CORTE DE GASTOS REDUZ QUESTIONAMENTOS DO CENSO AGROPECUÁRIO

//CORTE DE GASTOS REDUZ QUESTIONAMENTOS DO CENSO AGROPECUÁRIO
A colunista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, destaca que o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) encolheu o questionário do censo agropecuário, que começa em outubro, em razão do corte de gastos no governo federal. “A pesquisa, que deveria ocorrer a cada dez anos para obter uma radiografia do campo no Brasil, seria feita em 2015, mas foi adiada. O número de recenseadores também diminuiu: dos 80 mil previstos, serão contratados 26 mil. Um documento interno sobre o censo admite que é sensível que a redução do questionário foi drástica, […] contudo ele atende minimamente à demanda de atualização. Questões sobre agricultura familiar, uso de agrotóxicos e raça das pessoas, por exemplo, sumiram”, diz a publicação. O IBGE, via assessoria, diz que o censo foi “redesenhado” para ser “exequível” com o orçamento de R$ 505 milhões (50% do esperado). E que são seguidas recomendações internacionais “para preservar as informações essenciais”.

“Nova onda de fiscalização”

Forçado a dar respostas à sociedade e aos parceiros comerciais do país sobre a qualidade das carnes brasileiras depois de deflagrada a Operação Carne Fraca, no dia 17, o presidente Michel Temer já determinou que o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, acelere e aprofunde as mudanças nos trabalhos da Pasta nessa frente, num processo já batizado internamente como uma “nova onda de fiscalização agropecuária”. De acordo com o jornal Valor Econômico, as mudanças vão além do fim das indicações políticas para as superintendências regionais do ministério ou de mais aportes em treinamento.”Essa é a lógica nesse novo modelo. “O novo modelo, que ainda deixa dúvidas se apenas atenderá a uma demanda imediata do ministério ou se será permanenente, acerta em cheio o dia a dia dos fiscais agropecuários federais, que temem que suas rotinas mudem completamente caso tenham que se deslocar de tempos em tempos, com a família, para locais distantes de suas cidades de origem”, diz a publicação.

Atraso no milho safrinha

Em meio à queda de preços e as incertezas sobre a demanda provocadas pelos desdobramentos da Operação Carne Fraca, ainda são positivas as perspectivas para a safrinha de milho nesta temporada 2016/17. Conforme reportagem do Valor Econômico, devido ao ritmo um pouco mais lento de plantio que o inicialmente projetado, a superprodução estimada poderá ser um pouco menor em Mato Grosso e e Paraná, que lideram a colheita nacional. “Em Mato Grosso, dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), ligado à federação da agricultura e pecuária do Estado (Famato), mostram que 97,1% da área plantada com soja (9,4 milhões de hectares) foi colhida, e que a semeadura de milho terminou apenas na semana passada.Ainda assim, o Imea elevou sua projeção para a produção dde milho safrinha de 25 milhões para 26,5 milhões de toneladas”, diz a publicação. Para Daniele Siqueira, analista da consultoria AgRural, algumas análises meteorológicas apontam que, num cenário sem forte influência de El Niño La Niña, como é o caso agora, a tendência é de aumento de geadas – e, portanto, de maiores riscos para as lavouras do Paraná.

NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – IBGE corta questões sobre agricultura familiar e agrotóxicos de censo rural

Zero Hora – Oliveiras atraem investidores de outros Estados e estrangeiros

Valor Econômico – Portaria vai permitir alívio nas outorgas

Valor Econômico – Boeing traça rota para retomar a liderança na América Latina

Valor Econômico – Justiça dos EUA anula pedidos contra Vale

Valor Econômico – Empresas de carnes se armam para retomada

Valor Econômico – Em meio a reaberturas, UE preocupa

Valor Econômico – Uma ‘nova onda de fiscalização’ começa a ganhar corpo

Valor Econômico – Produção cai no país, mas líderes em leite elevam oferta

Valor Econômico – Atraso no plantio pode afetar safrinha de milho

Agricultura RS – Projeto prevê modernização do Laboratório de Referência Enológica

Cidade Verde – Desenvolvimento do Matopiba pode causar falta de água em todo o Brasil

AgroLink – Pecuaristas produzem leite com ecologia

Economia Uol – Regulador da UE aprova fusão de US$130 bilhões entre Dow e Dupont

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.