Defensivos naturais na agricultura ganham espaço no Brasil e devem movimentar US$ 5 bi em todo mundo em 2020

//Defensivos naturais na agricultura ganham espaço no Brasil e devem movimentar US$ 5 bi em todo mundo em 2020
Defensivos naturais na agricultura ganham espaço no Brasil e devem movimentar US$ 5 bi em todo mundo em 2020
O controle biológico de pragas e doenças está crescendo no Brasil. É cada vez maior o número de agricultores que adotam essa tecnologia, que reduz o consumo de agrotóxicos, informou o G1 neste domingo (17). No chamado “controle biológico”, organismos vivos são usados para diminuir a população de uma determinada praga. E é um mercado que não para de crescer, de acordo com a associação que representa as fabricantes do setor. “O crescimento do controle biológico no Brasil é bastante evidente, quando comparamos o resultado do último ano agrícola, que foi cerca de R$ 464 milhões. Nós tivemos um crescimento de 77% frente a R$ 262 milhões na safra anterior”, diz o diretor da Associação Brasileira das Empresas de Controle Biológico (ABCBio), Marcelo Poletti. Nos últimos 10 foram registrados cerca de 240 produtos biológicos para uso agrícola no Brasil. Em todo o mundo, a expectativa é que o controle biológico na agricultura movimente US$ 5 bilhões em 2020.

Custo alto inibe lançamento de novas moléculas de agrotóxicos para hortifrúti

A relação custo-benefício é um dos maiores entraves ao desenvolvimento de novas moléculas de agrotóxicos voltados à hortifruticultura e outras cadeias menores, que produzem alguns dos alimentos mais consumidos no cotidiano das pessoas. Segundo a Revista Globo Rural, o quadro, segundo os pesquisadores, muitas vezes expõe as culturas a riscos diversos e foi debatido em evento que reuniu cerca de 90 pesquisadores do Brasil e do exterior, em Uberlândia (MG), na última terça-feira (12). “Três bilhões de pessoas têm uma dieta que é insuficiente ou inadequada para suprir as necessidades nutricionais, algo que frutas e vegetais atenderiam. O mundo todo está preocupado com o aumento do consumo de frutas e hortaliças, mas para fazer isso nós temos que dar segurança tecnológica e jurídica para nossos produtores. E essa segurança jurídica passa por ter moléculas de pesticidas que sejam registradas para as minor crops”, disse o presidente da Empresa Brasileira de Agropecuária (Embrapa), Celso Moretti. Ele ainda lembra que o Ministério da Agricultura (Mapa) publicou, em 2010, uma Instrução Normativa que permite a extensão de uso de agrotóxicos de outras culturas nas minor crops. Para ele, essa medida ajuda, uma vez que para realizar o registro de molécula para determinada cadeia produtiva é calculado o custo do registro, o tempo para efetivá-lo e o potencial de retorno financeiro. “Se a relação custo-benefício não é favorável, eles não registram. Essa instrução normativa veio ajudar, mas ela não resolve totalmente a situação. A gente precisaria sentar com os diferentes elos do setor produtivo para ver como contornar essa situação, onde a gente tem uma demanda real de uma cadeia produtiva, mas em função do custo e do payback que vai ter depois, não vale a pena se registrar”, diz o presidente da Embrapa. Líder da divisão agrícola da Bayer, uma das maiores empresas detentora de patentes de agrotóxicos no mundo, Gerhard Bohne, reforça a análise de Moretti. “Há uma grande limitação do custo de desenvolvimento de tecnologias e grandes barreiras de registro. O sistema de registro no Brasil, com Anvisa, Ibama, Mapa, é um dos mais severos do mundo, com alto custo e alta demora. Com todas as exigências legais, que nós somos a favor, ficou muito caro trazer inovações para essas culturas”, ele explica.

Declaração de líderes do Brics reforça importância da sustentabilidade no setor agrícola

Reunidos durante a XI Cúpula do Brics, os chefes de Estado dos cinco países aprovaram a nesta quinta-feira (14) a Declaração de Brasília, com as principais decisões do grupo. Na área da agricultura, o documento reconhece a importância da cooperação entre os países e da gestão sustentável dos recursos naturais e destaca que o comércio no bloco deve se basear na ciência e na tecnologia. “Na condição de líderes mundiais na produção de produtos agrícolas e lar de grandes populações, destacamos a importância da cooperação do Brics na agricultura.Reconhecemos a importância da agricultura de bases científicas e do uso de TICs para essa finalidade. Sublinhamos a necessidade de garantir segurança alimentar, qualidade sanitária dos alimentos, combater a desnutrição, eliminar a fome e a pobreza por meio do aumento da produção agrícola, da produtividade, da gestão sustentável dos recursos naturais e do comércio agrícola entre os países do Brics”, diz o documento. De acordo com o portal Mapa a Declaração de Brasília também traz o comprometimento em implementar os resultados da COP 14 da Convenção das Nações Unidas para o Combate à desertificação (UNCCD) para alcançar o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 15.3 (uso sustentável dos ecossistemas terrestres) até 2030, de combate à desertificação, recuperação de terras e solos degradados, e “lutar para alcançar um mundo neutro em termos de degradação da terra”. Os líderes se comprometeram com a implementação do Acordo de Paris e pediram o apoio dos países desenvolvidos para ampliar a prestação de assistência financeira, tecnológica e de capacitação aos países em desenvolvimento para apoiar ações de mitigação e adaptação. Outro resultado foi a criação da Aliança Empresarial de Mulheres do Brics, que visa a aumentar o papel das mulheres como impulsionadoras do crescimento econômico, contribuindo para o empoderamento econômico das mulheres nos cinco países. A Declaração conjunta também cita a 9ª Reunião de Ministros da Agricultura do Brics, realizada em setembro, em Bonito (MS), que reconheceu a importância da agricultura sustentável e o papel da biotecnologia para o aumento da produtividade. A ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) participou das sessões plenárias, encontros bilaterais e fórum empresarial. Na última quarta-feira (13), o Brasil e a China firmaram acordos sanitários para que o Brasil exporte melão para o país asiático, que poderá vender pera para o mercado brasileiro. Presidida pelo presidente Jair Bolsonaro, a XI Cúpula do Brics foi realizada em Brasília. O evento reuniu o presidente Vladimir Putin (Rússia), o primeiro-ministro Narendra Modi (Índia), o presidente Xi Jinping (China) e o presidente Cyril Ramaphosa, da África do Sul. Ao final do encontro, o Brasil entregou a presidência rotativa do bloco para a Rússia.

Em rede social, Trump comemora parcela de ajuda a agricultores citando as tarifas impostas à China

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, comemorou neste domingo (17) um pagamento em dinheiro aos agricultores americanos antes do feriado do Dia de Ação de Graças, que ele atribuiu às tarifas impostas aos produtos importados da China, destacou o jornal O Globo. O dinheiro, no entanto, faz realmente parte de um pacote de ajuda do governo americano. “Nossos grandes agricultores receberão outra grande rodada de ‘dinheiro’, graças às tarifas da China, antes do Dia de Ação de Graças”, escreveu Trump no Twitter. “As fazendas e pequenos agricultores serão grandes beneficiários. Enquanto isso, e como você deve ter notado, a China está começando a comprar grandes quantidades novamente. Acordo com Japão FEITO. Aproveite!” O Departamento de Agricultura dos EUA anunciou na sexta-feira que começará a fazer uma segunda rodada de pagamentos da ajuda comercial aos agricultores dos EUA na próxima semana. Os pagamentos são a segunda de três parcelas de um pacote de ajuda de US$ 16 bilhões anunciado em maio deste ano para compensar os agricultores pela guerra comercial EUA-China. A China impôs tarifas sobre as principais exportações agrícolas dos EUA, incluindo soja e carne suína no ano passado, depois que o governo de Trump cobrou impostos sobre os produtos chineses. Os Estados Unidos e a China estão tentando negociar a ‘fase um’ de um pacto comercial para acabar com as tensões. Segundo a agência chinesa Nova China, os dois países mantiveram “negociações construtivas” sobre comércio em um telefonema de alto nível no sábado. O vice-primeiro-ministro da China, Liu He, o representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, e o secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin, participaram do telefonema. Os dois lados discutiram as questões centrais um do outro na primeira fase de um acordo comercial inicial e concordaram em manter uma comunicação próxima, de acordo com a Xinhua, que não deu outros detalhes em reportagem divulgada neste domingo (17).

NA IMPRENSA
O Globo – Em rede social, Trump comemora parcela de ajuda a agricultores citando as tarifas impostas à China

O Globo – Veja alternativas para ter ganhos maiores sem abrir mão da renda fixa

Valor Econômico – EUA iniciam segunda rodada de ajuda a agricultores na próxima semana

O Estado de S.Paulo – Governo envia ao Congresso proposta de reforma tributária com imposto sobre consumo

O Estado de S.Paulo – Brics ignora crises políticas na América Latina em declaração final

O Estado de S.Paulo – Renúncia de Evo Morales: crise na Bolívia vai além das aulas de história e geografia

Mapa – Declaração de líderes do Brics reforça importância da sustentabilidade no setor agrícola

Revista Globo Rural – Custo alto inibe lançamento de novas moléculas de agrotóxicos para hortifrúti

Revista Globo Rural – Globo Rural discute liberação de cultivo e uso medicinal da cannabis

Revista Globo Rural – Chuva dá trégua no RS e plantio da safra de verão avança

Revista Globo Rural – Senar apresentará resultados do Projeto ABC Cerrado ao Banco Mundial no dia 18

Revista Globo Rural – Chuva causa mortes e atinge agricultura no Espírito Santo

O Bom da Notícia – Projeto ensina a construir drones para restaurar o ecossistema

G1 – Agricultor cria invento para ajudar na produção de laranja em SP

G1 – Veja como fazer o transporte de colmeias de abelhas

G1 – Defensivos naturais na agricultura ganham espaço no Brasil e devem movimentar US$ 5 bi em todo mundo em 2020

Canal Rural – John Deere apresenta trator autônomo e drone gigante em feira europeia

Embrapa – Embrapa oferece curso de criação de abelhas sem ferrão a horticultores de Brotas

Embrapa – Prosa Rural – A saúde do solo e o uso da bioanálise

Embrapa – Prosa Rural – Como iniciar um criatório comercial de caititu ou cateto

AgroLink – Biológicos podem reduzir custos em até 15% na cana

AgroLink – Governador diz que iniciará plano de demissão voluntária na Empaer

AgroLink – BASF reforça eficiência de seu portfólio para cultura do Arroz na safra 2019/20

AgroLink – Governo de Goiás entrega kits de apicultura a 10 municípios goianos

AgroLink – BASF investe US$ 4 milhões no fundo AgVentures II administrado pela SP Ventures

__________________________________________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »