Embraer vai demitir 2,5 mil funcionários nas fábricas do Brasil

//Embraer vai demitir 2,5 mil funcionários nas fábricas do Brasil
A Embraer anunciou, nesta quinta-feira (3), a demissão de 2,5 mil funcionários nas fábricas no Brasil. Segundo a empresa, serão 1,6 mil desligamentos em adesões ao chamado PDV (Plano de Demissões Voluntárias), que foi encerrado na quarta-feira (2), e mais 900 cortes por dispensa para ajuste do quadro de funcionários. De acordo com o G1, a empresa alega que a medida é consequência dos impactos causados pela pandemia de Covid-19 e pelo cancelamento da parceria com a Boeing. Ao todo, a Embraer mantinha cerca de 16 mil funcionários no país, sendo 10 mil apenas em São José dos Campos, sede da empresa. O número de desligamentos por unidade não foi informado. Os funcionários que estão no grupo de 900 demitidos estão sendo avisados da dispensa por e-mail. São trabalhadores que estavam em licença remunerada ou em home office. A Embraer havia encerrado na quarta-feira (2) o prazo para inscrição no terceiro PDV aberto durante a pandemia. A medida era uma tentativa de ajustar o quadro de funcionários frente aos impactos causados pela pandemia. Foram 1,6 mil adesões aos PDVs, mas como o volume não atingiu a meta necessária, a Embraer anunciou que vai fazer mais 900 cortes. Parte dos pedidos no PDV serão efetivados nesta sexta (4). Para justificar as demissões, a Embraer alega o impacto provocado pela pandemia de coronavírus e o cancelamento da parceria com a Boeing, além da falta de expectativa de recuperação do setor de transporte aéreo no curto e médio prazo. Segundo a empresa, os cortes foram feitos com o “objetivo de assegurar a sustentabilidade da empresa e sua capacidade de engenharia”. Desde o início da pandemia, a Embraer adotou uma série de medidas como férias coletivas, redução de jornada, lay-off ( suspensão temporária de contratos) e licença remunerada. O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos afirma que foi pego de surpresa com as demissões. O órgão considera as demissões anunciadas nesta quinta-feira (3) ilegais e promete ir à Justiça para tentar reverter às demissões. O Ministério Público do Trabalho (MPT) apura denúncias recebidas de funcionários da Embraer que relatam pressão para aderir ao PDV. Uma campanha incentivando a denúncia de casos de assédio em relação ao PDV foi iniciada pelo Sindicato dos Metalúrgicos, que encaminhou os denunciantes ao MPT. Segundo o sindicato, 15 trabalhadores foram orientados a procurar o MPT, que recebeu três denúncias até o fim de agosto. A Embraer reforçou que o PDV foi um processo voluntário e comunicado com transparência às pessoas, seguindo o código de ética e conduta. Segundo a empresa, os funcionários foram informados pelos canais oficiais sobre o programa.

Programa levará tecnologias 4.0 para o agronegócio

Os Ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), da Economia (ME) e da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) lançaram nesta quinta-feira (3) o edital do programa Agro 4.0, que recebe inscrições até o dia 26 de setembro. Serão investidos R$ 4,8 milhões em 14 projetos pilotos de adoção e de difusão de tecnologias 4.0. O objetivo do programa é promover, por meio destas tecnologias, o aumento de eficiência e de produtividade, e  redução de custos no agronegócio brasileiro. O edital, na modalidade concurso, é voltado a empresas usuárias de tecnologias 4.0 do setor produtivo, especialmente, produtores rurais e agroindústrias, que irão realizar a adoção de tecnologias 4.0 em suas unidades, fazendas ou plantas. Estas empresas poderão submeter propostas de projetos em parceria com demais Instituições. O secretário-adjunto de Inovação, Desenvolvimento Rural e Inovação do Mapa, Pedro Correa Neto, destaca que a agricultura digital é uma das prioridades de inovação para o Mapa e o Programa Agro 4.0 é um dos grandes promotores de difusão de tecnologia no ecossistema do agro. “Ações como essa fortalecem a rede de inovação no agronegócio brasileiro, conectando soluções desde os produtores rurais até as startups, incrementando as ações por meio de conectividade, internet das coisas, aprendizagem virtual, blockchain e inteligência artificial”, diz. “Essa iniciativa visa estimular o ambiente de inovação digital no agronegócio por meio de soluções práticas e aplicadas às cadeias de valor nos segmentos dentro e fora da porteira, como também em ecossistema de cadeias produtivas. Estamos alavancando o futuro do agronegócio com soluções digitais”, avalia o diretor do Departamento de Apoio à Inovação para a Agropecuária do Mapa, Cleber Soares. “O Programa Agro 4.0 irá possibilitar e gerar uma maior disseminação de tecnologias digitais no agronegócio, com foco em aumento de eficiência, produtividade e redução de custos junto a produtores e indústrias” explicou Igor Calvet, presidente da ABDI. Ao todo, o edital contempla quatro categorias, relacionadas à cadeia produtiva do agronegócio, incluindo empresas dos setores primário, secundário e terciário. Para cada categoria, foram identificadas temáticas de aplicação, às quais os projetos deverão estar alinhados: (i) segmento de insumos (fertilizantes, defensivos, rações, máquinas e equipamentos); (ii) segmento primário (agricultura, pecuária, pesca, aquicultura); (iii) segmento secundário (fabricação de produtos alimentícios); e (iv) integração de segmentos, incluindo segmento terciário (integração de elos da cadeia – abrangendo serviços de tecnologia da informação e comunicação, logística, entre outros). A premiação varia de R$ 300 mil para até quatro projetos nas categorias 1, 2 e 3; a R$ 600 mil para até dois projetos na categoria 4. Os projetos selecionados serão conhecidos ainda em 2020 e terão, a partir da divulgação, um prazo de sete meses para a execução e outros 12 meses para o monitoramento dos resultados.  Previamente ao lançamento do edital, foi realizada uma consulta pública com ampla participação dos setores relacionados ao agronegócio e mais de 80% dos contribuintes manifestaram interesse em participar do edital. Regulamentado em 2019, o Plano Nacional de Internet das Coisas – IoT tem o objetivo de implantar a Internet das Coisas como ferramenta de desenvolvimento sustentável da sociedade brasileira. Para a definição das estratégias do Plano, o BNDES sugeriu quatro verticais de aplicação de IoT: indústria, saúde, rural e cidades. Para cada vertical, foi criada uma Câmara. A Câmara Agro 4.0, liderada pelo Mapa e pelo MCTI, tem como objetivo promover ações de expansão da internet no campo e a aquisição de tecnologias e serviços inovadores no ambiente rural. O Programa Agro 4.0 da ABDI foi listado, na última reunião, como uma das iniciativas acompanhadas pela Câmara. O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, destaca a importante missão de levar conectividade ao campo, aliada às novas tecnologias.

Produtores de biocombustível têm CBios para atender 55% da meta proposta para 2020

As vendas de biocombustíveis que dão o direito aos produtores emitirem Créditos de Descarbonização (CBios) na B3 através de escrituradores alcançaram, até o fim de agosto, 55% da meta deste ano de descarbonização prevista na proposta enviada a consulta pública, de acordo com dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) compilados pela União das Indústrias de Cana-de-Açúcar (Unica), informou o Valor Econômico nesta quinta-feira (3). No total, foram gerados lastros para 7,8 milhões de CBios. O número de CBios efetivamente disponível para negociação na B3 é um pouco menor do que a quantidade lastreada. Até o momento, há 7.077.216 CBios em estoque na bolsa, sendo que 95% ainda está na mão dos emissores — os produtores de biocombustíveis. “Importante destacar que esse montante de CBios registrados já é superior a muitas das sugestões apresentadas por diversas distribuidoras na consulta pública. Isto evidencia o comprometimento dos produtores de biocombustíveis para a consolidação do programa”, afirmou Antonio de Padua Rodrigues, diretor técnico da Unica, em nota. O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) aprovou no mês passado as novas metas do RenovaBio, mas ainda não divulgou os números. Pela proposta do governo submetida a consulta pública, as distribuidoras seriam obrigadas neste ano a comprarem 14,53 milhões de CBios. Inicialmente, a meta para este ano era de 28,7 milhões. As distribuidoras compraram até o momento 322,1 mil CBios, 4,5% do total de papéis registrados na B3. As partes não obrigadas, que compram CBios de forma voluntária, já compraram 33,4 mil papéis. Na avaliação da Unica, o ritmo de comercialização ainda está lento e só deve destravar quando as novas metas forem publicadas. “O ritmo lento de aquisição dos créditos de descarbonização por parte das distribuidoras tem exigido ampliação do esforço dos produtores para ofertar os títulos. Eles continuam arcando com os custos de certificação, validação e escrituração dos títulos sem contrapartida com receita”, disse Padua.

Concluída primeira emissão de um título ‘verde’ por produtores

Duas empresas brasileiras são as protagonistas da emissão do primeiro título “verde” do mundo para financiamento da agricultura feita por produtores rurais com a certificação da Climate Bonds Initiative (CBI), organização britânica referência na comprovação de padrões sustentáveis para esses papéis, destacou o Valor Econômico nesta quinta-feira (3). A operação de R$ 25 milhões, finalizada esta semana, foi estruturada pelo Grupo Ecoagro em favor da Rizoma Agro para custeio e investimentos de produção orgânica no interior paulista. O valor foi captado por um Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA) e será usado no cultivo de 1,2 mil hectares de milho, soja, feijão, aveia, grão-de-bico, limão tahiti, pecuária bovina e agrofloresta. Parte dos recursos será investida em irrigação e em uma fábrica de biofertilizantes. Criada em 2018, a Rizoma é a maior produtora de grãos e leguminosas orgânicas do Brasil e atua também na área de pesquisa. Abastece grandes indústrias alimentícias, como Nestlé e Unilever, e exporta milho e soja produzidos sem pesticidas para Estados Unidos e Europa. A produção na safra 2019/20 se aproximou de 8 mil toneladas e o faturamento bruto, após incrementos financeiros do título, deve chegar a R$ 27 milhões. À frente, a empresa criada pelo empresário Pedro Paulo Diniz tem como principal projeto expandir a área irrigada de 44 para 550 hectares. Os cultivos regenerativos da Rizoma retiram da atmosfera 48 toneladas de carbono por hectare por ano, aumentam a biodiversidade e otimizam o ciclo das águas em terras agrícolas, segundo o sócio e co-fundador Fábio Sakamoto. Antes baseada na criação de um fundo de investimentos, a estratégia de ganhar escala foi adaptada para captação por títulos e o potencial de expansão revisado para 350 mil hectares em dez anos. O plano é puxado pela demanda mundial crescente por produtos orgânicos premium, como hambúrgueres vegetais e ração animal. A coordenadora do Programa de Agricultura da CBI no país, Leisa Souza, disse que a emissão é um marco e prova o potencial do agro brasileiro com títulos verdes, estimado em R$ 700 bilhões em dez anos. Segundo ela, muita coisa já está “pronta” no país devido à legislação ambiental rígida e às tecnologias utilizadas no campo desde a década de 1980, como o plantio direto.

NA IMPRENSA

Agência Câmara – Frente lança plataforma para construir agenda ambiental nas eleições municipais

Agência Câmara – Maia afirma que Câmara pode contribuir para mudar imagem ambiental do Brasil

Agência Senado – Proposta altera área da Floresta Nacional de Brasília para regularização fundiária

O Estado de S.Paulo – Como o setor aéreo modificou os aviões para evitar a propagação da covid-19

O Estado de S.Paulo – Prestes a assumir presidência do Supremo, Fux diz que vai priorizar defesa do meio ambiente e combate à corrupção

G1 – Índice global de preços de alimentos sobe pelo 3º mês seguido, diz FAO

G1 – Embraer vai demitir 2,5 mil funcionários nas fábricas do Brasil

Valor Econômico – Índice de preços globais de alimentos da FAO volta a subir e volta ao patamar de fevereiro

Valor Econômico – Concluída primeira emissão de um título ‘verde’ por produtores

Valor Econômico – Coamo projeta bater recorde e aprova novos investimentos

Valor Econômico – Zilor aposta em ingredientes para atravessar turbulência

Valor Econômico – Rio sobe e destrava exportação paraguaia

Valor Econômico – Produtores de biocombustível têm CBios para atender 55% da meta proposta para 2020

Valor Econômico – Commodities: Risco de perdas em lavouras americanas impulsiona cotações da soja em Chicago

Valor Econômico – Commodities: Queda do petróleo pressiona açúcar e algodão em NY

Mapa – Programa levará tecnologias 4.0 para o agronegócio

Mapa – Aberta consulta pública sobre sementes de espécies forrageiras de clima tropical

CNA – Produtores atendidos pela ATeG do Senar e Asplan recebem clones promissores de cana-de-açúcar

CNA – AgroNordeste já beneficia 2.220 propriedades rurais no Ceará

CNA – Campo Futuro levanta custos de produção em quatro estados

Embrapa – Embrapa auxiliará na definição de áreas prioritárias para a regularização fundiária

Embrapa – Seminario internacional aborda hoje sistemas agrossilvipastoris no Uruguai e México

Embrapa – Live retoma debate sobre Sistemas Agroflorestais e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Agrolink – “Extrato de cannabis” pode ajudar abelhas

Agrolink – Embrapa e França pesquisam macieiras

Agrolink – PE: programa estimula a formação de startups para o Agro

Agrolink – Campo Futuro levanta custos de produção em quatro estados

Agrolink – AgroNordeste já beneficia 2.220 propriedades rurais no Ceará

Agrolink – Meteorologista pede cautela na semeadura 20/21

Agrolink – Índia busca investir em microirrigação para sustentabilidade

Agrolink – Tecnologia permite alta compatibilidade no TSI

Agrolink – Corteva Agriscience promove “A Hora da Batata”

Agrolink – Safra de trigo da Rússia atinge 73,6 milhões de toneladas

Agrolink – Novo bioinseticida combate a mosca branca

Agrolink – Cocatrel inaugura novos silos de café

Agrolink – Aberta consulta sobre sementes de forrageiras de clima tropical

Agrolink – Cropchem lança inseticida de alta performance contra lagartas

Noticias Agrícolas – Paraná vai avançar no agronegócio com laboratório de inovação

Portal do Agronegócio – Sistema CNA/SENAR lança Projeto Agro pelo Brasil

SBA – Edital que contempla tecnologias 4.0 para o agronegócio será lançado nesta quinta
______________________

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »