Governo digitalizará mais 77 serviços para o produtor rural em 2021

Home/Informativo/Governo digitalizará mais 77 serviços para o produtor rural em 2021

Com o objetivo de apoiar os produtores rurais e manter a produtividade, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) agilizou a transformação de diferentes serviços ao cidadão, que antes eram prestados de forma presencial, para a forma eletrônica. Desde 2019, o Mapa já digitalizou 81 atendimentos, em parceria com a Secretaria de Governo Digital do Ministério da Economia, para o Portal gov.br. A meta para 2021 é ter mais 77 serviços transformados em digitais. De acordo com a Secretaria-Executiva do Mapa, os serviços digitais já beneficiaram mais de meio milhão de pessoas e empresas, com uma redução de custos para esse público estimada em R$ 43 milhões ao ano e para o Poder Público em R$ 117 milhões ao ano. Na área de Defesa Agropecuária, mais de 20 serviços migraram para o digital, como o e-Sisbravet, ferramenta eletrônica para modernização da gestão da vigilância das doenças dos animais, e o sistema de gerenciamento de estudos epidemiológicos. Também foram digitalizados o serviço de habilitação de médicos veterinários da iniciativa privada para atuação no Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal e o pedido de habilitação de laticínios e cooperativas de leite no Programa Mais Leite Saudável. O Mapa também disponibilizou um serviço, totalmente digital, para obtenção de crédito por meio do Terra Brasil – Programa Nacional de Crédito Fundiário, para facilitar e agilizar o acesso ao crédito rural para aquisição de terras e infraestruturas básicas e produtivas. Na área da pesca, foi automatizado o pedido de registro para pescador amador e a habilitação de embarcações pesqueiras para fornecimento de matéria-prima para o processamento industrial de produtos da pesca destinados à União Europeia.

Agro exporta US$ 1 tri na década e passa a representar 49% das vendas externas

A agropecuária ganhou importância e movimentou boa parte da economia na década passada. De 2011 a 2020, as exportações do agronegócio ficaram próximas de US$ 1 trilhão, deixando um saldo comercial do setor de US$ 800 bilhões, sem considerar os gastos com importação de insumos. De acordo com a coluna Vaivém da Folha de S.Paulo os dados do Ministério da Economia desta segunda-feira (4) mostram que 2020 esteve entre um dos melhores anos. O avanço do país, em volume e em variedade de produtos em mercados até então pouco explorados, fez com que a participação das exportações do agronegócio, que somavam 37% do total da balança comercial em 2000, subissem para 49% em 2020. As exportações tiveram reflexos na renda dos produtores e no poder de investimentos, mas também nos preços internos, que, em muitos casos, passaram a refletir os valores externos. Em 2000, o Brasil produziu 83 milhões de toneladas de grãos, volume que aumentou para 149 milhões em 2010 e para 257 milhões em 2020. No fim da década de 1990 e no início dos anos 2000, o país tinha saldo negativo na balança comercial. A partir de 2001, quando a agropecuária superou a marca dos US$ 20 bilhões anuais em exportações, o saldo nacional passou para o azul e vem apresentando valores crescentes. Bom na produção e na exportação de alimentos, mas dependente de insumos, a agricultura fez o Brasil trazer para dentro de suas fronteiras 2,8 milhões de toneladas de agrotóxicos e 233 milhões de toneladas de fertilizantes. Os gastos com esses insumos somaram US$ 99 bilhões. O crescimento da produção e das exportações levou renda para dentro das porteiras, melhorando a capacidade de investimentos do produtor, principalmente os de maior fôlego.

Cooperativas agrícolas criam plataforma de comércio online

Doze grandes cooperativas agropecuárias anunciaram o lançamento da Supercampo, plataforma de comércio virtual que atenderá inicialmente 80 mil cooperados no Brasil, informou o Valor Econômico nesta terça-feira (5). No marketplace, já estão cadastradas empresas dos setores de autopeças, construção e manutenção, higienização e limpeza e máquinas e ferramentas. Inicialmente serão atendidos os associados da Cooperativa Agrária, com sede em Guarapuava (PR), da Capal, sediada em Arapoti (PR), da Castrolanda, de Castro (PR), da Cooperalfa, de Chapecó (SC) da Coopertradição, de Pato Branco (PR), da Copacol, de Cafelândia (PR), da Copercampos, de Campos Novos (SC), da Coplacana, de Piracicaba (SP), da Cotrijal, de Não-Me-Toque (RS), da Frísia, de Carambeí (PR), da Integrada, de Londrina (PR), e da Lar, de Medianeira (PR). O objetivo é fornecer mais um serviço aos associados, com a facilidade da compra online, ampla oferta de produtos e fornecedores selecionados. Diretor-presidente do conselho de administração da Supercampo, Renato Greidanus afirma, em nota, que as sócias terão sua individualidade preservada, mas que a união é importante para dar escala ao projeto. A nova empresa está sediada em Curitiba (PR) e teve a consultoria jurídica e de negócios do escritório Martinelli Advogados. Ronald Eikelenboom, CEO da Supercampo, diz que a plataforma nasce com o propósito de fortalecer a presença das cooperativas no ambiente digital, permitindo a fidelização de novas gerações.

BNDES volta a receber pedidos de financiamento em linhas de investimentos do Plano Safra

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) reabriu nesta segunda-feira (4) o protocolo de pedidos de financiamentos nas linhas de investimentos do Plano Safra 2020/21. Segundo o Valor Econômico um aviso enviado às instituições financeiras na semana passada informou que as operações no âmbito de nove programas, entre eles o Moderfrota (máquinas agrícolas), o Pronamp (médios produtores) e o Pronaf (agricultura familiar), estarão disponíveis novamente. Devido à forte procura dos produtores por recursos para investimentos, algumas linhas deram sinais de esgotamento ainda em setembro do ano passado. Nos meses seguintes, o BNDES teve que paralisar o recebimento de pedidos de financiamentos para calcular o montante disponível. A instituição também estimulou o uso da linha BNDES Crédito Rural, que não tem subvenção mas oferece condições semelhantes para diversas modalidades. O bloqueio de novas operações ligou o sinal de alerta no Ministério da Agricultura, que tenta um aporte extra de recursos para equalização de juros nas linhas de investimentos. Nos seis primeiros meses do Plano Safra 2020/21, foram desembolsados quase R$ 40 bilhões nessa modalidade, 45% a mais que no mesmo período da temporada anterior. De julho até o dia 23 de dezembro de 2020, o BNDES financiou mais de 56 mil produtores e aprovou o empréstimo de R$ 14,4 bilhões, de acordo com dados disponíveis no site da instituição. Mais de R$ 5 bilhões foram destinados à compra de tratores e colheitadeiras.

NA IMPRENSA

Governo Federal – Governo digitalizará mais 77 serviços para o produtor rural em 2021

Folha de S.Paulo – Falar do futuro é falar da China, que deve ser tratada com respeito, diz presidente da SRB

Folha de S.Paulo – Agro exporta US$ 1 tri na década e passa a representar 49% das vendas externas

Folha de S.Paulo – Porto de Santos prevê R$ 7 bilhões em arrendamentos e acessos em 2021

O Estado de S.Paulo – Varejista de produtos agrícolas Agrogalaxy pede registro para IPO

G1 – Exportações de commodities do Brasil em 2020 têm recordes que vão do petróleo ao café

G1 – Vietnã compra arroz da Índia pela primeira vez em décadas

Valor Econômico – Demanda por crédito para investimentos continua em alta

Valor Econômico – Cooperativas agrícolas criam plataforma de comércio online

Valor Econômico – Avanço tecnológico facilita a rastreabilidade de alimentos

Valor Econômico – Exportações argentinas de grãos e derivados cresceram 4,8% em dezembro ante novembro

Valor Econômico – Movimentação de cargas no porto de Antonina, no Paraná, poderá crescer 50% em 2021

Valor Econômico – Covid-19 contém disparada de soja e milho em Chicago

Valor Econômico – Commodoties: Covid-19 contém disparada dos grãos em Chicago

Valor Econômico – Morre José Gerardo Fontelles, ex-secretário-executivo do Ministério da Agricultura

Valor Econômico – BNDES volta a receber pedidos de financiamento em linhas de investimentos do Plano Safra

Embrapa – Sistemas agroflorestais são viáveis em relevos montanhosos

AgroLink – Conab divulga calendário de safras e do mercado hortigranjeiro

AgroLink – Agronegócio paulista registrou superávit de US$ 12 bilhões

AgroLink – Tecnologia quer desenvolver café sem cafeína

AgroLink – Agroquímica japonesa adquire Mancozeb

AgroLink – RS: deriva por 2,4-D cai 25% nesta safra

AgroLink – EUA criam energia limpa ilimitada

AgroLink – Milho paraguaio chega competitivo no RS

AgroLink – Tentativas brasileiras de venda de soja não tiveram êxito

AgroLink – ABMRA apoia movimento em prol do Agro chamado “Todos a Uma Só Voz”

Canal Rural – Daoud: Custo do aumento do ICMS no agro vai para o bolso do consumidor

Canal Rural – Após suspensão da Argentina, Brasil pode ter que importar milho dos EUA

Canal Rural – Confira 9 produtos agrícolas que registraram exportação recorde em 2020

Canal Rural – Dados do Cepea indicam recuperação de empregos no agronegócio

Canal Rural – Milho volta a superar R$ 80 por saca; confira as notícias desta terça-feira

Globo Rural – Abiove diz que biodiesel segura alta do diesel e defende eficácia de leilões

SBA – Governo do RS contabiliza redução de 25% em amostras contaminadas com herbicida 2,4-D

SBA – Mercado de etanol com boa expectativa de desempenho, diz Cepea

SBA – Inovação: laboratório extrai biocombustível de plantas aquáticas

Poder360 – Deputados assinam até 289 frentes e grupos se multiplicam na Câmara

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »