Embrapa realiza webinar sobre o uso de animais mortos para produção de biogás

//Embrapa realiza webinar sobre o uso de animais mortos para produção de biogás

Apresentar alternativas ao problema de mortalidade de animais nos sistemas produtivos, que levem em consideração o risco ambiental e sanitário e de correta destinação das carcaças, foi um dos temas que especialistas da Embrapa Suínos e Aves atuaram nos últimos anos por meio do Projeto Tecnologias para Destinação de Animais Mortos – TEC-DAM. E uma dessas alternativas será apresentada durante um webinar no próximo dia 16 de março, às 10h30, no canal da Embrapa no Youtube. A programação do webinar “Uso de animais mortos não abatidos para produção de biogás” inclui três apresentações, conduzidas pelos pesquisadores Everton Krabbe, Airton Kunz e Rodrigo Nicoloo. A primeira fala será sobre “Volume de passivos gerados na suinocultura”, com o pesquisador Everton, líder do projeto Tecnologias para Destinação de Animais Mortos – TEC DAM. Na sequência, Airton Kunz, pesquisador e chefe de P&D da Embrapa Suínos e Aves, abordará sobre “Aspectos técnicos sobre o uso de carcaças na digestão anaeróbia” e o pesquisador Rodrigo Nicoloso apresentará as “Considerações sobre o uso agronômico do digestato”. A realização do webinar é da Embrapa Suínos e Aves, com apoio do 3º Fórum Sul Brasileiro de Biogás e Biometano.

Projeto obriga condomínios a comunicar casos de maus-tratos contra animais

O Projeto de Lei 281/21 obriga condomínios residenciais e comerciais a comunicarem aos órgãos de segurança pública especializados casos ou indícios de maus-tratos contra animais ocorridos dentro da propriedade. O texto tramita na Câmara dos Deputados. Segundo a proposta, a comunicação deve ser feita imediatamente por meio de canais de ouvidoria quando o crime estiver ocorrendo ou, nos demais casos, por escrito em até 24 horas, destacou a Agência Câmara. A comunicação deverá conter informações que contribuam para a identificação do infrator e a preservação da integridade do animal. O descumprimento da medida pode resultar em advertência, na primeira infração, e em multa a ser definida pelos órgãos de proteção dos animais. Os condomínios também ficam obrigados a afixar nas áreas de uso comum, cartazes, placas ou comunicados divulgando o dever de denunciar maus-tratos contra animais. “A denúncia é a uma forma de preservação que todos os animais precisam, e tal atitude acarreta o fortalecimento na atuação da proteção. Não tomar atitude de fazer a denúncia ao tomar conhecimento de um caso de maus-tratos contra animais é ser conivente com o crime”, diz o autor, deputado Julio Cesar Ribeiro (Republicanos-DF).

Quando levar o pet ao veterinário?

Nesta quarta-feira (24), o Blog Comportamento Animal do jornal O Estado de S.Paulo destacou que ter um pet em casa é sinônimo de receber muito carinho e amor. Mas também representa a necessidade de ter atenção redobrada. Afinal, para garantir o bem-estar e a saúde deles, é necessário despender de cuidados específicos, como por exemplo a ida regular ao veterinário. Esse hábito exerce papel de grande importância para garantir a qualidade de vida dos bichinhos sob tutela humana. É comum encontrar quem acredite que a ida ao veterinário só é necessária quando os tutores detectam algo de errado com a saúde de seus pets. Visitar o médico de forma preventiva pode ser a solução para evitar doenças futuras, ou ainda detectar algum problema, como a presença de bactérias ou parasitas, logo no início, facilitando o processo de tratamento. Daniel Cooper, médico veterinário e diretor de operações do Plano My Pet, esclarece que é comum que em determinado estágio da vida algumas doenças acometam os animais. “Infelizmente, quanto mais tardio o diagnóstico, menores são as possibilidades de estabilização ou até mesmo remissão de algumas doenças. Levar os pets regularmente ao veterinário pode ser um fator determinante para o reconhecimento precoce de alterações na fisiologia e direcionar um tratamento antes mesmo da manifestação clínica apresentada”, explica, deixando claro que prevenir sempre será o melhor remédio. Em condições de saúde normais, existem intervalos de tempo ideais a serem respeitados entre uma e outra ida ao veterinário. Nos primeiros seis meses do pet, quando ele ainda é considerado um bebê, são indicadas visitas mensais para acompanhar o desenvolvimento. A partir dos sete meses, período no qual o animal de estimação já passa a ser considerado jovem, a frequência cai para uma média de uma vez por ano. O pet passa a ser tratado como adulto a partir do primeiro ano de vida e idoso a partir dos sete anos de idade, na maioria das raças. Nesse momento, em que o envelhecimento do organismo leva a uma fragilidade maior, o aparecimento de doenças é mais propício. Assim, recomenda-se levá-lo ao veterinário uma vez a cada seis meses. Este hábito pode ser determinante para prolongar a vida do animal de forma saudável.

Vacinas futuras dependem de cobaias escassas para fazer testes: os macacos

Mark Lewis estava desesperado para encontrar macacos. No mundo todo, milhões de vidas humanas estão em jogo. Lewis, diretor executivo da Bioqual, era responsável pelo fornecimento de macacos de laboratório para companhias farmacêuticas como a Moderna e a Johnson & Johnson, que precisavam dos animais para desenvolver suas vacinas contra a covid-19. Mas enquanto o coronavírus se espalhava nos Estados Unidos no ano passado, eram poucos os animais desta espécie criados para tal finalidade, disponíveis no mundo. Na impossibilidade de conseguir os macacos, que podem custar mais de US $ 10 mil cada um, para pesquisa, cerca de dez companhias foram obrigadas a sair em busca de animais no ápice da pandemia, destacou o jornal O Estado de S.Paulo. “Perdemos trabalho porque não pudemos fornecer os animais no prazo,” lamentou Lewis. O mundo precisa de macacos, cujo DNA é rigorosamente semelhante aos dos seres humanos, para desenvolver as vacinas contra a covid-19. Mas a escassez global decorrente da demanda inesperada provocada pela pandemia, foi exacerbada por uma recente proibição da venda de animais silvestres da China, a principal fornecedora dos animais de laboratório. A escassez reacendeu os boatos sobre a criação de uma reserva estratégica de macacos nos Estados Unidos, um estoque de emergência semelhante aos mantidos pelo governo para petróleo e grãos. Como novas cepas do coronavírus ameaçam tornar obsoletos os atuais lotes de vacinas, os cientistas se apressam para encontrar novas fontes de macacos, e os Estados Unidos estão reavaliando a sua dependência da China, uma rival com ambições próprias na área de biotecnologia. A pandemia destacou até que ponto a China controla a oferta dos produtos que salvam a vida, como máscaras e medicamentos, de que os Estados Unidos necessitam em uma crise. Cientistas americanos sondam instalações privadas e públicas no Sudeste Asiático bem como a Ilha Mauritius, um pequeno país ao largo do Sudeste Asiático, em busca de estoques de suas cobaias preferidas, os macacos rhesus, e macacos cinomolgos, também conhecidos como macacos de cauda longa. Mas nenhum país pode substituir o que a China fornecia anteriormente. Antes da pandemia, a China forneceu mais de 60% dos 33.818 primatas, na maior parte macacos cinomolgos, importados nos Estados Unidos em 2019, segundo estimativas de analistas baseadas em dados dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças.

NA IMPRENSA

Agência Câmara – Projeto obriga condomínios a comunicar casos de maus-tratos contra animais

Folha de S.Paulo – Cães se aventuram em trilhas, rafting e até stand-up paddle

Folha de S.Paulo – Observador faz clique raro de passarinho que é metade macho e metade fêmea

O Estado de S.Paulo – Vacinas futuras dependem de cobaias escassas para fazer testes: os macacos

O Estado de S.Paulo – Quando levar o pet ao veterinário?

O Globo – Boulevard Rio Shopping cria espaço exclusivo para animais de estimação

G1 – Zoológico de Sydney apresenta 1º filhote de coala nascido em um ano

G1 – Pandemia leva franceses a promover galinhas a animais de estimação

G1 – Após animais serem encontrados mortos, família do ES é indiciada por maus-tratos e estelionato

G1 – Projeto ajuda famílias carentes e animais abandonados em Guarujá

G1 – Fio de alta tensão cai em pasto e mata dez animais em fazenda de Pires do Rio

Valor Econômico – Com boi em alta, Elanco prevê crescer até 5% no país em 2021

Valor Econômico – Startups lançam serviços inovadores e ampliam parcerias internacionais

Valor Econômico – Pontes quer estratégia nacional para produzir insumos

Valor Econômico – Marfrig recebe US$ 30 milhões para garantir gado sem desmate no Cerrado e na Amazônia

Embrapa – Embrapa realiza webinar sobre o uso de animais mortos para produção de biogás

CNA – Produtor de leite tem lucro multiplicado em sete vezes com ATeG do Senar

CNA – CNA debate crise do setor lácteo

CNA – Casal de pecuaristas reduz gastos com Assistência Técnica do Senar-ES

CNA – Conforto térmico e quantidade de ração são determinantes no bem-estar animal na piscicultura

AgroLink – Boi gordo: oferta enxuta de animais para abate

AgroLink – PR: queijos puxam queda do mercado de lácteos

AgroLink – Setor de Registros comemora crescimento das raças Hereford e Braford em 2020

AgroLink – Setor de genética questiona aumento do ICMS

SBA – Faturamento da indústria de alimentos atinge R$ 789,2 bilhões em 2020

SBA – Mercado mantém ‘oferta enxuta’ de boi gordo

SBA – Queda de consumo compromete preço do leite ao produtor

SBA – Projeto Arrastão: processadora de carnes doa mais de 300 kg de carne por mês

SBA – Embrapa pesquisa relação de ganho de peso com consumo de água por bovinos

Anda – Cadela abandonada após ter visão prejudicada é adotada em um lar perfeito

Anda – Macaco é resgatado pelo Corpo de Bombeiros após ser encontrado ferido

Anda – Cão é resgatado após passar fome e ser mantido amarrado pela pata traseira

Anda – Santuário pede mais exames sobre chimpanzé Black após laudo não apontar causa da morte

Anda – Cachorro encontra novo lar após cair em esgoto e ser resgatado

Portal do Agronegócio – ADAMA apresenta soluções de controle às culturas da cana e cereais na Copla Campo

Portal do Agronegócio – Conseleite: Alta de custos e importações desafiam setor lácteo

Revista Globo Rural – Marfrig monitorou 62% de seus fornecedores de gado na Amazônia em 2020

Revista Globo Rural – Grupos de pecuaristas de MT e MS se opõem à importação de gado do Paraguai

Revista Globo Rural – ABCZ confirma Expozebu em maio com público restrito e testado contra Covid-19

Revista Globo Rural – Rastreabilidade na pecuária tangibiliza a qualidade da carne

Canal Rural – Leite: sem auxílio emergencial, preço está 6% menor que em outubro

Canal Rural – Boi gordo fecha abaixo de R$ 300 pela 1ª vez em duas semanas; veja notícias desta quinta

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »