Com leilão de 5G, produtores querem ampliar conectividade da zona rural, atualmente de apenas 23%

Home/Informativo/Com leilão de 5G, produtores querem ampliar conectividade da zona rural, atualmente de apenas 23%

Com leilão de 5G, produtores querem ampliar conectividade da zona rural, atualmente de apenas 23%

Produtores rurais querem garantir que o leilão de 5G no Brasil seja uma oportunidade de ampliar a baixa conectividade da área rural. Diretor de Inovação da Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Cléber Soares afirmou que atualmente apenas 23% da área rural brasileira tem algum nível de conectividade e chamou atenção para o impacto que a conectividade poderia ter sobre o valor da produção agropecuária brasileira, estimada em R$ 1 trilhão para 2021. O assunto foi debatido em audiência pública realizada pelo grupo de trabalho da Câmara dos Deputados que acompanha a implantação da tecnologia 5G no Brasil, nesta quinta-feira (18). Segundo a Agência Câmara o deputado Vitor Lippi (PSDB-SP), que pediu a audiência, concorda que a conectividade pode aumentar a produtividade no campo. O presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Leonardo Euler, lembrou que a Anatel está “em vias” de realizar o leilão do 5G, cujo edital já foi aprovado pela agência. Ele esclareceu que, neste leilão, serão licitadas diversas faixas de radiofrequência para aprimorar os serviços de telecomunicações tanto de quinta geração (5G) quanto de 4G, incluindo a faixa de 700MHz, considerada ideal para a conectividade na área rural. O edital também prevê compromissos de investimentos da empresa, inclusive a ampliação da cobertura de 4G em pequenas localidades e a conectividade em rodovias. Representante da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Joaci Franklin ressaltou que 50% das propriedades rurais brasileiras sem conectividade estão no Nordeste. Ele observou que o 5G deve demorar entre dois a quatro anos para chegar às capitais brasileiras, e o campo precisa de qualquer tecnologia que possibilite a conectividade já, como o 4G. Representante da provedora Datora Telecomunicações, Tomas Fuchs salientou que as pequenas e médias operadoras podem contribuir para a conectividade do campo, já que muitas vezes as grandes operadoras não têm interesse nessas áreas. O presidente da Anatel informou que a agência deve colocar em consulta pública em breve regulamento que tratará do mercado secundário de radiofrequências. Leonardo Euler disse que esse regulamento tratará da definição de preço e da segurança jurídica para os novos entrantes. O deputado Arnaldo Jardim (Cidadania-SP), integrante da Frente Parlamentar Agropecuária (FPA), criticou a adoção, no edital de 5G, do chamado padrão standalone. As redes desse tipo não permitem a reutilização da rede 4G e exigem investimento novo por parte das operadoras. Ele acredita que essa exigência vai tornar o 5G mais demorado e caro. Segundo ele, o agricultor no interior não tem conexão e tem pressa. A chefe da Embrapa Informática Agropecuária, Silvia Maria Fonseca, acredita que a inovação tecnológica demanda 5G, a despeito da importância do 4G. Entre as possíveis aplicações do 5G no campo, ela citou a estimativa de safra, monitoramento de animais, colheita automatizada, pulverização automatizada, detecção de pragas e doenças e detecção de anomalias. Além do aumento de produtividade e a melhoria da gestão, Tomas Fuchs cita a segurança e a retenção da população no campo, tanto de trabalhadores como de familiares, como benefícios da conectividade do campo. Ele estima em 3,8 milhões o número de fazendas sem internet. Segundo ele, 90% das propriedades com menos de 10 mil hectares nunca usaram alguma técnica de cultura de precisão; e 21% dos moradores de zonas rurais não têm acesso a internet.​

Governo elabora decreto para criação da Cédula de Produto Rural (CPR) ‘Verde’

O governo federal está elaborando um decreto para criar a Cédula de Produto Rural (CPR) Verde, que irá financiar e remunerar produtores que mantenham as florestas em pé nas propriedades. Uma minuta do texto está em avaliação pelos ministérios da Economia, Agricultura e do Meio Ambiente e pelo Banco Central. “A ideia é permitir ao Conselho Monetário Nacional criar a CPR verde, a CPR da floresta em pé, de forma que agricultores possam vender a CPR para empresas que queiram fazer ‘offset’ de carbono, tudo regulamentado para dar transparência e segurança jurídica a esse instrumento”, afirmou o subsecretário de Política Agrícola e Negócios Agroambientais do Ministério da Economia, Rogério Boueri, em audiência pública nesta quinta-feira (18). Segundo ele, ao invés de entregar as commodities tradicionais negociadas pela CPR, como soja e milho, o produtor poderá negociar a manutenção da reserva legal na propriedade com empresas que queiram zerar as emissões de carbono, destacou o Valor Econômico. “O agricultor brasileiro paga um preço muito alto pela manutenção da reserva legal e temos que dar alternativas para ele se capitalizar com essas reservas. Temos que manter as reservas e a agricultura sustentável, mas temos que ter mecanismos para poder rentabilizar o agricultor que cumpre seu papel na sustentabilidade do Brasil e global”, afirmou.

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) projeta VBP da agropecuária em US$ 1,17 trilhão em 2021, um recorde

O Valor Bruto da Produção (VBP) agropecuária do país deverá alcançar o recorde de R$ 1,173 trilhão em 2021, segundo projeção da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) com base em dados de produção e preços de fevereiro. De acordo com o Valor Econômico esse montante representa uma alta de 15,8% ante o cálculo da entidade para 2020 (R$ 1,013 trilhão) e é pouco superior à estimativa do Ministério da Agricultura para este ano (R$ 1 trilhão). Para as principais lavouras cultivadas no Brasil, a CNA projeta elevação de receita de 18,7%, para R$ 777,87 bilhões, reflexo das previsões de mais uma safra recorde de grãos O aumento dos preços da soja (33,5%), do milho (28,8%), do caroço de algodão (6,2%) e do trigo (5,4%) também devem impactar positivamente o resultado. Já o VBP da pecuária deverá chegar a R$ 395,72 bilhões em 2021, 10,3% mais que no ano passado, com destaque para a carne bovina, com faturamento bruto previsto de R$ 210,38 bilhões, aumento de 19%. Esse resultado se deve tanto ao aumento de preços (11,3%) quanto da produção (6,3%). O segmento de ovos também deve ter expansão na receita, de 4,7%, principalmente pela expansão de oferta. Apesar da nova projeção ser levemente superior à estimativa que divulgou com base no cenário de janeiro, a CNA ressalta, em comunicado, que, no caso da agricultura, “é importante acompanhar o desenvolvimento da segunda safra, uma vez que em grande parte do país ela está sendo plantada fora da janela ideal de plantio, o que pode ocasionar perdas”. No segmento pecuário, a CNA explica que a boa produção está amparada pela alta demanda mundial por proteínas animais.

Indústria de defensivos eleva aportes

As 26 empresas de soluções agrícolas associadas ao Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Vegetal (Sindiveg) investiram R$ 700 milhões em pesquisa e desenvolvimento e melhorias em suas fábricas em 2020, conforme censo realizado pela entidade, informou o Valor Econômico nesta sexta-feira (19). Este é o segundo ano de publicação do levantamento. A maior parte dos recursos foi direcionada a ativos fixos, ações de marketing e pesquisa e desenvolvimento: nessas frentes, os aportes somaram R$ 437 milhões, montante 23% superior ao de 2019. Já os investimentos nas unidades industriais mais do que dobraram, alcançando R$ 264 milhões. As associadas do Sindiveg recolheram no ano passado R$ 676 milhões em impostos federais, estaduais e municipais e em taxas regulatórias. O montante é 27% mais alto que o de 2019, quando o total foi de R$ 533 milhões. “Mesmo em um ano tão difícil como 2020, a indústria de defensivos agrícolas ampliou consideravelmente os investimentos, ampliou a oferta de soluções essenciais para o ciclo agrícola e, especialmente, aumentou a quantidade de empregos no setor”, afirmou Júlio Borges, presidente do Sindiveg, em nota. Os empregos diretos das associadas cresceram 4% em comparação com o ano anterior, chegando a quase 5 mil vagas. O setor manteve 15 mil empregos indiretos.

NA IMPRENSA

Agência Câmara – Câmara restringe presença física de deputados e servidores até 2 de abril

Agência Câmara – Orçamento deve ser votado na próxima semana

Agência Câmara – Com leilão de 5G, produtores querem ampliar conectividade da zona rural, hoje de apenas 23%

Agência Câmara – Agricultores familiares querem mais recursos para o Plano Safra

Agência Câmara – Aprovada urgência para projeto que incentiva compra de laticínios locais para merenda escolar

Governo Federal – Garantia-Safra autoriza pagamento para mais de 13 mil agricultores familiares

G1 – Emprego no agronegócio cai 5,2% em 2020, apesar de crescimento da produção

G1 – Preços da batata e do tomate caem no atacado, diz Conab

G1 – BID lança fundo de até US$ 1 bilhão para financiar projetos sustentáveis na Amazônia

G1 – Chuvas e falta de infraestrutura causam prejuízo de R$ 1,3 bilhão no setor agrícola em MT, estima Imea

Valor Econômico – Preço do tomate caiu mais de 20% em entrepostos do país em fevereiro

Valor Econômico – SLC acelera as vendas da próxima safra

Valor Econômico – CNA projeta VBP da agropecuária em US$ 1,17 trilhão em 2021, um recorde

Valor Econômico – Indústria de defensivos eleva aportes

Valor Econômico – Governo elabora decreto para criação da CPR ‘verde’

Valor Econômico – Ministério da Economia não defende redução de juros para o próximo Plano Safra, diz secretário

Valor Econômico – Cade dá autorização definitiva para compra da Biosev pela Raízen

Valor Econômico – Commodities: Petróleo despenca, e açúcar e algodão fecham em baixa em Nova York

Valor Econômico – Commodities: Chuvas na Rússia puxam nova queda do trigo em Chicago

Valor Econômico – FAO aponta perdas anuais de US$ 314 bi com pragas e doenças em seis países, incluindo o Brasil

Valor Econômico – Ceagesp anulou contratos com permissionários para cumprir acórdão do TCU, diz presidente da central

Mapa – Mapa participa do Seminário das Águas Brasileiras no dia 22 de março

Mapa – Outono no Hemisfério Sul começa no dia 20 de março

Mapa – Mapa implementa Programa de Vigilância da Resistência aos Antimicrobianos

Embrapa – Resultados de pesquisa com clones de seringueira são apresentados em palestra on-line

Embrapa – Cafés do Brasil produzirão 47 milhões de sacas sendo 32 milhões de café arábica e 15 milhões de conilon em 2021

Embrapa – Embrapa Roraima faz consulta ao Setor Produtivo para alinhar sua atuação em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação para o Estado

Embrapa – No Dia Mundial da Água Embrapa alerta para a necessidade de preservação deste valioso recurso

Embrapa – Pesquisadores lançam publicação sobre Bicho-mineiro

Embrapa – Live debate uso e cobertura da terra na Amazônia e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Embrapa – Embrapa estabelece novos prazos de retorno ao trabalho presencial

CNA – Relatório estima redução de safra de café de 40,7% em 2021

CNA – VBP deve atingir R$ 1,173 trilhão em 2021

CNA – Sistema CNA/Senar participa de audiência pública sobre conectividade no campo

SBA – Agro brasileiro é boa alternativa para investimento em títulos verdes, diz ministra do Mapa

AgroLink – Exportação de mel natural cresce mais de 50%

AgroLink – “Semente de soja não é só um grão”, diz especialista

AgroLink – Safra de café deve ter redução de 40,7%

AgroLink – ANC conquista certificações de gestão de qualidade e ambiental

AgroLink – KWS Sementes lançou web série Mulher: a força que move o agro

AgroLink – Cooperativas precisam ser relevantes: presidente da Ocesc

AgroLink – Desvalorização do petróleo faz preços do açúcar caírem na ICE de Nova York

AgroLink – PL do Gás aquece produção nacional de fertilizantes

AgroLink – MPF gasta R$ 778 mil em campanha contra defensivos

AgroLink – A importância do uso de fungicidas no algodoeiro

Canal Rural – População ocupada no agronegócio em 2020 diminui 5,2% ante 2019, diz Cepea

Canal Rural – Colheita avança pouco e o Rio Grande do Sul retira apenas 5% da soja

Canal Rural – Faesp: alta dos juros deve encarecer crédito rural, estima Fábio Meirelles

Canal Rural – Farsul pede aprovação de projeto de lei para redução do ICMS

Portal do Agronegócio – Desvalorização do petróleo faz preços do açúcar caírem na ICE de Nova York

Portal do Agronegócio – FAESP alerta que aumento da Selic encarecerá crédito rural

Portal do Agronegócio – Etanol: distribuidoras queimam estoques, preços evaporam e devem sair em vermelho das usinas

Portal do Agronegócio – Embrapa promove seminário virtual sobre experiências em serviços ecossistêmicos

Portal do Agronegócio – ADAMA realiza evento virtual voltado ao manejo de doenças em algodão

Portal do Agronegócio – Soja: Colheita avança em SC e preços sobem no RS

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »