FISCAIS AGROPECUÁRIOS APROVAM CONVOCAÇÃO DE GREVE GERAL

//FISCAIS AGROPECUÁRIOS APROVAM CONVOCAÇÃO DE GREVE GERAL
O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindical) decidiu, em assembleia nacional, convocar uma greve geral no país por intervalos determinados. Os fiscais, no entanto, ainda não definiram quando começam e por quanto tempo vão durar as paralisações. Reportagem do Valor Econômico enfatiza que até agora o que se sabe é que as greves vão ocorrer apenas em dias determinados, e não durante semanas ou meses ininterruptos. O vice-presidente da Anffa, Marcos Lessa, disse que, antes das paralisações, o sindicato deve intensificar os protestos em Brasília contra o que considera uma tentativa do Ministério da Agricultura de “terceirizar” a fiscalização agropecuária no país. “Em nota ao ministério encaminhada na quinta-feira (05), o Anffa também reivindica que os fiscais participem efetivamente da construção de uma proposta de lei que a Pasta vem costurando para reformular o sistema de defesa agropecuária no país. O ministério propôs recentemente um novo modelo para a Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA), que passaria a ter autonomia administrativa, financeira e orçamentária e contaria com uma agência com prerrogativa de contratar médicos veterinários ou agrônomos para funções auxiliares de defesa”, afirma a reportagem.

Indiana Mahindra renova planos de avanço no Brasil

A Mahindra, multinacional indiana de máquinas e implementos agrícolas, renovou seus planos de crescimento no mercado brasileiro e, para isso, pretende investir cerca de US$ 70 milhões no país até 2021. Foi o que afirmou ao Valor Jak Torreta Jr., diretor-geral de operações da companhia no Brasil. Equipamentos da marca começaram a ser vendidas no país em 2007, quando a distribuidora Bramont passou a comercializar os tratores da empresa indiana por aqui. Mas só agora a Mahindra decidiu direcionar ampliar os esforços para tentar elevar significativamente a participação de mercado. Este é o primeiro ano em que os negócios da Mahindra no Brasil são geridas pelo braço da empresa nos EUA, como acontece com os negócios da fabricante no México e no Canadá. Para Torreta, a “robustez” dos tratores Mahindra é o maior atrativo para os produtores brasileiros. A fábrica de tratores da Mahindra no Brasil, construída em 2013 em Dois Irmãos (RS), tem capacidade para a produzir mil tratores por ano. Como projeta produção de 2 mil unidades por ano já em 2020, a indiana está definindo de que forma se dará esta expansão, a capacidade produtiva. A ideia é ampliar a capacidade para entre 3 mil e 4 mil tratores por ano. Torreta destaca que em janeiro de 2018 a Mahindra Brasil assumirá o gerenciamento da distribuição nesses países vizinhos, mas ainda com o fornecimento de produtos importados de plantas indianas.

Vendas de máquinas agrícolas em ritmo de recuperação

As vendas internas de máquinas agrícolas e rodoviárias somaram 4,4 mil unidades no país em setembro – baixa de 10,2% em relação ao mesmo período de 2016. De acordo com o Zero Hora, apesar do recuo na comparação direta com 2016, o resultado é o melhor entre os nove meses do ano até agora, segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).  – O resultado poderia ser melhor não fosse o preço ainda baixo das commodities agrícolas, o que acaba segurando os investimentos dos produtores – avalia Claudio Bier, presidente do Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas no Rio Grande do Sul (Simers). “No acumulado do ano, o total de máquinas negociadas cresceu 8,5%, com 33,6 mil unidades. Para o último trimestre, caracterizado por compras de plantadeiras e colheitadeiras, a expectativa de Bier é de que o mercado reaqueça um pouco mais: – O segundo semestre sempre costuma ser melhor do que o primeiro em relação às vendas”, diz o texto.

Projeto que autoriza porte de arma de fogo no campo avança no Congresso

Apoiado por produtores que relatam insegurança cada vez maior nas propriedades, o projeto de lei que autoriza o porte de arma de fogo no meio rural avançou no Congresso. Aprovado na Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados na última semana, a proposta segue agora para as comissões de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado e de Constituição e Justiça. É o que informa o Zero Hora. Pelo caráter terminativo, se não houver pedido de revisão nas comissões, já entraria em vigência. Mas por ser uma proposta polêmica, é muito improvável que isso ocorra, devendo passar ainda pelos plenários da Câmara e do Senado. Pela proposta, de autoria do deputado Afonso Hamm (PP-RS), a licença poderá ser concedida a proprietários e trabalhadores residentes no campo, maiores de 21 anos, que comprovarem bons antecedentes criminais e habilidades no porte inferior à calibre 12.  A autorização terá validade de 10 anos e ficará restrita aos limites da propriedade para defesa pessoal, familiar ou de terceiros, assim como a defesa patrimonial. Desde a aprovação do Estatuto do Desarmamento, em 2003, o porte de armas de fogo no campo passou a ser permitido apenas aos maiores de 25 anos que comprovarem a necessidade para a caça de subsistência. “A necessidade é justificada pelos crescentes registros de roubos de gado (abigeato), máquinas, equipamentos, fertilizantes e insumos. O aumento da criminalidade vem inclusive afastando trabalhadores do campo”, destaca a matéria.

NA IMPRENSA

Mapa – Mercado brasileiro já pode exportar carne bovina e suína com osso para Singapura

Ibama – Ibama renova adesão ao programa A3P

Embrapa – Curso aborda manejo de doenças em hortaliças cultivadas no estado do Amazonas

Embrapa – Embrapa e parceiros discutem estratégias para inovação na agricultura familiar

Senado Federal – Participação brasileira na elaboração do Acordo de Paris será tema de audiência

Câmara dos Deputados – Meio Ambiente instala hoje subcomissão sobre defesa do direito animal

Valor Econômico – Fiscais agropecuários aprovam convocação de greve geral

Valor Econômico – Índice Ceagesp registrou, em setembro, segunda maior alta do ano

Valor Econômico – Indiana Mahindra renova planos de avanço no Brasil

Valor Econômico – Vendas domésticas voltam a ficar abaixo das expectativas

Valor Econômico – Commodities Agrícolas

Zero Hora – Vendas de máquinas agrícolas em ritmo de recuperação

Zero Hora – Projeto que autoriza porte de arma de fogo no campo avança no Congresso

Zero Hora – Menos girassóis no horizonte do RS

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.