Governo deverá gastar R$ 3 bilhões com remédios

//Governo deverá gastar R$ 3 bilhões com remédios
O auge da pandemia do covid-19 mostrou que, apesar de cerca de 6% da população brasileira – mais distante das cidades ou abaixo da linha de pobreza – não ter como comprar remédios, existe no país uma robusta política de acesso a medicamentos, se comparado ao resto do mundo, informou o Valor Econômico nesta quarta-feira (30). A divisão de responsabilidades dos entes federais, estaduais e municipais acabou se revelando eficiente no enfrentamento da maior crise sanitária da história, graças ao maior entrosamento oficial ante a crônica escassez de recursos. “O Sistema Único de Saúde (SUS) é determinante na questão de acesso a saúde e medicamentos no Brasil, principalmente se considerarmos suas dimensões continentais”, afirma Fábio Antoneli, diretor de especialidades da Sandoz do Brasil. A companhia tem pelo menos 15% das suas vendas ao varejo no Brasil advindas do programa federal Aqui tem Farmácia Popular, bancado pelo Ministério da Saúde. A Sandoz, que tem no setor de varejo farmacêutico quase 70% da sua receita local, deve fazer três lançamentos de biossimilares em 12 meses destinados ao governo/SUS. Para 2020, estavam orçados R$ 2,4 bilhões para a compra de medicamentos só no programa Farmácia Popular, e mais uma verba extra redirecionada pelo Ministério da Saúde para atender a pandemia, que pode elevar gastos com remédios a pouco mais de R$ 3 bilhões até o fim deste ano. Além da Sandoz, Aché, Merck, Eurofarma, EMS, outros grandes produtores de genéricos têm larga fatia da receita do varejo vinda do Farmácia Popular. E as recentes discussões de reformulação do programa, capitaneada pela equipe econômica do governo federal, chamaram a atenção do setor. “É claro que todo programa pode ser melhorado, mas não desmontado. Hoje, infelizmente existem pessoas que têm condições de pagar até R$ 1,5 mil por uma consulta com especialistas e depois vai com a receita pegar remédio de graça no Farmácia Popular. Então, podemos simplesmente restringir os medicamentos desse programa somente ao receituário do SUS, por exemplo”, pondera Nelson Mussolini, presidente executivo do Sindicato da Indústria Farmacêutica (Sindusfarma). O Farmácia Popular tem a adesão de pouco mais de 35,5 mil farmácias privadas espalhadas pelo país, das quase 80 mil unidades registradas no Brasil. Sérgio Mena Barreto, presidente da Associação Brasileira das Redes de Farmácias (Abrafarma), lembra que o investimento público em medicamentos evita um custo de 10 a 20 vezes maior ao Estado, com a internação de pacientes com doenças crônicas nas unidades do SUS. Além do programa do Farmácia Popular, o governo investe nas Parcerias de Desenvolvimento Produtivo (PDPs) com o setor privado para a transferência de tecnologia na produção de medicamentos em larga escala e baixo custo. Essas parcerias, que envolvem desde vacinas a medicamentos de alta complexidade e tecnologia de ponta, nos âmbitos federal, estadual e até municípios mais ricos, são a modalidade que mais cresce atualmente no país. Ricardo Pacheco, diretor-geral do Laboratório Cristália, conta que sua empresa possui 20 PDPs ativas, sendo que desse total 13 produtos já estão sendo comercializados e outros sete já foram aprovados. Outro PDP do governo federal é o da farmacêutica Merck contra a esclerose múltipla. Tais Ramadan, diretora de relações com o governo na companhia, afirma que o acordo de transferência de tecnologia com a Biofarmanguinhos e a Bionovis da sua betainterferona (Rebif®), tem como alvo os 16 mil pacientes com esclerose múltipla que são tratados pelo SUS.

Medicamento biológico atrai investimentos milionários

Os medicamentos biológicos e biossimilares, considerados a maior fonte de inovação da indústria farmacêutica mundial nas últimas décadas, não estão apenas sendo incorporados de forma vigorosa nos sistemas público e privado de saúde no país, como têm atraído investimentos milionários devido aos avanços no tratamento de doenças autoimunes e oncológicas, entre outras, destacou o Valor Econômico nesta quarta-feira (30). A Bionovis, que nasceu de uma joint entre a Aché, EMS, Hypera Pharma e União Química, está investindo mais de R$ 420 milhões na construção de uma fábrica em Valinhos (SP), na contratação e formação de recursos humanos e na aquisição de tecnologia de ponta. A fábrica, de acordo com Odnir Finotti, presidente da Bionovis, estará em pleno funcionamento em 2022 e será, de acordo com ele, uma das maiores plantas industriais de biotecnologia farmacêutica da América Latina. Outra empresa com investimentos volumosos nessa área é Biomm, resultado do spin off da Biobras, da qual herdou o conhecimento desenvolvido ao longo de 26 anos. A empresa ergueu uma fábrica de R$ 185 milhões em Nova Lima (MG), onde serão produzidos e comercializados biofármacos. Heraldo Marchezini, CEO da Biomm, informa que as obras da fábrica já foram finalizadas e, agora, a companhia aguarda a certificação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Os investimentos em P&D só no primeiro semestre já somam R$ 3,7 milhões. A Libbs Farmacêutica, que comercializou o primeiro biossimilar de Trastuzumabe no país, indicado para câncer de mama, quebrando o monopólio do medicamento de referência, investiu R$ 611 milhões no seu projeto Biotec, uma plataforma de desenvolvimento, produção e exportação de biomedicamentos. Grande parte desse montante (R$ 500 milhões) foi financiado pelo BNDES e pela Finep. “O objetivo agora é investir mais R$ 350 milhões até 2025”, informa Marco Dacal, diretor da unidade de negócios B2B da Libbs. Os executivos das três biofarmacêuticas explicam que o desenvolvimento, produção e comercialização desses medicamentos de alta complexidade exige longos períodos de pesquisa e investimentos significativamente altos. Diferentemente do medicamento sintético, o biológico tem como princípio ativo substâncias produzidas a partir de células vivas. No entanto, vale ressaltar que, após o vencimento de suas patentes, cópias podem ser legalmente produzidas e, após passarem por testes de comparabilidade, que garantem sua segurança e eficácia, podem ser comercializadas. Estes medicamentos, chamados de biossimilares, surgiram como alternativa para ampliar o acesso às drogas de alta tecnologia, já que a diminuição de custos acaba gerando mais competitividade e oferta do medicamento, possibilitando que mais pessoas possam receber tratamento com produtos de origem biológica. Finotti, da Bionovis, explica que o desenvolvimento de um biossimilar de alta complexidade exige investimentos de pelo menos US$ 150 milhões, em média, e demanda períodos que podem chegar a oito anos para serem concluídos.

Entidades se reúnem com o Cade para pedir quebra de patente de droga contra hepatite

Em reunião, nesta terça-feira (29), com o Cade, entidades ligadas a saúde e direitos humanos vão reforçar o pedido para abertura de investigação sobre abuso do monopólio do sofosbuvir, usado contra hepatite C. Segundo a coluna Painel da Folha de S.Paulo o argumento é que o fabricante, Gilead, usa a patente de forma predatória e pratica preços exorbitantes que minam a capacidade pública de garantir o direito a saúde. A ação, iniciada em 2019, pede a quebra da patente. As entidades dizem que a pandemia tornou o cenário mais drástico, afetando o orçamento do SUS para compra da droga, que pode custar mais de R$ 900 a cápsula. O laboratório nega minar a concorrência.

Em meio à polêmica, ministro veta divulgar cloroquina em ‘dia D’ contra Covid 

Em meio a polêmica sobre a realização de um dia D contra Covid com aulas virtuais sobre cloroquina, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse a auxiliares que irá vetar a divulgação de medicamentos na iniciativa, prevista para ocorrer no sábado (3). A orientação, agora, é que o evento foque no que é chamado de “atendimento e conduta precoce” contra a doença, mas que se evite falar em remédios. Irritado, o ministro também ameaçou cancelar a campanha caso haja citação direta a medicamentos, seja quais forem, dizem membros da pasta ouvidos pela Folha de S.Paulo. Segundo esses auxiliares, a posição já havia sido citada pelo ministro, e foi reforçada por Pazuello nesta terça-feira (29), após a Folha divulgar que uma das ações previstas era fazer aulas virtuais a médicos sobre a cloroquina. A proposta havia sido defendida pela secretária de Gestão do Trabalho na Saúde, Mayra Pinheiro, segundo quem a data serviria para “conscientizar médicos que ainda têm medo porque sofreram muito bombardeio de sociedades médicas, de grupos que, por ideologia, eram contra o medicamento”. O remédio, porém, ainda não tem comprovação de eficácia contra a Covid-19. Estudos randomizados e controlados, tidos como padrão-ouro, também não apontaram resultados positivos. O temor de que haja uma ‘exaltação’ à cloroquina também tem levado alguns secretários estaduais de saúde a apontarem que, a depender do planejado, não devem apoiar a proposta. Chamado de ‘dia de conscientização para o cuidado precoce’, o dia D está marcado para ocorrer no sábado (3). Inicialmente, a pasta chegou a prever a possibilidade de que o Exército distribuísse hidroxicloroquina para unidades básicas de saúde selecionadas para a data. Também sugeriu reforçar a distribuição para municípios que tenham condições de fracionar o remédio —doado pelos Estados Unidos em embalagens com doses maiores do que o habitual. A proposta consta de documento obtido pela Folha e apresentado em reunião na última semana com entidades médicas, conselhos e secretários de saúde. Auxiliares do ministro, porém, dizem que a proposta constava de uma primeira minuta, a qual já foi revista, apontam. Agora, a ideia é centrar a data em ações de divulgação, nos moldes de uma campanha.

SAÚDE NA IMPRENSA

Agência Senado – Senadores pedem em manifesto que SUS distribua remédios à base de canabidiol

Agência Senado – Senado aprova prorrogação de contratos na saúde do Rio de Janeiro

Agência Câmara – Projeto obriga SUS a oferecer laringe eletrônica para pacientes sem fala

Agência Câmara – Projetos acabam com obrigatoriedade do uso de máscara contra Covid-19

Agência Câmara – Proposta prevê medidas para melhorar atendimento a pessoas com deficiência nos supermercados

Agência Câmara – Participantes de seminário on-line defendem derrubada de portaria sobre aborto legal

Agência Câmara – Câmara aprova urgência para duas propostas em favor da pessoa com deficiência; sessão é encerrada

Agência Câmara – Projeto desobriga o uso de máscara para combate à pandemia de Covid-19

Agência Câmara – Projeto desobriga quem estiver ao ar livre ou fazendo atividade física do uso de máscara para conter Covid-19

Agência Câmara – Projeto desobriga uso de máscara durante pandemia por crianças de até 12 anos

Folha de S.Paulo – Em debate caótico, Biden manda Trump calar a boca e critica Brasil

Folha de S.Paulo – Live da Folha debate efeitos das fake news na pandemia do novo coronavírus

Folha de S.Paulo – Produtos mais consumidos na pandemia ficaram 8,5% mais caros em setembro

Folha de S.Paulo – Estudo sobre efeito da vacina tríplice viral no tratamento da Covid-19 aponta redução de sintomas

Folha de S.Paulo – Entidades se reúnem com o Cade para pedir quebra de patente de droga contra hepatite

Folha de S.Paulo – Os objetivos das vacinas para Covid-19

Folha de S.Paulo – Pais têm direito de não vacinar os filhos?

Folha de S.Paulo – Programa liderado por Michelle Bolsonaro repassa doações a ONGs aliadas de Damares

Folha de S.Paulo – Ministro da Justiça envia e-mail a deputados com repúdio a projeto sobre Cannabis medicinal

Folha de S.Paulo – Livro de Mandetta é retrato de disfuncionalidade de Bolsonaro na Presidência

Folha de S.Paulo – Calor excessivo aumenta risco de infarto e derrame, dizem especialistas

Folha de S.Paulo – Em meio a polêmica, ministro veta divulgar cloroquina em ‘dia D’ contra Covid

Folha de S.Paulo – Ocupação de UTIs chega a 80% no Rio, e especialistas alertam para risco de lotação

Folha de S.Paulo – As sequelas da Covid-19 no coração

Jornal Agora – Em meio à Covid, doenças com transmissão respiratória caem em SP

O Estado de S.Paulo – Precisamos falar sobre gravidez indesejada em adolescentes

O Estado de S.Paulo – Raia Drogasil lança marketplace de saúde e anuncia mais 480 lojas em dois anos

O Estado de S.Paulo – Governador de Santa Catarina é alvo de buscas da PF por fraudes em compra de R$ 33 milhões em respiradores

O Estado de S.Paulo – Rússia conclui testes clínicos de segunda vacina contra covid-19

O Estado de S.Paulo – As empresas e a liderança estão preparadas para lidar com um profissional com depressão?

O Estado de S.Paulo – Sem Paulo Guedes, governo anuncia Renda Cidadã e gera incógnita no mercado financeiro

O Estado de S.Paulo – Em debate com ofensas mútuas, Biden cita Brasil para atacar ação ambiental de Trump

O Estado de S.Paulo – Número de infectados na Índia seria 10 vezes maior

O Estado de S.Paulo – Cremesp suspende registro de nutrólogo acusado de abuso sexual

O Estado de S.Paulo – Em mais um passo de abertura, Arábia Saudita cria primeiro local público que aceita cães

O Estado de S.Paulo – Criação de camarão impulsiona desmate de 50% dos mangues no País

O Estado de S.Paulo – Após questionar proposta, Bolsonaro sanciona lei que aumenta punição a maus-tratos a animais

O Estado de S.Paulo – Assinatura de projeto de lei

O Globo – Em plena pandemia da Covid-19, Ministério da Saúde quer reduzir equipes de saúde nos presídios

O Globo – Castro exonera auditores de controladoria que ajudou a detectar indícios de irregularidades na Saúde do Rio

O Globo – Polícia prende estagiária que atuava como médica e interdita clínica de estética no Centro do Rio

Agência Brasil – Covid-19: Brasil registra 863 óbitos e 32.058 novos casos em 24h

Agência Brasil – SP: operação contra desvios na saúde cumpre mandados em 180 municípios

G1 – Congresso cancela sessão que analisaria veto de Bolsonaro à desoneração da folha de empresas

G1 – Bolsonaro troca vice-líderes do governo na Câmara

G1 – Bem Estar #58: O primeiro banco de dados genéticos da população brasileira

G1 – Xixi e emoção: como a sua bexiga é influenciada pelo nervosismo

G1 – Veja cuidados para usar retinol no combate da acne e no cuidado da pele

G1 – Anvisa reduz exigências e simplifica registro para vacinas contra a Covid-19

G1 – Vacina da Moderna contra a Covid é segura para idosos e causou reações leves e moderadas, aponta estudo

G1 – Vacina da Johnson contra Covid-19 é segura e induziu resposta imune, apontam resultados preliminares parciais

G1 – Gatos infectados pelo coronavírus ficam imunes e podem servir de modelo para pesquisa da vacina, diz estudo

G1 – Por que a medicina alemã está reaprendendo a fazer abortos

G1 – Pesquisa revela que metade da população desnutrida nos EUA está acima do peso ou obesa

ANS – 535ª Reunião da Diretoria Colegiada

Conitec – Usuário do SUS poderá participar da reunião da Conitec

Jota – Renda Cidadã: ‘Vai ter que ser uma discussão jurídica’, diz Tesouro sobre precatórios

Correio Braziliense – Pesquisa indica que quem pegou um coronavírus comum pode ser imune à covid-19

Correio Braziliense – Empresa americana diz que primeiros testes para tratamento foram positivos

Correio Braziliense – Cientistas australianos criam olho biônico com técnica pioneira

Correio Braziliense – Bolsonaro troca vice-líderes e amplia espaço do Centrão

Valor Econômico – Excesso regulatório limita opções de planos

Valor Econômico – Desafios sequenciais

Valor Econômico – Governo deverá gastar R$ 3 bilhões com remédios

Valor Econômico – Crise da covid acelera uso de big data e da telemedicina

Valor Econômico – Medicamento biológico atrai investimentos milionários

Valor Econômico – Nanotecnologia tem aplicações inovadoras

Valor Econômico – Aplicativos estimulam a adesão aos tratamentos

Valor Econômico – Profissionais da saúde superam os da segurança nas eleições deste ano

Uol – Cuba e Venezuela denunciam na Opas sanções ‘ilegais’ dos EUA na pandemia

______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »