Governo extingue empresa estatal de silos agrícolas  

//Governo extingue empresa estatal de silos agrícolas  
Nesta terça-feira (17) o jornal O Globo divulgou que, o governo liquidou no fim de outubro a Companhia de Armazéns e Silos do Estado de Minas Gerais (Casemg), ligada ao Ministério da Agricultura. A operação foi divulgada nesta terça-feira pelo Ministério da Economia. Segundo a pasta, a companhia registrou prejuízo de R$ 16,8 milhões entre 2011 e 2016. Além disso, despesas administrativas e custos operacionais para manter o negócio chegavam a R$ 19 milhões anuais, no período entre 2017 e 2020. A Casemg foi criada em 1957 para armazenagem de produtos do agronegócio. Em 2016, a companhia tinha 18 unidades armazenadores, com apenas seis com superávit. Em nota, o secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados, Diogo Mac Cord, afirmou que a decisão de liquidar uma estatal ocorre quando a empresa não entrega mais o serviço público a que se propôs e o setor privado não tem interesse de absorver a atividade. Durante o processo de liquidação da Casemg, o governo arrecadou R$ 32,8 milhões com a venda de imóveis. Em setembro, a União já havia se desfeito de outra estatal, a Companhia Docas do Maranhão (Codomar), criada em 1974. A empresa registrou prejuízo de R$ 64 milhões entre 2014 e 2017, números que saltaram para R$ 152,9 milhões durante o processo de extinção. A liquidação das empresas faz parte do processo de desestatização que a equipe econômica tem tentado acelerar. Na semana passada, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse estar “frustrado” pelo fato de o governo não ter conseguido vender nenhuma estatal em dois anos. Guedes atribui a um suposto acordo no Congresso a dificuldade de avançar com privatizações em análise pelo Legislativo, como o da Eletrobras, que enfrenta ainda mais resistência após o apagão que atinge o Amapá, por causa de uma falha em uma subestação administrada por uma empresa privada.

Mapa participa da Semana Mundial de Conscientização do Uso de Antimicrobianos 

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) participa, de 18 a 24 de novembro, da Semana Mundial de Conscientização Antimicrobiana 2020 (WAAW – sigla em inglês). A campanha que traz o slogan “Antimicrobianos: use com cuidado” é coordenada pela Aliança Tripartite – Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e Organização Mundial de Saúde (OMS). A WAAW, realizada anualmente, busca aumentar a conscientização e a compreensão da resistência aos antimicrobianos que é um dos maiores desafios para a saúde pública global, com importante impacto na saúde humana e dos animais. Entre as ações realizadas durante a semana, no dia 23/11, o Mapa em conjunto com o Ministério da Saúde, Anvisa e Organização Panamericana de Saúde (OPAS/OMS) realizará um webinar “Unidos para preservar os antimicrobianos”, a partir das 15h, transmitidos pelo Youtube https://youtu.be/FA81camYes8 e no canal da PAHO TV https://www.youtube.com/pahotv. As atividades para estimular o uso racional de antimicrobianos em animais estão previstas no Plano de Ação Nacional para Prevenção e Controle da Resistência aos Antimicrobianos no âmbito da Agropecuária (PAN-BR AGRO), publicado em 2018 pelo Ministério da Agricultura. O uso inadequado ou excessivo de medicamentos aumenta o risco de resistência aos antimicrobianos e, em todo o mundo, pessoas, plantas e animais estão morrendo de infecções que não podem ser tratadas, mesmo com os mais poderosos antimicrobianos. “Aguardar um novo medicamento para o tratamento não é uma opção viável. A única solução é tomar medidas estratégicas para retardar o progresso da resistência e manter a eficácia dos antimicrobianos por mais tempo. A maneira como escolhermos responder à resistência aos antimicrobianos neste momento será importante para demonstrar a responsabilidade e compromisso do país com esse tema”, alerta o diretor do Departamento de Saúde Animal, Geraldo Moraes.

BR, Raízen e Ipiranga já gastam com CBios

As três maiores distribuidoras de combustíveis do país – BR Distribuidora, Ipiranga e Raízen Combustíveis – provisionaram R$ 202 milhões no terceiro trimestre em despesas com compras de Créditos de Descarbonização (CBio) que devem realizar para atenderem a suas metas deste ano, informou o Valor Econômico nesta terça-feira (17). Trata-se de menos de um terço do valor de títulos comercializado na B3 neste ano até agora. Foi o primeiro trimestre em que essa despesa é contabilizada nos balanços das partes obrigadas do programa RenovaBio. Cada CBio equivale a uma tonelada de carbono de emissão evitada com a substituição de combustíveis fósseis por biocombustíveis. As três empresas são responsáveis por 68% da meta total de compra de CBios que o setor de distribuição precisa comprar neste ano, que soma 14,898 milhões de CBios (somando a meta de 2020 à da última semana de 2019). Foram incluídas na conta duas companhias nas quais a Raízen têm participação majoritária: a Petróleo Sabbá e a Raízen Mime, que possuem metas específicas. No conjunto, esses três grupos têm cerca de 10 milhões de CBios a comprar neste ano, mais que o triplo das metas de compra de todas as associadas da Associação das Distribuidoras de Combustíveis (Brasilcom), que ontem perderam a liminar que lhes garantiam uma redução de 25% em suas metas individuais deste ano. Das três maiores distribuidoras, apenas a BR Distribuidora detalhou que a provisão feita representa três quartos de sua meta individual de CBios, ou seja, para 3,03 milhões de títulos. A provisão representou um impacto de R$ 12 por metro cúbico de combustível comercializado no trimestre.

Sistema desenvolvido pela Embrapa pode antecipar semeadura da 2ª safra de milho

Responsável por mais de 70% da produção de milho no Brasil, a segunda safra vai ganhar um novo aliado para reduzir riscos de perdas por causa do clima e impulsionar a colheita do grão, em franca expansão no país com demanda forte e preços altos. A Embrapa criou o Sistema Antecipe, um método que viabiliza o plantio mecanizado do cereal, de forma intercalada, nas entrelinhas de lavouras de soja em fase de enchimento de grãos. O sistema pode antecipar em até 20 dias o início da semeadura do cereal na safrinha, normalmente realizado apenas após concluída a colheita da oleaginosa. Na hora da colheita da soja, o milho cultivado nas entrelinhas é cortado junto, mas preservando um pequeno caule em cada planta. Nesse momento, toda a lavoura do cereal já está implantada, com as raízes em desenvolvimento, e continuará a crescer, sem prejuízo de produtividade, como explica Paulo César Magalhães, pesquisador da Embrapa Milho e Sorgo. Plantado na época ideal, o milho pode se desenvolver com condições mais favoráveis e ganhar rendimento. Outro benefício apontado pela Embrapa é a redução nos custos de produção da soja, já que a lavoura não precisará ser dessecada com produtos químicos para adiantar o plantio do cereal na segunda safra. “Há benefícios operacionais, econômicos e ao meio ambiente”, reforçou Décio Karam, que liderou a pesquisa na estatal. O objetivo é possibilitar, por exemplo, o uso de variedades de soja de ciclo mais longo e mais produtivas – e, mesmo assim, garantir a implantação a tempo da safrinha de milho. Caso ganhe escala, o sistema pode viabilizar o plantio do cereal em regiões onde a segunda safra ainda não foi plenamente estabelecida, segundo Alysson Paolinelli, presidente-executivo da Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho). “Plantamos pouco milho em relação à soja que colhemos. Dá para plantar mais, e essa antecipação, se convencer o produtor e der resultado melhor, pode ser um caminho”, disse Paolinelli ao Valor Econômico nesta terça-feira (17). Para ele, a técnica será “fenomenal” para uso no Centro-Sul e em Mato Grosso. A Embrapa desenvolveu um aplicativo pelo qual os produtores poderão acompanhar o desenvolvimento da lavoura de soja e obter orientações sobre o momento adequado para o plantio do milho.

NA IMPRENSA
Agência Câmara – Projeto transforma em lei norma do Conama sobre empreendimentos de irrigação

Folha de S.Paulo – Seca exige replantio de soja e derruba produtividade de milho

Folha de S.Paulo – Conheça o agricultor que regrediu os sintomas do Alzheimer com THC

O Estado de S.Paulo – Só falta aplicar nossa ambiciosa lei ambiental

O Estado de S.Paulo – Maioria das queimadas na Amazônia em um ano ocorreu em áreas recém-desmatadas e privadas

O Estado de S.Paulo – Menos arroz e mais soja em safra recorde

O Estado de S.Paulo – Mercados internacionais fecham em alta com vacina para covid e pacto comercial da China

STJ – Decisão da Terceira Turma consolida jurisprudência do STJ sobre recuperação do empresário rural

O Globo – Governo extingue empresa estatal de silos agrícolas

G1 – Testes da China para detectar coronavírus em alimentos incomoda parceiros comerciais

G1 – De onde vem o que eu como: abacate perde fama de vilão para saúde e produção brasileira deve dobrar em 3 anos

G1 – Bolsonaro aponta necessidade de reforma da OMS e da OMC

G1 – Bolsonaro promete divulgar lista de países que criticam o Brasil pelo desmatamento

Valor Econômico – ISO eleva estimativa para o déficit global de açúcar em 2020/21

Valor Econômico – Fundo que comprou a Usinas Itamarati cria hub de apoio a agtechs

Valor Econômico – Clubes de assinaturas de alimentos ganham espaço durante pandemia

Valor Econômico – BR, Raízen e Ipiranga já gastam com CBios

Valor Econômico – Sistema desenvolvido pela Embrapa pode antecipar semeadura da 2ª safra de milho

Valor Econômico – Tereos e VLI inauguram armazéns de açúcar

Valor Econômico – Citricultura foi responsável por 8,9% dos postos de trabalho criados no país de julho a setembro

Mapa – Mapa proíbe comercialização de nove marcas de azeite de oliva sob investigação de fraude

Mapa – Governo Federal entrega mais de 3 mil títulos de propriedade rural para famílias em Goiás

Mapa – Mapa participa da Semana Mundial de Conscientização do Uso de Antimicrobianos

CNA – Produtores Rurais assistidos pela ATeG recebem orientações sobre gestão e controle gerencial da propriedade

CNA – Senar capacitou mais de 250 produtores e trabalhadores rurais

CNA – Mapa atende pedido da FAEP e garante acesso a crédito de custeio

CNA – Produtor triplica número de tanques após capacitação do Senar-MT

Embrapa – Nova chamada de seleção para chefe-geral da Embrapa Amapá

Portal do Agronegócio – UNICA: Restabelecimento de metas do RenovaBio é justo e coerente

Portal do Agronegócio – OIA vê déficit global de açúcar de 3,5 mi t em 2020/21

Portal do Agronegócio – Agricultores dos EUA comemoram disparada no preço da soja; Brasil perde rali

AgroLink – RS: deriva de 2,4-D está em 73% das amostras

AgroLink – RO: Produtores Rurais assistidos pela ATeG recebem orientações sobre gestão e controle gerencial

AgroLink – Tecnologia pode acelerar operações de Barter?

AgroLink – Controle elétrico de daninhas elimina herbicidas

AgroLink – Lavoura pode produzir com árvores crescidas no ILPF

AgroLink – “Novo normal” foi o tema da SIPAT da Embrapa no MS

ANAC – ANAC participa do AirConnected DX 2020 e conta com agenda estratégica de discussões sobre o setor

Clic Camaquã – “É uma satisfação ver o sonho realizado”, afirma piloto agrícola

______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »