Drones ajudam meio ambiente no Tocantins

Home/Informativo/Drones ajudam meio ambiente no Tocantins

O Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) conta com um importante aliado em suas ações de conservação do meio ambiente. São os veículos aéreos não tripulados, conhecidos como drones. O Instituto adquiriu o primeiro veículo no final de 2019 e a experiência foi tão positiva que no ano seguinte foi montado processo para aquisição de mais sete unidades, que já estão sendo utilizadas em várias frentes, como monitoramento, inspeção, fiscalização e planejamento das ações do Manejo Integrado do Fogo (MIF). Técnicos do órgão ambiental afirmam que são várias as vantagens dos drones, destacou o portal AgroLink nesta sexta-feira (26). Além da rapidez com a qual conseguem monitorar áreas de difícil acesso, operam com baixo custo e não precisam de combustível. Warley Rodrigues, diretor de Biodiversidade e Áreas Protegidas do Naturatins, informa que dos veículos adquiridos pelo Instituto, cinco estão sendo utilizados pelas equipes dos parques estaduais. De acordo com Rodrigues, dois servidores de cada parque passaram por treinamento para operarem os drones, que possuem configurações avançadas e podem ser programados para capturar imagens de áreas extensas a partir da programação de coordenadas por GPS. Além disso, os veículos têm grande capacidade de armazenamento de imagens, que são utilizadas para atualização do banco de dados de geoprocessamento do Naturatins. Para Eliandro Gualberto, diretor de Proteção e Qualidade Ambiental do Naturatins, o uso dos drones otimizou o trabalho das equipes, tanto em tempo gasto quanto em eficiência. Foi a diretoria comandada por Gualberto a primeira a utilizar o drone como suporte em suas operações e para isso fiscais receberam treinamento especial para operar o veículo. Capazes de fazer mapeamento aéreo de florestas e de reservas aquáticas, os drones podem auxiliar nos processos de licenciamento ambiental, uma vez que são capazes de em poucos minutos comprovarem se as informações fornecidas por proprietários rurais são verdadeiras. Felipe Pimpão, Diretor de Gestão e Regularização Ambiental do Naturatins,diz que por enquanto sua diretoria ainda não tem nenhum drone para uso exclusivo das atividades de licenciamento ambiental. Entretanto, ele está planejando treinar alguns membros de sua equipe para operarem os veículos.

Em audiência pública com Tereza Cristina, senadores defendem agilidade na regularização fundiária

Durante audiência da Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, nesta quinta-feira (25), vários senadores defenderam agilidade na regularização de terras públicas ocupadas por agricultores. Segundo a Agência Senado os parlamentares também pediram recursos para a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e advertiram que a falta de verbas poderá comprometer as atividades do órgão. Segundo os senadores que participaram da audiência com Tereza Cristina, o sistema de regularização de terras no Brasil ainda é burocrático e demorado. O presidente da comissão, senador Acir Gurgacz (PDT-RO), afirmou que a concessão de títulos de terras é uma via para ampliar a produção de alimentos e atender as demandas internas e externas. O senador Izalci Lucas (PSDB-DF) afirmou que houve uma “expectativa muito grande” quando a lei de regularização fundiária rural e urbana (Lei 13.465, de 2017) foi publicada, mas avaliou que há mais de um ano, por incompatibilidade no sistema de certificação, milhares de produtores não conseguem finalizar o processo para aquisição do título. Tereza Cristina informou que a equipe técnica do ministério e do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) está realizando a migração dos suportes e que, a partir da semana que vem, os sistemas para regularização estarão compatibilizados para dar celeridade na titulação. Elaa disse ainda que o governo federal lançou o programa Titula Brasil, que, por meio de parcerias entre o Incra e as prefeituras, para facilitar as concessões de títulos. A ministra também defendeu a aprovação de projeto que trata da regularização fundiária de ocupações em terras da União (PL 510/2021), do senador Irájá (PSD-TO). Ela disse que a proposta auxiliará na desburocratização do processo. De acordo com senador Irajá, tanto o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, como da Câmara, Arthur Lira, informaram que vão priorizar a votação da matéria. Segundo a ministra, em 2020 foram emitidos 109.112 documentos titulatórios, e a expectativa da pasta é de 130 a 170 mil títulos este ano. O corte de recursos federais para a Embrapa também foi lembrado pelos senadores. Izalci Lucas observou que o Orçamento de 2021, em votação pelo Congresso nesta quinta, teve corte da emenda de R$ 120 milhões indicada pela CRA para a Embrapa. Ele sugeriu que o Executivo possa viabilizar uma fonte de recursos para a Embrapa que não fique totalmente dependente do Tesouro Nacional.

Agricultores do Brasil lideram aposta em digitalização

A pandemia do novo coronavírus não só manteve os produtores rurais do Brasil particularmente interessados em digitalizar seus negócios como fez com que esse apetite, ampliado para mais elos da cadeia, aumentasse mais que em outros países, como nos Estados Unidos. É o que aponta o estudo “A Cabeça do Agricultor Brasileiro na Era Digital Pulso 2021”, divulgado ontem pela consultoria McKinsey. Realizado a partir de informações coletadas com 560 produtores de regiões e portes variados e dedicados a diferentes culturas, o trabalho também mostra que gargalos como custos e conectividade continuam a impedir que a disseminação de tecnologias no campo seja mais acelerada. “Não esperávamos que o interesse pela digitalização crescesse mais entre os agricultores brasileiros do que nos EUA e na Europa. Aqui, quase dois terços dos fazendeiros já preferem canais online. E essa é uma tendência para todos os produtos, commoditizados ou não”, afirmou Nelson Ferreira, sócio sênior da McKinsey, ao Valor Econômico. Em comparação com o mapeamento que a consultoria divulgou em maio do ano passado, o novo aponta um aumento de 10 pontos percentuais no número de agricultores que preferem canais online para compras para suas propriedades, para 46%. Nos EUA e na Europa, o avanço foi de 7 pontos, para 31% e 22%, respectivamente. No caso dos produtores brasileiros de algodão, o percentual saltou de 45% para 66%. E essa preferência, realçou Ferreira, não é apenas para mapear preços de itens como insumos ou maquinários, como era normal no início do processo de digitalização. “Cerca de 50% dos agricultores já preferem usar os canais online em toda a sua jornada de compras. Ou seja, a multicanalidade chegou para ficar”, disse. É claro que é a necessidade que tem levado um número cada vez maior de produtores rurais para o mundo digital, uma vez que as medidas de restrição impostas pela pandemia não têm permitido que o “olho no olho” prevaleça. Mas essa necessidade existe no mundo todo, e a principal diferença dos brasileiros em relação a produtores de outros países, segundo Ferreira, é sua propensão natural a desafios.

Mato Grosso tem maior expansão de área agrícola do país e 2º maior aumento de pastagem, diz estudo

Mato Grosso apresentou a maior expansão da área agrícola, com 50.616 mil km² e foi o segundo no ranking de expansão da área de pastagem, com 45.449 mil km², e em reduções de área de vegetação florestal (-71.253 mil km²) e campestre (-22.653 km²), de 2000 a 2018. De acordo com o G1 os dados são do Monitoramento da Cobertura e Uso da Terra, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os levantamento feito por estado foi divulgado pela primeira vez, no último dia 17. A contabilidade de cobertura e uso da terra já era divulgada, em nível nacional. Em 2018, Mato Grosso concentrava 17,93% da área agrícola e 16,85% da área de pastagem com manejo do Brasil, as maiores áreas dessas classes de uso entre as unidades da federação. Em contrapartida, entre as unidades da federação, o estado teve a maior redução absoluta da área de vegetação florestal. Observando-se a dinâmica da transformação de vegetação florestal e campestre em Mato Grosso em cada período estudado, destaca-se, entre 2000 e 2010, o avanço de áreas de pastagem com manejo sobre a vegetação florestal (30.491 km²) e sobre a vegetação campestre (10.900 km²). Já entre 2010 e 2012, a ênfase foi nas conversões de vegetação florestal para mosaicos florestais (3.584 km²) e de vegetação campestre para pastagem com manejo (872 km²). Entre 2012 e 2014, observa-se o avanço de áreas agrícolas sobre a vegetação florestal (2.460 km²) e sobre a vegetação campestre (1.364 km²). Entre 2014 e 2016, destacam-se as conversões de vegetação florestal para mosaicos florestais (2.387 km²) e de vegetação campestre para pastagem com manejo (270 km²). E, novamente, de 2016 a 2018, repete-se essa observação de conversões de vegetação florestal para mosaicos florestais (2.302 km²) e de vegetação campestre para pastagem com manejo (1.447 km²).

NA IMPRENSA

Agência Câmara – Meio Ambiente rejeita sistema de segurança de visitantes em unidades de conservação

Agência Câmara – Delegado denuncia sucateamento de órgãos de proteção ambiental e falta de equipamentos

Agência Câmara – Meio Ambiente aprova reaproveitamento de dados de licenciamentos ambientais

Agência Câmara – Agricultura proíbe armazéns de negociar produtos agropecuários sem autorização do depositário

Agência Senado – Em audiência pública com Tereza Cristina, senadores defendem agilidade na regularização fundiária

Governo Federal – Reserva Extrativista Chocoaré-Mato Grosso é adotada

Governo Federal – Acordo acelerará negócios voltados a serviços ambientais

Governo Federal – Programa levará acessibilidade e internet gratuita a Unidades de Conservação

G1 – Iniciativas tentam reduzir preços de alimentos para população de baixa renda

G1 – MT tem maior expansão de área agrícola do país e 2º maior aumento de pastagem, diz estudo

G1 – Donos de mercadinhos e de propriedades agrícolas pequenas garantem refeições de famílias pobres em SP

G1 – Preço de commodities como soja e milho deve se manter alto e até subir, diz ministra da Agricultura

Valor Econômico – Italiana Ferrero conclui certificação de seus fornecedores de cacau

Valor Econômico – SLC assina acordo vinculante para assumir áreas da Terra Santa

Valor Econômico – Novas lojas e soja em alta deram impulso à Agrogalaxy em 2020

Valor Econômico – Agricultores do Brasil lideram aposta em digitalização

Valor Econômico – Colheita de soja no RS será recorde

Valor Econômico – Lucro da Louis Dreyfus Company cresce 66%

Valor Econômico – Abertura de lojas e valorização da soja impulsionam resultados da Agrogalaxy

Valor Econômico – Aposta dos agricultores na digitalização cresceu mais no Brasil do que nos EUA na pandemia

Valor Econômico – Commodities: Perspectiva de aumento da área de plantio nos EUA derruba grãos em Chicago

Valor Econômico – Rio Grande do Sul deverá ter safra recorde de soja em 2020/21

Valor Econômico – Comissão Europeia promete dinheiro e apoio para a expansão da agricultura orgânica na UE

Valor Econômico – Pilgrim’s Pride emite US$ 1 bi em ‘bônus sustentável’

Mapa – Mapa quer acelerar a entrega de títulos de terras a produtores rurais, diz ministra

Embrapa – Financiamento verde, digitalização do campo, pesquisa e organização coletiva

Embrapa – Inscrições abertas para a segunda edição do Concurso de Inovação Horta & Escola

Embrapa – Embrapa Agrossilvipastoril disponibiliza Boletim Agrometeorológico da safra 20/21 em Mato Grosso

CNA – CNA debate crédito na safra 2021/2022

CNA – Senar mostra ações de campo do projeto Paisagens Rurais na Bahia

CNA – CNA discute legislação trabalhista no campo

CNA – Em 2020, emissões de CRA somaram valor recorde de R$ 15,81 bilhõe

CNA – Senar Sergipe realiza treinamento sobre segurança na aplicação de defensivos

SBA – Chega aos 600 milhões de toneladas a moagem da cana-de-açúcar

SBA – Falta de milho preocupa produtores de SC

AgroLink – Drones ajudam meio ambiente no Tocantins

AgroLink – Colheita do amendoim está acelerada

AgroLink – Produção de cacau pode crescer para 300 mil toneladas

AgroLink – Epamig promove debate sobre forrageiras para o Semiárido Mineiro

AgroLink – Grupo agro aprova plano de recuperação judicial

AgroLink – Bill Gates revela por que está comprando tantas terras agrícolas

AgroLink – Ameaças botam agricultura em risco, diz ONU

AgroLink – Argentina conseguirá “coisas magníficas” com biológicos

AgroLink – Radar pode detectar fogo no pantanal

AgroLink – Mapa busca crédito mais acessível para aquicultores

AgroLink – Novo bioinseticida controla cigarrinha-do-milho

Canal Rural – Brasil pode colher 134 milhões de toneladas, diz consultoria Safras

Canal Rural – Soja: colheita começa na Argentina, mas produtividade é a pior dos últimos 5 anos

Canal Rural – Governo lança projeto Brasil Fraterno com entrega de alimentos em Aparecida

Canal Rural – Congresso Nacional aprova Orçamento da União para 2021

Notícias Agrícolas – Governo pede que Movimento Verde e Amarelo, convocado por lideranças do agro para ocorrer em abril, seja apenas digital

Notícias Agrícolas – Embrapa: Financiamento verde, digitalização do campo, pesquisa e organização coletiva

Portal do Agronegócio – O etanol do Brasil na luta contra mudanças climáticas

Portal do Agronegócio – Bayer firma parcerias para otimizar restauração de florestas nativas

Portal do Agronegócio – Embrapa monitora resíduos de agrotóxicos no Rio Dourados, em MS

Revista Globo Rural – SLC Agrícola e Terra Santa assinam acordo para combinação de negócios

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »