Estudo mostra que 60% dos brasileiros deixaram de controlar diabetes na pandemia  

//Estudo mostra que 60% dos brasileiros deixaram de controlar diabetes na pandemia  
A pandemia de Covid-19 impactou negativamente o controle do diabetes pelos brasileiros que convivem com a doença. É o que aponta um estudo realizado com mais de 1.700 pacientes e publicado em agosto pelo periódico científico Diabetes Research and Clinical Practice, destacou a Folha de S.Paulo nesta segunda-feira (16). De acordo com o levantamento, feito pela SBD (Sociedade Brasileira de Diabetes) em parceria com vários pesquisadores, entre 22 de abril e 4 de maio 59,4% dos pacientes apresentaram piora no controle da doença e consequentemente no índice glicêmico durante a pandemia; e 59,5% reduziram a prática de atividades físicas. Outro dado preocupante é que 38,4% adiaram consultas ou exames marcados e 40,2% não marcaram novas idas ao médico desde o início da pandemia. Por outro lado, 95% dos diabéticos respeitaram as orientações de distanciamento social. “Aprendemos na pandemia que não só a obesidade mas também o diabetes são fatores para uma evolução pior da Covid-19. Então, é importantíssimo cuidar de todas as doenças crônicas”, alerta a endocrinologista Priscilla Olim Mattar, diretora médica da empresa de saúde Novo Nordisk. Para reforçar a importância de tratar o diabetes ao longo da pandemia, a SBD e a Novo Nordisk lançaram a campanha Diabetes  na Rotina. A ação traz como embaixador o ator Babu Santana, diagnosticado com diabetes tipo 2. O Brasil tem 16 milhões de diabéticos e em 2045 chegará a 20 milhões, segundo a SBD. Estima-se que 46% do total não sabem que têm a doença. Existem dois tipos de diabetes: no 1 há a deficiência de insulina; já o 2 é associado fortemente ao estilo de vida, principalmente obesidade, e predisposição genética hereditária. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, mais de dois terços das pessoas que morrem do coração têm diabetes e mais de 80% das mortes por diabetes estão relacionadas a problemas cardíacos e renais. Além de complicações cardiovasculares e risco de morte para Covid-19, o diabetes traz outras consequências se não for controlado. A amputação de membros inferiores é uma das complicações mais sérias do diabetes, segundo o presidente da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé, José Antônio Veiga Sanhudo.

Resultados promissores de testes elevam chances de uso simultâneo de vacinas

A diversidade de vacinas contra a covid-19, a depender das características de cada uma, pode ser decisiva para esquemas de vacinação mais eficientes, informou o jornal O Estado de S.Paulo nesta terça-feira (17). Por exemplo, se uma delas tiver resultados melhores entre os idosos e outra entre os mais jovens. Ou se um imunizante for mais facilmente armazenado e transportado do que outro. Ou se for capaz de prevenir formas mais ou menos graves da doença.  Nesta segunda-feira (16), a empresa de biotecnologia Moderna anunciou  que os resultados preliminares da análise da vacina contra o coronavírus desenvolvida pela empresa apontam eficácia de 94,5% na prevenção da doença, incluindo casos graves. A notícia é divulgada uma semana após a farmacêutica Pfizer e sua parceira alemã BioNTech informarem uma eficácia inicial de 90% em sua vacina. Os resultados das duas vacinas são preliminares, obtidos a partir da primeira análise interina de eficácia. Quando laboratórios em diversas partes do mundo se lançaram na corrida em busca de uma vacina contra a covid, há menos de um ano, muitos cientistas alertaram para o fato de que desenvolver um imunizante era um trabalho de longo prazo. Além disso, disseram, a chance de um produto que chega a fase 3 de testes ser, de fato, eficiente e seguro a ponto de ser aprovado para uso é de apenas 10%. Os resultados, no entanto, vêm surpreendendo até mesmo os mais céticos. “Todas essas plataformas são seguras, nenhuma delas usa o vírus atenuado, que poderia mimetizar uma infecção com grande potência”, explica Alexandre Naime Barbosa, chefe do Departamento de Infectologia da Unesp. O virologista Flávio Guimarães, do Centro de Tecnologia de Vacinas da UFMG, lembra também de outro aspecto fundamental: o financiamento das pesquisas. No caso brasileiro, há diferentes acordos em andamento para acessar futuras vacinas contra o novo coronavírus. “O Brasil tem dois acordos bilaterais que incluem compromisso de compra e transferência de tecnologia, para a Coronovac, com o Instituto Butantã, e para a vacina de Oxford, com a Fiocruz e Biomanguinhos”, lembrou o diretor da Sociedade Brasileira de Imunização (Sbim), Renato Kfouri. Os cientistas ressalvam, no entanto, que os resultados de eficiência da Pfizer, do Gamaleya e da Moderna não foram ainda publicados em revistas com revisão dos pares. Foram anúncios feitos pelas empresas que, inclusive, acabaram por valorizar suas ações nas bolsas de valores.

Anvisa institui programa para ampliar qualidade de produtos para saúde

Nesta segunda-feira (16), o Governo Federal informou que, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) instituiu o Programa Piloto de Ampliação da Qualidade das Indústrias Nacionais de Produtos com o objetivo de fortalecer as indústrias fabricantes de produtos para saúde classes III e IV no país. O programa tratará da inspeção sanitária por meio educativo. Em reuniões virtuais, os inspetores da Agência explicarão, por exemplo, os critérios técnicos de Boas Práticas de Fabricação (BPF) e detalhar a relação de documentos a serem verificados durante a inspeção, de modo a sanar as dúvidas referentes à Certificação de Boas Práticas de Fabricação de Produtos para Saúde. Dessa forma, a própria empresa terá condições de fazer uma autoavaliação para verificar se atende aos requisitos exigidos e, se for o caso, promover as adequações necessárias antes da inspeção sanitária. Com isso, espera-se otimizar o processo de inspeção sob responsabilidade da Anvisa, tornando-o mais efetivo e eficiente. As empresas localizadas em estados que não possuem competência delegada, ou seja, aqueles estados onde a Anvisa é a responsável pela inspeção sanitária para fins de emissão do Certificado de Boas Práticas de Fabricação, podem participar do programa, mas a participação não é obrigatória. Durante todas as etapas do programa piloto, as Vigilâncias Sanitárias locais serão convidadas a participar. A ideia é proporcionar a capacitação contínua dos profissionais que atuam como inspetores. Acesse o Edital de Chamamento Público 14/2020, que convocou as empresas detentoras de autorização ou registro de produtos sujeitos à vigilância sanitária instaladas no país a participar.

Ministro Eduardo Pazuello fala sobre problemas de saúde pública mundiais em reunião do BRICS

Nesta segunda-feira (16) a Agência Saúde divulgou que, o Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, reforçou, na última quarta-feira (11), ao participar da 10ª Reunião de Ministros da Saúde do BRICS, da importância de garantir o acesso das populações dos países a medicamentos, vacinas e outros insumos para combate de doenças que ameaçam a saúde pública mundial, como a tuberculose. O encontro foi realizado por videoconferência, junto com os outros ministros e autoridades de saúde do agrupamento composto por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. O grupo também discutiu a importância de unir a capacidade produtiva e o compromisso político dos BRICS para o enfrentamento à Covid-19. Juntos, os BRICS possuem um dos maiores parques industriais de produção de insumos para saúde do mundo. “Recordo a importância das discussões sobre o acesso equitativo de nossas populações a medicamentos, vacinas, diagnósticos e a outros insumos médicos que sejam eficazes, seguros e de qualidade”, afirmou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, durante a reunião. O ministro chamou a atenção para os riscos da pandemia de Covid-19 comprometer o progresso alcançado no controle da tuberculose nos últimos anos, com impactos na redução, diagnóstico precoce e no tratamento oportuno. Pazuello afirmou ser necessário responder de forma célere, articulada e multissetorial aos desafios impostos pela tuberculose e a Covid-19. “Para o Brasil, é fundamental que os BRICS fortaleçam as estratégias nacionais da tuberculose e mantenham financiamento adequado para o enfrentamento à doença, especialmente na área de pesquisa e inovação”. Nesse sentido, o ministro afirmou que a cooperação no âmbito da Rede de Pesquisa em Tuberculose – Rede-TB do BRICS – tem contribuído para responder aos desafios globais pelo fim da doença. “Sem um esforço coletivo do grupo, o mundo não atingirá as metas estabelecidas para o sanar a tuberculose”, enfatizou Pazuello. A Rede, criada em 2017, representa um bom exemplo de cooperação prática e técnica. O evento foi encerrado com a publicação do documento: Medidas tomadas pelos países do BRICS na área de saúde para combater a disseminação da doença coronavírus 2019 (COVID-19), um compilado com o conjunto de medidas adotadas pelos países no combate à pandemia. O documento apresenta o modelo de governança do Sistema Único de Saúde (SUS), que permite vigilância, resposta e tratamento rápidos em cenários de emergência em total conformidade com o Regulamento Sanitário Internacional (2005). O SUS é a principal resposta brasileira a uma epidemia como a COVID-19.

SAÚDE NA IMPRENSA
Agência Câmara – MP prorroga vigência de 122 contratos de pessoal em órgãos do Poder Executivo

Agência Câmara – Projeto obriga plano de saúde a cobrir tratamento especial para paciente com autismo

Agência Câmara – Proposta obriga INSS a pagar auxílio-doença após 60 dias sem perícia

Anvisa – Medicamentos controlados e antimicrobianos: dados abertos

Anvisa – Confira a pauta da 21ª Reunião da Diretoria Colegiada da Anvisa

Agência Saúde – Brasil registra 5.322.406 pessoas recuperadas

Agência Saúde – Atualização do cadastro de doadores de medula dobrou durante a pandemia

Agência Saúde – Ministro Eduardo Pazuello fala sobre problemas de saúde pública mundiais em reunião do BRICS

Agência Saúde – Evento on-line vai esclarecer dúvidas de jornalistas sobre vacinas para os adolescentes

Agência Saúde – Ministério da Saúde prorroga seleção para projetos de estruturação de Farmácias Vivas

Agência Saúde – Doença tem 10 milhões de novos casos no mundo em 2019; Brasil registra 96 mil ocorrências

Conitec – Medicamento para câncer renal em estágio avançado não será incorporado ao SUS

Governo Federal – Cidadãos poderão assinar documentos e validar transações com o governo de forma eletrônica

Governo Federal – Anvisa institui programa para ampliar qualidade de produtos para saúde

Agência Brasil – Covid-19: Brasil tem 5,87 milhões de casos e 166 mil mortes

Agência Brasil – Fiocruz inicia testes com BCG para combate ao coronavírus

Jota – As propostas de Bruno Covas e Guilherme Boulos para a saúde em São Paulo

Correio Braziliense – Vírus letal achado na Bolívia é transmitido entre pessoas, alertam cientistas

Correio Braziliense – Bebê de seis semanas é submetido a cirurgia rara no Hmib

Correio Braziliense – Conselho de Medicina revoga interdição de pediatra que matou filho na Asa Sul

Folha de S.Paulo – Morte de voluntário não está ligada a alterações causadas por vacina

Folha de S.Paulo – A economia e a política da vacina

Folha de S.Paulo – Conheça o agricultor que regrediu os sintomas do Alzheimer com THC

Folha de S.Paulo – Alta de internações por Covid acende alerta médico para festas de fim de ano

Folha de S.Paulo – Estamos fadados a oscilar entre bolsonarismo e centrão?

Folha de S.Paulo – Desafio na Cúpula dos Brics é dar resposta para questões urgentes do nosso tempo

Folha de S.Paulo – Doença hereditária mais frequente no Brasil, falciforme necessita de atenção multidisciplinar

Folha de S.Paulo – Estudo mostra que 60% dos brasileiros deixaram de controlar diabetes na pandemia

Folha de S.Paulo – Tratamento de doenças hematológicas avança, mas pacientes ainda precisam lutar por acesso

O Estado de S.Paulo – Pesquisadores confirmam transmissão de vírus raro entre humanos na Bolívia em 2019

O Estado de S.Paulo – Bach afirma que vacina não será obrigatória para atletas disputarem a Olimpíada

O Estado de S.Paulo – Dia Mundial da Prematuridade: saiba o que causa e como lidar com bebês que nasceram mais cedo

O Estado de S.Paulo – Qualicorp tem lucro líquido de R$ 130,9 milhões no 3º trimestre, alta de 18,1%

O Estado de S.Paulo – CoronaVac não matou voluntário nem Doria anunciou aplicação da vacina em novembro

O Estado de S.Paulo – Segunda onda da covid? Cansadas do isolamento, as pessoas baixaram a guarda na prevenção

O Estado de S.Paulo – Resultados promissores de testes elevam chances de uso simultâneo de vacinas

O Estado de S.Paulo – Ainda é cedo para constatar novo pico de covid-19, dizem especialistas

O Estado de S.Paulo – Saiba quem foi para o 2º turno nas eleições 2020 para prefeito

O Estado de S.Paulo – Brasil registra média móvel diária de 490 mortes por covid-19

O Estado de S.Paulo – Ministério da Saúde discutirá compra de vacinas com Pfizer, Johnson & Johnson e Rússia

O Estado de S.Paulo – Mercados internacionais fecham em alta com vacina para covid e pacto comercial da China

STJ – Apenas situações excepcionais obrigam plano de saúde a reembolsar despesas fora da rede credenciada

O Globo – Covid-19: estado de SP tem aumento de 18% nas internações, diz governo

O Globo – Coronavírus: Com desmonte de hospitais de campanha, rede de saúde do Rio fica sob pressão e especialistas fazem alerta

G1 – A dificuldade de medir o preconceito contra o idoso

G1 – De onde vem o que eu como: abacate perde fama de vilão para saúde e produção brasileira deve dobrar em 3 anos

G1 – Jogar videogame pode trazer benefício ao bem-estar mental, aponta estudo

G1 – Apesar de avanço nas vacinas, OMS diz que não é hora de relaxar no combate ao coronavírus

G1 – Coronavírus: o misterioso ‘gene dentro do gene’ descoberto no vírus causador da Covid-19

G1 – Bolsonaro aponta necessidade de reforma da OMS e da OMC

G1 – Líder do governo diz que futuro do Renda Cidadã será definido após 2º turno

G1 – Ministério Público e INSS anunciam acordo sobre prazos para perícias médicas; veja

Valor Econômico – Na contramão de Bolsonaro, Xi Jinping defende liderança da OMS

Valor Econômico – Gasto de Estados e capitais com assistência social cresce 16%

Valor Econômico – Passada a eleição, governo volta a discutir Pacto Federativo e Renda Cidadã

Valor Econômico – Países emergentes pressionam para que vacinas fiquem livres de patentes

______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »