DEPUTADOS SUGEREM AÇÕES DE SAÚDE PARA NOVO GOVERNO

//DEPUTADOS SUGEREM AÇÕES DE SAÚDE PARA NOVO GOVERNO

Cerca de 150 milhões de brasileiros dependem exclusivamente do Sistema Único de Saúde (SUS) para fazer uma consulta, exame ou cirurgia, de acordo com o Conselho Federal de Medicina (CFM). Diante dessa demanda, a melhoria da qualidade da rede pública de saúde pode ser um desafio para o governo recém-empossado. De acordo com a deputada Carmen Zanotto (PPS-SC), integrante da Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados, estados e municípios já colocam mais dinheiro na saúde do que a Constituição obriga, mas os gastos sempre aumentam. “O orçamento da Saúde é limitado, a inflação nessa área é sempre maior do que a inflação geral em função do aumento dos insumos no setor, tanto medicamentos quanto materiais que normalmente superam a inflação”, afirma. A Agência Câmara destaca que o deputado Ricardo Barros (PP-PR), que foi ministro da Saúde no governo Michel Temer, informa que o problema não está no montante de recursos para o setor, mas na gestão do sistema. “Se nós tivermos os agentes comunitários de saúde – todos eles técnicos de enfermagem – dando resolutividade à visita domiciliar e um bom modelo de compra de medicamentos, através de transferências tecnológicas que nos permitam reduzir custos, os recursos para a saúde serão suficientes para atender à demanda dos brasileiros”, acredita ele.

Deputado sugere retorno de médicos cubanos

O atendimento básico de saúde no governo Bolsonaro deve sofrer os efeitos das mudanças feitas no programa Mais Médicos no final do governo Temer, destaca a Agência Câmara. O deputado Jorge Solla (PT-BA) tem uma sugestão para o novo ministro da Saúde, o deputado Mandetta (DEM-MS). “Chame os médicos cubanos de volta porque eles estão fazendo muita falta. E não dá pra gente trabalhar de forma ideológica, porque a população brasileira tá sofrendo e tá sofrendo quem mais precisa, quem deixou de ter o profissional para cuidar de sua saúde.” Outro desafio do novo governo é aumentar o acesso da população ao saneamento básico, já que a falta de redes de água e esgoto também onera os cofres da saúde pública. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, cada Real investido em saneamento gera uma economia de 4,3 reais em gastos com saúde.

Conselho de medicina denuncia morte de bebê dentro da barriga de mãe por falta de médico

O portal do G1 destacou que o Conselho Federal de Medicina registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil depois que uma funcionária do Hospital Maternidade Dona Regina, em Palmas, denunciou que um bebê morreu na barriga da mãe por falta de pediatras na unidade. Esta é a segunda morte registrada nos últimos dias por falta de profissionais nos hospitais públicos. Samara Mateus, de 24 anos, estava grávida de oito meses e deu entrada no Dona Regina na tarde de domingo (6). Segundo a família, ela chegou a ser atendida por um médico plantonista e enfermeiros, mas nenhum obstetra foi avaliar a paciente e verificar a situação do bebê. A Secretaria de Estado da Saúde informou, em nota, que não havia falta de obstetra no Hospital e Maternidade Dona Regina. “No domingo (6), como na segunda-feira (7), haviam três médicos ginecologista obstetra de plantão na unidade. A paciente Samara Matheus Alves foi acompanhada durante todo o período de sua internação, o seu feto de 38 semanas teve uma morte súbita que será investigada.” A Secretaria afirmou ainda que a expulsão do feto via parto vaginal é um procedimento normal e está dentro das condutas médicas adotadas.

Saúde libera certificações para instituições filantrópicas

Em 2018, 833 instituições filantrópicas de saúde de todo o Brasil receberam Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social (CEBAS) concedidas pelo Ministério da Saúde para isenção de contribuições sociais, no ano de 2018, entre elas 684 renovações e 149 concessões. O maior número desde 2011, informa o portal do Ministério da Saúde. No país, 1.487 entidades filantrópicas possuem CEBAS; sendo 1.373 (71,03%) unidades hospitalares e 540 (28,97%) unidades ambulatoriais. Desse total, estão as 149 certificadas este ano. Com a certificação, as instituições celebram, entre outras coisas, convênios com o poder público com menos burocracia e passam a ter um fôlego financeiro para ampliar, qualificar e melhorar os serviços, beneficiando diretamente milhões de pessoas que precisam de atendimentos de média e alta complexidade pela rede pública de saúde. Com o CEBAS, as instituições passam a se beneficiar também com a liberação de emendas parlamentares, propostas e projetos de financiamento, expansão da infraestrutura e aquisição de equipamentos.

SAÚDE NA IMPRENSA

Câmara dos Deputados – Deputados sugerem ações para novo governo garantir acesso da população à saúde pública.

Câmara dos Deputados – Caminhão frigorífico poderá ser obrigado a ter equipamento de controle de temperatura.

Ministério da Saúde – MS ofertará fórmulas alimentares a crianças com alergia ao leite.

Ministério da Saúde – Mais Médicos: profissional com CRM Brasil deve se apresentar até 10/1.

Ministério da Saúde – SUS oferta novo tratamento para pacientes com degeneração macular.

Ministério da Saúde – Saúde libera certificações para instituições filantrópicas.

Ministério da Saúde – Abertos editais para artistas e artesãos que queiram participar da 6ª CNSI.

Fiocruz – Aids e bouba são temas do Boletim Eletrônico da Biblioteca de Manguinhos.

Fiocruz – Imunohistoquímica, patologia molecular e hispatologia são temas de curso no INI.

Fiocruz – Fitoterápicos: Fiocruz irá inaugurar Farmácias Vivas em São Paulo e Minas Gerais.

Anvisa – CP: dispositivos médicos de uso único ou reutilizáveis.

O Globo – Artigo: O infarto, o repouso e o exercício.

G1 – Conselho de medicina denuncia morte de bebê dentro da barriga de mãe por falta de médico.

G1 – Isco abre seleção para residência profissional em Estratégia Saúde da Família.

G1 – Mãe que deu à luz em chão de maternidade passa por cirurgia uma semana após parto e família reclama de atendimento.

G1 – Bebê de 2 anos que bebeu vodca e inalou fumaça de droga tem paralisia cerebral, diz mãe em depoimento.

G1 – Pesquisa liderada por brasileiros aponta que hormônio pode reverter perda de memória causada pelo Alzheimer.

Correio Braziliense – Ibaneis dá prazo de seis meses para melhorias na Saúde do DF.

Correio Braziliense – Exercícios podem prevenir o Alzheimer, segundo pesquisa.

Panorama Farmacêutico – O setor de Dispositivos Médicos cresceu 14,5% em três trimestres.

Panorama Farmacêutico – Exame ocular pode detectar a doença de Alzheimer precocemente.

Panorama Farmacêutico – Anvisa aprova novo tratamento para câncer de pulmão.

Panorama Farmacêutico – Aprovadas regras para estudos de terapias celulares.

Panorama Farmacêutico – Esportes e prevenção do câncer de próstata.

Panorama Farmacêutico – Hormônio produzido pelos músculos pode conter avanço do Alzheimer.

Panorama Farmacêutico – Ginecologista alerta sobre os riscos de infecções durante o verão.

Panorama Farmacêutico – Abstinência de antidepressivos.

Panorama Farmacêutico – Oftalmologista do Imip dá dicas de como evitar a conjuntivite no verão.

Panorama Farmacêutico – Mau humor pode ser sinal de problemas de saúde.
______________________________________________________

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.