Brasil tem cerca de 1,5 mil drones operando em lavouras, contra 100 mil na China

//Brasil tem cerca de 1,5 mil drones operando em lavouras, contra 100 mil na China

Enquanto na Ásia a ferramenta entrou como tecnologia principal a maior parte dos agricultores, aqui seu desenvolvimento é mais racional e setor segue na expectativa pela publicação da norma do Mapa sobre o uso de aeronaves remotas no trato de lavouras. Segundo a análise publicada na última sexta-feira (5) pelo Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag), a China teria iniciado 2021 com cerca de 100 mil drones agrícolas em operação no País. Equipamentos que, por lá, estariam operando sobre o equivalente a pelo menos 81% de toda a área cultivada no Brasil. De acordo com Jornal Campo Aberto ao mesmo tempo em que o Brasil, com cerca de 1,5 mil drones operando na agricultura, deve ter publicada em abril a regulamentação do Ministério da Agricultura para o uso das chamadas aeronaves remotamente tripuladas (ARP) no trato de lavouras. Construída ouvindo o setor aeroagrícola, a própria indústria de drones e outros segmentos do setor produtivo, o regramento deve colocar os equipamentos remotos como um segmento da aviação agrícola – por sua vez o único para o trato de lavouras com regulamentação específica no País. O especial Drones: China, Brasil e as tendências do mercado foi elaborada a partir de material da agência de notícias estatal chinesa Xinhua, Agência de Aviação Civil da China, consultoria Ipsos, Agência Nacional de Aviação Civil do Brasil (Anac) e outas fontes, além de especialistas do setor. A conclusão é de que, apesar de já haver inclusive empresas convertendo helicópteros e drones para o trabalho em lavouras (e demonstrando interesse no Brasil), a ferramenta remota deve permanecer por aqui como complemento da aviação e substituição principalmente aos pulverizadores costais. Além disso, o desenvolvimento dos drones na agricultura no Brasil segue uma racionalidade nas aplicações que não é a regra nos países asiáticos – onde o uso da ferramenta explodiu como substituição ao trabalho manual para pequenos agricultores. Por outro lado, enquanto na China as aeronaves remotas contam com subsídios estatais desde 2014, por aqui os fabricantes lamentam a inexistência de uma política para desenvolver o setor. Atualmente, todo o equipamento é importado da China (que detém 70% do mercado mundial), embora as empresas brasileiras façam aqui toda a programação de acordo com a realidade da agricultura local e as regras do País. Para os fabricantes, o maior acesso dos produtores a essa tecnologia esbarra na carga tributária e na falta de incentivos para a indústria daqui produzir seus próprios componentes.

Confederação Nacional dos Transportes (CNT) defende redução na mistura de biodiesel ao diesel; Abiove rechaça

A mistura de biodiesel ao diesel subiu de 12% para 13% na última segunda-feira (1). Porém, em meio à alta dos combustíveis, a Confederação Nacional dos Transportes (CNT) defende a redução desse percentual. “Se essa redução for na ordem de 50% ou mais, haverá alívio imediato sobre o preço do combustível, pressionado pela cotação internacional do petróleo e pela desvalorização do real em face ao dólar. Essa medida já foi adotada em outras ocasiões”, diz a entidade, em nota técnica. Segundo a CNT, a porcentagem de mistura do biodiesel ao diesel no Brasil difere dos padrões internacionais. “No Japão, por exemplo, o biodiesel representa apenas 5% do insumo. Na comunidade europeia, a taxa é de 7%. No Canadá, adota-se de 2% a 4% na mistura”, pontua. Segundo o Canal Rural a entidade afirma que, em busca de uma redução significativa do preço do combustível nas bombas, pode-se zerar o nível de biodiesel por um período transitório e determinado. Mas o setor produtivo não recebeu bem a notícia. No Twitter, a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) rechaçou a ideia e diz que a CNT quer transferir para outro setor a responsabilidade de corrigir aumentos de preços no diesel que decorrem do valor internacional do petróleo e da desvalorização do real frente ao dólar. “O custo do frete subiu 30% este ano comprovando que as altas do diesel foram repassadas pelas transportadoras, seus associados. Sem biodiesel, o Brasil vai importar mais diesel, atrelando mais ainda o preço ao consumidor brasileiro ao valor em dólar do petróleo”, pontua a associação. A Abiove lembra que o biodiesel reduz a emissão de gases causadores do efeito estufa, mas a CNT contrapõe dizendo que reduzir a mistura na composição não prejudica essa capacidade. “Além disso, estudos recentes dão conta de que níveis excessivos de biocombustível no diesel comercial podem elevar os níveis de emissão de dióxido de nitrogênio, poluente danoso à saúde e ao meio ambiente”, afirma a confederação. Outro ponto que a Abiove levanta que é caso haja redução na produção de biodiesel, haverá também menos farelo de soja. “E mais caro ficarão as proteínas animais. A CNT quer mesmo queda na produção de alimentos?”, questiona a associação.

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) discute prioridades na política agrícola em 2021

A Comissão Nacional de Política Agrícola da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) se reuniu, na última sexta-feira (5), para discutir a agenda de trabalho para 2021. Um dos temas da lista de prioridades é a contribuição do setor para a construção do Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2021/2022. Como em anos anteriores, a CNA definirá as prioridades do setor para o PAP ouvindo produtores de todas as regiões. As contribuições das federações de agricultura e pecuária dos estados para o próximo Plano Safra serão recebidas até o dia 15 de março. A partir disso, serão realizadas videoconferências regionais para reunir as demandas e fechar uma proposta nacional. “O objetivo é gerar subsídios para a negociação do Ministério da Agricultura com as outras áreas do Governo responsáveis pela definição das normas de execução dos instrumentos de política agrícola”, afirmou o presidente da Comissão Nacional de Política Agrícola da entidade e da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), deputado federal José Mário Schreiner (DEM/GO). Segundo a superintendente técnica adjunta da CNA, Fernanda Schwantes, a agenda de trabalho inclui também assuntos que visam à desburocratização no acesso a financiamentos, a ampliação do crédito privado e o aprimoramento da gestão de riscos. “Discutimos alguns pontos da agenda estruturante para o crédito privado, pois o setor tem uma demanda superior de crédito em relação ao que o Governo é capaz de oferecer por meio da política oficial”, disse ela. Além do Plano Agrícola e Pecuário, a pauta da Comissão Nacional de Política Agrícola para 2021 contempla: Plano Plurianual Agropecuário, redução dos custos cartorários, seguro rural, soluções para o endividamento, novas fontes de financiamento e Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc). Outro tema do encontro foi uma apresentação sobre o registro na plataforma IDAgro, realizada pelo coordenador administrativo do Instituto CNA, Carlos Frederico Ribeiro. Também participaram da reunião o presidente da Federação da Federação da Agricultura e Pecuária do Espírito Santo (Faes), Júlio Rocha Júnior, o vice-presidente da Comissão Nacional de Política Agrícola, Antônio da Luz, e o superintendente técnico da Confederação, Bruno Lucchi, além de membros da Comissão e representantes de federações estaduais.

Produção agrícola e pecuária deve atingir R$ 1 trilhão em 2021

Para 2021, o Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) estimado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) é de R$ 1,002 trilhão. O índice mostra o desempenho da agricultura e pecuária anualmente e corresponde ao faturamento bruto. O resultado previsto para 2021 representa um acréscimo real de 11,8% em relação a 2020. “É um valor surpreendente porque é o maior em uma série de 30 anos. Esse valor deve ter um impacto bastante grande na economia brasileira, nas cidades do interior, por exemplo, nas cidades médias e grandes, uma vez que a maior parte dos municípios brasileiros têm uma inserção forte na agricultura”, ressaltou o coordenador da pesquisa do VBP e coordenador-geral de avaliação de Políticas e Informação, do Mapa, José Garcia Gasques. O coordenador destacou alguns dos elementos que devem ser responsáveis pelo bom resultado esperado para 2021. “Os fatores que devem favorecer o crescimento deste ano da agricultura são os preços agrícolas favoráveis, a safra prevista para este ano é uma safra recorde de grãos e também pode se destacar o mercado internacional que deve continuar favorável como no ano passado”, afirmou José Garcia Gasques. O VBP é calculado com base na produção da safra agrícola e da pecuária e nos preços recebidos pelos produtores nas principais praças do país, dos 26 maiores produtos agropecuários do Brasil. Para este ano, as lavouras projetam valores de R$ 688,4 bilhões e a pecuária de R$ 314,5 bilhões.

NA IMPRENSA

Governo Federal – Produção agrícola e pecuária deve atingir R$ 1 trilhão em 2021

Governo Federal – AGU obtém bloqueio de R$ 7,2 milhões em bens de desmatadores

O Estado de S.Paulo – Pujança do agronegócio brasileiro? É a ciência!

O Estado de S.Paulo – A importância da aplicação das normas de compliance no agronegócio

G1 – Safra de verão do milho no RS deve ser 8% menor do que o esperado

G1 – Projeto une agricultores, ambientalistas e indígenas para reflorestar fazendas próximas ao parque do Xingu

G1 – Colheita de maçã em Santa Catarina deve crescer 17% este ano

G1 – Preço baixo do mamão preocupa produtores do Espírito Santo

G1 – Com a pandemia, trabalhadores migram para o campo em busca de renda fixa

G1 – Hortas em espaços urbanos se tornam cada vez mais comuns

G1 – Produtores iniciam colheita da safra de soja no centro-oeste paulista

Valor Econômico – Valor segurado pelo Proagro aumenta e supera R$ 14 bilhões

Valor Econômico – Grupo de produtores capta R$ 63,6 milhões em ‘CRA verde’

Valor Econômico – Sueca AAK, de óleos vegetais, acelera seu avanço no Brasil

Valor Econômico – Aprobio critica proposta de redução da mistura de biodiesel no diesel feita pela CNT

Valor Econômico – População da Suíça aprova acordo comercial com Indonésia

Valor Econômico – CNT pede redução da mistura do biodiesel para baratear diesel e produtores criticam

Valor Econômico – Agronegócio brasileiro alimenta 800 milhões de pessoas, diz estudo da Embrapa

Valor Econômico – Jacto anuncia nova fábrica de máquinas e implementos agrícolas em Pompeia (SP)

Mapa – Edital seleciona roteiros turísticos para participarem do Projeto Experiências do Brasil Rural

Mapa – Material divulgado no Workshop de Inovação Financeira do Agro já está disponível na internet

Mapa – Governo publica produtos da agricultura familiar com bônus para amortização em março

Mapa – Arrecadação com concessão florestal cresce 60% em 2020

Embrapa – Pesquisa propõe soluções para recuperar uma das áreas de ocupação mais antigas da Amazônia

Embrapa – Série de palestras virtuais para potencializar o lucro nos cultivos de inverno

Embrapa – Prosa Rural – Ampliação do Zoneamento Agrícola de Risco Climático da Uva

Embrapa – Live aborda importância do controle biológico de doenças

CNA – O poder das mulheres no campo

CNA – CNA discute prioridades na política agrícola em 2021

CNA – Guia interativo do Senar ajuda a melhorar gestão da propriedade rural

CNA – Paraná pede R$ 277 bi em recursos no Plano Safra 2021/22

CNA – FAEP e governo do Paraná lançam cartilha do Descomplica Rural

AgroLink – Produtores têm dificuldades de indenização por cigarrinha

AgroLink – Entidades querem prorrogação da janela do safrinha

AgroLink – Etanol: anidro e hidratado fecham a semana em alta

AgroLink – Açúcar fecha valorizado impulsionado pelos altos preços do petróleo

AgroLink – Arrecadação com concessão florestal cresce 60%

AgroLink – Live aborda importância do controle biológico de doenças

AgroLink – 5 fatos Agro para acompanhar em Março

Canal Rural – Turismo rural: governo seleciona roteiros que apoiam a agricultura familiar

Canal Rural – CNT defende redução na mistura de biodiesel ao diesel; Abiove rechaça

Canal Rural – Soja e milho têm novo recorde de preços; veja notícias desta segunda

Canal Rural – Dia da Mulher: ‘Avançamos muito mas ainda há bastante a conquistar no agro’

Canal Rural – Projeto cria incentivo tributário para empresas que apoiem assistência técnica a produtores pobres

Canal Rural – Protagonismo feminino: ‘É hora de assumir definitivamente nosso papel’

Canal Rural – Você viu? Embrapa lança aplicativo web que estima quanto adubo usar

Canal Rural – Novo modelo de silo amplia capacidade de secagem e armazenagem de grãos

Canal Rural – Apreciado pela culinária africana, fubá brasileiro ganha espaço com exportações em sacas

Notícias Agrícolas – Bayer e Abag anunciam abertura das inscrições para o Prêmio Mulheres do Agro 2021

Portal do Agronegócio – MG pode sustentar nova fronteira agrícola do país

Portal do Agronegócio – Novo sistema leva energia a áreas rurais sem acesso à eletricidade

Revista Globo Rural – Brasil passa a fazer parte do Protocolo de Nagoia sobre biodiversidade

Revista Globo Rural – CNC se diz atento contra “pautas irracionais” para a cafeicultura

Revista Globo Rural – Arrecadação com concessão florestal cresce 60% em 2020

Revista Globo Rural – Mulheres do agro se preparam cada vez mais e vencem barreiras para liderar negócios no campo

Revista Globo Rural – AgRural não descarta corte na safra de soja do Brasil se chuva persistir

Jornal Campo Aberto – Brasil tem cerca de 1,5 mil drones operando em lavouras, contra 100 mil na China

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »