Consulta pública analisa alteração em regras para a pesca de polvo no Sudeste e Sul do país

Home/Informativo/Consulta pública analisa alteração em regras para a pesca de polvo no Sudeste e Sul do país

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento iniciou nesta segunda-feira (4) consulta pública sobre alteração da profundidade mínima e das regras para a sinalização dos espinhéis de vasos ou potes para pesca de polvo (Octopus spp.) em águas marinhas nas regiões Sudeste e Sul. De acordo com Portaria 328, da Secretaria de Pesca e Aquicultura, que institui a consulta pública, a proposta é estabelecer profundidade mínima a partir de 35 metros para as operações. Sobre os espinhéis de vasos ou potes abertos, “deverão ser dispostos de modo paralelo à orientação geral da costa na região ao longo das linhas de igual profundidade (isóbatas), separados por uma distância mínima de 1 (uma) milha náutica, e sinalizados a cada cem potes, de forma a permitir a identificação do petrecho na superfície”. Os interessados em participar da consulta pública devem enviar as sugestões em  formato de planilha editável (conforme exemplo na portaria) para o e-mail: pescasudestesul.sap@agricultura.gov.br. As propostas serão analisadas pela secretaria levando em conta a legislação atual, acordos internacionais dos quais o Brasil é signatário e informações científicas disponíveis. Após a análise, a secretaria publicará a atualização da Instrução Normativa nº 26, de 19 de dezembro de 2008. A consulta pública tem prazo de 45 dias a partir de nesta segunda-feira (4).

Agro exporta US$ 1 tri na década e passa a representar 49% das vendas externas

A agropecuária ganhou importância e movimentou boa parte da economia na década passada. De 2011 a 2020, as exportações do agronegócio ficaram próximas de US$ 1 trilhão, deixando um saldo comercial do setor de US$ 800 bilhões, sem considerar os gastos com importação de insumos. De acordo com a coluna Vaivém da Folha de S.Paulo os dados do Ministério da Economia desta segunda-feira (4) mostram que 2020 esteve entre um dos melhores anos. O avanço do país, em volume e em variedade de produtos em mercados até então pouco explorados, fez com que a participação das exportações do agronegócio, que somavam 37% do total da balança comercial em 2000, subissem para 49% em 2020. As exportações tiveram reflexos na renda dos produtores e no poder de investimentos, mas também nos preços internos, que, em muitos casos, passaram a refletir os valores externos. Em 2000, o Brasil produziu 83 milhões de toneladas de grãos, volume que aumentou para 149 milhões em 2010 e para 257 milhões em 2020. No fim da década de 1990 e no início dos anos 2000, o país tinha saldo negativo na balança comercial. A partir de 2001, quando a agropecuária superou a marca dos US$ 20 bilhões anuais em exportações, o saldo nacional passou para o azul e vem apresentando valores crescentes. Bom na produção e na exportação de alimentos, mas dependente de insumos, a agricultura fez o Brasil trazer para dentro de suas fronteiras 2,8 milhões de toneladas de agrotóxicos e 233 milhões de toneladas de fertilizantes. Os gastos com esses insumos somaram US$ 99 bilhões. O crescimento da produção e das exportações levou renda para dentro das porteiras, melhorando a capacidade de investimentos do produtor, principalmente os de maior fôlego.

China suspende importações de unidade da Aurora por preocupação com Covid-19

A China suspendeu as importações provenientes de uma fábrica de carne suína operada pela Aurora Alimentos por preocupações relativas ao coronavírus, informou a ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal) nesta segunda-feira (4). O Ministério da Agricultura confirmou que foi informado pelas autoridades chinesas, no dia 28 de dezembro, sobre a suspensão da habilitação da planta de suínos, conforme comunicado enviado à agência de notícias Reuters. O ministério disse que a China “solicitou informações sobre os casos de Covid-19 no estabelecimento”, sem dar mais detalhes. A ABPA afirmou que está oferecendo suporte à Aurora e fornecendo ao Ministério da Agricultura informações cujo envio a autoridades chinesas possa ser necessário para que a proibição seja revertida. “A ABPA ressalta que se trata de uma situação pontual e pretérita”, disse a entidade. “Todas as informações e demonstrações de boas práticas da cooperativa –que segue os rígidos protocolos setoriais e oficiais referentes à Covid-19– foram detalhadamente demonstradas às autoridades chinesas.” A unidade da Aurora afetada pela suspensão está localizada na cidade de Chapecó, em Santa Catarina, afirmou a ABPA. A China já realizou suspensões semelhantes contra outros frigoríficos brasileiros, incluindo JBS e BRF, mas algumas das proibições já foram removidas. A ABPA reiterou que não há comprovação científica de risco de contaminação de Covid-19 por meio do consumo de alimentos. Procurada pela Folha de S.Paulo, a empresa não quis se pronunciar.

Empresa quer produzir carnes, ovos e leite com biológicos

A era dos insumos biológicos chegou em atividades como avicultura, suinocultura, produção de leite e pecuária de corte, informou o portal AgroLink nesta terça-feira (5). A paulista Korin Agricultura e Meio Ambiente, pioneira no desenvolvimento e produção de bioinsumos no Brasil, lançou uma linha específica para consumo animal. Únicos no mercado os aditivos acidificantes atuam na melhor eficiência alimentar, bem-estar e sanidade das criações animais, contribuindo para o aumento da produtividade. Os produtos também proporcionam melhor condicionamento microbiológico das unidades de produção, protegendo os animais contra enfermidades. Os bioinsumos agem no organismo dos animais e já são usados pela empresa na produção de sua linha de aves orgânicas, sem o uso de antibióticos e grãos transgênicos. “Têm apresentado excelente resultado ao longo dos anos, razão que nos motiva a colocá-los à disposição do mercado de aves, suínos, leite e bovinos de corte”, enfatiza o agrônomo Sergio Homma, Coordenador do Centro de Pesquisa Mokiti Okada (CPMO). O CPMO atua há três décadas em pesquisas de soluções naturais para o campo. “Com base nestes trabalhos, fomos a primeira empresa no Brasil e no mundo a produzir frangos e ovos sem o uso de antibióticos, promotores de crescimento, quimioterápicos e ingredientes de origem animal na dieta das aves, explica Luiz Demattê, CEO da Korin Agricultura e Meio Ambiente. A linha inclui os seguintes bioinsumos: – Solução para proteção do sistema digestório das aves e controle de vermes, a partir da redução do pH da água de bebida e ação dos ácidos orgânicos. – Aditivo natural que restaura o equilíbrio microbiano no ambiente, proporcionando melhoria da saúde de aves, suínos e bovinos (corte e leite), por meio de um ambiente mais adequado e confortável, consequentemente com mais resistência a enfermidades e melhor desempenho zootécnico. – Produto que beneficia o metabolismo digestivo dos animais de produção e obtenção de melhoria no desempenho zootécnico de aves, suínos e bovinos (corte e leite). – Líquido redutor de pH e melhoria do desempenho zootécnico.

NA IMPRENSA

Folha de S.Paulo – Agro exporta US$ 1 tri na década e passa a representar 49% das vendas externas

Folha de S.Paulo – China suspende importações de unidade da Aurora por preocupação com Covid-19

O Estado de S.Paulo – Vital Brazil desenvolve soro contra covid-19, mas medicamento ainda não foi testado em humanos

G1 – China suspende importação de carne suína de unidade da Aurora em SC

G1 – Animal pré-histórico descoberto em São João do Polêsine é capa da revista ‘Nature’

G1 – Desmatamento e maus-tratos a animais avançaram em 2020, mostra balanço da PM de Meio Ambiente de Ituiutaba

G1 – Cachorrinhos são resgatados de piche quente em Belo Horizonte

Valor Econômico – Exportação a partir do Brasil anima Lactalis

Mapa – Aquicultores cessionários devem enviar relatório anual de produção até 31 de março

Mapa – Consulta pública analisa alteração em regras para a pesca de polvo no Sudeste e Sul do país

AgroLink – Pesquisa vai fomentar consumo de pescado

AgroLink – Empresa quer produzir carnes, ovos e leite com biológicos

AgroLink – Minerva Foods integra a carteira do Índice Carbono Eficiente da B3 (ICO2)

AgroLink – Mercado do boi gordo: poucos negócios, mas preços mais altos

Canal Rural – Carne suína: exportações batem recorde e têm crescimento de 36% em 2020

Canal Rural – Boi gordo: preços sobem nas principais regiões produtoras

Noticias Agrícolas – Paraná atua para ampliar espaço no mercado mundial de carnes

Noticias Agrícolas – Desempenho exportador das carnes em dezembro de 2020

Noticias Agrícolas – Volume embarcado de carne bovina in natura alcança 142,5 mil toneladas em Dezembro/20

Globo Rural – Atum de 208 kg é vendido por mais de R$ 1 milhão durante leilão de Ano Novo no Japão

Globo Rural – China suspende compra de carne suína de frigorífico de SC por preocupação com Covid-19

Globo Rural – Exportações de carne suína cresceram enquanto as de bovina e de frango caíram em dezembro

Anda – Cães participam de velório de tutor que morreu de Covid-19

Anda – Cachorrinho é filmado ajudando seu melhor amigo a coçar as costas

Anda – Bezerro cego é levado para santuário após ser maltratado pela indústria leiteira

Anda – Mulher joga piche quente em filhotes de cachorro e os abandona na rua

Anda – ONG denuncia morte por envenenamento de nove gatos em Minas Gerais

Poder360 – Deputados assinam até 289 frentes e grupos se multiplicam na Câmara

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »