Embrapa quer criar nova fronteira agrícola no país, apenas no inverno

//Embrapa quer criar nova fronteira agrícola no país, apenas no inverno

 

Os três estados da região Sul semearam 13,9 milhões de hectares de soja e de milho na safra de verão e vão destinar apenas 2,4 milhões a esses produtos na de inverno, informou a coluna Vaivém das Commodities da Folha de S.Paulo nesta segunda-feira (5). Restam 11,5 milhões de hectares para outras culturas no período mais frio do ano, mas apenas 2,98 milhões deles serão semeados com as culturas de inverno, como trigo, cevada, triticale e outros. O trigo lidera a área, mas há espaço para uma evolução grande na produção. Para tocar adiante um programa de aproveitamento dessa área no inverno, a Embrapa, a ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal) e a Farsul (Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul) estão criando um programa específico para o período. A Embrapa desenvolve e apresenta resultados técnicos; a ABPA incentiva os contratos entre produtores e indústrias; e a Farsul indica aos produtores as vantagens da participação nesse programa. É um desafio, mas é uma ação necessária, segundo Antônio da Luz, economista-chefe da Farsul. “Estamos ficando para trás e perdendo para nós mesmos”, afirma ele, se referindo ao Rio Grande do Sul. Com essa ação, o país poderá ter uma nova fronteira agrícola destinada ao cultivo de inverno, afirma Osvaldo Vasconcellos Vieira, chefe-geral da Embrapa Trigo. O aumento de área elevaria a produção de trigo, que seria destinada, em boa parte, à produção de ração. Rio Grande do Sul e Santa Catarina estão perdendo competitividade em relação a outros estados, inclusive ao Paraná, devido à falta de milho. A saída é fazer a composição da ração com produtos colhidos no inverno, uma vez que o milho escasseou no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. Além disso, a valorização do cereal, a utilização na produção de etanol e o aumento das exportações obrigam os estados com produção menor do cereal a buscarem novas saídas, e com custos menores.

Projeto que busca reduzir uso de agrotóxicos no Estado de São Paulo é tema de ato solene 

O Projeto de Lei 1.227/2019, que busca reduzir o uso de agrotóxicos na produção agropecuária e extrativista paulista, foi tema de debate de um ato solene em ambiente virtual organizado nesta segunda-feira (5) pela deputada Márcia Lia (PT) na Assembleia Legislativa de São Paulo. O projeto, de autoria de deputados do PT, PSOL, PC do B e Rede, cria a Política Estadual de Redução de Agrotóxicos (Pera), que prevê implantar ações para a redução progressiva dos agrotóxicos na lavoura, com exceção dos produtos fitossanitários usados na agricultura orgânica. Os debatedores reforçaram a necessidade da aprovação do projeto. A representante da Articulação Paulista de Agroecologia (APA), Susana Prizendt, alertou sobre as consequências do uso de agrotóxicos para a saúde da população. “Devemos levar em conta que a sociedade está cada vez mais sujeita às pandemias, que estão associadas aos impactos nas mudanças do solo e na produção de alimentos. O sistema de saúde já está se sobrecarregando e se somado o número de intoxicações e doenças geradas pelos agrotóxicos, teremos uma sobrecarga maior e pode ocorrer uma saturação do atendimento médico”, disse. Ela também falou sobre a contaminação dos recursos hídricos e o impacto causado nas mudanças climáticas. A deputada Márcia Lia defendeu a aprovação do projeto a favor de proporcionar segurança alimentar para a sociedade. Para o deputado federal Nilto Tatto, é preciso fazer com que a sociedade tenha conhecimento sobre as substâncias presentes nos alimentos que consomem. Assinam o projeto os deputados Carlos Giannazzi (PSOL), Dr. Jorge do Carmo (PT), Emidio de Souza (PT), Enio Tatto (PT), Erica Malunguinho (PSOL), Isa Penna (PSOL), José Américo (PT), Leci Brandão (PC do B), Luiz Fernando Teixeira (PT), Márcia Lia, Marina Helou (Rede), Monica da Mandata Ativista (PSOL), Paulo Fiorillo (PT), Professora Bebel (PT), Teonilio Barba (PT) e a ex-deputada Beth Sahão (PT).

Ministra e secretário americano conversam sobre cooperação e sustentabilidade na área agrícola

A ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) conversou nesta terça-feira (6), por videoconferência, com o Secretário de Agricultura dos Estados Unidos da América, Tom Vilsack. Segundo o Mapa a cooperação entre os dois países na área agrícola, com troca de informações baseadas na ciência, e compromissos com a produção sustentável pautaram a reunião. A ministra lembrou que Brasil e Estados Unidos têm similaridades, como o fato de serem grandes produtores e exportadores de produtos agrícolas e reafirmou o interesse do Ministério da Agricultura em fortalecer os laços históricos de colaboração com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos. Ela lembrou que o ano de 2021 deverá ser marcante para a definição do caminho rumo ao desenvolvimento sustentável, “o que reforça a importância de mantermos mecanismos ágeis e transparentes de diálogo e entre nós”. “Não podemos deixar, no entanto, que as preocupações com o meio ambiente se transformem em barreiras ao comércio. A existência de um comércio livre e desimpedido é, na minha visão, um importante elemento para o fortalecimento de uma agricultura sustentável”, destacou Tereza Cristina. A ministra ressaltou a necessidade de os países do AG-5  (Estados Unidos, Brasil, Canadá, Argentina e México) discutirem questões baseadas na ciência, para desmistificar dúvidas ligadas à agricultura mundial. “Cada vez mais existem interrogações e precisamos mostrar para o mundo que a agricultura pode produzir de maneira saudável e segura”. O secretário americano também reforçou o compromisso dos Estados Unidos para tratar adequadamente as mudanças climáticas, por meio de pesquisas e inovação. “A Inovação desempenhará um papel importante para nos ajudar a nos adaptar, mitigar e a nos ajustar a essa nova realidade que enfrentamos”, disse Vilsack. Vilsack também falou sobre a cúpula sobre o clima que está sendo organizada pelo governo dos Estados Unidos, prevista para abril. “Os Estados Unidos estão preparados para assumir compromissos com o mundo de acordo com o Acordo de Paris sobre como abordaremos o clima. O presidente (Joe Biden) preparou uma proposta de infraestrutura bastante ousada para negociação no Congresso e, se aprovada, acredito que servirá de base de investimentos consideráveis para energia limpa”. Os dois presidentes também se solidarizaram com as famílias das vítimas da pandemia de Covid-19 nos dois países.

Começam ações preventivas contra incêndios

A temporada de seca mais intensa se concentra entre os meses de agosto e setembro, mas as unidades de conservação em todo o país já começaram com as ações preventivas contra os incêndios florestais. De acordo com o Governo Federal as equipes de brigadistas do Instituto Chico Mendes de Preservação da Biodiversidade (ICMBio) iniciaram as queimas controladas no interior dos parques nacionais da Serra da Canastra (MG) e Chapada dos Guimarães (MT). O método faz parte do programa Manejo Integrado do Fogo (MIF) e é usado para queimar todo o combustível orgânico, como a vegetação seca, que poderia contribuir para incêndios de grandes proporções durante o período de extrema estiagem. As operações são feitas sempre no fim do período chuvoso, e por brigadistas que utilizam equipamentos específicos para direcionar o fogo em pequenos focos controlados no terreno. Para o controle, é utilizado equipamento especializado, como abafadores, sopradores de folhas e bombas costais. Ao fim do dia, o caminhão-pipa percorre novamente toda a área para eliminar focos ainda existentes. Para prevenir e combater as queimadas nas áreas protegidas, o ICMBio elaborou um cronograma de trabalhos estratégicos a ser executado nos próximos meses nas unidades de conservação com histórico de incêndios florestais e maior risco de serem atingidas por queimadas neste ano. Além disso, o instituto tem promovido a capacitação on-line das brigadas, estruturado editais para contratação temporária de brigadistas florestais e feito ações de educação ambiental junto às comunidades locais.

NA IMPRENSA

Agência Senado – Kajuru quer estimular a criação de hortas nas escolas de educação básica

Governo Federal – Começam ações preventivas contra incêndios

Jota – Aviação regional perde demanda crescente sem interiorização

Folha de S.Paulo – Embrapa quer criar nova fronteira agrícola no país, apenas no inverno

O Globo – Solinftec, a start-up que quer ser o ‘Waze do agronegócio’ (e tem Luiza Trajano como sócia)

Alesp – Projeto que busca reduzir uso de agrotóxicos no Estado de São Paulo é tema de ato solene

Alego – Cobrança de multas relativas às guias de GTA a produtores rurais volta a ser discutida na CCJ

Valor Econômico – Cooperativas do Paraná investem R$ 1,5 bilhão em nova maltaria

Valor Econômico – Diretor da Tereos no Brasil deixa a companhia, diz agência

Valor Econômico – TIM conecta usinas da Adecoagro em MS

Valor Econômico – Demanda no campo fortalece venda de implementos no país

Valor Econômico – Usina da Jalles Machado recebe permissão para exportar açúcar aos EUA

Valor Econômico – Estudo da Embrapa mensura benefício da integração entre lavoura e pecuária

Valor Econômico – Serasa revê estratégia para ampliar volume de operações no agro

Valor Econômico – Argentina exporta mais grãos

Valor Econômico – Commodities: Com sinais de safra abundante na África Ocidental, cotações do cacau recuam em NY

Valor Econômico – Commodities: Embarques de trigo crescem, e preços do cereal fecham em alta em Chicago

Valor Econômico – Ministra Teresa Cristina recebe primeira dose de vacina contra a covid-19

Valor Econômico – ECB contrata empresa americana para fornecer tecnologia a planta de diesel verde

Valor Econômico – Aqua Capital adquire revendedora mato-grossense de peças para máquinas

ANAC – BASeT promoverá reunião no dia 29/4

Mapa – Ministra e secretário americano conversam sobre cooperação e sustentabilidade na área agrícola

Embrapa – Capacitações on-line da Embrapa Milho e Sorgo superam 100 mil inscritos

Embrapa – Prorrogado prazo de inscrição de laboratórios para ampliar o mercado da tecnologia BioAS

Embrapa – Teste alternativo é eficiente na análise de experimentos agrícolas sobre emissões de gases de efeito estufa

Embrapa – Projeto transforma solos degradados em produção e renda para agricultores no Pará

CNA – Produtor assistido pelo Sistema Faeg/Senar consegue lucro de 50 sacas de soja por hectare com o uso de bioinsumos

CNA – Alta do preço dos insumos vai impactar custos de produção da cana na safra 2021/2022

CNA – Competição: o que falta para o Brasil alcançar os Estados Unidos no milho?

CNA – CNA discute proposta do Banco Central sobre adoção de critérios de sustentabilidade nas operações de crédito rural

SBA – Retomada do auxílio emergencial deve beneficiar menos produtos do agro em 2021

SBA – IRB lança seguro inédito no Brasil com foco nas pastagens

SBA – Retorno de chuva no Centro-Oeste beneficia milho segunda safra

AgroLink – Bevap inicia safra nos próximos dias e prevê moagem de até 3,2 milhões de toneladas de cana

AgroLink – Embrapa no Pará lança seu primeiro edital de inovação aberta

AgroLink – Parceria entre Senar-MT e Senai-MT garante qualificação de jovens para atuarem no campo

AgroLink – Aplicativo cria mapas de aplicação para otimizar aplicação de fertilizantes

AgroLink – Brasil tem nova holding do agronegócio

AgroLink – Brasileira exporta agrotecnologia para produtores do Canadá

AgroLink – Estudo busca feijão resistente a antracnose

AgroLink – Serasa entra no mercado de crédito agrícola

Portal do Agronegócio – Queda da qualidade do diesel e falta de mão de obra qualificada trazem prejuízo milionário ao setor de transportes

Portal do Agronegócio – Própolis Vermelha age mais que medicamento contra doença

Portal do Agronegócio – Fertilizantes: lucro da Heringer cai 94,9% no 4º trimestre, para R$ 45,8 milhões

Portal do Agronegócio – Biocombustíveis: otimismo moderado

Portal do Agronegócio – Colheita de soja alcança 79%

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »