Drone auxilia produtores de Goiás no monitoramento e gestão da propriedade

Home/Informativo/Drone auxilia produtores de Goiás no monitoramento e gestão da propriedade

O monitoramento é um dos principais controles para auxiliar o produtor rural na gestão da propriedade. Acompanhar o crescimento da lavoura ou achar um animal que se perdeu do rebanho são serviços que duram dias, destacou o portal AgroLink nesta terça-feira (2). Mas com os avanços tecnológicos e a utilização de equipamentos, como os drones, esse processo torna-se mais eficiente e pode ser feito em horas ou minutos, dependendo da área. Para mostrar aos produtores como incorporar essa tecnologia na fazenda, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) de Goiás oferece um curso sobre o uso do equipamento para monitoramento de áreas de produção agropecuária. O curso tem duração de 16 horas e envolve temas como segurança e saúde do trabalhador, fundamentos de sensoriamento remoto, procedimentos para captações de imagens aéreas, noções de fotogrametria e outros aspectos que garantem a eficiência desse novo recurso. A instrutora do Senar Goiás, Naiara Gonçalves de Souza, afirmou que o curso auxilia o produtor a elaborar um planejamento de voo para que a ferramenta faça a tomada semiautomática de fotografias aéreas. O curso de uso de drones para monitoramento de áreas agropecuárias foi criado em 2019. Para se inscrever, o aluno precisa ter feito o curso de pilotagem de drones, que é pré-requisito para essa segunda etapa. E neste segundo módulo, a utilização dos drones pelos alunos é fundamental para que eles fiquem familiarizados com os comandos do equipamento e possam obter mais precisão dos dados. “O drone consegue ter uma representatividade da área com maior precisão e também traz informação em alta velocidade”, disse o engenheiro agrícola Álvaro Henrique Cândido. Para o produtor rural Joaquim Turra, o drone é uma ferramenta importante para o monitoramento da propriedade. Os cursos do Senar seguem todas as recomendações de segurança dos Ministérios da Saúde e da Agricultura para evitar o contágio da Covid-19. Esses cursos são fundamentais para o trabalho no campo, aliando tecnologia, economia e rentabilidade. O Senar Goiás já capacitou 3.446 pessoas nos cursos de Pilotagem de Drones (1º módulo) e Uso de Drone Para Monitoramento de Áreas Agropecuárias (2º módulo), lançados em 2018 e 2019. Com os também chamados veículos aéreos não tripulados (VANTs) ficando cada vez mais comuns e acessíveis, o uso deles nas propriedades rurais é cada vez mais procurado. Por essa razão, foi criado em 2020 o treinamento de Uso de Drone para Processamento e Análise de Imagens na Agropecuária, com carga horária de 16 horas, abordando fotometria, modelos digitais e índices de vegetação por exemplo. Clique aqui para saber mais sobre os cursos.

Bolsonaro zera impostos do diesel

Depois de a Petrobrás anunciar o quarto aumento do diesel somente neste ano, desta vez em 5% ou R$ 0,13 por litro, um acúmulo de 34% que vale a partir desta terça-feira (2), o presidente Jair Bolsonaro editou um decreto e uma medida provisória ainda na segunda-feira (1º). Segundo o portal AgroLink a medida publicada em edição extra do Diário Oficial da União zera as alíquotas da contribuição do Programas de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PIS) e da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins) incidentes sobre a comercialização e a importação do óleo diesel. O corte de impostos também vale também para o gás liquefeito de petróleo (GLP) de uso residencial. Esses tributos representam 9% do preço final do produto ao consumidor. Em relação ao diesel, a diminuição terá validade durante os meses de março e abril. Quanto ao GLP, ou gás de cozinha, a medida é permanente. “As duas medidas buscam amenizar os efeitos da volatilidade de preços e oscilações da taxa de câmbio e das cotações do petróleo no mercado internacional”, informou a Secretaria-Geral da Presidência da República. Para cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal, como forma de compensação tributária, também foi editada uma medida provisória aumentando a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) das instituições financeiras, alterando as regras de Imposto sobre os Produtos Industrializados (IPI) para a compra de veículos por pessoas com deficiência e encerrando o Regime Especial da Indústria Química (Reiq). As novas regras do IPI entram em vigor imediatamente. O aumento da CSLL e o final do Reiq entrarão em vigor em 1º de julho. As medidas de redução do PIS e da COFINS no diesel e no GLP resultarão em uma redução da carga tributária de R$ 3,67 bilhões em 2021 neste setor. Para 2022 e 2023, a diminuição da tributação no gás de cozinha implicará em uma queda de arrecadação de R$ 922,06 milhões e R$ 945,11 milhões, respectivamente. Para o deputado federal Jerônimo Goergen (PP-RS) faltou incluir na lista de isenções de impostos o biodiesel o que, segundo ele, impede a redução esperada do diesel com a diminuição de Pis/Cofins. O parlamentar encaminhou um ofício ao Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, solicitando a equalização de tributos para o biodiesel em relação ao diesel.

Ampliação da área agrícola vai movimentar mais cargas entre Minas Gerais e Espírito Santo

O agronegócio é um dos motores da economia brasileira e já mostrou resiliência e sua importância mundial, nos últimos anos, com safras e exportações recordes. Atenta a esse cenário, a VLI, controladora da Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), executa um plano de desenvolvimento territorial sustentável para aumentar a área agrícola de Minas Gerais, Goiás e Bahia. De acordo com o portal AgroLink com o fomento da atividade, a previsão é elevar o volume de cargas que circulam na Ferrovia Centro-Atlântica (FCA) em direção aos portos do Espírito Santo. “Esse projeto vai fortalecer a operação do corredor Centro-Leste e gerar novos volumes no médio e longo prazo. Temos a estrutura pronta para atender e a possibilidade de ampliar nosso serviço conforme a demanda. Com a renovação antecipada da concessão da FCA, o Centro-Leste receberá investimentos de R$ 4 bilhões, resultando em um grande ganho de eficiência no transporte ferroviário de cargas na região”, afirma Marlon Tadeu, gerente geral de Planejamento da VLI. Até o momento, a VLI investiu R$ 2,7 milhões no processo. Os testes e ações de fomentos são conduzidos pela Companhia de Promoção Agrícola – CPA (CAMPO). O projeto pode revolucionar as regiões Norte e Noroeste de Minas Gerais dinamizando a cadeia de produção. A base da iniciativa é a utilização do pó de rocha (ou pó de basalto) como fertilizante natural para o solo. Os basaltos são rochas silicáticas de origem vulcânica, de ampla distribuição no país. O Triângulo Mineiro concentra grande incidência desse tipo de material. Essas rochas podem contribuir para a reconstrução da produtividade dos solos. “Já identificamos pedreiras em Goiás que comercializam o item. Estamos apoiando interessadas de Minas Gerais na oferta do pó de basalto. Essa é uma das frentes de trabalho. É possível que no próximo ano tenhamos o início do processo em uma escala maior”, aponta Marcos Ramos, engenheiro agrônomo e consultor de projetos na Campo. Para o engenheiro agrônomo, ex-ministro da Agricultura e considerado o “pai da agricultura moderna brasileira”, Alysson Paolinelli, o uso dessa técnica será uma transformação importante para o Brasil garantir a segurança alimentar global.

Resíduos agroindustriais podem virar nematicida

Uma pesquisa avalia como os coprodutos e resíduos agroindustriais dos setores sucroalcooleiro, oleoquímico e de papel e celulose podem virar compostos naturais com ação nematicida, informou o portal AgroLink nesta terça-feira (2). O trabalho está em fase de testes pela Embrapa Agroenergia (DF) e a Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia (DF) e esperar gerar um produto natural para combater os fitonematoides, substituindo os químicos. Os nematoides causam prejuízos bilionários da ordem de R$ 35 bilhões às lavouras brasileiras. Atualmente, essa praga agrícola do solo é controlada com práticas de manejo e compostos sintéticos, que têm perdido eficácia ao longo dos anos, além de poder causar impactos ambientais e à saúde humana. Além de matar as pragas, alguns agroquímicos sintéticos podem causar danos, por exemplo, a pássaros, abelhas e até mesmo aos agricultores que fazem a aplicação. Buscamos por princípios ativos mais específicos para esses organismos, de modo a não comprometer o rico ecossistema do solo, uma vez que o uso de nematicidas sintéticos de largo espectro de atuação influenciam de maneira negativa toda a rizosfera/ecossistema envolvido, acarretando riscos à saúde humana, animal e ao ambiente”, declara o líder do projeto, Clenilson Martins Rodrigues, pesquisador da Embrapa Agroenergia. Um dos alvos é o Meloidogyne incognita, também conhecido como Nematoide-das-galhas que ataca principalmente as culturas da soja, algodão, café, feijão, milho e cana-de-açúcar. “Esse fitonematoide foi escolhido para ser o alvo principal da pesquisa por ser uma das espécies mais comuns em todo o mundo e um problema sério para a agricultura brasileira,” esclarece Rodrigues. Esses extratos vegetais e microbianos poderão ser incorporados nas formulações de outros produtos para garantir ações complementares, por exemplo: atuar como nematicida, regulador de crescimento e fixador de nitrogênio. Além disso o custo deve ser menor. Os pesquisadores, agora, estão avaliando a segurança de uso (toxicidade dos extratos) para outros organismos não alvo (fitotoxicidade e citotoxicidade), etapa fundamental para garantir a segurança no consumo dos produtos agrícolas produzidos com o uso do nematicida natural. Também será testada a estabilidade do produto ao intemperismo previsto no uso a campo (termoestabilidade). O projeto Nematus é realizado em parceria com o Grupo Santa Clara, a Demetra Agroscience e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e conta com o apoio da Empresa Brasileira de Inovação Industrial (Embrapii).

NA IMPRENSA

Governo Federal – Autorizada a contratação de obras no aeroporto de Tangará da Serra (MT)

Governo Federal – Setor portuário movimentou 1,151 bilhão de toneladas em 2020

Governo Federal – ANP promoveu mais de 15 mil ações em 2020

Governo Federal – Governo monitora enfermidade do milho

Agência Brasil – Bolsonaro zera PIS e Cofins do diesel e do gás de cozinha

Folha de S.Paulo – Colheita atrasa, venda de soja cai 50%, e agro perde participação nas exportações

O Estado de S.Paulo – Balança comercial tem superávit de US$ 1,152 bilhão em fevereiro

G1 – Irrigação cresceu cerca de 40% no Brasil em dez anos

G1 – Exportações de soja do Brasil caem 40% em fevereiro com atraso na colheita

G1 – Uso de etanol é solução de curto prazo para reduzir emissões de gases em Noronha, diz estudo

Valor Econômico – Cade aprova aquisição da Biosev pela Raízen

Valor Econômico – Associação de produtores cria linha de crédito para cana sustentável

Valor Econômico – A improvável “cash cow” da família Vilela de Queiroz

Valor Econômico – Bunge e Orbia alcançam marca de 75 mil toneladas de soja negociadas digitalmente

Valor Econômico – T4Agro inicia incubação de startups

Valor Econômico – Governo abrirá renegociação para dívidas de Funrural e ITR

Valor Econômico – Lab apoiará novos projetos no Brasil

Valor Econômico – Massa falida da São Fernando recebe quatro propostas em leilão

Valor Econômico – Cosan confirma aumento de capital de R$ 638,3 milhões previsto em sua reorganização societária

Valor Econômico – Exportações brasileiras de algodão em fevereiro foram recorde para o mês

Valor Econômico – Leilão de massa falida da Usina São Fernando recebe quatro propostas

Valor Econômico – Governo abre renegociação para dívidas de Funrural e ITR

Valor Econômico – Exportações argentinas de grãos e derivados tiveram segundo melhor mês de fevereiro em 18 anos

Valor Econômico – Exportações globais de café recuaram 3,6% em janeiro

Mapa – Inscrições para Selo Mais Integridade 2021/22 estão abertas a partir desta terça-feira (2)

Mapa – Crédito para custeio antecipado beneficia o planejamento no campo

Embrapa – Prosa Rural destaca produção agroecológica na região goiana de Anápolis

Embrapa – Embrapa promove palestra sobre melhoramento genético com Magno Ramalho

Embrapa – Embrapa prestigia evento de aniversário da SNA

Embrapa – PROPARÁ é apresentado à Embrapa e a ex-ministros da Agricultura

Embrapa – Projeto avalia produção de algodão no Brasil

Embrapa – Acordos de cooperação formalizam parcerias do projeto IGGTS

Embrapa – Embrapa Territorial colabora com livro sobre economia agropecuária

Embrapa – Embrapa, governo de Rondônia e produtores se unem em projeto de melhoramento para o café

CNA – “O Brasil do futuro continua sendo o Brasil do agro”

CNA – Cresce participação de mulheres no programa CNA Jovem

CNA – Técnico vencedor de prêmio de vídeos educativos do Senar auxilia avicultores pelo Agronordeste em Alagoas

AgroLink – Bolsonaro zera impostos do diesel

AgroLink – Ampliação da área agrícola vai movimentar mais cargas entre MG e ES

AgroLink – Resíduos agroindustriais podem virar nematicida

AgroLink – Órgãos se unem para melhoramento do café

AgroLink – Agricultura pode chegar na lua em 2022 

AgroLink – RS: Construção de Açudes de Programa Estadual é concluída em São Miguel das Missões

AgroLink – Trigo é ofertado em mais de R$ 1400,00

AgroLink – Cooperativa vinícola gaúcha prospecta negócios na Ásia

AgroLink – Soja deve chegar a 196,94 milhões de toneladas na América do Sul

AgroLink – DIA INTERNACIONAL DA MULHER – Agricultora de Jaquirana se destaca na apicultura

AgroLink – Drone auxilia produtores de Goiás no monitoramento e gestão da propriedade

Canal Rural – Quanto adubo devo usar? Aplicativo da Embrapa faz recomendação precisa

Canal Rural – Área irrigada chega a 8,2 milhões de hectares no Brasil, diz ANA

Portal do Agronegócio – Bayer cria iniciativa para levar gratuitamente informações e conteúdos de alta qualidade a agricultores

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »