Câmara de Campinas vota projeto para liberar entrada de animais de estimação em hospitais

//Câmara de Campinas vota projeto para liberar entrada de animais de estimação em hospitais
Os vereadores da Câmara de Campinas (SP) analisam na noite desta quarta-feira (4), em primeira votação, projeto de lei (PL) que libera a entrada de animais de estimação em hospitais públicos e particulares da cidade para visitas a pacientes internados. Segundo o G1, o PL 57/2018, que recebeu parecer favorável da Comissão de Constituição e Legalidade (Constileg) da Casa, tem em sua justificativa buscar um “tratamento mais humanitário e menos traumático”, destacando que o uso de animais é comum na recuperação de pacientes. Se aprovado em duas votações no Plenário da Casa e sancionado posteriormente pelo prefeito, o texto que autoriza a entrada também impõe uma série de regras para que os animais de estimação possam ser admitidos dentro do ambiente hospitalar. A equipe de infectologia do hospital terá de deliberar sobre a entrada do animal; A entrada do animal poderá ser impedida mediante manifestação justificada pelo médico responsável pelo paciente; O animal de estimação deverá estar higienizado e com a vacinação em dia – a boa condição do pet para visitas deve ser atestada por laudo veterinário; O animal deve ser transportado em recipiente ou caixa adequada, sendo que cães e gatos poderão estar “apenas” com guia presa por coleira e, se necessário, enforcador e focinheira. Os hospitais criarão normas e procedimentos próprios para organizar o tempo e o local de permanência dos animais para visitação, sendo que as visitas e o local do encontro dentro da unidade deverão ser agendadas previamente com a administração hospitalar.

Pets ajudam pacientes com câncer em hospitais públicos do Distrito Federal

Pacientes do Hospital de Apoio e do Hospital Materno Infantil de Brasília (Hmib) têm contado com a ajuda dos animais para aliviar a dor, a ansiedade e até a depressão, informou o G1 nesta quarta-feira (4). As visitas aos hospitais da rede pública fazem parte do projeto Pet Amigo, onde voluntários levam cachorros – previamente adestrados – para passar alguns momentos com os internos. Segundo os médicos, a presença dos bichos ajuda a reduzir a dor, reduz a ansiedade e a depressão, redução da dor, da ansiedade e da depressão. “Além disso, alivia a tensão do ambiente hospitalar e faz bem, inclusive, para os servidores”, diz Heloisa Machado, do Núcleo de Educação Permanente em Saúde do Hospital de Apoio. Magali e Chanel são duas das amigas de quatro patas. Quando entram nos quartos, elas são sempre recebidas com largos sorrisos e pedidos. “Deixem elas subirem na minha cama”, diz Catarina Maria, de 71 anos. A paciente, que tem um câncer na cabeça, é atendida na hora. Os voluntários cobrem o leito da idosa que, um ano atrás – logo que foi internada – não queria ver as cachorras por medo de se apegar. A visita dos cães ao Hospital de Apoio ocorre a cada 15 dias. Para participar, os animais passam antes por uma análise comportamental e precisam ir a três visitas, acompanhados de um adestrador. Segundo a Secretaria de Saúde do DF, tudo é feito seguindo normas internacionais para este tipo de terapia com animais. A coordenadora do projeto Karoline Lazzarotto, explica que, além de forrar a cama com TNT para proteger os pacientes, os cachorros também um “banho” especial. O Hmib também recebe a visita dos pets, a cada 15 dias, aos sábados. “No Hmib, a gente fica no pátio e as crianças são levadas para lá”, explica Karoline. Atualmente, 40 cachorros estão cadastrados no projeto. No Hospital de Apoio, podem ir cinco animais, no máximo, a cada visita. Já no Hmib, são até seis. De acordo com Karoline Lazzarotto, donos de animais interessados em participar do trabalho voluntário podem entrar em contato por meio do site da organização. “Para este ano, estamos avaliando a implantação da atividade assistida por animais. Vai funcionar de forma diferente, com pacientes pré-selecionados, como parte do tratamento”, adianta a coordenadora do Pet Amigo.

BRF espera crescer com proibição do consumo de animais silvestres na China

A Folha de S.Paulo divulgou nesta terça-feira (3) que, a proibição do consumo de animais silvestres na China, após o surto do coronavírus, tem sido vista como uma oportunidade de crescimento para a BRF, a gigante das carnes dona das marcas Sadia e Perdigão. “A suspensão do consumo de animais silvestres na China deve aumentar a demanda por alimentos com segurança alimentar maior”, diz Lorival Luz, CEO da BRF, em referência às carnes de frango e porco que são exportadas para o gigante asiático. Segundo ele, ainda é muito cedo para conseguir mensurar essa possível alta. “Os resultados ainda são incipientes e não é possível nem dizer uma expectativa”, afirmou. A empresa também afirma que ainda não teve problemas logísticos para a exportação para a China. “Todos os embarques, desembarques e entregas foram feitos normalmente”, disse Luz. Além do otimismo para 2020, a empresa comemora um lucro líquido das operações continuadas de R$ 1,2 bilhão no ano de 2019. No ano anterior, a BRF registrou prejuízo de R$ 2,1 bilhões. “Depois de três anos de prejuízos, turbulências e indefinição na gestão, na direção e no rumo, a gente entregar um ano com R$ 1,2 bilhões de lucro dá confiança de que estamos no caminho certo”, disse Luz. A reestruturação organizacional da BRF começou com a nomeação de Pedro Parente para o cargo de presidente da companhia, em abril de 2018. Ao assumir, Parente tinha dois principais objetivos: estancar os prejuízos da companhia, que operava no vermelho por causa de erros da gestão anterior, e investigar a fundo as acusações feitas pela Polícia Federal e pelo Ministério Público contra a empresa. Em março de 2019, Lorival Luz assume o posto de CEO da empresa e Parente segue como presidente do conselho de administração da companhia. “Reduzimos estoque da companhia, mudamos a estratégia de atendimento aos clientes, mudamos a forma de fazer a gestão do mercado internacional, a gestão da estrutura de custo fabril. Foram uma série de iniciativas comerciais, que impactaram a receita”, afirmou. Segundo ele, foi definido uma nova estrutura organizacional e de metodologia de gestão e esse foi o principal condutor do crescimento registrado em 2019. A alta das carnes no final do ano passado, por exemplo, teve pouco impacto no lucro da empresa.  “O grande aumento veio das carnes bovinas. Nosso grande volume são frangos e suínos congelados e em produtos processados. Já o aumento da demanda da China, com a febre suína africana, teve um papel importante”, afirmou Luz.

Cuidados com o cão: ignore o boato de que antibiótico cura virose canina

Uma publicação no Facebook divulga boato com a sugestão de uso de um antibiótico para curar a parvovirose canina, destacou o jornal O Estado de S.Paulo nesta terça-feira (3). A postagem mostra uma foto do Centril, usado para tratar de infecções causadas por bactérias. A parvovirose canina, porém, é causada por um vírus, microorganismo que não é afetado por antibióticos. “Antibióticos podem ajudar a combater uma doença secundária oportunista”, explica Vânia Nunes, médica veterinária e diretora técnica do Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal, destacando que eles não podem ser administrados como tratamento para uma virose. “No caso das doenças virais, se faz tratamento de suporte para diminuir o risco de complicações: soro para hidratar e polivitamínicos para estimular a resposta imunitária.” A parvovirose provoca muitos sintomas, mas é muito caracterizada por vômito intenso e diarréia com sangue nos cães. “Hoje a doença ocorre principalmente pela negligência ou omissão dos tutores em não dar vacina”, alerta Nunes. Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

NA IMPRENSA
Agência Câmara – Deputado vê risco de judicialização no auxílio emergencial para pescadores

O Estado de S.Paulo – Cães e gatos não transitem COVID-19

O Estado de S.Paulo – Juiz condena a 10 anos de prisão acusado de golpes na compra de gado com ‘invulgar sofisticação e organização’

O Estado de S.Paulo – Cuidados com o cão: ignore o boato de que antibiótico cura virose canina

O Estado de S.Paulo – Degustação de queijos brasileiros conquista franceses em Paris

Folha de S.Paulo – Defesa agropecuária está apreensiva com reestruturação em SP

Folha de S.Paulo – BRF espera crescer com proibição do consumo de animais silvestres na China

Folha de S.Paulo – Animais são resgatados em meio a lama e escombros em Guarujá

Folha de S.Paulo – Após alagamento, ONG deixa cães em lar temporário e conta danos no Rio

Folha de S.Paulo – Exposição de gatos em São Paulo traz bichano com rabo de pompom

Agência Brasil – Evitar leptospirose exige cuidados redobrados em época de enchentes

G1 – Carroceiros bloqueiam avenida e pedem dispensa de multas por animais soltos nas ruas de Teresina

G1 – Câmara de Campinas vota projeto para liberar entrada de animais de estimação em hospitais

G1 – Pets ajudam pacientes com câncer em hospitais públicos do DF

Embrapa – Para pecuarista do Brasil, baixa fertilidade do solo é maior desafio

Valor Econômico – Exportações brasileiras de carne suína bateram recorde em fevereiro

AgroLink – Economia do Brasil perde força no 4º tri e termina 2019 com crescimento de 1,1%

AgroLink – Alimentação concentrada puxou alta nos custos de produção da atividade leiteria

AgroLink – Queda na produção de leite e alta para o produtor

Anda – Marreta pneumática: violência por trás do consumo de carne

Anda – Cientistas assustam macacos com cobras e aranhas de brinquedo

ND Mais – Hotel permite que hóspedes adotem cães durante estadia

SBA – Boi magro na Bahia tem valorização de 28,1% no intervalo de um ano

_______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »