Empresário fundador da Wizard pode assumir secretaria do Ministério da Saúde

//Empresário fundador da Wizard pode assumir secretaria do Ministério da Saúde
Em meio à pandemia do novo coronavírus e sem a definição de um nome para o cargo do ministro da saúde, o Ministério da Saúde passa pela segunda reformulação da equipe após a saída do então ministro Nelson Teich, informou o Correio Braziliense nesta segunda-feira (1). Enquanto militares se fazem cada vez mais presentes na pasta, um dos nomes ventilados dentro da pasta para assumir a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos em Saúde (SCTIE) é o do empresário bilionário Carlos Wizard Martins. Wizard já atua como conselheiro de assuntos estratégicos da pasta desde 21 de maio. De acordo com ele, a função foi aceita para ser feita sem remuneração. “Passei quase dois anos em Roraima atuando ao lado do general Eduardo Pazuello, atual ministro da Saúde. Ontem fui nomeado por ele como Conselheiro de Assuntos Estratégicos do Ministério da Saúde. Atuaremos juntos no combate ao covid-19″, escreveu em uma postagem publicada na mesma data. Segundo informações dos bastidores do ministério, mesmo antes de ser nomeado como secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos em Saúde, Wizard já realizava reuniões internas com a equipe. O empresário também divulgou uma foto de um encontro como ministro-chefe da Casa Civil, Braga Netto, nas redes sociais. Nas redes sociais, Wizard também tem fotos com o presidente Jair Bolsonaro, com a primeira-dama Michelle Bolsonaro, com o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), com a ministra Damares Alves e outras personalidade políticas do Brasil. No instagram, Wizard se define como empresário, palestrante e autor dos livros Desperte o milionário que há em você!, Sonhos não tem limite e Do zero ao milhão”. O empresário é fundador da Wizard, rede de escolas de idiomas, e presidente do grupo Sforza, conglomerado de mais de 15 empresas, como Mundo Verde, Pizza Hut e outras. O último gestor da SCTIE foi o professor titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Antonio Carlos Campos de Carvalho, um dos poucos nomes indicados por Teich. O médico pediu demissão do cargo que ocupava e foi desligado oficialmente da pasta em 22 de maio. A exoneração publicada no Diário Oficial foi assinada pelo chefe da casa civil, general Braga Netto. De acordo com o site do Ministério da Saúde a  Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (SCTIE)  SCTIE “é responsável por formular e implementar políticas nacionais de ciência, tecnologia e inovação em saúde, assistência farmacêutica e fomento à pesquisa, desenvolvimento e inovação na área de saúde”.

MPF pede suspensão de norma do Ministério da Saúde que ampliou uso da cloroquina

Procuradores do Ministério Público Federal (MPF) em Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo e Sergipe pediram, neste sábado (30), ao Ministério da Saúde a suspensão do documento que permite o uso da cloroquina na rede pública de saúde. Segundo o jornal O Globo o uso do remédio contribuiu para a queda de dois ministros em meio à pandemia: Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich. O medicamento vem sendo defendido pelo presidente Jair Bolsonaro, mas a maioria das pesquisas apontou que sua utilização não traz benefício contra a Covid-19. Os procuradores pediram a suspensão da ampliação até que o Ministério da Saúde apresenta existência de relação benefício-risco favorável ao uso da Cloroquina pela Anvisa, a existência de um plano de farmacovigilância para identificação, avaliação e monitoramento do uso precoce, garantia de acesso aos pacientes aos testes para Covid e ao exames laboratoriais para acompanhamento da evolução do uso de medicamentos, como o eletrocardiograma, e constituição de protocolo clínico. No documento publicado pelo Ministério da Saúde no último dia 20, a pasta admite que não há evidências científicas que comprovem a eficácia da cloroquina e de seus derivados, assim como seu uso conjunto com outro remédio, a azitromicina. No último dia 22, a revista médica “The Lancet”, uma das mais prestigiados no campo da Medicina mundialmente, apresentou resultados de uma nova pesquisa sobre o uso do medicamento em pacientes com Covid-19. No estudo, os cientistas não constataram benefício aos pacientes e ainda perceberam um aumento das taxas de mortalidade e arritmias cardíacas. Além disso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) também suspendeu os ensaios clínicos com a clorquina que estavam sob sua coordenação. De acordo com os procuradores, a falta de testes também comprometeria a ampliação do uso da cloroquina no SUS. “A atual capacidade de processamento de testagem no país é de dez mil exames por dia, conforme apresentado pela Secretaria de Vigilância Sanitária em 20 de maio de 2020, e o plano de testagem nacional não sofreu alterações que permitam abranger o universo de sintomáticos leves que terão que fazer o teste previamente ao uso de cloroquina ou hidroxicloroquina, com capacidade de resposta efetiva dos exames”, afirmam os procuradores.

Conselho de saúde recomenda florais, homeopatia e reiki para ajudar no tratamento da Covid-19

O CNS (Conselho Nacional de Saúde) aprovou, última sexta-feira (29), recomendação para que gestores públicos usem e divulguem práticas integrativas e complementares, como homeopatia, acupuntura, fitoterapia, florais e reiki, no tratamento da Covid-19. D acordo com a Folha de S.Paulo o mesmo conselho recomendou ao Ministério da Saúde que suspenda o uso da hidroxicloroquina em casos leves da infecção por falta de evidência científica. Para parte da comunidade científica, as decisões são contraditórias já que as terapias integrativas também não têm embasamento científico sólido. Segundo o infectologista Esper Kallás, professor da USP, o mesmo critério para não recomendar o uso de hidroxicloroquina deveria nortear a tomada de decisão para a prática de medicina integrativa. “Há necessidade de demonstração científica clara de benefício. O investimento em saúde deve se pautar em evidências científicas”, afirma. A própria Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), contudo, apoia o uso das práticas alternativas no contexto da pandemia e tem parceiros como a Abrasco (Associação Brasileira de Saúde Coletiva). Mantém um observatório sobre elas (ObservaPICS) e lançou recentemente a coleção Cuidado Integral na Covid-19, sobre diferentes práticas integrativas que teriam tido sucesso em cenários similares de sofrimento. A primeira publicação é sobre a terapia floral. “Uma prática reconhecida pela Organização Mundial de Saúde há 70 anos, com resultados evidentes no autocuidado, equilíbrio mental e emocional”, diz o texto. O médico e advogado sanitarista Daniel Dourado, pesquisador do núcleo de pesquisa em direito sanitário da USP, tem opinião igual a de Kallás. “Não faz sentido [as diferentes recomendações]. Parece que tem uma preocupação do CNS que não é bem a evidência científica. É mais uma questão de posicionamento político.” Para ele, as práticas integrativas gastam o dinheiro de um SUS que já está completamente desfinanciado. “E também é muito preocupante se o paciente abandonar tratamentos convencionais para aderir a essas práticas.”As práticas integrativas e complementares, as chamadas PICs, estão no SUS desde 2006. Hoje, são ofertadas 29 delas, mas a organização dos serviços depende da adesão dos municípios. Segundo a conselheira Simone Leite, coordenadora de comissão de práticas integrativas do CNS, a recomendação aos gestores vem no sentido de reforçar importância do uso dessas terapias nesse momento em que não existe cura para a Covid-19. “Os florais, a automassagem, a acupuntura são complementares à assistência. Todas essas práticas já estão no rol do ministério e são amparadas por evidências científicas.” Leite afirma que não há contradição nas recomendações do CNS sobre o uso da cloroquina e das práticas integrativas. “A cloroquina em si é um tratamento [que não tem eficácia comprovada]. As práticas integrativas são complementares ao atendimento.” A conselheira exemplifica: “você pode ter um paciente com Covid que está com dores. Uma massagem pode ser feita nele. Ela vai complementar o tratamento do Covid. A gente não quer competir com a alopatia de jeito nenhum”. No recomendação, o CNS diz que se apoia em evidências cientificas produzidas por entidades como a Rede de Medicinas Tradicionais, Complementares e Integrativas Américas e o Cabsin (Consórcio Acadêmico Brasileiro de Saúde Integrativa), sobre o uso das práticas neste momento de pandemia. Publicação do próprio Cabsin, no entanto, informa, em letras maiúsculas, que até o momento não existem evidências de tratamentos específicos para a Covid-19. O consórcio elaborou um mapa de evidências em que incluiu 127 estudos realizados em 12 países. Há apenas uma revisão sistemática, feita pela China, com foco específico na Covid-19. Trata do uso da fitoterapia no manejo de sintomas. O documento também pontua que “lacunas de evidências permanecem sobre as metodologias utilizadas pelas revisões e estudos clínicos incluídos”.

Diabetes, hipertensão e obesidade avançam entre os brasileiros 

O Ministério da Saúde traçou o perfil do brasileiro em relação às doenças crônicas mais incidentes no país: 7,4% tem diabetes, 24,5% tem hipertensão e 20,3% estão obesos. É o que aponta a pesquisa Vigitel 2019 (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico), apresentada na última sexta-feira (29), em Brasília, pelo secretário substituto de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Eduardo Macário, e pela coordenadora-geral de Vigilância de Doenças e Agravos não transmissíveis, Luciana Sardinha, informou a Agência Saúde. “As doenças crônicas são um dos principais fatores de risco para agravamento da Covid-19. Então, é importante informar a população sobre os fatores de risco e as formas de proteção contra estas doenças. Assim, o cidadão pode se prevenir e proteger-se, não deixando de seguir o tratamento adequado, caso possua alguma doença crônica, em detrimento do que estamos vivendo no mundo com a pandemia por coronavírus”, alertou Eduardo Macário. No período de 13 anos, desde o início do monitoramento, o maior aumento é em relação à obesidade, que passou de 11,8% em 2006 para 20,3% em 2019, uma ampliação de 72%. Significa que dois em cada 10 brasileiros estão obesos. Se considerando o excesso de peso, metade dos brasileiros está nesta situação (55,4%). A pesquisa mostrou que, no período entre 2006 e 2019, a prevalência de diabetes passou de 5,5% para 7,4% e a hipertensão arterial subiu de 22,6% para 24,5%. O perfil de maior prevalência está entre mulheres e pessoas adultas com 65 anos ou mais. O mesmo perfil se aplica a hipertensão arterial, chegando a acometer 59,3% dos adultos com 65 anos ou mais, sendo 55,5% dos homens e 61,6% das mulheres. Os resultados apresentados para diabetes e hipertensão merecem destaque frente à pandemia da COVID-19. Estudos apontam maior risco de agravamento e morte por COVID-19 em pessoas que apresentam estas condições. No Brasil, até o dia 20 de abril, 72% dos óbitos confirmados para a doença tinham mais de 60 anos e 70% apresentavam pelo menos um fator de risco. A cardiopatia foi a principal comorbidade associada e esteve presente em 945 dos óbitos, seguida de diabetes (em 734 óbitos), pneumopatia (187), doença renal (160) e doença neurológica (159). O Vigitel é uma pesquisa telefônica realizada com maiores de 18 anos, nas 26 capitais e no Distrito Federal, sobre diversos assuntos relacionados à saúde. O objetivo é conhecer a situação de saúde da população para orientar ações e programas que reduzam a ocorrência e a gravidade de doenças, melhorando a saúde da população. Quanto ao  excesso de peso, o índice passou de 42,6% em 2006 para 55,4% em 2019. O maior índice está entre os homens, alcançando 57,1% e entre as mulheres o percentual de 53,9%. A pesquisa apontou que o excesso de peso tende a aumentar com a idade: para os jovens de 18 a 24 anos, a prevalência foi de 30,1% e entre os adultos com 65 anos e mais de 59,8%. Por outro lado, a incidência diminui com a escolaridade: para as pessoas com até oito anos de estudo, a prevalência foi de 61,0%, já entre aqueles com 12 anos ou mais de estudo, de 52,2%. Em relação à obesidade, o maior percentual está entre as mulheres (21%) e aumenta conforme a idade: para os jovens de 18 a 24 anos é de 8,7% e entre os adultos com 65 anos e mais, alcança o patamar de 20,9%. A obesidade é maior para as pessoas com até oito anos de escolaridade (24,2%) ante e aqueles com 12 anos ou mais (17,2%). No ano de 2019 foram realizadas 52.443 entrevistas com adultos residentes nas capitais e no Distrito Federal, com duração média de, aproximadamente, 12 minutos, variando entre 4 e 58 minutos. Foram avaliados os indicadores de hipertensão arterial e diabetes, excesso de peso e obesidade, consumo abusivo de álcool, fumantes, consumo alimentar e atividade física. Foram entrevistadas pessoas com 18 anos ou mais, residentes em domicílios com, pelo menos, uma linha de telefone fixo. Anualmente, estima-se um número amostral mínimo de duas mil entrevistas telefônicas para cada capital e o Distrito Federal e foram realizadas entre os meses de janeiro e dezembro de 2019.

SAÚDE NA IMPRENSA

Agência Senado – Desempregados e profissionais de saúde poderão ter prioridade na restituição de IR

Agência Senado – Senado pode instituir Memorial Virtual das Vítimas da Covid-19

Agência Senado – Plataforma do Senado acompanha gastos destinados ao combate à pandemia

Agência Câmara – Projeto regulamenta compartilhamento de informações hospitalares com governos

Agência Câmara – Projeto obriga poder público a garantir hospedagem a profissionais de saúde durante a pandemia

Agência Câmara – Comissão do coronavírus debate tabelamento de preços e requisição de medicamentos

Agência Câmara – Comissão externa sobre o coronavírus debate questões de saúde mental na pandemia

Agência Câmara – Comissão externa sobre o coronavírus debate ação de agentes comunitários de saúde

Agência Câmara – Proposta libera R$ 177,7 bilhões para enfrentamento da pandemia de coronavírus

Agência Câmara – Proposta cria comitê de crise para coordenar compra de material contra pandemia

Agência Câmara – Proposta define medidas de transparência e de detalhamento de dados sobre a Covid-19 no Brasil

Folha de S.Paulo – Brasil ainda não chegou ao pior da pandemia, diz OMS

Folha de S.Paulo – Tireoidectomia, com reposição hormonal em dia, não é fator de maior risco para Covid-19

Folha de S.Paulo – Dados do governo indicam 140% a mais de mortes por Covid no país

Folha de S.Paulo – Pandemia tirou mundo de rota suicida do sistema econômico tradicional, diz Nobel da Paz

Folha de S.Paulo – Pandemia afeta tratamento de hipertensão em mais de metade dos países

Folha de S.Paulo – EUA enviam 2 milhões de doses de hidroxicloroquina ao Brasil para tratar a Covid-19

Folha de S.Paulo – Água com limão ou sal não mata o vírus

Folha de S.Paulo – Brasil ultrapassa meio milhão de casos de Covid-19

Folha de S.Paulo – Combate à pandemia do coronavírus em defesa da vida no interior do Amazonas

Folha de S.Paulo – Superfícies podem transmitir o coronavírus?

Folha de S.Paulo – Dirigente do Botafogo é citado em investigação sobre Witzel e desvios de recursos da saúde

Folha de S.Paulo – Dados do governo indicam 140% a mais de mortes por Covid no país

Folha de S.Paulo – Autora sobre violência obstétrica ganha apoio virtual e já mira 2ª edição de livro

Folha de S.Paulo – Diário de confinamento: ‘Lições da cólera em tempos de coronavírus’

Folha de S.Paulo – Preconceito contra idosos cresce na pandemia, diz ex-diretor de envelhecimento da OMS

Folha de S.Paulo – Conselho de saúde recomenda florais, homeopatia e reiki para ajudar no tratamento da Covid-19

O Estado de S.Paulo – Sem dinheiro por restrições da quarentena, migrantes voltam para cidades natais no Nordeste

O Estado de S.Paulo – Ameaças de generais visam a impedir impeachment de presidente

O Estado de S.Paulo – Mercados internacionais apresentam alta generalizada após alívio de tensão entre EUA e China

O Estado de S.Paulo – Verba adicional para a saúde na pandemia alcança R$ 54,5 bilhões

O Estado de S.Paulo – O que o governo está fazendo com o dinheiro liberado durante a crise do coronavírus

O Estado de S.Paulo – SUS deve ser robustecido para desafios pós-pandemia

O Estado de S.Paulo – Governo nomeia indicado do Centrão para comandar fundo de R$ 30 bi da educação

O Estado de S.Paulo – Sapore revisa processos para alimentar pacientes de hospital de campanha

O Estado de S.Paulo – Governo do Rio estende quarentena por mais uma semana

BR Político – Coronavírus: Brasil supera meio milhão de casos e chega a 29.314 mortes

O Globo – Bolsonaro quer Pazuello olhando a corrupção na Saúde

O Globo – Artigo: Combate à poluição será prioridade em saúde 

O Globo – Saúde muda comunicação e tenta ressaltar dados ‘positivos’ do novo coronavírus

O Globo – MPF pede suspensão de norma do Ministério da Saúde que ampliou uso da cloroquina

O Globo – ‘Não conhecem a saúde pública’, diz ex-secretário do Ministério da Saúde sobre militares que estão na pasta

O Globo – Telemedicina: alternativa para evitar riscos em tempos de coronavírus

O Globo – Caberá a Bolsonaro as novas indicações para o Conselho Nacional de Educação

Agência Brasil – Vacinação é prorrogada para público de todas as fases da campanha

Agência Brasil – Centros comunitários identificarão de forma precoce covid-19

Agência Brasil – Um em cada 5 médicos diz que está capacitado para atender covid-19

Agência Brasil – Número de casos do novo coronavírus no Brasil ultrapassa 510 mil

Agência Brasil – Estado do Rio registra mais de 5 mil mortes por covid-19

Agência Brasil – Ferramenta usa inteligência artificial para parar de fumar

Agência Brasil – Taxa de ocupação de leitos de UTI para covid-19 no Rio é de 91%

Agência Brasil – Crises de cefaleia podem ser agravadas na quarentena, alerta médica

Agência Brasil – Ministério da Saúde prorroga campanha de vacinação contra gripe

Anvisa – Hospitais de campanha: veja orientações complementares

Anvisa – Resolução aborda desabastecimento de medicamentos

Anvisa – Anvisa publica normas para laboratórios analíticos

ANS – Dia Mundial sem Tabaco: Data alerta sobre os males causados pelo fumo

Agência Saúde – Governo do Brasil sanciona lei para agilizar importação de produtos médicos

Agência Saúde – Campanha de vacinação contra a gripe é prorrogada até 30 de junho

Agência Saúde – Ministro visita complexo Fiocruz, no Rio de Janeiro

Agência Saúde – Diabetes, hipertensão e obesidade avançam entre os brasileiros

Agência Saúde – Laboratórios públicos ampliam em 451% capacidade de testagem para COVID-19

Agência Saúde – Pesquisa identifica comportamentos de risco e proteção para a COVID-19

Agência Saúde – Governo do Brasil garante atendimento de saúde a indígenas brasileiros

Agência Saúde – Coronavírus: mais de 200 mil pessoas estão curadas no Brasil

Correio Braziliense – Gripe: Vacinação é prorrogada para público de todas as fases da campanha

Correio Braziliense – Centros comunitários identificarão de forma precoce covid-19

Correio Braziliense – Cresce o número de exames sorológicos e genéticos para detectar covid-19

Correio Braziliense – Cientistas questionam em carta aberta estudo americano sobre cloroquina

G1 – Cuidados com a saúde durante a quarentena

G1 – Secretaria de Saúde de Guaraí confirma terceira morte por coronavírus

G1 – Novo estudo com antiviral remdesevir mostra resultados parecidos em tratamentos de 5 ou 10 dias

G1 – Paciente curado da Covid-19, que ficou 51 dias internado, lembra dedicação dos profissionais de saúde: ‘Preciso agradecer’

G1 – Brasil teve um dos maiores aumentos de casos e está entre países que não chegaram ao pico da Covid, diz OMS

G1 – OMS diz que gostaria de continuar colaborando com os Estados Unidos

G1 – Ministro das Relações Exteriores anuncia recebimento de 2 milhões de doses de hidroxicloroquina dos EUA

G1 – Como se manter informado sobre a pandemia sem sofrer ‘overdose’ de notícias

Valor Econômico – Américas do Sul e Central não atingiram pico de transmissões de covid-19, diz OMS

Valor Econômico – República Democrática do Congo declara novo surto de ebola

______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »