Doze deputados federais vão disputar prefeituras no segundo turno  

//Doze deputados federais vão disputar prefeituras no segundo turno  

Neste domingo (15), 12 deputados federais foram escolhidos pelos eleitores para disputar prefeituras no segundo turno em 11 cidades, sendo cinco capitais. Juntos, esses municípios somam cerca de 11 milhões de habitantes. Segundo a Agência Câmara, outro deputado, Alexandre Serfiotis (PSD-RJ), foi eleito prefeito de Porto Real (RJ) já no primeiro turno. Também há dois deputados que conquistaram cadeiras de vice-prefeito já no primeiro turno: Paulo Marinho Jr (PL), em Caxias (MA), e Juninho do Pneu (DEM), em Nova Iguaçu (RJ). O deputado Deuzinho Filho (Republicanos) ainda vai disputar a vice-prefeitura de Caucaia (CE) no segundo turno. Luiza Erundina (Psol) também segue na disputa para vice-prefeita de São Paulo. Nestas eleições, 66 deputados concorreram a cargos de prefeito ou vice-prefeito em 43 cidades, sendo que 40 deles disputavam vagas em capitais. O número é inferior à eleição de 2016, quando 80 deputados se lançaram candidatos em 57 cidades. Como resultado, o número de vitórias de deputados no primeiro turno também é menor em comparação à eleição passada, quando nove deputados se elegeram prefeitos e dois vice-prefeitos no primeiro turno, e outros 16 deputados seguiram para o segundo turno. Segue abaixo a relação de deputados que vão disputar prefeituras no segundo turno: Capitão Wagner (Pros) – Fortaleza (CE); João H Campos (PSB) – Recife (PE); Marília Arraes (PT) – Recife (PE); Edmilson Rodrigues (Psol) – Belém (PA); Eduardo Braide (Pode) – São Luís (MA); JHC (PSB) – Maceió (AL); Zé Neto (PT) – Feira de Santana (BA); Darci de MATOS (PSD) – Joinville (SC); Margarida Salomão (PT) – Juiz de Fora (MG); Sergio Vidigal (PDT) – Serra (ES); Wladimir Garotinho (PSD) – Campos dos Goytacazes (RJ); Ottaci Nascimento (Solidariedade) – Boa Vista (RR).

Carlos Fávaro é eleito para vaga no Senado por Mato Grosso até 2026

Neste domingo (15) o jornal O Globo destacou que, com 26% dos votos válidos, o empresário Carlos Fávaro venceu a eleição suplementar no Mato Grosso para o Senado Federal. Ele vai assumir a vaga aberta após a cassação da juíza Selma Arruda, com mandato até 2026. Desde abril, Fávaro já ocupava o posto interinamente por ter sido um dos mais votados no pleito de 2018 que culminou na eleição de Selma. Na eleição extraordinária deste domingo, Fávaro recebeu 25,98% dos votos; seguido por Coronel Fernanda (Patriota), 20,44%; e Nilson Leitão (PSDB), 10,98%. Segunda colocada na disputa, Coronel Fernanda recebeu o apoio “oficial” do presidente Jair Bolsonaro e foi a que mais explorou sua imagem na campanha. Apesar de não ter o apoio formal de Bolsonaro, Fávaro também tentou mostrar alinhamento e proximidade com o presidente. O mesmo ocorreu com outros candidatos na disputa. A gana pelo eventual apoio de Bolsonaro é justificada pelo resultado obtido pelo presidente no estado em 2018, que venceu em 126 dos 141 municípios mato-grossenses. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cassou o mandato de Selma Arruda em dezembro do ano passado por abuso de poder econômico e caixa 2 nas eleições de 2018. Quatro meses depois, Fávaro conquistou na Justiça o direito de assumir interinamente o cargo considerando a vacância da chapa e o fato de ter sido o melhor colocado após Selma na disputa. Na época, uma nova eleição foi marcada para 26 de abril, mas o pleito acabou adiado em razão da pandemia do novo coronavírus. Até dezembro deste ano, Fávaro continuará no cargo de senador de forma provisória. O mandato definitivo inicia em janeiro de 2021, com duração de seis anos. Durante a campanha, Fávaro recebeu apoio do ex-governador e ex-ministro da Agricultura, Blairo Maggi, do atual governador do Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), e de integrantes do agronegócio, com quem possui afinidade. Como interino, Fávaro conseguiu aprovar projeto de sua autoria que autoriza o poder público a contratar aviões agrícolas para combater incêndios florestais. A votação ocorreu em meio a recordes nas queimadas registradas na Amazônia e no Pantanal. Na época, o senador interino afirmou que o texto tem origem na agricultura e pode beneficiar o setor como uma atividade alternativa durante a seca, período de entressafra.

Distensão entre governo Biden e China afetará agronegócio no Brasil

Beneficiado pela guerra comercial entre Estados Unidos e China, o agronegócio brasileiro deve sofrer impactos de curto prazo com uma esperada distensão do conflito pelo governo democrata eleito, informou a Folha de S.Paulo neste sábado (14). A expectativa é que, com uma visão mais multilateralista, o democrata Joe Biden tende a retomar o comércio com o país asiático. Segundo analistas, produtores de soja, carne e açúcar devem ser os mais afetados, porque vinham substituindo exportadores americanos no fornecimento ao mercado chinês. As vendas dos três produtos para o país asiático registraram forte expansão em 2020, com impacto sobre os preços no mercado interno. “A única coisa que preocupa [num governo Biden] é uma eventual retomada de negociações entre EUA e China. A briga abriu espaço enorme das exportações brasileiras, e uma retomada sem preparações pode criar um problema”, diz o coordenador da FGV Agro, Roberto Rodrigues, ex-ministro da Agricultura. Até outubro, o Brasil exportou para a China US$ 58,4 bilhões (R$ 318 bilhões), alta de 11% ante o mesmo período de 2019. O país é o maior comprador de soja, carne e açúcar brasileiros. Com a pandemia, ampliou as importações de alguns dos produtos para manter estoques em caso de rupturas nas cadeias produtivas globais. E, com as tarifas impostas aos EUA durante a guerra comercial, o Brasil ocupou boa parte do aumento da demanda. As vendas de soja para lá cresceram 15,8% no ano. As de carne bovina subiram 87,2%, e as de açúcar quase triplicaram. Por outro lado, o aumento das compras pela China fez as cotações no mercado internacional dispararem, com efeitos nos preços dos alimentos e dos combustíveis no Brasil, levando o governo a zerar alíquotas de importação e a um inusitado aumento nas compras de soja pelo país. Embora democratas tenham histórico mais protecionista do que republicanos, especialistas têm a avaliação de que seu governo se apoiará menos em decisões unilaterais do que o de Donald Trump, o que deve abrir portas para a resolução de conflitos externos.

Desembargador do TRF1 derruba liminar da Brasilcom que reduzia metas do RenovaBio

O desembargador federal Jirair Aram Meguerian, do Tribunal Regional Federal 1ª Região (TRF1), suspendeu os efeitos da decisão em primeira instância que obrigava a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) a reduzir em 25% as metas de descarbonização atreladas ao programa federal RenovaBio das empresas representadas pela Associação de Distribuidoras de Combustíveis (Brasilcom), destacou o Valor Econômico nesta segunda-feira (16). A Brasilcom havia obtido na semana passada a liminar, sob o argumento de que a pandemia da covid-19 havia afetado a situação financeira das distribuidoras. Mas, no entendimento do desembargador, a revisão de metas individuais não cabe à ANP, cuja função é apenas individualizar as metas gerais estabelecidas pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) com base no cálculo da participação de mercado das distribuidoras no comércio de combustíveis fósseis do ano anterior. Para o magistrado, o pedido da Brasilcom visava, na verdade, alterar as metas compulsórias anuais, o que é de competência do conselho. O desembargador avaliou ainda que, como o CNPE está atrelado à Presidência da República, cabe ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) julgar o mandado de segurança apresentado pela Brasilcom.

NA IMPRENSA

Agência Câmara – Doze deputados federais vão disputar prefeituras no segundo turno

Agência Câmara – Frente Ambientalista debate reforma tributária sustentável

Agência Câmara – Projeto insere no Código Florestal proteção a restingas e reservatórios revogada pelo Conama

Governo Federal – Audiência pública debate Plano Nacional de Resíduos Sólidos

Governo Federal – Contratação de crédito rural aumenta 21% nesta safra em relação a passada

Governo Federal – Projeto ampliará apoio a pesquisas científicas na Amazônia Legal

Governo Federal – Força Nacional reforça Operação Verde Brasil 2

Correio Braziliense – Cientistas adaptam drone para monitorar atividade de vulcões

Folha de S.Paulo – Distensão entre governo Biden e China afetará agronegócio no Brasil

Folha de S.Paulo – Usinas de etanol querem substituir baterias em carros elétricos

O Estado de S.Paulo – De olho em setor bilionário, Aqua compra Verde Agrícola

O Estado de S.Paulo – Os rumos da Embrapa

O Estado de S.Paulo – Petrobras usa “gêmeos digitais” para otimizar produção de S-10

O Globo – Carlos Fávaro é eleito para vaga no Senado por MT até 2026

G1 – De olho no agro 5.0, cooperativa de SP desenvolve aplicativo para ajudar agricultor a conseguir mais produtividade

G1 – Especialistas comentam os efeitos da vitória de Biden para o agro brasileiro

G1 – Apesar de atraso no plantio, agricultores do RS estão otimistas com a safra de soja

Valor Econômico – Desembargador do TRF1 derruba liminar da Brasilcom que reduzia metas do RenovaBio

Valor Econômico – Seguro rural para pequeno produtor avança

Valor Econômico – Preços internacionais do arroz voltaram a cair em outubro

Valor Econômico – Aqua compra revendedora gaúcha de peças de reposição para máquinas agrícolas

Valor Econômico – Atraso das chuvas chacoalha planejamento da Terra Santa

Valor Econômico – Agroindústrias têm forte recuperação

Valor Econômico – Eduardo Miron, ex-CEO da Marfrig, será conselheiro do Frigol

Mapa – Mapa promove capacitação em Zoneamento Agrícola de Risco Climático

Mapa – Cartilha traz boas práticas para cultivo de cacau no Pará

Mapa – Prohort mostra variação de preços das frutas em novembro

CNA – Boletim CNA: Campo Futuro mostra dados sobre rentabilidade e custos de produção no país

CNA – Feira e-Agro Bahia será totalmente online e gratuita

Noticias Agrícolas – O que mais atrapalha nas pulverizações em baixo volume é a água, diz Alan McCracken

AgroLink – Fertilização bioorgânica melhora qualidade do solo

AgroLink – Tecnologias proporcionam eficiência e segurança ao agronegócio

AgroLink – Soja fecha a semana ainda patinando

AgroLink – Norma moderniza legislação trabalhista no campo

AgroLink – Trigo internacional: preços recuam em quase todo o mundo

AgroLink – Etanol: anidro e hidratado voltam a se valorizar

AgroLink – Novo arroz geneticamente modificado tem avanços

AgroLink – Condicionamento do solo é aposta de rizicultores

AgroLink – Agroindústrias Familiares inscritas na 20ª edição terão prioridade na Expoagro Afubra 2021

AgroLink – Embalagem reciclada de defensivo ganha prêmio

AgroLink – Embrapa oferta clones de seringueira

Canal Rural – Governo estuda novos mecanismos para baratear importação de milho

Canal Rural – Eleições 2020: produtor rural Carlos Fávaro é confirmado como senador em MT

______________________

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »