DEBATEDORES DEFENDEM AUMENTO DO USO DO CONTROLE BIOLÓGICO NA AGRICULTURA

//DEBATEDORES DEFENDEM AUMENTO DO USO DO CONTROLE BIOLÓGICO NA AGRICULTURA
Especialistas discutiram estratégias para estimular essas tecnologias em seminário da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, da Câmara dos Deputados, na terça-feira (20). O Vice-Presidente da Associação Brasileira de Empresas de Controle Biológico, Ari Gitz, apontou as mudanças de hábito e o desejo dos consumidores de adquirirem alimentos livres de químicos como principais motivadores para o mercado de biodefensivos, que já movimenta 4 bilhões de dólares por ano, no mundo. No Brasil, são 56 empresas e 195 produtos registrados. O gargalo para o maior uso de biodefensivos, segundo a associação, é a difusão do conhecimento e a capacitação técnica em todo País. “A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) já atua para otimizar o controle biológico de pragas e promoveu uma caravana a 18 estados e 35 polos de produção levando a tecnologia. Autor do requerimento para o seminário, o deputado Nilto Tatto (PT-SP) defendeu que um dos objetivos do Brasil nessa área deve ser o fim do uso de agrotóxicos, mas reconhece as dificuldades”, ressalta parte da publicação.

Ministério reconhece que são insuficientes os dados sobre impacto de defensivos na saúde

A Coordenadora Geral Substituta de Vigilância em Saúde Ambiental do Ministério da Saúde, Thaís Cavendish, reconheceu, em seminário na Câmara dos Deputados, na terça-feira (20), que há insuficiência de dados sobre os impactos dos defensivos agrícolas na saúde das pessoas, mesmo com a criação pelo ministério da ‘Vigilância em Saúde de Populações Expostas a Agrotóxicos’, no início do ano 2000. Um relatório publicado em 2016 consolida as notificações de intoxicações por defensivos agrícolas apresentadas desde a criação do programa. O portal da Câmara dos Deputados destaca que, de acordo com a representante do Ministério da Saúde, estados que mais comercializam defensivos agrícolas, como Minas Gerais e Mato Grosso, apresentam o maior número de intoxicações. Luís Cláudio Meirelles, pesquisador em Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), considera o uso de defensivos agrícolas um sério problema de saúde pública.

Aprovado projeto que incentiva a produção de cacau de qualidade

Conforme informou o portal do Senado Federal, a Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) aprovou na quarta-feira (21) o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 7/2017, que institui a Política Nacional de Incentivo à Produção de Cacau de Qualidade. A intenção é aumentar a qualidade do cacau brasileiro por meio de estímulo à produção, industrialização e comercialização do produto em categoria superior, a partir de parâmetros a serem definidos pelo poder público. A proposta será apreciada em regime de urgência em Plenário. Relator da proposta, o senador Valdir Raupp (PMDB-RO) destacou que Rondônia, Bahia, Pará e Espírito Santo são os maiores produtores de cacau no Brasil. Entre as diretrizes da política pública estão o desenvolvimento tecnológico da cacauicultura, a colaboração entre entes públicos e setor privado, a valorização do cacau do Brasil e o acesso a mercados que demandam maior qualidade no produtor. Para isso, a proposta determina que o setor público faça parcerias entre entes públicos e com o setor privado; apoie o comércio interno e externo de cacau de qualidade superior; estimule a pesquisa e desenvolvimento; e ofereça linhas de crédito voltadas ao cacau de qualidade.

Veterinárias terão de reduzir dose de vacina contra aftosa

Reportagem do jornal Valor Econômico destaca que, por determinação do Ministério da Agricultura, a indústria veterinária vai diminuir a dose da vacina contra o vírus da febre aftosa. Um dos objetivos da medida, que deve entrar em vigor em 2019, é reduzir as reações que o medicamento provoca nos bovinos. A decisão pode beneficiar os exportadores de carne bovina, que vêm sendo penalizados pelo reflexo do problema em suas vendas. A decisão da Pasta ocorreu após técnicos americanos detectarem “não conformidades” na carne vendida aos americanos. Em nota enviada ao jornal Valor Econômico pela assessoria de imprensa do Ministério da Agricultura, o diretor do Departamento de Saúde Animal da Pasta, Guilherme Marques, disse que o Brasil é livre de febre aftosa e que, “portanto, não é preciso mais utilizar 5 ml, que é uma dose reforçada”. “O status de livre sem vacinação é conferido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e pode impulsionar as exportações brasileiras de carne bovina. O Japão, por exemplo, é um país que exige status de livre de aftosa sem vacinação para importar carne bovina”, completa a reportagem.

NA IMPRENSA

Mapa – Estados defendem modernizar legislação de inspeção

Mapa – Grupo estuda ampliar recursos do Funcafé

Mapa – Mudança na vacina contra aftosa deve evitar reação

MMA – Manual busca popularizar compostagem

MMA – Óleo lubrificante bate meta de reutilização

MMA – Governo apresenta avanços em adaptação

MMA – Países de língua portuguesa atuam pelo clima

MMA – Tela Verde lança 8º circuito no Festival de Goiás

MMA – Começa encontro sobre gerenciamento costeiro

Senado Federal – Aprovado projeto que incentiva a produção de cacau de qualidade

Senado Federal – CDH vai debater reconhecimento e demarcação de terras quilombolas

Senado Federal – Pronatec pode passar a formar agentes sanitários para a agropecuária

Câmara dos Deputados – Debatedores defendem aumento do uso do controle biológico de pragas na agricultura

Câmara dos Deputados – Ministério reconhece que são insuficientes os dados sobre impacto de agrotóxicos na saúde humana

Câmara dos Deputados – Vetos às MPs que diminuíam parte de floresta no Pará dividem opiniões de deputados

Folha de S.Paulo – Aberta para o público inscrições para assistir debate sobre nova agricultura

Folha de S.Paulo – Vaivém das Commodities – Para banco, soja terá rentabilidade curta na próxima safra

G1 – Problemas encontrados na operação Carne Fraca são ‘questões pontuais’ e ‘já solucionadas’, diz associação

Valor Econômico – JBS vai recorrer de decisão que proibiu vendas de ativos à Minerva

Valor Econômico – Juiz suspende negócio entre JBS e Minerva

Valor Econômico – AGU pede bloqueio de bens de JBS e seus responsáveis ao TCU

Valor Econômico – Veterinárias terão de reduzir dose de vacina contra aftosa

Valor Econômico – Exportação de banana diminui 

Valor Econômico – ANA restringe irrigação de lavouras no Vale do São Francisco

Valor Econômico – GVO renegocia dívida e agora foca operação

Valor Econômico – Copersucar lucrou R$ 254 milhões na safra

Nortão Notícias – Indea apreende 300 kg de produtos de origem animal irregulares

Setor Avícola – Adidos agrícolas auxiliam na recuperação do mercado pós Carne Fraca

DCI – Defensivos custarão mais caro na nova safra

Novo Momento – Pilotos agrícolas pressionam contra lei em Americana

Correio do Papagaio – Produção de cloro e soda cresce 3% de janeiro a abril, diz Abiclor

Dourados Informa – Equipe Auto Giro leva ao Executivo projeto de evento automobilístico

Jornal Jossense – Embraer anuncia pedidos firmes e compromissos para os E-Jets E2 de dois “clientes não divulgados”

O Povo – Operação amplia combate a Aedes aegypti

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.