Fazendas em São Paulo são notificadas após morte de 750 mil abelhas por agrotóxico

Home/Informativo/Fazendas em São Paulo são notificadas após morte de 750 mil abelhas por agrotóxico

 

A Coordenadoria de Defesa Agropecuária da Secretaria de Agricultura de São Paulo notificou três propriedades rurais que realizam pulverização aérea de agrotóxicos e que podem estar relacionadas à morte de 750 mil abelhas em uma área de criação em Jardinópolis (SP), perto de Ribeirão Preto. Segundo Valor Econômico o episódio ocorreu em janeiro. Uma análise das abelhas feita no Laboratório de Ecologia dos Agroquímicos do Instituto Biológico encontrou o ingrediente ativo Lambda-Cialotrina, usado na formulação de agrotóxicos. Já a análise da amostra de abelhas vivas não apresentou resíduos desse ingrediente ativo. “Com a inspeção do local da ocorrência é possível descartar a mortalidade por doenças ou síndromes”, disse a médica veterinária Lucila Fernandes Chaves. Em uma das propriedades notificadas, constatou-se que a aplicação aérea em alguns dos talhões ocorreu a distâncias de mananciais de água e vegetação menores que o estabelecido em lei e que o recomendado na bula do produto. O Lambda-Cialotrina é um produto técnico usado composição de 391 produtos formulados registrados no Ministério da Agricultura. Ele é aplicado em diversas lavouras, entre elas cana-de-açúcar, soja, trigo e frutas como morango e citros, de acordo com informações do Agrofit, base de dados de agrotóxicos do ministério. No ano passado, a Coordenadoria de Defesa Agropecuária recebeu 18 notificações relacionadas a mortes de abelhas por possível intoxicação. Em sete casos foi possível identificar resíduo de agrotóxicos, e os princípios ativos encontrados foram o Fipronil e a Cipermetrina, segundo a médica veterinária Maria Carolina Guido, da Defesa Agropecuária pelo Programa Estadual de Sanidade das Abelhas (PESAb).

Força-tarefa do Mapa apreende mais de 53 mil litros de defensivos irregulares no Pará

Auditores Fiscais Federais Agropecuários (AFFAS) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) apreenderam mais de 32 defensivos agrícolas irregulares em uma operação que terminou na última sexta-feira (16), no estado do Pará. A operação teve como alvo agrotóxicos importados ilegalmente e produzidos sem registro. Treze empresas foram investigadas durante a operação, que encontrou e apreendeu um total de 9.354 quilos e 53.756 litros de agrotóxicos ilegais. Durante a operação, foram analisados documentos de origem, rótulos, bulas, embalagens, bem como QRcodes de segurança que algumas empresas estão utilizando para identificar a autenticidade dos agrotóxicos originais por elas produzidos. Duas das empresas em que foram encontrados agrotóxicos ilegais já estavam com suas atividades embargadas, e os produtos estavam sendo fabricados sem registro no Mapa. Em uma delas, foi descoberta produção de agrotóxicos com matéria-prima contrabandeada. Os produtos falsificados e ilegais estavam sendo distribuídos para os estados de Mato Grosso, Goiás, Bahia, Pernambuco, Tocantins e Pará. Em outra empresa foram encontrados vestígios de embalagens falsas queimadas. Os fiscais chegaram a tempo de apagar o fogo e realizar a apreensão de 184 embalagens vazias que seriam incineradas. Incinerar embalagens de agrotóxicos é uma infração. O setor de agrotóxicos brasileiro é único no mundo que possui sistema de logística reversa capaz de reciclar mais de 98% das embalagens utilizadas. No total da operação em que participaram AFFAs dos estados do Mato Grosso, Alagoas e Tocantins, foram emitidos nove autos de infração e cinco notificações para as empresas fiscalizadas.

Vendas de biodefensivos cresceram mais de 40% no país em 2020  

As vendas de biodefensivos cresceram mais de 40% no país em 2020 e, dada a demanda aquecida, deverão quase triplicar até 2030. É o que apontou estudo divulgado nesta segunda-feira (19) pela CropLife Brasil, entidade que representa empresa de insumos que atuam no país, e pela consultoria Blink. Segundo o estudo, esse mercado já movimentou R$ 1,342 bilhão no ano passado, 42% mais que em 2019 (R$ 946 milhões), e deverá chegar a R$ 1,789 bilhão em 2021. Até 2030, a projeção é que o montante alcance quase R$ 3,7 bilhão. Entre as principais lavouras que usam biodefensivos, a soja, carro-chefe do agronegócio brasileiro, é a líder de mercado, com participação de 44% em 2020. Em seguida aparecem cana (20%), milho (10%) e hortifrútis (8%). De acordo com o Valor Econômico o segmento é composto por substâncias químicas naturais, divididas entre semioquímicos e bioquímicos, e agentes biológicos de controle — microbiológicos (vírus, bactérias, protozoários e fungos) e macrobiológicos (insetos, ácaros e nematoides).

Pulverização com “regras e parâmetros” garante resultado e segurança

O uso de defensivos agrícolas nas plantações em escala contribui para o crescimento exponencial nos índices de produção e produtividade da agricultura moderna, nas últimas décadas, no Brasil e em várias partes do mundo. A tecnologia de aplicação e o desenvolvimento de novos produtos foram ramos que evoluíram significativamente em termos de pesquisa e novas descobertas científicas, destacou a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) nesta segunda-feira (19). Por isso, o uso de agroquímicos tornou-se complexo, o que exige a qualificação dos aplicadores e atenção dos profissionais para uma série de procedimentos, o famoso checklist. Considerando a rapidez com que esse setor evolui, os produtores e trabalhadores rurais precisam ficar atentos às questões envolvendo pulverizações. “Os agricultores têm aprendido a fazer essa avaliação quanto à necessidade de aplicar, sobre a percepção de que pulverização é uma ferramenta de suma importância, mas que precisa ser usada no lugar e na hora certa”, aponta Flaviane Medeiros, técnica do Departamento Técnico (Detec) do SENAR-PR. Na mesma linha, Elisangeles Souza, técnica do Departamento Técnico e Econômico (DTE) da FAEP, faz um alerta de que a pulverização de uma área depende da avaliação conjunta com profissionais habilitados. “Os defensivos agrícolas são uma tecnologia disponível e autorizadas pelos órgãos competentes. O que não significa que o produtor vai gastar tempo e dinheiro aplicando produtos sem necessidade. Toda aplicação deve começar com um diagnóstico prévio pelo profissional que acompanha a produção. Depois, caso necessário, a orientação do defensivo agrícola naquela situação ou outras alternativas, como o controle biológico para controle da praga”, reforça Elisangeles. Para o professor Ulisses Rocha Antuniassi, da Universidade Estadual Paulista (Unesp), um dos principais estudiosos de tecnologias de aplicação no Brasil, a forma adequada começa antes de ligar o trator, especificamente na hora da prescrição dos insumos. A bula de um defensivo agrícola é o guia das possibilidades que aquele insumo proporciona ao produtor. Somente depois de uma análise minuciosa da bula é que o agricultor (ou o responsável pela aplicação) deve partir para a fase prática. “Depois, ele deve fazer a seleção das pontas de pulverização. Isso porque o conjunto de pontas, a pressão e a calda são os três elementos que, juntos, vão formar o que chamamos de espectro de gotas [fina, média ou grossa]. Somente com isso é que se consegue cumprir todos os aspectos exigidos para uma boa aplicação”, exemplifica o professor da Unesp.

NA IMPRENSA

Agência Câmara – Cardápio da merenda escolar deve seguir sazonalidade e cultura local, dizem especialistas

Governo Federal – Exportações do agro em março batem recorde de US$ 11,57 bilhões

Governo Federal – Governo desenvolve modelo baseado em dados meteorológicos

Jota – Drones e privacidade: o Estado pode sobrevoar e fotografar a sua casa?

Jota – PL sobre venda direta de etanol da refinaria ao posto deverá voltar à pauta da CCJ

Folha de S.Paulo – Retomada chinesa cria oportunidade para avanço do agro brasileiro na Ásia

Folha de S.Paulo – Ativista Greta Thunberg critica Bolsonaro por gestão ambiental e da pandemia

O Estado de S.Paulo – No Dia do Índio, Funai comemora agronegócio nas aldeias

O Estado de S.Paulo – Plataforma do Instituto Igarapé expõe áreas de crimes ambientais na Amazônia

G1 – Brasil suspende taxa para importar milho, soja, farelo e óleo de soja

G1 – Planta rara é encontrada no Parque Nacional de São Joaquim, na Serra de SC

G1 – Emissões globais de CO2 terão segundo maior aumento da história em 2021, diz Agência Internacional de Energia

G1 – Secretário de Estado dos EUA pede que diplomatas pressionem países defasados na questão climática

G1 – Drone da Nasa realiza em Marte o primeiro voo da história em outro planeta

Aleam – Em Nhamundá, Saullo Vianna anuncia emendas para compra de equipamentos agrícolas

Valor Econômico – Governo suspende tarifas de importação de soja e milho

Valor Econômico – Importações chinesas de grãos e carnes cresceram no 1º tri

Valor Econômico – Plano ABC terá novas frentes de ação

Valor Econômico – Gaúcha Fecoagro lança plataforma para cooperados

Valor Econômico – Em São Carlos (SP), novas parcerias fortalecem a pesquisa agropecuária

Valor Econômico – PIPELINE: JBS paga R$ 2,3 bilhões pela plant based Vivera

Valor Econômico – Câmara deve avançar em aprovação de venda direta de etanol

Valor Econômico – Vendas de biodefensivos cresceram mais de 40% no país em 2020

Valor Econômico – Commodities: Em dia de realização de lucros, açúcar cai mais de 2% em NY

Valor Econômico – BBM registra primeira CPR digital no mercado de arroz

Valor Econômico – Com 50 unidades franqueadas, Aggro busca crescer no Centro-Oeste e no Sudeste

Valor Econômico – Fazendas em SP são notificadas após morte de 750 mil abelhas por agrotóxico

Valor Econômico – BR Angels atrai novos investidores e quer ampliar apoio a startups

Mapa – Novas regras de importação pela União Europeia deverão melhorar a competitividade do amendoim brasileiro

Mapa – Mapa lança nesta terça-feira (20) Plano ABC+ 2020-2030

Mapa – Decreto qualifica três florestas nacionais no Programa de Parcerias de Investimentos

Mapa – Imposto de importação para milho e soja é suspenso até o fim do ano

Mapa – Força-tarefa do Mapa apreende mais de 53 mil litros de defensivos irregulares no Pará

Mapa – Fórum Brasil aborda uso de tecnologias digitais em serviços de Ater e na comercialização de produtos da agricultura familiar

Embrapa – Embrapa lança documento com áreas recomendadas para cultivo da nogueira-pecã no Sul do país

Embrapa – Série de vídeos aborda as boas práticas para a produção da pimenta-do-reino

Embrapa – Assembleia Legislativa aprova Programa de Bioinsumos

CNA – CNA e FenSeg debatem desafios do seguro rural para safra 2021/2022

CNA – Setor produtivo e governo debatem aumento de ICMS para os fertilizantes

CNA – Pulverização com “regras e parâmetros” garante resultado e segurança

CNA – Assistidas pelo Senar/MS, 12 agroindústrias estão em processo de formalização em Serviços de Inspeção

SBA – Gecex suspende imposto de importação para milho e soja

SBA – Mapa divulga plano de ações do Agro 4.0

Anda – Livre de crueldade e sustentável, startup produz mel sem abelhas

AgroLink – Brasil deve avançar 33% em biológicos este ano

AgroLink – Live da Embrapa lança campanha do morango Brasil Certificado

AgroLink – Açúcar: contratos futuros iniciam a semana em queda com realização de lucros

AgroLink – Carinata pode diversificar sequências agrícolas

AgroLink – Compra de milho por Fundos são maiores em 10 anos

AgroLink – Brasil propõe modernização em certificados de origem da OIC

AgroLink – Apreendidos 53 mil litros de defensivos irregulares

AgroLink – Uruguai busca transição energética com hidrogênio verde

AgroLink – Queda do dólar favorece trigo importado no RS 

AgroLink – CNA e FenSeg debatem desafios do seguro rural para safra 2021/2022

AgroLink – Milho tem maior preço da história, mas ainda está baixo

AgroLink – Suspenso imposto sobre importação de milho e soja

AgroLink – Embrapa apresenta formas de parcerias com setor privado em reunião

AgroLink – Setor produtivo e governo debatem aumento de ICMS para os fertilizantes

AgroLink – Preços da gasolina e do etanol recuam no início de abril

AgroLink – Antonio Galvan tomará posse nesta terça-feira (20)

AgroLink – Agricultura biológica triplica em Portugal

Canal Rural – Corrigir linha de plantio pode ficar mais fácil com tecnologia pioneira

Canal Rural – Subvenção do Plano Safra: acordo permitirá recomposição de recursos

Portal do Agronegócio – Brasil tem o primeiro laboratório público de pesquisa acreditado para análise de bioinsumos

Portal do Agronegócio – Setor de árvores cultivadas planta 1 milhão de árvores por dia

Portal do Agronegócio – CAMEX: Imposto de importação para milho e soja é suspenso até o fim do ano

Portal do Agronegócio – Restauração florestal na Mata Atlântica é aliada para negócios locais

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »