Brasil assume conselho de entidade que combate a tuberculose no mundo

//Brasil assume conselho de entidade que combate a tuberculose no mundo
A presidência do Conselho da Stop TB Partnership, instituição internacional que busca eliminar a tuberculose no mundo, passa a ser do Brasil, a partir desta segunda-feira (9), quando o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, assume o comando do conselho da entidade por um período de três anos. “Eu aceitei um desafio que me foi colocado, mesmo sabendo das dificuldades que o cargo me impõe de Ministro da Saúde para coordenar mundialmente a Stop TB. No Brasil, conseguimos, graças à parceria com os secretários estaduais e municipais de saúde, cerca de 80% de tratamentos completados”, disse Mandetta. Segundo a Agência Brasil a instituição é reconhecida como um órgão internacional único, com capacidade de alinhar atores em todo o mundo na luta contra a tuberculose. A Stop TB conta com cerca de 1.700 representantes em mais de 100 países, incluindo governos, organizações internacionais, agências de pesquisa e financiamento, além de fundações e organizações não governamentais. Participam, atualmente, do conselho da instituição o ministro da Saúde da África do Sul, Aaron Motsoaledi, e o diretor executivo do Fundo Global de Combate à AIDS, Tuberculose e Malária, Peter Sands. A tuberculose está entre as 10 principais causas de morte em todo o mundo, com cerca de 10 milhões de novos casos anualmente. Segundo o Ministério da Saúde, no Brasil, em 2018, foram diagnosticados 76.228 casos novos de tuberculose, o que corresponde a um coeficiente de incidência de 36,6 casos para cada 100 mil habitantes. O número representa cerca de um terço de todos os casos registrados na região das Américas. Entre 2009 e 2018 houve queda média anual de 0,3% no coeficiente de incidência da doença. A tuberculose tem cura e tanto o diagnóstico como o tratamento são ofertados no Sistema Único de Saúde (SUS), sem custos aos cidadãos. Mas, para alcançar a cura, é preciso completar o tratamento que dura, em média, seis meses. Com o mandato de três anos na Stop TB, o Brasil, por meio do ministro Luiz Henrique Mandetta, tem a missão de ser porta-voz da luta mundial contra a tuberculose para reduzir a circulação da doença até 2035 – meta defendida pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Mutirão realizou diagnóstico precoce de câncer de pele em todo o país

Cinco mil dermatologistas participaram no último sábado (7), no Dia Nacional de Prevenção do Câncer de Pele, do mutirão de atendimento gratuito à população para o diagnóstico precoce da doença. A iniciativa marca o início da campanha Dezembro Laranja, promovida anualmente pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). O atendimento foi realizado de 9h às 15h, em todo o país, nos 130 postos espalhados em diversas cidades, que podem ser identificados no site da instituição. O primeiro mutirão foi realizado em Goiânia (GO), em 1998, tornando-se uma ação nacional a partir do ano seguinte. Desde 1999, o evento já beneficiou mais de 600 mil pessoas. Neste ano, a 21ª Campanha Nacional do Câncer de Pele deve atender 30 mil pessoas. Há cerca de cinco anos, o mutirão entrou para o livro de recordes Guiness como a maior campanha de uma especialidade médica. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, há cerca de 180 mil novos da doença por ano. Quando descoberta no início, a chance de cura é noventa por cento. O coordenador do Departamento de Cirurgia Micrográfica de Pele da SBD, Luiz Fernando Fleury, disse na última sexta-feira (6), em entrevista à Agência Brasil, que esse é o câncer mais frequente no ser humano, porque ocorre no maior órgão do corpo, que é a pele, onde há também a maior incidência. “Felizmente, a maioria não mata, mas isso não significa que não cause problemas, pois pode se infiltrar nos órgãos e levar à morte”. Há dois tipos de câncer de pele. O mais grave é o câncer de pele melanoma, que tem mais risco de provocar metástase. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), esse tipo de câncer “é mais frequente em adultos brancos” e pode aparecer em qualquer parte do corpo (pele ou mucosas), na forma de manchas, pintas ou sinais. Nas pessoas de pele negra, “pode ocorrer nas áreas claras, como palmas das mãos e plantas dos pés”. O número maior de diagnósticos feitos atualmente, aliada ao fato de que a população está vivendo mais, significa que haverá mais câncer de pele, do qual um dos fatores de risco é o aumento cumulativo da exposição à radiação ultravioleta. “À medida que a população vive mais, é natural que haja mais câncer de pele”, ressaltou o médico. A questão da proteção da pele contra os efeitos nocivos do Sol está mais fácil hoje do que há trinta ou quarenta anos, afirmou o dermatologista. “Temos mais recursos hoje, com filtro solar ou roupas de proteção”. O mutirão e a campanha da SBD reforçam a importância da prevenção e do diagnóstico precoces. “Mais do que prevenir contra os fatores de risco, é importante chamar a atenção para o diagnóstico precoce. Acho que esse é o grande mérito da campanha, porque o câncer de pele, assim como qualquer outro câncer, quanto antes for diagnosticado, melhores serão as taxas de cura. É maior a possibilidade de cura quanto antes for diagnosticado (o câncer)”, disse Fleury.

Especialistas reconhecem potencial farmacêutico da biodiversidade da Amazônia

A Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia, em conjunto com a Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Direitos dos Povos Indígenas, promoveu audiência pública na última quinta-feira (5) para examinar a importância da indústria farmacêutica amazônica. Para o deputado Edmilson Rodrigues (Psol-PA), é importante unir o conhecimento ancestral com a ciência.”Quando se potencializa cientificamente o conhecimento popular e o conhecimento ancestral dos povos indígenas, nós já temos um passo muito à frente que qualquer país possa dar em termos de produção de um conhecimento farmacológico e produção de uma medicina que contribua para gerar mais saúde e mais dignidade para o povo.” De acordo com a Agência Câmara o debate sobre produtos farmacêuticos amazônicos na Câmara ressaltou ainda o aspecto da biodiversidade da região, e como isso reflete positivamente no seu desenvolvimento. Para o representante do Conselho Federal de Farmácia, Wellington Barros da Silva, a biodiversidade amazônica tem um potencial incalculável. “É significativo porque muitos dos produtos utilizados hoje na moderna indústria farmacêutica, de cosméticos, de alimentos, na indústria de polímeros e na própria nova matriz energética, alternativa aos combustíveis fósseis, todo esse recurso provém da biodiversiade. Alguns de forma efetiva e outros de forma potencial.” A Organização Mundial da Saúde reconhece que o Brasil detém cerca de 20% da biodiversidade mundial, com dez mil espécies com potencial medicinal.

Comissão debate com juristas regulamentação de medicamentos feitos a partir da Cannabis

A comissão especial que analisa o Projeto de Lei 399/15, que trata da comercialização de medicamentos feitos com Cannabis sativa, tem reunião na próxima terça-feira (10) com a presença de juristas. O encontro foi pedido pelo deputado Eduardo Costa (PTB-PA), informou a Agência Câmara. O deputado lembra que existem evidências científicas sobre os benefícios terapêuticos do uso de extrato da cannabis sativa em tratamentos de inúmeras enfermidades tais como autismo, epilepsia, mal de Alzheimer, doença de Parkinson, neuropatias e câncer. Apesar das evidências, lembra Eduardo Costa, várias associações e pessoas estão à margem da lei, “cultivando e produzindo o insumo muitas vezes sem o registro ou cadastro, que existiria com a devida regulamentação”. Foram convidados para o debate: o coordenador da comissão de juristas que elaborou o anteprojeto de lei da nova lei sobre drogas, desembargador federal Ney Bello; membro da comissão de juristas que elaborou o anteprojeto da nova lei sobre drogas, e ex-secretário Nacional de Justiça, Beto Vasconcelos; membro da Comissão Especial de Assuntos Regulatórios da OAB Nacional, Rodrigo Mesquita; promotor de Justiça do Estado de São Paulo, Guilherme Athayde Ribeiro Franco; o farmacêutico e neurocientista Fabrício Pamplona; o diretor-executivo da Rede Jurídica pela Reforma da Política de Drogas, Emílio Nabas Figueiredo; e representante da Polícia Federal. A audiência será às 14 horas, em plenário a definir, e será interativa.

SAÚDE NA IMPRENSA

Agência Câmara – Comissão discute acessibilidade para idosos nas cidades

Agência Câmara – Especialistas reconhecem potencial farmacêutico da biodiversidade da Amazônia

Agência Câmara – Comissão debate com juristas regulamentação de medicamentos feitos a partir da Cannabis

Folha de S. Paulo – Stents não são melhores que remédios para prevenir infarto

Folha de S. Paulo – Crise dos enfermeiros marca debate eleitoral sobre ‘SUS do Reino Unido’

Folha de S. Paulo – Psicologia e planejamento urbano

Folha de S. Paulo – Como uma dieta equilibrada pode alterar seu humor e evitar até a depressão

Folha de S. Paulo – Com câncer incurável, jornalista escreve livro sobre a doença com crueza e humor ácido

Folha de S. Paulo – Ministério vê ‘desastre em andamento’ e manda evacuar 78 hectares em Maceió

Jornal Agora – Programa para recém-nascidos na capital paulista será ampliado

Jornal Agora – Plano de saúde deve pagar despesa de acompanhante

Jornal Agora – Gesto da família de Gugu pode impulsionar doação de órgãos pelo país

Jornal Agora – Ausência de informação visual confunde paciente em hospitais

Jornal Agora – Verão exige atenção redobrada na prevenção contra as micoses

O Estado de S.Paulo – Projeto ‘Novos Olhares’ leva humanização para área da saúde em hospitais do interior paulista

O Estado de S.Paulo – Vacina da gripe será dada a partir de 55 anos; criança terá reforço para febre amarela aos 4

Agência Brasil – Anvisa: Termina hoje prazo para sugestões sobre rótulos de alimentos

Agência Brasil – Brasil assume conselho de entidade que combate a tuberculose no mundo

Agência Brasil – Mutirão fará diagnóstico precoce de câncer de pele em todo o país

Jota – STF anula lei do RJ que criou exigências de notificações para planos de saúde

Portal Anvisa – CP sobre plasma sanguíneo recebe contribuições até 9/12

Portal ANS – ANS reúne representantes do setor de planos de saúde em Fortaleza (CE)

Agência Saúde – Central de Regulação facilita acesso às especialidades médicas

Agência Saúde – Brasília terá seu primeiro hospital oncológico público

Agencia Fiocruz – Métodos digitais de pesquisa em saúde são tema de seminário

Exame – Pesquisa aponta possível relação entre tintas de cabelo e câncer de mama

R7 – Parada cardíaca e ataque cardíaco são diferentes. Saiba os sintomas

Metrópoles – Manchas vermelhas na pele? Veja sete doenças que podem causá-las

Metrópoles – Teste simples com os dedos pode revelar se você está doente

__________________________________________________
O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »