BRF indica possibilidade de reduzir abate  

//BRF indica possibilidade de reduzir abate  
A BRF indicou, nesta quarta-feira (15), pela primeira vez, a possibilidade de cortar o ritmo de abate. Por ora, a companhia ainda não precisou fazer isso, mas uma maior contaminação de funcionários pelo novo coronavírus poderia levar a esse cenário, o que justificaria a necessidade de ajustar o plantel de aves nas granjas. Em live promovida pela corretora Necton, o CEO global da BRF, Lorival Luz, disse ontem que a empresa tem um “plano claro” para ajustar a produção caso seja necessário. Perguntado se já havia reduzido o plantel nas granjas, o executivo disse que “ainda não”. “Quando digo ainda é porque a gente não consegue prever o dia de amanhã”. No entanto, dado o cenário dos Estados Unidos – dezenas de frigoríficos do país reduziram a produção ou fecharam plantas por causa dos elevados índices de contaminação entre funcionários -, a possibilidade existe, reconheceu o executivo. “Não é impossível, até pela experiência nos EUA. A gente pode ter algum nível de contaminação que faça com que tenha que reduzir a velocidade da linha [de produção]”, disse Luz. No momento, os casos entre funcionários da BRF estão contidos, bem como no segmento em geral. Durante a transmissão feita ontem, o CEO da empresa não comentou os casos entre os trabalhadores, mas a companhia já confirmou seis casos, segundo o Valor Econômico reportou nesta quarta-feira (15). De acordo com a empresa, os funcionários foram afastados preventivamente antes de terem o diagnóstico positivo, assim como colaboradores que tiveram contato com os contaminados por covid-19. Para dar conta de uma eventual redução de velocidade de abates, o plantel nas granjas também teria de ser cortado. “Se tem diminuição da produtividade da fábrica, tenho que assegurar que minha cadeia que venha de trás seja adaptada ao mesmo nível que sou capaz de produzir. Se não, começo a gerar acúmulo no campo”, justificou o CEO da BRF. Diante desse quadro de riscos e da necessidade de manter o abastecimento de alimentos no país, Luz lembrou que a companhia já havia ampliado os estoques de produtos, deslocando-os para mais próximo dos clientes – atualmente, o varejo. No food service, canal que respondia por 10% das vendas da BRF e que viu as vendas desabarem com o fechamento dos restaurantes, a empresa está renegociando contratos, acrescentou o vice-presidente de finanças e de relações com investidores, Carlos Moura. Ele frisou, porém, que a BRF não teve problemas de inadimplência até o momento. Considerando varejo e food service, a “demanda agregada” por produtos é estável, reafirmou o CEO do grupo.

Preços do suíno vivo recuam com demanda enfraquecida

As cotações do suíno vivo seguem em forte queda na maioria das praças acompanhadas pelo Cepea, destacou o portal AgroLink nesta quinta-feira (16). As baixas no mercado independente ocorrem por conta da procura desaquecida pela carne, que está inferior à oferta. A indústria, que, de modo geral, tem trabalhado com produção reduzida, compra menos lotes de suínos no mercado independente. No acumulado de abril, o suíno se desvalorizou 20,3% na região SP-5 (Bragança Paulista, Campinas, Piracicaba, São Paulo e Sorocaba), chegando a R$ 4,21/kg na quarta-feira (15). Quanto aos insumos, ainda que as cotações também estejam se enfraquecendo nos últimos dias, a desvalorização do suíno tem sido mais intensa, pressionando a relação de troca atual de animal vivo por milho ou por farelo de soja para o menor patamar desde setembro de 2018.

Boi gordo apresenta demanda interna ruim

Em São Paulo as ofertas de compra ficaram estáveis, com bois de R$192,00/@, vacas de R$172,50/@ e novilhas de R$185,00/@, valores à vista, livres de Funrural. Compradores bem posicionados apregoam ofertas de compra abaixo dessas referências, informou o portal AgroLink nesta quinta-feira (16). O consumo está patinando no mercado interno e a exportação tem apresentado bom desempenho. Na média diária, o Brasil exportou 5,9 mil toneladas de carne bovina in natura, nas duas primeiras semanas de abril (Secex). A cada redução de preço nas ofertas de compra, cai o volume de boiadas adquiridas e essa tem sido a tônica do mercado nos últimos dias. Em curto prazo, o cenário não deve mudar por causa do menor poder aquisitivo da segunda quinzena do mês, e da mudança de hábitos devido as medidas contra o coronavírus.

Acrimat pede ampliação de prazo para vacinar contra aftosa

Nesta quinta-feira (16), o portal AgroLink divulgou que, a Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) protocolou pedido de ampliação do prazo de vacinação contra a febre aftosa da etapa que ocorrerá durante o mês de maio. A solicitação visa preservar a saúde dos produtores de bovinos que atuam em todo o estado. “Nosso interesse é estabelecer medidas de proteção à saúde dos produtores e colaboradores, com vistas a diminuir a movimentação nas lojas agropecuárias, entre outros, observando que o prazo estabelecido de 30 dias para a vacinação não leva em consideração as alterações decorrentes da nova realidade imposta pela pandemia do Covid-19, que exige menor concentração de trabalhadores e consequentemente mais tempo para a realização do trabalho”, explica a diretora executiva da Acrimat, Daniella Bueno. Estados vizinhos como Góias (GO) e Mato Grosso do Sul (MS) já conseguiram dilatação de prazos autorizada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O entendimento da Acrimat, acompanhado pela Federação da Agricultura de Mato Grosso (Famato) é de que esta etapa da vacinação, com alcance da cobertura vacinal de bovinos e bubalinos de todas as idades, na maioria dos municípios mato-grossense, seja estendida até o dia 15 de junho, com prazo de comprovação da mesma ao Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT) até o dia 20 de junho. A diretora executiva da Acrimat ressalta que deve ser levado em consideração que a pandemia provocada pelo Covid-19 tem provocado insegurança generalizada no segmento, exigindo ações que alteram a vida tanto pessoal como laboral dos produtores nas suas propriedades. “Sendo assim, as ações de defesa agropecuária que envolvam a próxima campanha de vacinação contra a Febre Aftosa do rebanho mato-grossense na etapa de maio deste ano, devem levar em consideração todos os ajustes que a sociedade está fazendo para se adequar à nova realidade, como a ampliação de prazos para executar ações como a vacinação”. A Acrimat se coloca à disposição para divulgar as ações de proteção contra a disseminação do Covid-19 aos pecuaristas bem como todas as ações pertinentes tanto da etapa de vacinação como de sua comprovação, para que os produtores rurais possam obter as informações necessárias, contribuindo para que realizem o registro de suas atividades por meio dos correios eletrônicos oficiais ou das demais formas aceitas pelo Indea-MT.

NA IMPRENSA

Mapa – Autorizada prorrogação de contratos temporários de 269 médicos veterinários

CNA – CNA tem pleito reconhecido e Código Florestal volta a ser aplicado no Bioma Mata Atlântica

CNA – Sistema CNA/Senar lança plataforma para estimular venda de produtos do agro

Embrapa – Artigo – Embrapa Soja: 45 anos potencializando o desenvolvimento da soja no Brasil

Embrapa – Produção dos Cafés do Brasil ocupa área de 1,885 milhão de hectares dos quais 1,514 milhão são de café arábica e 371,14 mil de robusta

Valor Econômico – BRF indica possibilidade de reduzir abate

AgroLink – Cancelamento da Exposição Nacional de Rústicos Angus

AgroLink – Genética Ultrablack ganha adeptos em diferentes regiões

AgroLink – Nestlé realiza live para tirar dúvidas sobre insumos de alimentação do gado leiteiro

AgroLink – Tyson Food fecha planta de suínos nos EUA

AgroLink – Preços oscilam ao longo da primeira quinzena

AgroLink – Preços do suíno vivo recuam com demanda enfraquecida

AgroLink – Países que importam carne para food service reduziram as compras

AgroLink – Frigoríficos parceiros do Programa Carne Pampa mantêm ritmo

AgroLink – Exportações Avicultura do RS e Brasil 1º trimestre de 2020

AgroLink – Demanda patina e preço do sebo cai

AgroLink – Acrimat pede ampliação de prazo para vacinar contra aftosa

AgroLink – Maior demanda por animais jovens no Maranhão

AgroLink – Câmara Setorial do Leite une-se por pedido de crédito

AgroLink – Boi gordo apresenta demanda interna ruim

G1 – Leilões de animais voltam a ser feitos em Goiás

G1 – Prefeitura arrecada ração para animais abandonados em Blumenau

G1 – Abandono de animais domésticos em Goiânia aumenta cerca de 60% por conta da pandemia do coronavírus, diz ONG

G1 – Centro que atende animais silvestres no Tocantins altera escala para poder seguir funcionando

Anda – Em quarentena, pessoas usam tempo em casa para dar lar temporário a animais

Anda – Chimpanzé é forçado a usar roupas e andar de bicicleta em zoo

Anda – Animais presos em zoo podem perder a vida para servir de alimento a outros animais

Anda – Homem cria refeitório para animais no quintal de sua casa

Anda – Paul McCartney pede fim de mercados de animais silvestres

Anda – Mais uma cidade chinesa proíbe o consumo de cães e gatos

_______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »