Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) cria Plano Nacional de Contingência de Desastres em Massa Envolvendo Animais

//Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) cria Plano Nacional de Contingência de Desastres em Massa Envolvendo Animais
Recentemente, tem sido divulgadas notícias sobre os incêndios do Pantanal e como temos visto as tristes imagens e histórias de animais queimados e de voluntários que se revezam para tentar ajudar essas espécies. Na história dos desastres, sejam eles causados pela Natureza ou pelas mãos do homem, centenas de animais são abandonados, feridos e mortos, destacou o Blog E+ do jornal O Estado de S.Paulo nesta segunda-feira (5). No caos ficam vulneráveis à reprodução descontrolada, fome, ferimentos e doenças. Animais saudáveis, quando resgatados, ainda correm riscos de irem para lugares lotados e sem planejamento sanitário preventivo decorrentes da falta de condições adequadas para abrigá-los. A falta de um plano de contingência que abordasse sobre o resgate dos animais nessas condições, não estabelecia condições de dar suporte adequado nem aos profissionais que buscam ajudar esses seres, como procedimentos e orientações, quanto mais como agir com as situações legais. Para ajudar nesse sentido, o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) aprovou e publicou um Plano Nacional de Contingência de Desastres em Massa Envolvendo Animais (clique aqui para ver e baixar o livro do plano) para dar suporte à conduta de quem está em campo. O documento traz orientações para a atuação dos profissionais em cenários dessa natureza, com diretrizes de como conduzir o resgate, a assistência veterinária, a manutenção e a destinação de animais domésticos e silvestres. “Vamos apoiar ações na resposta e na prevenção dos próximos desastres, que geram impactos para a sociedade, com implicações na saúde pública, na economia e no emocional da população atingida, especialmente dos animais que são vulneráveis e pagam muito caro, sejam eles de companhia, de produção ou silvestres”, diz Francisco Cavalcanti, presidente do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV). Para Laiza Bonela Gome, uma das autoras do plano, médica-veterinária e presidente do Grupo de Trabalho de Desastres em Massa Envolvendo Animais (GTDM), a publicação é apenas o começo, pois cada desastre terá suas peculiaridades e impactos. A construção do conteúdo foi possível observando e documentando as dificuldades enfrentadas em desastres nacionais ocorridos desde 2011, com as enchentes e deslizamentos de Nova Friburgo (RJ) Rio de Janeiro, passando pelos rompimentos de barragens em Mariana (2015) e Brumadinho (2019), em Minas Gerais, até chegar a 2020, com os incêndios no Pantanal. O plano veio num momento importante. De acordo com o presidente Conselho Regional de Medicina Veterinária do Mato Grosso (CRMV-MT), Roberto Renato da Silva, ao menos 35 médicos-veterinários trabalharam no Pantanal desde que começaram os incêndios, e mais de 50 animais resgatados já foram tratados e devolvidos à natureza.  Além dos trabalhos com voluntários e de suporte aos profissionais, o conselho promoveu campanhas de arrecadação de utensílios, medicamentos e alimentação para os animais. Em momentos de desastres, as equipes envolvidas se deparam com um ambiente caótico e complexo, o que requer ação coordenada e integrada de múltiplas agências, visando à mitigação do sofrimento e dos danos.

Ministério confirma ocorrência de foco de peste suína clássica no Piauí

O Ministério da Agricultura confirmou, nesta segunda-feira (5), a ocorrência de um foco de Peste Suína Clássica (PSC) no Piauí, em um criatório de porcos para subsistência. Segundo o Valor Econômico a Pasta descarta qualquer possibilidade de restrições aos embarques brasileiros de carne suína, já que a região em questão não exporta, e investiga as causas e as ações necessária para a eliminação total do vírus do local. A propriedade, em Parnaíba (PI), foi interditada e o serviço veterinário estadual está adotando os procedimentos determinados pela Pasta para a eliminação do foco, incluindo o sacrifício dos suínos e a desinfecção da propriedade afetada, além de investigações para rastreamento de provável origem e vínculos epidemiológicos. O diagnóstico foi confirmado pelo Laboratório Federal de Defesa Agropecuária em Pedro Leopoldo (MG), por meio de diagnóstico molecular (RT-PCR em Tempo Real). O Piauí faz parte da zona não reconhecida como livre de PSC, junto com outros dez estados (Alagoas, Amazonas, Roraima, Pará, Amapá, Maranhão, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco). “Os limites entre as zonas livre e não livre de PSC são protegidos por barreiras naturais e postos de fiscalização, onde procedimentos de vigilância e mitigação de risco para evitar a introdução da doença são adotados continuamente”, informou o ministério. A zona livre de PSC do Brasil concentra mais de 95% de toda a indústria suinícola brasileira, e 100% das exportações de carne e derivados suínos. Não registra ocorrência de casos de PSC desde janeiro de 1998.

Atropelamento de cães e gatos poderá ter punições, prevê projeto

Nesta segunda-feira (5) a Agência Senado divulgou que, quem atropelar cães e gatos pode ser obrigado a dar socorro imediato ao animal atingido. É o que propõe projeto do senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO). O PL 4.786/2020 altera o Código de Trânsito Brasileiro (CTB — Lei 9.503, de 1997), com objetivo de responsabilizar o condutor do veículo que causar o acidente com  animal. Atualmente não existe norma que puna o atropelamento de cães e gatos. Com a proposta, a pena para o responsável será de detenção de seis meses a dois anos e suspensão ou proibição para dirigir veículo automotor. A punição poderá aumentar se o condutor não possuir carteira de habilitação, omitir socorro quando for possível fazê-lo sem risco pessoal, conduzir veículo de transporte de passageiros no exercício de profissão ou atividade e dirigir sob a influência de álcool ou de outra substância psicoativa que cause dependência. Em caso de lesão grave ou de morte do animal a pena é de detenção de dois a quatro anos, sem prejuízo da aplicação da causa de aumento de pena prevista. “Com a tipificação desse crime, pretendemos reduzir o número de atropelamento de cães e gatos no país, desestimulando condutores de veículos automotores a agirem com indiferença quando verificarem a presença desses animais nas vias públicas”, argumenta o senador na justificativa do projeto.

Proposta busca prevenir esquecimento de criança e animal em veículo

O Projeto de Lei 4619/20 estabelece medidas preventivas ao esquecimento de crianças e animais no interior de veículos. De acordo com publicação da Agência Câmara desta segunda-feira (5), a proposta, do deputado Ney Leprevost (PSD-PR), obriga estacionamentos, shopping centers e supermercados de colocarem avisos e alertas sobre o esquecimento de crianças e animais no interior de veículos. Os avisos poderão ser impressos, sonoros ou emitidos por meio eletrônico. Os estabelecimentos terão 60 dias para cumprir a obrigação. O texto tramita na Câmara dos Deputados. Segundo Leprevost, os alertas poderão evitar esquecimentos e salvar vidas. “Além da preocupação com o esquecimento de crianças, também é necessário voltar nossa atenção aos animais que frequentemente são deixados nos veículos”, disse.

NA IMPRENSA

Agência Senado – Atropelamento de cães e gatos poderá ter punições, prevê projeto

Agência Câmara – Proposta busca prevenir esquecimento de criança e animal em veículo

Folha de S.Paulo – A gata que pegou carona em uma viagem ao redor do mundo

Folha de S.Paulo – Queimadas em Mato Grosso põem em risco espécies de primatas já ameaçadas

Folha de S.Paulo – Incêndios atingem áreas de proteção ambiental e consomem parque de MG

Folha de S.Paulo – Mudança climática pode transformar em savana 40% da Amazônia, indica estudo

O Estado de S.Paulo – CFMV cria Plano Nacional de Contingência de Desastres em Massa Envolvendo Animais

O Globo – De cobra a coruja: resgate de animais silvestres dobra em Niterói

G1 – Marfrig compra produtora argentina de carne para hambúrguer

G1 – Homem é preso por maus-tratos a animais em Osasco, na Grande SP

G1 – Cadáveres de animais marinhos surgem em península da Rússia e ONG denuncia: ‘desastre ecológico’

G1 – Veterinário fala sobre os cuidados com animais de estimação no calor

G1 – Harpia achada por motorista é devolvida à natureza, em RO

G1 – Em meio aos incêndios no Pantanal, arara-azul pode voltar à lista dos ameaçados de extinção, diz bióloga

Valor Econômico – Ministério confirma ocorrência de foco de peste suína clássica no Piauí

Embrapa – Curso da Embrapa vai apresentar práticas para redução do consumo de água na propriedade rural

Embrapa – Estudo alerta para a importância da conservação da biodiversidade aquática na Amazônia brasileira

Agrolink – Cavalo Crioulo apresenta seus campeões da Expointer Digital 2020

Agrolink – Demanda externa reagindo no mercado de couro

Agrolink – Preço do gado em Mato Grosso continua subindo e arroba do boi vai a R$ 253 em média

Agrolink – Leilão Virtual registra novo recorde de preço na raça Brangus

Agrolink – Alta nos preços da vaca e novilhas gordas

Noticias Agrícolas – Governo quer atrair novos investimentos da JBS ao Paraná

______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »