China quer atingir 50% da mecanização na criação de animais  

//China quer atingir 50% da mecanização na criação de animais  
O Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais da China disse que pretende atingir mais de 50% de mecanização na criação de animais até 2025. Segundo o governo chinês, a meta é vista como resultado das medidas que o ministério está adotando para acelerar a mecanização em larga escala da pecuária do país, destacou o portal AgroLink nesta segunda-feira (17). Entre os objetivos do ministério consta alcançar mais de 80% de mecanização na produção de pecuária de leite, mais de 70% na criação de galinhas poedeiras e frangos de corte e 50% na pecuária de corte. “Um novo padrão para o desenvolvimento da criação de animais, no qual a criação e a mecanização padronizadas em larga escala andam de mãos dadas, está tomando forma”, afirmou o Ministério, em comunicado divulgado para a imprensa. A produção mecanizada em larga escala terá como preceito básico a adoção de critérios fitossanitários e modernização da atividade, segundo a pasta. Os esforços do governo chinês para profissionalizar e industrializar a pecuária do país se acentuaram após a escala recente de epidemias como a peste suína africana e a gripe aviária, que vêm devastando os plantéis de suínos e aves do país asiático.

Vereadores aprovam projeto de lei que proíbe fogos barulhentos em Paulínia (SP)

Os vereadores de Paulínia, no interior de São Paulo, aprovaram na noite da última terça-feira (11) um projeto de lei que proíbe a soltura de fogos de artifício que façam barulho. A proibição se estende a ambientes fechados e abertos, públicos e privados. Segundo o portal Anda, com a aprovação pela Câmara Municipal, a proposta segue agora para análise do prefeito, que decidirá pela sanção ou pelo veto. O projeto, de autoria do vereador Antônio Miguel Ferrari (DC), é defendido por parlamentares da Câmara como uma forma de proteger animais e humanos, como autistas, idosos e bebês. Caso se torne lei, a medida irá punir com multa de R$ 1 mil quem manusear, usar, queimar e soltar artefatos pirotécnicos de efeito sonoro. Em caso de reincidência em um período inferior a um mês, o valor da multa aplicada ao infrator será dobrado.

Os custos invisíveis do quilo da carne

A cadeia da bovinocultura de corte no país tem apresentado resultados expressivos nos últimos anos, que vão desde o aumento na participação do PIB e nas exportações até o incremento da produtividade e a ampliação do consumo interno. De acordo com publicação desta segunda-feira (17) de Jaqueline Ferreira, doutora em ciências sociais, é gerente de projetos do Instituto Escolhas, da Folha de S.Paulo, em 2017, a atividade representou 2,9% do PIB e 13,9% do PIB do agronegócio, segundo dados do Cepea/USP. Serão somente esses os impactos do setor? O Instituto Escolhas resolveu enfrentar esse debate e calculou, de forma inédita em estudo lançado recentemente, o montante de recursos recebidos pela cadeia da carne de corte, das emissões de carbono e do consumo de água em dez anos. Os números revelam uma cadeia altamente subsidiada, cujos aportes públicos somaram R$ 123 bilhões entre 2008 a 2017 —79% do valor arrecadado pela cadeia no período. Se é verdade que os países que competem com o produto brasileiro também subsidiam fortemente o setor, é importante que a população saiba que é o seu dinheiro que garante a competitividade do produto no âmbito internacional e os ganhos econômicos dos agentes que integram a cadeia. O que mais o contribuinte pode exigir dessa cadeia em troca dos incentivos concedidos? A pegada de carbono, que mede as emissões de gases de efeito estufa, apontou números preocupantes e diretamente associados ao desmatamento. A média do Brasil para o período de 2008 a 2017 foi de 78 kg de CO2e por quilo de carne. Se olharmos para os estados da Amazônia que sofrem pressão da fronteira agrícola, onde há conversão de floresta nativa em pasto, esse valor sobe para 782 kg de CO2e por quilo de carne em Roraima, 713 no Amazonas e 296 no Pará. Nos estados que compõem a região do Matopiba (Tocantins e partes do Maranhão, Piauí e Bahia), a média do período também aumenta significativamente: são 267 kg de CO2e por quilo de carne no Piauí, 198 no Maranhão, 195 no Tocantins e 157 na Bahia nos mesmos dez anos. Essas duas regiões são as que apresentaram maiores pegadas no Brasil por conta do desmatamento. Uma vez que se retira o desmatamento da conta, esses números caem exponencialmente. Por exemplo, a pegada de carbono de Roraima, nesse caso, cai para 30 kg de CO2e por quilograma de carne.

Ativistas pressionam para que Ucrânia proíba produção de peles

O Comitê Ambiental do Verkhovna Rada (o parlamento ucraniano) está prestes a considerar o projeto de lei no 2360 (a proibição da produção de peles na Ucrânia). No entanto, antes disso, os membros do Comitê querem ouvir os dois lados interessados ​​nesta questão – os lobistas (grupo organizado) da produção de peles e os defensores dos direitos animais, informou o portal Anda nesta segunda-feira (17). Anteriormente, um número recorde de ucranianos apoiou a petição pelos direitos animais, pedindo que o parlamento proibisse a produção de peles na Ucrânia – como uma atividade extremamente prejudicial aos animais e ao meio ambiente em geral. Atualmente, a PETA (Pessoas para o Desenvolvimento Ético dos Animais) e a Aliança Livre de Peles estão pressionando o Parlamento ucraniano para aprovar o projeto de lei nº 2360, que prevê que as empresas de peles na Ucrânia sejam fechadas até 2025. Uma vez sancionada a lei, também seria oferecido treinamento e emprego para ex-trabalhadores dessas empresas, além de impor a responsabilidade criminal pela morte de animais por suas peles aos proprietários de empresas desse gênero que insistirem na atividade.

NA IMPRENSA
Agência Câmara – Projeto concede desconto na conta de luz dos produtores de leite

Folha de S.Paulo – No Dia Mundial do Gato, humanos contam por que os felinos são seus melhores amigos

Folha de S.Paulo – Cachorro pode usar glitter? Veja dicas para curtir o Carnaval

Folha de S.Paulo – Os custos invisíveis do quilo da carne

Folha de S.Paulo – Cães e gatos podem ter convivência pacífica; saiba como facilitar a adaptação

Folha de S.Paulo – Megaoperação olímpica do Brasil exige cuidados com cavalos e barcos

Folha de S.Paulo – Shoppings em SP fazem bloquinhos e desfile de fantasias para pets; veja agenda

Correio Braziliense – Depois de apenas 4 dias de votação em 2020, Congresso terá minirrecesso

G1 – Campinas, Indaiatuba e Valinhos promovem folias dedicadas aos animais de estimação

G1 – Voluntários arrecadam frascos de desodorante para a castração de animais de pessoas carentes em MT

G1 – Centro de Controle de Zoonoses disponibiliza 29 animais para adoção durante feira neste sábado

Valor Econômico – Sauditas suspendem carne de frango da BRF de duas plantas do Paraná

AgroLink – Oferta restrita dá sustentação ao preço do couro

AgroLink – Primeira quinzena com preços firmes do boi gordo

AgroLink – China quer atingir 50% da mecanização na criação de animais

AgroLink – Abate de frangos aumenta 2,8%

AgroLink – Suíno vivo volta a subir

AgroLink – Costa Rica é o primeiro da América Central a exportar carne suína

AgroLink – Arábia Saudita suspende 2 unidades de frango no Paraná

Anda – Ativistas pressionam para que Ucrânia proíba produção de peles

Anda – Vereadores aprovam PL que proíbe fogos barulhentos em Paulínia (SP)

Anda – Congresso até hoje não aprovou nenhum projeto contra rinhas

Anda – Estudo revela desconhecidos impactos do desmatamento

Anda – Dia Mundial do Gato é comemorado em 17 de fevereiro

_______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »