Equipe do Programa Nacional de Vigilância da Febre Aftosa adia retirada da vacina nos blocos II, III e IV

Home/Informativo/Equipe do Programa Nacional de Vigilância da Febre Aftosa adia retirada da vacina nos blocos II, III e IV

O Departamento de Saúde Animal da Secretaria de Defesa Agropecuária, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), promoveu, de forma virtual, a 8ª Reunião da Equipe Gestora Nacional (EGN) do Plano Estratégico do Programa Nacional de Vigilância da Febre Aftosa (PE-PNEFA). A análise sobre os elementos e indicadores apresentados na reunião indica que, apesar do empenho dos estados para avançar no Plano Estratégico, o cenário de evolução conjunta ainda não se mostra adequado em nenhum dos blocos para a suspensão da vacinação contra a febre aftosa de forma segura. Nesse contexto, a decisão adotada foi a manutenção da vacinação contra a febre aftosa em 2022 nos Blocos II (AP, PA, RR e parte do AM), III (AL, CE, MA, PB, PE, PI e RN) e IV (BA, DF, ES, GO, MG, MS, MT, RJ, SE, SP e TO). “A definição sobre a perspectiva de evolução dos Blocos II, III e IV é de extrema importância para o PNEFA, de forma a programar a disponibilidade de vacina contra a febre aftosa necessária para o ano de 2022, uma vez que o estoque para 2021 já está disponível”, explica o diretor do Departamento de Saúde Animal, Geraldo Moraes. Conforme previsto no PE-PNEFA, é possível o avanço independente de estados, ou de grupos de estados, mediante apresentação de proposta de viabilidade técnica e econômica, para validação pelo Mapa. Nova avaliação está prevista para o final do primeiro semestre de 2021. Participaram da reunião representantes do Departamento de Serviços Técnicos (DTEC/SDA/MAPA), Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (ABIEC), Associação Brasileira de Frigoríficos (ABRAFRIGO), Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Associação Brasileira de Reciclagem Animal (ABRA), Associação Brasileira dos Produtores de Leite (ABRALEITE), Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (SINDAN). Na condição de convidados participaram os presidentes das Comissões de Coordenação dos Grupos de Estados do Bloco I, III e IV. A reunião da Equipe Gestora Nacional ocorreu após a realização, nos meses de novembro e dezembro desse ano, de reuniões virtuais com todos os cinco Blocos do PE-PNEFA, momento em que foi avaliado o nível de implantação das ações do Plano Estratégico em cada unidade da Federação, com participação dos setores público e privado e membros da EGN.

Maioria dos tutores subestima sobrepeso de cães, mostra pesquisa

Eles podem parecer fofinhos, mas animais com sobrepeso e obesidade também sofrem com problemas de saúde, informou o Blog Bom pra Cachorro da Folha de S.Paulo nesta segunda-feira (21). A família é parte importante: hábitos e comportamentos estão associados ao desenvolvimento da doença. Uma pesquisa realizada pela USP mostra que a maioria dos tutores não é capaz de identificar a condição física do cachorro. O levantamento divulgado agora foi feito de novembro de 2017 a novembro de 2018, com 285 cães de 221 tutores, e teve incentivo da fabricante de alimentos Royal Canin. Segundo a empresa, mais de 40% dos cães apresentam sobrepeso e obesidade na cidade de São Paulo e na região metropolitana. A pesquisa aponta que 63% dos tutores entrevistados subestimaram a condição corporal do animal, 26% disseram acreditavam que o pet tinha uma condição corporal ideal e 80% deles não foram capazes de identificar o sobrepeso e a obesidade no cão. Para o trabalho, por amostragem, foram feitas visitas domiciliares, e tutores responderam a questionário sobre saúde, comportamento, hábitos alimentares e condições socioeconômicas. Tutores com hábitos alimentares pouco saudáveis foram associados ao ganho de peso do animal —e uma hipótese é que esses hábitos possam ser transferidos aos seus pets. Cães que moram na mesma casa que uma pessoa idosa também são predispostos ao ganho de peso. Para a marca, isso pode refletir falta de caminhadas e de exercícios físicos. Além disso, esses tutores costumam passar mais tempo com os animais, o que aumenta as chances de o pet ganhar mais petiscos entre as refeições. O objetivo do estudo era compreender os fatores da obesidade canina e levantar as melhores maneiras de abordar os tutores para a prevenção da doença. “A manutenção do peso em pets é uma questão muito complexa, que ainda exige compreensão e empenho dos tutores. Acreditamos que este estudo, desenvolvido pela USP, é mais um importante material de referência sobre o tema, além de ser inédito no Brasil”, diz Cíntia Fuscaldi, coordenadora de relacionamento científico da Royal Canin. Os pesquisadores identificaram que a prevalência de sobrepeso atingiu cerca de 26% e de obesidade, aproximadamente, 15% dos animais. Segundo análise dos responsáveis, os resultados foram semelhantes aos encontrados no Reino Unido, Japão, China e Espanha, onde as estimativas da prevalência combinada de sobrepeso e obesidade variaram de 38% a 60%. A alimentação correta não é o único fator para controlar o peso do pet. Ele precisa de exercícios regulares, e o tutor deve sempre consultar o veterinário e manter exames de rotina do animal.

Rebanho suíno da China cresce 29,8% em novembro

O rebanho de suínos da China registrou alta de 29,8% em novembro ante igual período do ano anterior, enquanto a criação de matrizes avançou 31,2% no ano, disse o Ministério da Agricultura do país nesta segunda-feira (21), indicando um forte crescimento por cinco meses consecutivos. Segundo o G1 os preços da carne suína recuaram para 45,8 iuanes (6,99 dólares) por quilo, menor nível visto até este momento de 2020, graças ao aumento na oferta de carne no mercado, acrescentou o ministério. O rebanho de suínos do país foi dizimado desde o final de 2018 desde a crise de peste suína africana. Esse, inclusive, foi um dos motivos de o Brasil ter expandido as vendas de carne de porco ao gigante asiático. Em um ano, os chineses compraram 40% mais da proteína brasileira.

Angus lança plataforma digital para genotipagem

A Associação Brasileira de Angus colocou em atividade, nesta semana, sua plataforma digital de seleção genômica. A ferramenta permitirá que criadores façam suas solicitações de análises genômicas de animais Angus de forma prática, segura e virtual.  O software recebe as demandas, gerencia o rastreamento passo a passo das amostras, emite boletos e armazena os resultados, possibilitando a criação de um banco de genótipos do Angus nacional, destacou o Portal do Agronegócio nesta terça-feira (22). Serviço que, segundo o presidente da Angus, Nivaldo Dzyekanski, é um importante passo concretizado rumo à implementação da tecnologia no país. Com a ferramenta, solicitar um exame de genotipagem será simples. Basta o pecuarista acessar o sistema através do link https://app.sifatweb.com.br/angus e realizar o seu cadastramento. Depois disso, será necessário informar os dados dos reprodutores, o tipo de teste e o laboratório escolhido (Neogen ou Zoetis). Os emolumentos variam de acordo com cada teste e a condição de ser sócio ou não da Associação Brasileira de Angus. As amostras de pelo ou outros materiais genéticos coletadas devem ser devidamente identificadas com o número de registro e tatuagem do reprodutor e enviadas à Associação por meio dos Correios. Caberá à Angus, formatar as amostras e enviar ao laboratório. Após esta etapa, será gerado o boleto de cobrança, que ficará disponível na plataforma. A Associação também fará um banco biológico de materiais que vierem em quantidade suficiente para serem separados em duas amostras, uma para o envio ao laboratório e outra para manutenção na Angus.  Os resultados dos testes de genotipagem serão encaminhados ao Programa de Melhoramento de Bovinos de Carne (Promebo), onde serão calculadas as DEPs enriquecidas. A análise final será disponibilizada aos criadores no site do Promebo. Os pecuaristas receberão um aviso através do software da Angus após a conclusão da avaliação. Na plataforma da Associação, só será possível acessar resultados em caso de solicitação de testes de homozigose dos animais. A tecnologia vem ao encontro a outras ações de fomento à genômica desenvolvidas pela Associação ao longo do ano, como a parceria firmada com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) para o desenvolvimento de pesquisa e formação da população de referência. Propriedades do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e de outros estados já demonstram interesse em fazer uso da genômica em seus animais.

NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – Global Witness comprova eficiência de frigoríficos contra desmatamento

Folha de S.Paulo – Maioria dos tutores subestima sobrepeso de cães, mostra pesquisa

G1 – Rebanho suíno da China cresce 29,8% em novembro

G1 – Centro de Biodiversidade Usipa atende animais vítima de maus tratos e devolve à natureza

G1 – Manifestantes protestam contra o fim das carroças com animais em Belo Horizonte

G1 – Guia instala armadilhas fotográficas para monitorar ataques de onças-pintadas a animais domésticos em comunidade em MT

G1 – Canil municipal faz ensaio fotográfico de animais para incentivar adoção responsável em Juiz de Fora

Mapa – Equipe do Programa Nacional de Vigilância da Febre Aftosa adia retirada da vacina nos blocos II, III e IV

AgroLink – Boi gordo: reversão de preço da arroba

Canal Rural – Quatro funcionários de fazenda são presos em flagrante por furto de gado

Canal Rural – Aconteceu em 2020: ‘Coelho gigante’ causou prejuízos em plantações no interior de SP

Canal Rural – Suínos: com alta dos custos, produtor perde R$ 25 por animal abatido

Canal Rural – Boi gordo: volume de oferta cai e preços da arroba sobem em São Paulo

Canal Rural – Febre aftosa: Programa de Vigilância adia retirada da vacina de 3 blocos de estados

Globo Rural – Frigol mira receita recorde de R$ 3 bi em 2021 com foco na exportação

Globo Rural – Estudo explica características que diferenciam queijo artesanal do Serro

Globo Rural – Custo de produção de suínos e aves subiu em novembro, diz Embrapa

Globo Rural – Cooperalfa investe R$ 269 milhões em granjas e fábrica de ração no MS

Globo Rural – Robô brasileiro alimenta porcos enquanto toca música clássica para aliviar estresse

Globo Rural – Brasil veda uso de bastão elétrico no manejo de suínos

Globo Rural – Produção de rações no Brasil deve crescer 5% em 2020, projeta Sindirações

Globo Rural – Frigoríficos brasileiros querem igualdade de tratamento nas exportações para China

SBA – GO vacina 99,13% do rebanho contra a febre aftosa

SBA – Receita com exportações de carne bovina registra queda de 17,13%

Portal do Agronegócio – Desempenho exportador das carnes na 3ª semana de novembro e no acumulado do mês

Portal do Agronegócio – Boi gordo: reversão de preço da arroba

Portal do Agronegócio – Superação foi a marca dos pequenos e médios laticínios gaúchos em 2020

Portal do Agronegócio – Produção de ovos tem 9,1% de crescimento em 2020 e projeção de 5% para 2021

Portal do Agronegócio – Pecuarista do Mato Grosso do Sul investe em tecnologia e aumenta sua produtividade com novos cultivares de forrageira

Portal do Agronegócio – Angus lança plataforma digital para genotipagem

Noticias Agrícolas – Adubos orgânicos ajudam a controlar verminoses em caprinos e ovinos

Noticias Agrícolas – Trabalhadores de frigoríficos nos EUA recebem prioridade para vacina sob as diretrizes do CDC

Noticias Agrícolas – Desempenho exportador das carnes na 3ª semana de novembro e no acumulado do mês

Noticias Agrícolas – Exportação de carne bovina na 3ª semana do mês fica estável em relação à anterior

 

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »