EVENTO NO EINSTEIN DISCUTE GARGALOS NO ACESSO A MEDICAMENTOS NO PAÍS

//EVENTO NO EINSTEIN DISCUTE GARGALOS NO ACESSO A MEDICAMENTOS NO PAÍS
Drogas caras e procedimentos complexos deveriam ser utilizados apenas em centros de referência públicos ou privados. Isso evitaria desperdício de recursos, indicações inadequadas e tratamentos caros em pacientes que poderiam se beneficiar de terapias mais simples. Essa foi uma das conclusões do Fórum pelo Acesso a Medicamentos, promovido na quarta-feira pelo Hospital Israelita Albert Einstein, com apoio da Folha de S.Paulo. Reportagem da Folha, publicada nesta sexta-feira (26), destaca que, segundo os debatedores, essa medida poderia, inclusive, diminuir a escalada de judicialização da saúde no Brasil, que este ano atingiu R$ 7 bilhões nas esferas municipais, estaduais e federal. “O país enfrenta hoje vários gargalos para o acesso a medicamentos, entre eles o alto custo das novas drogas e a retirada do mercado de outras antigas, mas muito eficazes. A questão é que ainda não há uma agenda positiva que envolva todos os atores do setor da saúde em torno do planejamento de acesso a esses tratamentos. No fórum, essas divergências ficaram claras em vários momentos”, diz a reportagem, que apresenta as opiniões conflitantes entre os participantes do debate.

Acesso a medicamentos também é debatido na Assembleia Mundial da Saúde

O portal da Fiocruz divulga que um dos temas da programação da 70ª Assembleia Mundial da Saúde, que se realiza entre os dias 22 a 31 de maio, em Genebra, é o acesso a medicamentos, em especial, o Relatório do Painel de Alto Nível das Nações Unidas sobre Acesso a Medicamentos, publicado em setembro de 2016, trazendo 24 recomendações com foco em direitos. Conforme o pesquisador da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (Ensp/Fiocruz) Jorge Bermudez, havia resistência a incluir o assunto na pauta, mas ele foi incluído dentro do debate sobre a resistência antimicrobiana. Segundo ele, “o problema da resistência antimicrobiana remete às contradições entre oferta e demanda no acesso a medicamentos e vem prolongando doenças em todo o mundo, afetando países pobres e ricos”. “Esse problema tem relação com o fato de o investimento em pesquisa e desenvolvimento de novos medicamentos estar vinculado ao preço final dos produtos. Ao mesmo tempo em que antibióticos antigos deixam de ser produzidos por falta de interesse da indústria, há falta de pesquisa e desenvolvimento para novos antibióticos”, diz o pesquisador da Fiocruz, que participa da Assembleia Mundial da Saúde.

Margaret Chan se despede da OMS após 10 anos

O portal da Organização das Nações Unidas (ONU) destaca o discurso de despedida da diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan, na 70ª Assembleia Mundial da Saúde, em Genebra. Ela ressaltou a importância de ouvir a sociedade civil para que se possa “dar um rosto e uma voz a quem sofre”. “Por trás de cada número há uma pessoa que define nossa humanidade comum e merece nossa compaixão, especialmente quando o sofrimento ou a morte prematura podem ser evitados”, afirmou a médica chinesa, há dez anos ocupando o cargo máximo da OMS. Ela ressaltou o enorme potencial das vacinas, afirmando que o surto de sarampo na Europa e na América do Norte nunca teriam ocorrido caso a imunização estivesse no patamar dos 95% necessários. Além disso, ela refutou o “frequente criticismo” de que a OMS perdeu sua relevância, citando um relatório recente que mostra a melhora na saúde pública durante o tempo que esteve à frente da organização. A partir de 1º de julho, o etíope Tedros Adhanom Ghebreyesus assume a presidência da OMS.

Suspensão das ações para fornecimento de remédios que não constam no SUS

Nesta sexta-feira (26), foi a vez da Folha de S.Paulo abordar a determinação do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de suspender todos os processos judiciais em tramitação no país que pedem o fornecimento de remédios que não estão na lista oficial do SUS. “A decisão, porém, não impede que os juízes de primeira e de segunda instância avaliem demandas consideradas urgentes e que concedam liminares, se for o caso. Nesses casos, o paciente deve comprovar a urgência da demanda, especificando a eficácia, a efetividade, a acurácia e a segurança do medicamento pedido”, destaca a publicação. A Folha ressalta ainda que, segundo o ministro Benedito Gonçalves, autor da decisão, a ideia não é “trancar” o julgamento das ações, mas, sim, uniformizar a interpretação de temas controvertidos nos tribunais do país. A determinação, válida até que se tenha o julgamento da questão, ocorreu a partir de controvérsia entre o governo estadual e o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

SAÚDE NA IMPRENSA
Anvisa – Anvisa modera evento na OMS sobre agências reguladoras

Anvisa – Anvisa aprova uso do Truvada na prevenção do HIV

Fiocruz – Brasil lança campanha de incentivo à doação de leite materno

Fiocruz – Zika: circulação do vírus começou meses antes da detecção de casos

Fiocruz – Acesso a medicamentos em debate na Assembleia Mundial da Saúde

Fiocruz – Eliminar a dengue: Wolbachia foi transmitida para 90% dos Aedes aegypti em bairro de Niterói

ANS – Representantes do setor de planos de saúde discutem portabilidade de carências

Câmara dos Deputados – Comissão aprova avaliação de gestante para detectar indício de depressão pós-parto

Câmara dos Deputados – Debatedores defendem mais recursos para instituições que abrigam idosos

Senado Federal – A cada 45 minutos, uma pessoa se suicida no Brasil, dizem especialistas na CAS

Folha de S.Paulo – Evento no Einstein discute gargalos no acesso a medicamentos no país

Folha de S.Paulo – Médico holandês é suspeito de ter usado seu sêmen em inseminações

Folha de S.Paulo – Gestão Doria citou médicos sem aviso em pedido de internações à força

Folha de S.Paulo – STJ suspende ações para fornecimento de remédios que não constam no SUS

Folha de S.Paulo – Debate sobre homeopatia opõe pesquisadores da USP

O Estado de S.Paulo – Casos de chikungunya aumentam 88% em um mês no País

O Estado de S.Paulo – Com retomada de acordo, 1,2 mil médicos cubanos chegam ao Brasil até o fim de junho

Correio Braziliense – Técnica impede multiplicação de células e pode ajudar a controlar o câncer

Extra – Cogumelo mágico é a droga recreativa mais segura, aponta estudo

G1 – Canabidiol reduz convulsões de forma rara de epilepsia, diz estudo

G1 – Campanha nacional de vacinação contra a gripe é prorrogada

G1 – Diminui número de pesquisadores brasileiros em atuação no maior laboratório de física do mundo

O Globo – Médicos usam pele de peixe para tratar vítimas de queimaduras

O Globo – Cientistas descobrem mecanismo celular que pode explicar calvície

O Globo – Os passos do movimento antivacina pelo mundo

Portal Hospital Brasil – Suspensão de processos prejudica pacientes que precisam de medicamentos de alto custo que estejam fora da lista do SUS

Parlamento PB – Claudia Veras discute microcefalia e outros temas com secretários de saúde

Nações Unidas – Chefe da Organização Mundial da Saúde se despede após dez anos no cargo

Repórter News – Brasil vai produzir novos remédios contra Aids e tuberculose

Digoreste – Envelhecimento da população tornará câncer mais comum, mas avanços no tratamento diminuirão número de mortes

Folha de Dourados – Banco de sangue precisa de O-, O+ e B+; Hemocentro abre sábado

Comunicação Imparcial – Vista embaçada pode ter relação com problemas de graves de saúde

Diário da Região – Tecnologia digital vira aliada dos dentistas

Uni Centro – Pesquisa da Unicentro comprova potencial terapêutico do alecrim do campo no tratamento do diabetes

Blog do Seridó – Crescimento do número de suicídios leva Garibaldi a propor Semana de Valorização da Vida

Correio do Papagaio – Brasil fecha envio de mais 950 médicos cubanos

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.