Coronavírus em animais de estimação é diferente do que age em humanos 

//Coronavírus em animais de estimação é diferente do que age em humanos 
 
O medo gerado pela pandemia do novo coronavírus, aliado à desinformação, está fazendo com que algumas pessoas acreditem que seus pets possam lhes infectar com a Covid-19. Segundo o CRMV (Conselho Regional de Medicina Veterinária de SP), cães e gatos são infectados por coronavírus, mas de um tipo que atinge somente animais, destacou o Jornal Agora nesta terça-feira (12). Gustavo Bispo dos Santos, veterinário ortopedista e clínico geral, afirmou receber telefonemas de clientes, desde o início da pandemia, questionando se podem ser infectados pelo coronavírus dos pets, pois na carteira de vacinação dos bichos consta a dose que os imuniza contra este tipo de vírus. “O coronavírus é uma família de vírus, com um subgrupo para animais e outro para humanos, algumas pessoas não entendem isso”, afirmou o profissional, que mantém uma clínica no Tatuapé (zona leste da capital paulista). Santos afirmou que uma cliente chegou a pedir para ser vacinada com a dose dada ao seu pet, para evitar a contaminação pelo coronavírus. “A desinformação criou um caos. Recebi denúncias, por telefone, sobre pessoas que estão abandonando seus cães e gatos para não serem infectadas.” O veterinário acrescentou que, até o momento, não há nenhuma prova clínica ou científica de que o coronavírus dos bichos contamine pessoas. De acordo com o CRMV, a Covid-19 não é a mesma doença, provocada pelo novocoroavírus, que atinge cães e gatos. O gênero que acomete os pets é chamado de Alphacoronavírus e o que adoece humanos é o Betacoronavírus, com características completamente diferentes. “As pessoas não passarão o vírus para os seus animais e nem o contrário poderá acontecer”, afirma o veterinário Eduardo Pacheco, da Comissão Técnica de Clínicos de Pequenos Animais do CRMV. Quando infectados pelo coronavírus, segundo o CRMV, cães desenvolvem a alfacoronavirose, comprometendo a parte gastrointestinal do animal. Já os gatos, ainda de acordo com a entidade, podem desenvolver a peritonite infecciosa felina, acarretando em um processo inflamatório, que debilita o sistema imunológico do felino. Em ambos os casos, os animais podem morrer. O médico infectologista Paulo Ozon, da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), afirmou que a Covid-19 pode ter uma sobrevida na pelagem de cães e gatos, da mesma forma que em superfícies de metal, madeira, entre outros. No entanto, faltam estudos para determinar o tempo em que o novo coronavírus pode permanecer sobre os pelos dos pets. “A Covid-19 pode sobreviver por um período relativamente pequeno [no pelo dos animais], considerando que o Brasil, por conta do clima mais quente, não ser ideal para o vírus, que vive melhor em regiões mais frias”, explicou. Ele reforçou que hábitos de higiene são o principal fator para se prevenir de uma eventual contaminação pelo Covid-19, incluindo após entrar em contato com animais de estimação.
Autor de ‘Contágio’ diz que pecuária, tráfico de animais e até celular elevam riscos de novos vírus
Porcos tossindo com tanta intensidade que o barulho se faz ouvir a mais de um quilômetro de distância dos chiqueiros. Dezenas de corpos de gorilas acumulados num canto remoto da floresta, enquanto o resto da mata, antes repleto desses grandes símios, torna-se um vazio. Cavalos agitados, salivando espuma e sangue, que morrem após poucas horas de agonia. Essas e outras histórias de horror, narradas no livro “Contágio”, do escritor americano David Quammen, são diferentes nos detalhes, mas um fio condutor as une: todas começam quando um vírus antes desconhecido salta de uma espécie (via de regra, a que funcionava como reservatório natural do parasita) para outra, com consequências potencialmente catastróficas. O mesmo fenômeno, conhecido como “spillover” (algo como “transbordamento” em inglês) foi o responsável por produzir a atual pandemia de Covid-19, cujo causador, o vírus Sars-CoV-2, provavelmente se originou em morcegos asiáticos e conseguiu se adaptar ao organismo humano. Aliás, Quammen, 72, certamente não ficou surpreso ao saber da identidade do novo vírus pandêmico. Lançado originalmente em 2012, seu livro já falava da importância dos morcegos como reservatórios virais e do papel dos vírus respiratórios nas pandemias ao longo da história. Por ora, a editora Companhia das Letras, está lançando a obra de Quammen por partes, em formato eletrônico. Já foram publicados dois “fascículos”: “Jantar na Fazenda de Ratos” (sobre o coronavírus causador da doença respiratória Sars) e “Tudo Depende: O Comportamento Humano e as Pandemias”. Mais duas partes devem chegar às lojas virtuais de ebooks até o fim de maio. O plano é publicar o livro inteiro ainda neste ano. Quammen conversou com a Folha de S.Paulo, nesta quarta-feira (13), sobre a dificuldade de barrar o tráfico de animais silvestres, que coloca tanto bichos quanto seres humanos em risco, e sobre o papel da pecuária industrializada na potencialização do problema.

Prefeitura faz delivery para incentivar adoção de cães e gatos no Rio durante pandemia

Adotar um animal em tempos de pandemia esbarra em dificuldades, já que visitas a abrigos e eventos foram suspensos para evitar a disseminação do coronavírus. No Rio, a Subem (Subsecretaria de Bem-Estar Animal) criou um projeto para dar um lar a cães e gatos sem que o adotante saia de casa, informou o Blog Bom pra Cachorro da Folha de S.Paulo nesta terça-feira (12). É o Entrega Pet, ação temporária, que deve funcionar durante a quarentena. O processo é simples: o candidato escolhe um animal a partir de publicações feitas nas redes da subsecretaria, passa por entrevista online e, se aprovado, agenda o dia para receber o novo integrante da família. O centro de proteção da Subem tem atualmente cerca de 900 animais, todos vítimas de abandono e maus-tratos. O subsecretário Roberto de Paula diz estar otimista e afirma que gostaria de deixar o local vazio, assim como ocorreu em abrigo nos Estados Unidos. “Meu sonho é que isso aconteça aqui no Brasil, encontrar 900 pessoas responsáveis que adotem esses animais, pois isso abriria mais 900 vagas para outros que ainda sofrem por aí”, disse. Além das publicações nas redes da Subem, o candidato pode buscar outras informações sobre os pets disponíveis pelo por WhatsApp: (21) 99399-3968. A entrevista com coordenadora de adoção será feita por videochamada. Se o candidato cumprir os requisitos, basta aguardar a chegada do animal. Para adotar, é preciso ter mais de 18 anos e apresentar RG, CPF e comprovante de residência. Todos os animais colocados para adoção são castrados, vacinados e têm microchip de identificação.

Cortar rabo, orelhas, unhas ou cordas vocais de animais está proibido em Florianópolis

Procedimentos de cortar o rabo (caudectomia), orelhas (conchectomia), pregas vocais (cordectomia) ou unhas (onicectomia) de cachorros, gatos ou qualquer animal estão proibidos em Florianópolis. Segundo o portal Correio SC, a câmara da capital aprovou por unanimidade, em segunda discussão na segunda-feira (11), o PL 17778/2019, da vereadora Maria da Graça (DEM), em sessão remota. Segundo a vereadora, esses procedimentos são maus tratos disfarçados de necessidade estética para os animais de estimação. “O que nós fizemos foi tipificar a prática como maus-tratos e penalizar como tal qualquer pessoa que a pratique, inclusive o tuto que submeta seu animal a estas cirurgias. Assim criamos uma forma da Lei ser aplicada na prática e permitir que qualquer pessoa que tenha conhecimento poder denunciar”, disse Graça. A matéria ainda precisa ser sancionada pelo poder executivo.

NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – Autor de ‘Contágio’ diz que pecuária, tráfico de animais e até celular elevam riscos de novos vírus

Folha de S.Paulo – Aprenda quais são os coletivos dos animais no jogo da memória

Folha de S.Paulo – Prefeitura faz delivery para incentivar adoção de cães e gatos no Rio durante pandemia

Jornal Agora – Coronavírus em animais de estimação é diferente do que age em humanos

G1 – Bom dia agro: mesmo com a crise, exportação de carne aumenta

G1 – Tubarões adultos são vistos na beira de praia em Noronha devido à ausência de banhistas e surfistas na pandemia; veja vídeo

O Estado de S.Paulo – Em lhamas, pesquisadores brasileiros buscam um tratamento contra o coronavírus

O Globo – Família de Niterói recebe visita de tucano durante quarentena

Valor Econômico – Prefeitura de Passo Fundo (RS) autoriza retomada de operações em frigorífico da JBS

Embrapa – Embrapa e PeixeBR realizarão análises periódicas de exportações na piscicultura

AgroLink – Sem leilões compra e venda de gado é virtual

AgroLink – Dia de campo online mostra tecnologias usadas na integração lavoura-pecuária

AgroLink – Exportação do agronegócio contribui com quase 50% do saldo da balança comercial mineira

AgroLink – Pecuária de corte: confinamento sem fronteiras

AgroLink – Faeg comemora anulação de multas aplicadas em pecuaristas de Goiás

Anda – Escassez de carne durante pandemia eleva consumo de produtos veganos

Anda – Trindade e Tobago aprova lei que prevê prisão para agressores de animais

Anda – Gato prende a cabeça em lata e caso reforça necessidade do descarte correto de lixo

Anda – Covid-19: indústria da carne tem milhares de contaminados

Anda – Solta com localizador, tartaruga reabilitada nada mais de 2,5 mil km em um ano

Anda – Especialista explica como a pecuária pode favorecer pandemias

Anda – Prefeitura do RJ lança projeto que leva animal até a casa do adotante durante quarentena

Diário Digital – Capacitação online apresentará tendências no mercado veterinário

Terra – Coronavírus: o avanço silencioso da covid-19 em frigoríficos do Brasil

Correio SC – Cortar rabo, orelhas, unhas ou cordas vocais de animais está proibido em Florianópolis

TVI24 – Zoo no Canadá devolve pandas à China por falta de bambu

_______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »