Governo do Distrito Federal lança projeto de adoção para animais de grande porte

//Governo do Distrito Federal lança projeto de adoção para animais de grande porte
Nesta quarta-feira (14) o G1 divulgou que, animais de grande porte apreendidos pela Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (Seagri) poderão ser adotados no Distrito Federal. O projeto pretende buscar novos donos para cavalos, mulas, bois e búfalos apreendidos por maus-tratos ou recolhidos por estarem soltos em áreas públicas e que não foram reclamados pelos proprietários. A iniciativa foi publicada no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) do dia 7 de outubro e estabelece benefícios e procedimentos para garantir segurança e o bem-estar dos animais adotados. Neste ano, mesmo antes do decreto, seis animais ganharam um novo lar e há outros dez equinos disponíveis para adoção. Em 2019, 13 foram adotados. De acordo com a subsecretária de Defesa Agropecuária, Danielle Araújo, quando apreendidos, os animais chegam machucados e recebem cuidados veterinários. “A ideia é que os bichos sejam levados para locais e pessoas que possam cuidar deles como merecem, com espaço e alimentação adequados. Também buscamos sensibilizar a sociedade para importância do acolhimento desses animais”, diz Danielle. Os interessados em adotar animais de grande porte apreendidos podem ser pessoas físicas, jurídicas ou entidades filantrópicas. É preciso preencher um cadastro e um termo de responsabilidade junto à Gerência de Apreensão de Animais, apresentando os seguintes documentos: RG, CPF e comprovante de residência (para pessoas físicas); CNPJ e comprovante de endereço (para pessoas jurídicas). Tudo precisa ser protocolado na Seagri. A secretaria tem um prazo de 30 dias, prorrogáveis por mais 30, para dar retorno à solicitação. Entre os critérios para adoção está a posse de um local adequado e seguro para abrigar os animais e não ter histórico de maus-tratos. Quem tiver o cadastro efetivado ganha o certificado “Amigo do Animal”. “Os animais serão disponibilizados para adoção por ordem de chegada”, diz a secretaria. A pasta fica encarregada de entrar em contato com os cadastrados para informar sobre a disponibilidade, seguindo a ordem de inscrição dos interessados. As listas ficarão disponíveis no site da pasta. Se o candidato não quiser o animal disponível, volta para o fim da lista. “Depois de duas negativas ele perde o certificado”, explica a Seagri. Para levar o animal adotado, é preciso pagar pelos exames sanitários obrigatórios e providenciar a documentação necessária apara o transporte. No ato da entrega, a pessoa assina o Termo de Doação, que é irretratável e irrevogável. O bicho não pode ser comercializado, nem destratado. O cadastro precisa estar sempre atualizado e, em caso de óbito do animal, a pessoa deve informar as circunstâncias da morte. No caso do adotante ser produtor rural, associação ou cooperativa de produtores, ou empresa rural, ele terá direito a benefícios. São eles: Acesso ao Fundo de Desenvolvimento Rural (FDR); Quatro assistências veterinárias por animal adotado no primeiro ano; Direito de uso do certificado “Amigo do Animal” em suas campanhas particulares de marketing. Esses mesmos incentivos podem ser concedidos às pessoas físicas ou jurídicas que optarem por doar alimentos e exames, ou mesmo promoverem melhorias estruturais para a manutenção dos animais hospedados no curral da Gerência de Apreensão de Animais da Seagri-DF.

Peste suína: governo da Alemanha confirma mais dez casos em javalis

Mais dez casos de peste suína africana (ASF, na sigla em inglês) em javalis, em Brandemburgo, na Alemanha, foram confirmados nesta segunda-feira (12), pelo Ministério da Alimentação e Agricultura (BMEL) do país europeu, totalizando 65 animais infectados, destacou o Canal Rural nesta terça-feira (13). Os javalis foram encontrados em área central da região, o que mostra que a doença caminhou da zona rural e mais afastada para o centro urbano. O laboratório nacional de referência – o Instituto Friedrich Loeffler (FLI) – que detectou a doença nas amostras correspondentes, informou que dos dez animais, oito javalis foram encontrados no distrito de Oder-Spree e dois no distrito de Spree-Neisse. Usando uma tecnologia drone, o governo também encontrou javalis mortos no distrito de Märkisch-Oderland, na ilha Oder de Küstrin, no fim de semana, e suspeita que a morte pode ter sido causada pela doença, mas os exames ainda não foram feitos. Agora, o objetivo é isolar o grupo de animais e, assim, prevenir propagação do mal. As populações de suínos domésticos na Alemanha ainda estão livres da peste suína africana, afirma o governo. A peste é facilmente transmitida de javali para javali por meio de fluidos corporais, mas é inofensiva para os humanos.

Pesquisa quer desenvolver diesel com carcaça de aves

Uma parceria entre a Embrapa Agroenergia e a empresa Haka Bioprocessos, sediada em Catanduva (SP), vai pesquisar o desenvolvimento de diesel verde a partir de resíduos de ossos de aves, informou o portal AgroLink nesta quarta-feira (14). Os trabalhos começam já neste mês e devem durar dois anos. O processo fará a caracterização dos componentes químicos da matéria-prima (bio-óleo), o pré-tratamento, a hidrogenação e a caracterização do produto final. A intenção é chegar a uma composição próxima à do diesel petróleo e ainda aproveitar a matéria-prima. O processo de hidrogenação é semelhante ao que a Embrapa Agroenergia já fez com o óleo de palma, conhecido por sua elevada acidez. “Achamos o projeto bastante visionário por parte da empresa, que pretende agregar valor a um resíduo que já produz e encontrar uma nova solução verde e sustentável para a matriz energética brasileira”, afirma a pesquisadora Itânia Soares, líder da pesquisa. O diesel verde ou diesel renovável, definido como combustível renovável para motores a combustão de ciclo diesel produzido a partir de matérias-primas renováveis, ainda não faz parte da matriz energética brasileira.  A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) discute a regulamentação de qualidade e a comercialização no país e se houver essa autorização a ideia é adicionar o diesel verde ao fóssil, que já possui obrigatoriamente 12% de biodiesel em sua composição. O resultado será uma mistura ternária, ou seja, um combustível composto por três diferentes produtos. Em outros países o diesel verde já é realidade. Na Europa, o biodiesel é permitido no teor máximo de 7% e nos Estados Unidos, o limite é de 5%.”Esse projeto será um legado de longo prazo para o agronegócio brasileiro. Nossa expectativa é também levar essa tecnologia para os principais produtores de proteína animal como Europa e EUA, colocando essa solução na pauta de exportações nacionais, consolidando a vocação brasileira para a inovação tecnológica no campo”, prevê o fundador e CEO da Haka Bioprocessos, Cyro Calixto.

Indústria da carne acende alerta pelo aumento dos grãos

O encarecimento acentuado dos preços dos grãos está começando a preocupar a indústria da carne, segundo afirmou o presidente da Associação Catarinense de Avicultura (ACAV) José Antônio Ribas JR. Para ele, o momento impõe desafios ao setor e cobra esforços para encontrar alternativas de mercado e evitar eventual crise, já que a exportação de milho e soja pode encarecer os produtos animais. “O aumento de custo é real. O momento de crise que a pandemia trouxe também dificulta o repasse de custos nas vendas. Todos estes aspectos nos desafiam. Parte destes cenários é compensado com exportações, mas não podemos deixar de citar que a maior parte das aves e suínos produzidos é para abastecer o mercado interno. Teremos dias desafiadores pela frente, que demandarão esforços conjuntos para evitarmos os cenários mais críticos”, afirma o dirigente da ACAV ao citar ações importantes para reequilibrar a conta em relação à oferta e à demanda. Conforme informou o portal AgroLink nesta quarta-feira (14), na exportação de soja, por exemplo, o Brasil ultrapassou os Estados Unidos e se tornou o principal exportador, além de maior produtor mundial.  Neste ano, o País deve bater recorde e superar 80 milhões de toneladas, segundo estimativas do setor. O mercado está tão aquecido que as safras brasileiras 2020/2021 e 2021/2022 já estão vendidas no mercado internacional. Da mesma forma, o milho, cujo País é o segundo maior exportador global, deve superar 30 milhões de toneladas no ano, segunda melhor marca do Brasil. “Há muitas frentes sendo debatidas e trabalhadas pelo setor. Lembrando que por se tratar de um setor relevante na geração de valor agregado ao País, gerando emprego e riquezas aos brasileiros, faz todo o sentido que sejam investidos esforços para evitarmos uma crise. Esperamos e trabalhamos para evitar este cenário. A elevação de custos pode trazer reduções de produção e consequentemente redução de postos de trabalho. Já assistimos a este filme e não queremos repetir a história”, declara Ribas JR.

NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – Casal é condenado por manter cães sem alimento e expostos ao tempo em SC

Folha de S.Paulo – Cidade de SP deve se tornar principal jazida de fósseis de aves da Era dos Dinossauros no país

O Estado de S.Paulo – Salles quer comprar 20 mil litros de retardante que exige paralisação de consumo de água e pesca

O Globo – Queimadas no Pantanal: ‘Fogo ameaça também os animais que sobrevivem’, diz bióloga

G1 – Governo do DF lança projeto de adoção para animais de grande porte

G1 – Abatedouro clandestino de animais silvestres é fechado em Santa Luzia, na Grande BH

G1 – Corpo de Bombeiros de Barbacena resgata mais de 70 animais silvestres em 2020

G1 – Suspeito de arrastar cachorro até a morte no ES disse à polícia que queria sacrificar o animal

G1 – DF registra 1,8 mil ataques de animais peçonhentos em 2020

Governo Federal – Ministro Ricardo Salles diz que seca rigorosa está entre causas das queimadas no Pantanal

Valor Econômico – JBS: Pilgrim’s faz acordo em caso de cartel do frango nos EUA e pagará multa de US$ 110 milhões

Valor Econômico – JBS firma acordos com autoridades americanas

Valor Econômico – MPT processa JBS por omissão em medidas contra covid-19

CNA – Após GQC, produção leiteira é quase cinco vezes maior em propriedade de Oliveira (MG)

CNA – Pecuarista mantém produção de leite na pandemia com ajuda do SENAR MINAS

Embrapa – Embrapa Agroenergia inicia pesquisa para produzir de diesel verde a partir da carcaça de aves

AgroLink – Baixa movimentação no mercado do boi gordo no pós feriado

AgroLink – MG: pecuarista mantém produção de leite na pandemia com ajuda do SENAR MINAS

AgroLink – Aves e ovos enfrentam desafios em relação aos preços dos grãos

AgroLink – Pesquisa quer desenvolver diesel com carcaça de aves

AgroLink – Indústria da carne acende alerta pelo aumento dos grãos

AgroLink – Novo azevém é produtivo e precoce

AgroLink – Alta lança Catálogo Corte Zebu 2020 com novos touros

AgroLink – Simulador de clima ajuda pecuária sustentável

Canal Rural – Oferta restrita de gado terminado em MT faz arroba subir 39%, diz Imea

Canal Rural – Onécio Silveira Prado Júnior assume a presidência da ABCCC

Canal Rural – Peste suína: governo da Alemanha confirma mais dez casos em javalis

Revista Globo Rural – Alta no preço dos grãos preocupa setor de aves

Revista Globo Rural – Feira no RS que criou parque interativo virtual fatura 40% a mais com leilões de animais

SBA – SBA cumprimenta todos os agentes que fazem o setor gigante neste Dia Nacional da Pecuária

______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »