FUSÃO NA CHINA DEVE CRIAR LÍDER DOS QUÍMICOS COM RECEITA DE US$ 100 BILHÕES

//FUSÃO NA CHINA DEVE CRIAR LÍDER DOS QUÍMICOS COM RECEITA DE US$ 100 BILHÕES
Reportagem a Folha de S.Paulo destaca o planejamento de fusão entre a ChemChina e a Sinochem, em 2018, criando o maior grupo químico mundial, com receita de US$ 100 bilhões anuais, de acordo com pessoas com conhecimento do negócio. A fusão se seguiria à aquisição do grupo suíço de agroquímicos Syngenta, aprovada por 80% dos acionistas da companhia suíça na última sexta-feira (5), numa transação de US$ 43 bilhões surgida em meio à consolidação mais ampla do setor mundial de agroquímicos. “A fusão teria motivações políticas, e o objetivo seria garantir que a ChemChina, altamente endividada, tenha a força financeira necessária para absorver a Syngenta —a maior aquisição internacional da China. A fusão envolveria combinar duas culturas empresariais radicalmente diferentes. Fundada como companhia de trading durante o embargo comercial americano contra a China nos anos 1950, a Sinochem é hoje uma estatal lenta, que toma decisões por consenso e controla diversas divisões de negócios não muito integradas. Em contraste, a ChemChina não se comporta como estatal e opera há 30 anos como uma empresa privada agressiva “, ressalta a publicação.

MP pode reduzir alíquota do Funrural para 1,8% do valor da produção

O Valor Econômico destaca que o Ministério da Fazenda estuda editar, ainda esta semana, uma Medida Provisória que poderá reduzir de 2,1% para 1,8% a alíquota do Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural) incidente sobre a comercialização da produção dos agricultores do país. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, deve receber ruralistas e dirigentes de entidades do setor para tratar de detalhes dessa MP — que poderá estabelecer regras para pagamentos do passado e do futuro relacionados ao Funrural. “Na última reunião que tivemos na Receita, propomos que os produtores que estão em dia com o Funrural passem a pagar 1,8%, enquanto aqueles que devem alguma coisa passariam a pagar 2% até quitar suas dívidas e só depois também começariam a pagar 1,8%”, disse ao Valor o deputado Marcos Montes (PSD-MG), um dos parlamentares da bancada ruralista que participam das negociações com o governo.

Site reúne informações sobre doenças que têm causado prejuízos no milho

Para facilitar o acesso dos produtores às informações sobre doenças do milho, conhecidas como enfezamentos, a Embrapa disponibiliza um site que reúne diversas explicações sobre essas doenças. Há dois tipos: enfezamento-pálido e enfezamento- vermelho. Ambos são causados por microrganismos transmitidos pela cigarrinha, que também pode ser vetor do vírus que causa a doença denominada risca. De acordo com o site da Embrapa, essas doenças têm provocado danos em lavouras e preocupam produtores de diversas regiões do País. Elas são causadas pela infecção da planta por microrganismos denominados molicutes, transmitidos pela cigarrinha Dalbulus maidis e comprometem seriamente a produção de grãos. A pesquisadora da Embrapa Milho e Sorgo Elizabeth Sabato ressalta que atualmente o agricultor não dispõe de uma alternativa isolada altamente eficiente para controle dos enfezamentos. “Assim, é essencial conhecer o ciclo dessas doenças para ajustar, em situações específicas de cultivo do milho, aplicação simultânea de práticas para escapar, controlar, ou minimizar danos por enfezamentos”, completa a pesquisadora da Embrapa.

Ministro Blairo Maggi viaja para resgatar imagem da carne

A relação entre o Brasil e os países importadores de carnes está praticamente resolvida, após o cenário conturbado deixado pela Operação Carne Fraca da Polícia Federal, realizada em março. Mas a imagem do produto brasileiro acabou sendo prejudicada em algumas regiões, e falta ainda uma ação de convencimento dos consumidores desses países importadores de que a carne brasileira é boa. A coluna Vaivém das Commodities, do jornal Folha de S.Paulo, noticiou que essa é a avaliação do ministro da Agricultura Blairo Maggi, que deverá visitar vários países com esse intuito a partir do fim desta semana. “Um dos executivos do setor de carnes diz que essa ação é necessária. A população dos países importadores de proteínas brasileiras recebeu uma carga muito exagerada de informações negativas sobre a qualidade do produto nacional”, afirma Blairo à reportagem. Os números de exportações de carnes da primeira semana deste mês mostram um avanço no volume vendido. Os números da Secex (Secretaria de Comércio Exterior) indicam que as vendas externas de carne bovina deste início de mês superam em 19% as de abril.

NA IMPRENSA

Mapa – Pesquisa desenvolve biscoito de cereais integrais com recheio de polpa de frutas brasileiras

Embrapa – Site reúne informações sobre doenças que têm causado prejuízos aos produtores de milho

Mapa – Ministro da Agricultura fala sobre a força do agronegócio em seminário em Brasília

Folha de S.Paulo – Vaivém das Commodities – Ministro Blairo Maggi viaja para resgatar imagem da carne

Folha de S.Paulo – Fusão na China deve criar líder dos químicos com receita de US$ 100 bi

Folha de S.Paulo – Opinião – Cerco à Funai

Folha de S.Paulo – Abin espionou indígenas e ONGs no governo Dilma

Valor Econômico – Plano de recuperação da Shefa propõe deságio de até 60% em parte da dívida

Valor Econômico – PIB do agronegócio de SP cresceu 7,4% em 2016, apontam Fiesp e Cepea

Valor Econômico – MP pode reduzir alíquota do Funrural para 1,8% do valor da produção 

Valor Econômico – Real e ‘Carne Fraca’ fazem lucro da Minerva desabar 

Valor Econômico – Companhia Müller já é autossuficiente em matéria-prima 

Valor Econômico – A mais suíça das empresas chinesas 

Zero Hora – Indústria no RS cresce 7,4% em março, aponta IBGE

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.