Brasil envia adidos a Shenzeng para apurar contaminação de asas de frango por coronavírus

//Brasil envia adidos a Shenzeng para apurar contaminação de asas de frango por coronavírus
O governo brasileiro decidiu, nesta terça-feira (18), enviar os adidos agrícolas de Pequim até a cidade de Shenzeng, no sul da China, para tentar apurar melhor o suposto caso de contaminação por novo coronavírus detectado em um lote de asas de frango exportado ao país asiático pelo Brasil. O episódio já motivou dois embargos comerciais e aumentou a preocupação do Ministério da Agricultura. O Valor Econômico apurou que a estratégia é tentar contato direto na cidade onde o fato ocorreu e que centraliza as investigações nas autoridades sanitárias locais. A Administração-Geral de Alfândegas da China (GACC, na sigla em inglês) afirmou ao Ministério da Agricultura do Brasil que não tem como facilitar o trânsito de informações no momento. Ao menos um dos dois adidos que o país tem em Pequim será enviado para Shenzeng. Além do caso de suposta contaminação de produto exportado, o Brasil cobra informações mais detalhadas sobre os motivos que levaram a China a suspender as exportações de cinco frigoríficos brasileiros. Os pedidos foram feitos formalmente, mas até agora o GACC se limitou a indicar a preocupação com notícias veiculadas na imprensa sobre a contaminação de funcionários por covid-19 nos estabelecimentos. O Ministério da Agricultura avalia que é possível rebater esses argumentos tecnicamente e mostrar os procedimentos adotados pelas plantas para afastamento e tratamento de pessoas doentes. “Eles nos cobram, mas não dão informações quando pedimos. Tem que ser uma via de mão dupla”, afirmou um técnico da área internacional do governo brasileiro. Até o momento, as Filipinas suspenderam importações de carne de frango do Brasil e Hong Kong comunicou oficialmente o Ministério da Agricultura da decisão de bloquear novos envios do frigorífico Aurora, de Santa Catarina, de onde saiu a carga em que o vírus teria sido detectado. O Valor também apurou que as Filipinas alegaram preocupação com estabelecimentos brasileiros, por não estarem seguindo o mesmo protocolo que a indústria filipina segue. A Coreia do Sul também pediu formalmente algumas informações sobre a situação dos frigoríficos no Brasil.

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) incentiva a contratação do seguro aquícola no país

O Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento incluiu, nesta quarta-feira (19), recursos exclusivos para o incentivo à contratação da modalidade de seguro aquícola, com o percentual de subvenção ao prêmio diferenciado de 40%. Para divulgar as condições gerais e as coberturas do seguro aquícola para produtores, cooperativas, entidades representativas e associações, o Mapa realizará no dia 28 de agosto, às 15h, vídeo conferência no âmbito do projeto Monitor do Seguro Rural. Maiores informações podem ser obtidas pelo e-mail: seguro@agricultura.gov.br. O Secretário de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Jr., explica que a atividade é passível de perdas significativas em suas produções. O seguro aquícola tem o objetivo de garantir indenização ou reposição de estoque ao segurado pela mortalidade e/ou perda física das espécies aquáticas (Biomassa Segurada), e abrange dois tipos de produção: riscos Onshore (viveiros) e Offshore (mar e represas). Ambos têm como cobertura de contratação obrigatória a poluição e coberturas adicionais como: roubo e furto, predadores, intempéries climáticas, relâmpagos e alteração química da água. O valor a ser segurado, chamado de Limite Máximo de Indenização ou Importância Segurada, baseia-se principalmente na biomassa, e leva em consideração a espécie aquática e suas faixas de peso, a previsão de produção mensal, controle histórico de estoque (em Kg) e os valores por Kg das faixas de peso. As faixas de peso de cada espécie da biomassa segurada são pré-estabelecidas com base no valor de custo/Kg (custo de produção) e custo/animal (custo do alevino). A precificação deste seguro varia de acordo com a exposição do risco, espécies, formato de produção e das coberturas contratadas. Para cada risco é feita uma avaliação individual e personalizada, com aplicação de franquias diferenciadas para cada cobertura. Atualmente, a Fairfax Brasil é a única seguradora habilitada no PSR com produto aprovado junto à Superintendência de Seguros Privados (Susep). “O foco de distribuição está voltado para os produtores de médio e grande porte, bem como cooperativas, e inicialmente para peixes e mariscos. Outras espécies podem ser avaliadas”, explica o diretor de Agronegócio da empresa, Fábio Damasceno. O Brasil apresenta características positivas para o desenvolvimento da aquicultura, considerando que possui 12% da água doce do planeta, clima tropical, biomassa diversificada e grande potencial produtivo para ser referência mundial e tornar-se um dos maiores fornecedores dessa proteína animal. Atualmente, a piscicultura é uma das atividades econômicas que mais cresce no país, sendo que em 2018 o Brasil produziu 579.2.61 toneladas de pescado de aquicultura, segundo o IBGE. O número de estabelecimentos com criação de peixes no país chega a 230 mil. Em volume de insumos, em 2019, o Brasil produziu 1,39 milhão de toneladas de ração para aquicultura, segundo o Sindirações, um crescimento de 7,2%. Esse setor se caracteriza por ser uma produção sustentável e suscetível e sensível a riscos climáticos e de estrutura e de manejo. O Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) inclui um recurso exclusivo para incentivo à contratação da modalidade de seguro aquícola, com o percentual de subvenção ao prêmio de 40%. O produtor que tiver interesse em contratar o seguro rural deve procurar um corretor que comercialize apólice de seguro rural. O seguro rural é destinado aos produtores pessoa física ou jurídica, independente de acesso ao crédito rural.

Melhoramento genético em bovinos é tema de Webinar da ABHB e Embrapa

Com o objetivo de trazer informações relevantes sobre o melhoramento genético e promover interação e troca de aprendizado, a Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) irão promover, entre os dias 24 e 27 de agosto, o primeiro Webinar HB de Melhoramento Genético. A transmissão será realizada através do Youtube no canal da ABHB (youtube.com/user/ProPampa), sempre a partir das 19h. “Com as restrições da pandemia de Covid-19 muitos eventos presenciais foram cancelados, então pensamos em trazer conteúdos importantes para o público de forma online”, explicou Zilah Cheuiche, coordenadora do PampaPlus e superintente do Registro Genealógico da ABHB. Ela conta ainda que ideia surgiu em uma conversa com Natacha Luttjohann, superintendente Adjunta do Registro Genealógico, para suprir a ausência de cursos e palestras nesse período. “Nosso objetivo é estreitar o laço entre criadores e pesquisadores, disseminando o conhecimento sobre o melhoramento genético. Será uma excelente oportunidade para uma boa conversa e aprendizado”. Conforme informou, nesta quarta-feira (19), Fernando Cardoso, pesquisador e chefe-adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Pecuária Sul, em um cenário que demanda sistemas mais intensivos para preservação do meio ambiente, a genética cada vez mais cresce em importância. “Ter animais mais produtivos, mais eficientes é fundamental para usar da melhor forma possível os recursos disponíveis. Por isso a importância de a gente levar informação do melhoramento genético para os criadores. Nesse momento que vem a temporada de compra de reprodutores e seleção de novilhos de reposição, é importante que eles saibam como acessar e tenham acesso a melhor informação disponível para escolher esses animais que vão trazer mais resultado no sistema de produção”, destacou. A programação do evento conta com grandes nomes do mercado de bovinos que trarão temas relevantes em palestras como genômica em melhoramento genético de bovinos de corte; registro genealógico e melhoramento genético; ultrassonografia na avaliação de carcaças; além de um bate-papo para esclarecer dúvidas sobre o PampaPlus.

Setor de carnes dos EUA ainda sofre efeito da pandemia

Os dados da pecuária americana, divulgados nesta terça-feira (18) pelo Usda (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), mostram o intenso efeito da Covid-19 sobre o setor. Segundo a coluna Vaivém da Folha de S.Paulo a carne bovina, a mais afetada, registrou queda de 15,2% nas exportações de janeiro a junho deste ano, em relação a igual período de 2019. Já a suinocultura obteve o melhor desempenho no setor, elevando as vendas externas em 27,7%. No caso do frango, as exportações do primeiro semestre superaram em 4,2% as de igual período de 2019. De grande porte e com uma intensa concentração nos abates, muitos frigoríficos bovinos tiveram de fechar as portas devido à alta incidência do coronavírus em seus trabalhadores. Com isso, a oferta de carne caiu e, para abastecer o mercado interno, o país teve de elevar as importações. Em junho, as compras externas de carne bovina foram 33% superiores às de igual mês de 2019. Os americanos aumentaram em 42% as compras no Brasil naquele mês. As indústrias esperam aumentar os abates neste segundo semestre, e garantir uma produção de 12,4 milhões de toneladas no ano. Devido aos efeitos da Covid-19 no mercado, e abates menores, o número de gado confinado está em 13,7 milhões de cabeças, e o rebanho do país em 103 milhões. O cenário para a suinocultura é bem melhor. A utilização da capacidade de abate de animais voltou ao patamar anterior à crise e está em 95%. Em maio era de 72%. Apesar das intrigas entre Estados Unidos e China, a participação do país asiático no mercado americano tem sido fundamental para a recuperação da suinocultura. No segundo trimestre deste ano, os chineses ficaram com 38% das exportações de carnes suína dos EUA. No ano passado, a participação era de apenas 12% no período. Os abates de frango estão em queda, e as aves americanas registram recordes de peso pelo tempo que ficam nas granjas. Em junho, foram abatidos 5% menos frango do que no mesmo mês de 2019. Com presença menor da China no mercado, as exportações de frango deste ano deverão ser de 3,3 milhões de toneladas. Em 2021, caem ainda mais, para 3,2 milhões, segundo o Usda.

 NA IMPRENSA

Agência Senado – Publicada lei que abre crédito para penitenciárias e setor pesqueiro

Folha de S.Paulo – Setor de carnes dos EUA ainda sofre efeito da pandemia

O Globo – Pets ganham ração e tratamento veterinário em campanha solidária

G1 – Animais domésticos não poderão ser acorrentados em Praia Grande e Santos, SP

G1 – Resgate de animais em Salvador tem aumento de mais de 100% durante a pandemia

G1 – Pará, Amazonas e Mato Grosso somam 60% das queimadas de agosto; Pantanal é bioma mais afetado

G1 – Gato mourisco é encontrado dentro de casa em cidade da Bahia; FOTOS

G1 – Dois orangotangos são resgatados de cativeiro ilegal na Indonésia

Valor Econômico – Brasil envia adidos a Shenzeng para apurar contaminação de asas de frango por coronavírus

Valor Econômico – Hong Kong notifica Ministério da Agricultura sobre suspensão de frigorífico da Aurora

Mapa – Mapa incentiva a contratação do seguro aquícola no país

Embrapa – Embrapa realiza leilão virtual de animais

Embrapa – Melhoramento genético em bovinos é tema de Webinar da ABHB e Embrapa

Embrapa – Jovens do Leite: lançamento do programa de capacitação supera expectativas

Agrolink – Exportação de aves do Rio Grande do Sul cresce 34,3% no ano

Agrolink – MS: economia com processamento do leite pode alcançar 300%

Agrolink – Mercado firme e altas de preços do boi gordo

Agrolink – Melhoramento genético em bovinos é tema de Webinar da ABHB

Agrolink – Porcas de alta produção demandam cuidados específicos desde o nascimento

Anda – Orangotangos explorados em parque de diversões são salvos

Anda – Foca é forçada a puxar barco com crianças em parque na Bélgica

Anda – Brasil vivência pior início de temporada de incêndios na Amazônia em 10 anos

Anda – Governo quer matar javali após o animal fugir carregando notebook de nudista na Alemanha

Anda – Governo obriga tutores a entregar cães para restaurantes na Coreia do Norte

Anda – Justiça determina transferência imediata da elefanta Bambi para santuário

Anda – Milhares de botos são encontrados mortos no Mar do Norte
______________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »