Entidade responde BBC sobre reportagem de vacinas de saúde animal

//Entidade responde BBC sobre reportagem de vacinas de saúde animal

A BBC publicou nesta quinta-feira (25) uma reportagem com o título “Coronavírus: Brasil tem quase 30 fábricas de vacina para gado e só 2 para humanos”. De acordo com o portal AgroLink no texto, replicado por diversos meios de comunicação do Brasil, trata da dificuldade de importar insumos para produzir vacinas contra a Covid-19 sendo que as doses para doenças de animais são fabricadas inteiramente no país. “Esse sucateamento do setor de vacinas para humanos contrasta com os elevados investimentos na fabricação nacional de imunizantes para animais, principalmente gado”, diz um trecho. Em nota o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan) contesta o número de fábricas de vacinas destinadas à saúde animal citado na reportagem. Segundo a BBC, citando o Sindan, seriam 30 unidades. Segundo a entidade são 23 operadas por 22 empresas estrangeiras instaladas no país e que “produzem não apenas vacinas para ‘gado’, mas sim para a saúde animal como um todo, incluindo aves, suínos, cães e gatos”, diz. São 13 fábricas que produzem doses para bovinos, 11 para aves, 5 para suínos e 10 para animais de companhia (pets), totalizando 39 linhas de produção. Todas as unidades são reguladas pelo Ministério da Agricultura e órgãos de saúde animal, e possuem alto nível de segurança. Quatro delas, que produzem vacinas contra a febre aftosa, têm nível NB4, o mais elevado padrão global para vacinas para humanos, permitindo a manipulação até de vírus como o Ebola. O Sindan ainda destaca que essas vacinas são usadas em imunizações tanto de programas oficiais quanto de doenças específicas. “É importante destacar que tais produtos são fundamentais para o bem estar animal e para a produção de proteínas, segmento no qual o Brasil é líder mundial, garantindo a qualidade e seguranças dos alimentos que chegam ao mercado, tanto no Brasil quanto no exterior”, diz outro trecho da nota. A entidade afirma que mantém diálogo com instituições como o Butantan para colaborar neste momento e está à disposição para outros esclarecimentos.

Ministério da Agricultura descarta restrições à importação de lácteos

O Ministério da Agricultura não vai apoiar o pedido de algumas entidades do setor leiteiro para conter as importações de lácteos, principalmente do Mercosul. No segmento, as compras são vistas como fator de desequilíbrio no mercado interno e de pressão negativa na rentabilidade dos pecuaristas brasileiros. Segundo o Valor Econômico a Pasta descarta qualquer movimento restritivo no comércio internacional, mas quer isentar a compra de equipamentos para agroindustrialização e facilitar a entrada de milho norte-americano para abastecer a cadeia. “Queremos proteger nosso produtor, mas nunca pensando em impedir algum tipo de importação. Isso fere a economia liberal e o tratado do Mercosul. Essa hipótese está descartada, impedir as importações jamais”, diz o secretário de Política Agrícola, César Halum. Segundo ele, o ministério tem conversado com autoridades de Argentina e Uruguai, principais exportadores desses produtos para o Brasil, e analisado se há prática de dumping em alguma operação. Halum afirmou que, como forma de incentivar os produtores, a Pasta vai encaminhar à Câmara de Comércio Exterior (Camex) um pedido para retirar a tarifa de importação de equipamentos para a industrialização do leite. O ministério também tenta destravar a entrada de algumas cultivares transgênicas de milho usadas nos Estados Unidos por meio da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) para que a cadeia possa comprar o cereal americano. O secretário diz confiar no ajuste natural do mercado para reduzir a entrada de lácteos estrangeiros no país. “Como o preço mundial subiu, e hoje dá paridade, entendo que as indústrias brasileiras vão deixar de importar naturalmente para poder comprar o leite daqui. Isso vai equilibrando o mercado”, afirma.

Febre aftosa: 99,8% do rebanho alvo foi imunizado no Mato Grosso

O Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea MT) divulgou o resultado da etapa de novembro de 2020 de vacinação contra a febre aftosa no Estado, informou o SBA. Foram vacinados 14.664.812 bovinos e bubalinos, quantidade correspondente a 99,8% dos animais foco desta etapa – todos os animais com até 24 meses, com atenção às propriedades localizadas no baixo Pantanal mato-grossense, onde todos os animais deveriam ser vacinados. Nesta etapa, foram realizadas vacinações oficiais em 2.361 estabelecimentos rurais. Desde 2007, as etapas de vacinação envolvendo bovinos até 24 meses têm alcançado índices de vacinação superiores a 99%, verificando-se homogeneidade entre as regiões do Estado. O Indea MT e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) são os órgãos oficiais responsáveis pela regulamentação, divulgação, educação sanitária, controle e fiscalização da vacinação, cabendo ao produtor arcar com a aquisição e aplicação da vacina. O último foco de febre aftosa em Mato Grosso foi registrado em 1996. Atualmente, o Estado é reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como livre de febre aftosa com vacinação, condição constantemente comprovada pelas ações de vigilância veterinária e inquéritos epidemiológicos realizados pelo Indea MT e Mapa.

Prefeitura acata decisão judicial que proíbe veículos de tração animal em Aparecida (SP)

Nesta quinta-feira (25) o portal Anda divulgou que a Prefeitura de Aparecida, no interior de São Paulo, acatou a decisão judicial que proibiu veículos de tração animal no município. O prazo para que a administração municipal recorresse na Justiça expirou na última terça-feira (23) se que ações tenham sido movidas pela prefeitura. A juíza Luciane Belan Ferreira Allemand, pontuou que “a exploração de animais equinos, muares e asininos nesta Urbe, submetidos a serviços de tração em charretes turísticas e carroças é de amplo conhecimento. Bem como, que é sabido que não há a mínima estrutura para tratamento, supervisão e acompanhamento dos animais utilizados para tal prática, sendo cristalina situação oposta, onde os animais vêm sofrendo maus-tratos e sendo expostos a situações cruéis”. “Não se nega que a tração de charretes por equinos fomenta a atividade turística nesta urbe. Entretanto, há de se ressaltar que, atualmente, há inúmeras alternativas para substituição das charretes, tais como veículos cujo propulsor é motor ou pedal, mais conhecidos como “tuktuk” ou “triciclo”, meios adotados em outros municípios do país”, completou. A decisão judicial atende a um pedido feito pelo GAEMA/Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente (MP) em ação movida pelo promotor Laerte Levai. Na sentença, a magistrada determinou que a prefeitura pare de emitir de novas autorizações municipais a serviços de charreteiro, seja para pessoas físicas ou jurídicas, cessando, assim, a continuidade do sistema de transporte turístico movido a tração animal, e não renove ou prorrogue o prazo de validade das autorizações concedidas ao charreteiros. A administração municipal também terá que cancelar as autorizações administrativas já emitidas a serviços de charreteiro, impedindo a continuidade do sistema de transporte turístico movido a tração animal, para pessoas físicas ou jurídicas, e providenciar inspeção veterinária a todos os animais explorados nas charretes turísticas até então autorizadas pelo município, encaminhando de imediato os animais tidos como incapacitados a tratamento emergencial, para então destiná-los a entidade pública ou privada adequada (cuja finalidade seja a proteção animal), vedada sua venda em leilões ou entrega a matadouros ou quaisquer outras atividades que contrariem os interesses dos animais. Ambas determinações devem ser cumpridas em um prazo de até 90 dias do trânsito em julgado da decisão.

NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – Crianças alimentam cavalos e brincam com lhamas em fazendinha a 25 minutos de SP

Folha de S.Paulo – Ovelha selvagem australiana perde 35 kg de lã após 1ª tosa em cinco anos

O Estado de S.Paulo – As crianças, os pets e a pandemia

G1 – Investigação revela terras protegidas da Amazônia à venda no Facebook

G1 – ‘Metade fêmea, metade macho’: pássaro raro é fotografado nos EUA

G1 – Justiça Federal autoriza Amazonas a comprar vacinas contra a Covid

G1 – 2 pacientes morrem de Covid à espera de leito de UTI em SC; 28 estão na fila

Valor Econômico – Votação do CMN poderá criar auxílio a produtores de leite

Valor Econômico – Ministério da Agricultura descarta restrições à importação de lácteos

Valor Econômico – Com boas vendas no Natal, lucro da BRF cresce 30,8%

Valor Econômico – JBS quer criar empresa para atuação global em produtos à base de plantas

Embrapa – Da pesquisa ao campo: técnicos participam de atualização com foco na pecuária

CNA – Importação de lácteos – FAEMG pede transparência

CNA – Com acompanhamento do Senar/MS desde o início da atividade, piscicultor implanta gestão planejada e eficaz

SBA – Pesquisa estuda efeito do fosfato natural de rocha na pastagem

SBA – Febre aftosa: 99,8% do rebanho alvo foi imunizado no MT

AgroLink – Boi gordo: mais um dia de estabilidade no preço da arroba nas praças pecuárias paulistas

AgroLink – Entidade responde BBC sobre reportagem de vacinas de saúde animal

AgroLink – Vacas no centro da bioeconomia japonesa 

AgroLink – Países importadores de ovos comerciais em janeiro de 2021

AgroLink – Desempenho do frango, boi e suíno em fevereiro e no bimestre inicial de 2021

Anda – Cão fica quatro meses em porta de hospital esperando o tutor falecido

Anda – Cadela levada por criminosos no RJ é encontrada e volta para casa

Anda – Tutores de animais encontrados mortos em apartamento é indiciada por maus-tratos

Anda – Ativistas denunciam prisão ilegal de protetora de animais no Paraná

Anda – Prefeitura acata decisão judicial que proíbe veículos de tração animal em Aparecida (SP)

Anda – Livro expõe crueldade da indústria que tortura animais para consumo humano

Anda – Pinguim amarelo é visto pela primeira vez em ilha no Oceano Atlântico

Anda – Cães em situação de rua são mortos e vizinhança suspeita de envenenamento

Anda – Gatos sofrem maus-tratos e tutor alega falta de tempo para cuidar dos animais

Anda – Cadela abandonada após ter visão prejudicada é adotada em um lar perfeito

Portal do Agronegócio – Faep: Queijos puxam queda do mercado de lácteos no PR

Portal do Agronegócio – Com boi em alta, Elanco prevê crescer até 5% no país em 2021

Portal do Agronegócio – Custos elevados continuam pressionando produtores e indústrias do setor avícola do RS

Portal do Agronegócio – Santa Catarina reforça a importância do cultivo de cereais de inverno para ração animal

Portal do Agronegócio – Selo da Cadeia de Fornecimento da Friboi expande auditoria para a área de Alimentos Preparados

Canal Rural – Cavalo crioulo: ABCCC suspende eventos no RS até 12 de março

Canal Rural – Boi gordo perde força e arroba desvaloriza até R$ 5 nesta quinta

Canal Rural – Leite: Ações paliativas não são suficientes, diz Benedito Rosa sobre crise

Canal Rural – Avicultores de MT renovam seguro contra influenza aviária

Canal Rural – Agricultor tenta contrabandear agrotóxicos do Paraguai e é preso pela PM

Revista Globo Rural – Embrapa cria Observatório do Leite Orgânico no Brasil

Revista Globo Rural – Regulamentação e sustentabilidade desafiam cadeia da carne no Brasil

Revista Globo Rural – Ovelha é tosquiada após cinco anos e perde 35 quilos de lã; Veja o antes e depois

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »