EM DEFESA DE ESPÉCIES AMEAÇADAS, ATIVISTAS DÃO ARGUMENTOS A FAVOR E CONTRA OS ZOOLÓGICOS

//EM DEFESA DE ESPÉCIES AMEAÇADAS, ATIVISTAS DÃO ARGUMENTOS A FAVOR E CONTRA OS ZOOLÓGICOS

O portal do G1 destacou que com cerca de 75 mil animais em seus plantéis, as mais de 108 instituições zoológicas brasileiras são alvo de críticas de biólogos e ativistas que são contra o modelo. Pesquisadores que defendem a manutenção de zoológicos acreditam que essas instituições ajudam a conscientizar a população sobre a importância de preservar a biodiversidade, auxiliando inclusive na conservação de animais ameaçados. Já os críticos do modelo atual avaliam que as espécies na lista de risco do ICMBio não se beneficiam com a existência de zoológicos ou aquários. Os principais argumentos contra são: manter animais selvagens enjaulados é crueldade; animais selvagens podem desenvolver neuroses e outras doenças em cativeiro; zoológicos e aquários muitas vezes mantêm animais exóticos em ambientes inadequados às necessidades de cada espécie; e santuários ecológicos podem substituir zoológicos e educar sobre a importância de manter os animais em seus ambientes naturais. Os argumentos favoráveis são: zoológicos e aquários têm função educativa e ajudam crianças e adultos a criarem consciência ambiental ao entrar em contato com os animais; animais resgatados ou aqueles que nascem em cativeiro muitas vezes não podem ser soltos na natureza; a receita gerada com ingressos de visitantes financia também atividades de conservação, pesquisa e educação; e muitos zoológicos têm programas específicos para promover a reprodução e manutenção de espécies ameaçadas de extinção.

 

Auditoria encontra até ferimentos em animais de jóqueis clubes



O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) realizou auditorias em oito jóqueis clubes do país em 2018 e encontrou 170 não conformidades. É o que informa o portal do Mapa. Segundo a chefe da Divisão de Bem-estar Animal e Equideocultura do Mapa, Liziè Buss, “a maior parte das inconformidades verificadas nos animais foi de cavalos com movimentos repetitivos ou estranhos à espécie, gerados por estresse, além de ferimentos no corpo e no canto da boca, por uso incorreto do freio”. Também foram verificadas cicatrizes, “indicativas de problemas no manejo, que deixaram os animais agitados, além de falhas de manutenção das instalações e uso inadequado de equipamentos de equitação”, de acordo com Liziè Buss. “Mas pontos positivos foram levantados, como o tamanho das baias e a qualidade da forragem destinada à cama dos animais, assim como boa condição corporal, por estarem alimentados e com boa aparência”. “A fiscalização terá como resultado a elaboração de normas de boas práticas agropecuárias para esses estabelecimentos, com a inclusão de exigências específicas voltadas ao bem-estar animal (BEA)”, informa a notícia.

 

Prefeitura de Porto Alegre já sacrificou 11 cães por leishmaniose em 2019



A prefeitura de Porto Alegre já encaminhou 11 cães para eutanásia após diagnóstico de leishmaniose desde o início do ano. Conforme o jornal Zero Hora, o procedimento não é obrigatório em casos como esse, mas costuma ser a escolha de quem não tem como custear o tratamento dos cães. Em 2019, 56 animais, de diferentes regiões da cidade, já foram examinados pela Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde (CGVS) por suspeita da doença. Existe a opção por tratamento, mas o valor, a partir de R$ 1.000,00, e o risco de novas contaminações acabam pesando na decisão dos proprietários. Se optar pela eutanásia do animal de estimação, o responsável pode escolher entre clínicas particulares, que cobram pelo serviço, ou pela equipe de Vigilância de Antropozoonoses da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), que realiza o procedimento sem custos. A eutanásia em animais que constituam ameaça à saúde pública é indicada pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) na resolução nº 1.000, de 2012. “Proprietários de animais têm a liberdade de levar os mesmos para atendimento em médicos veterinários particulares, seja para tratamento, seja para eutanásia”, afirma a CGVS.

 

Autorização temporária de pescador artesanal é renovada



A autorização temporária do pescador profissional artesanal foi renovada automaticamente e valerá até 31 de dezembro deste ano, prazo previsto para a finalização do recadastramento do Registro Geral de Atividade Pesqueira. A autorização é válida mediante a apresentação do protocolo de cadastramento já realizado por pescadores dessa categoria da atividade. De acordo com o portal do Mapa, a revalidação foi feita por meio da Portaria 24, da Secretaria de Aquicultura e Pesca (SAP) do Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento (Mapa), publicada sexta-feira (22). O secretário de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif, observou que pescadores artesanais que deram entrada na documentação e que estão, portanto, com o protocolo podem exercer a atividade e têm direito à inclusão para recebimento do seguro defeso. “O seguro é concedido aos pescadores como compensação financeira durante o período de defeso, em que a pesca para fins comerciais é proibida devido à reprodução dos peixes”, destaca a matéria.

 

NA IMPRENSA
Embrapa – Abertas as inscrições para dia de campo sobre ILPF em Terra Nova do Norte (MT) 

 

Mapa – Autorização temporária de pescador artesanal é renovada

 

Mapa – Auditoria encontra até ferimentos em animais de jóqueis clubes

 

Tecpar – Técnicos do Tecpar participam de evento da Aliança Láctea Sul

 

Correio Braziliense – Países desenvolvidos reduzem emissão de dióxido de carbono

 

Correio Braziliense – Elefante é morto e tem presas arrancadas em reserva natural do Camboja

 

Correio Braziliense – Ibram abre inscrições para castração de cães e gatos nesta terça-feira

 

Folha de S. Paulo – Rafael Muñoz – Como a melhoria do sistema antidumping pode ajudar na produtividade do país

 

Folha de S. Paulo – Bom pra Cachorro – ‘Que bom que você apareceu pra mim’, diz Bruna Marquezine ao apresentar cadela

 

G1 – Em defesa de espécies ameaçadas, ativistas dão argumentos a favor e contra os zoológicos

 

G1 – Banhistas e surfistas passam mal em Maracaípe por causa de algas tóxicas

 

G1 – Adeus, amoreira! Veja 5 árvores nativas indicadas para atrair pássaros nas cidades e no reflorestamento

 

O Estado de S. Paulo – Fausto Macedo – Conselho Federal de Medicina Veterinária veda inscrição profissional de graduados em curso a distância

 

O Estado de S. Paulo – Morre Paulo Nogueira Neto, pioneiro da proteção ambiental

 

O Estado de S. Paulo – Tosar seu cão de forma errada pode prejudicar a saúde dele

 

O Estado de S. Paulo – Fausto Macedo – PF mira ‘pescadores’ do rio Doce por fraudes de RS 7 mi em indenizações da lama de Mariana

 

Zero Hora – Prefeitura de Porto Alegre já sacrificou 11 cães por leishmaniose em 2019

 

Anda – Animais em extinção no Brasil podem sumir nos próximos anos

 

Anda – Dicas para proteger os animais durante a nebulização contra a dengue

 

Anda – Projeto ensina como denunciar o ciclo de exploração de vacas leiteiras

 

Anda – Projeto que libera caça de animais é rejeitado em enquete da Câmara

 

__________________________________________________________________________________________

 

 

 

 

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.