valor Econômico – Para preservar JBS, holding deve vender ativos 

Valor Econômico – Um IPO de US$ 500 milhões que ficou inviável 

Valor Econômico – Ação da JBS sobe 9,3% com expectativa de venda de ativos 

Folha de S.Paulo – Vaivém das Commodities – JBS passa a pagar a pecuaristas só a prazo, e frigorífico menor ganha força

Agrolink – Cresce importação de produtos químicos para agronegócio

Rota do Sertão – Fiscalização interdita quase meia tonelada de agrotóxicos em Alagoas

Correio do Brasil – Risco de câncer de pele é sete vezes maior em trabalhadores expostos a agrotóxicos

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.