Bolsonaro pede a Rússia liberação de frigoríficos

Home/Informativo/Bolsonaro pede a Rússia liberação de frigoríficos

 

O presidente Jair Bolsonaro e o presidente da Rússia, Vladimir Putin, conversaram por telefone nesta terça-feira (06). Entre outros assuntos como a vacina russa contra Covid-19, o presidente brasileiro pediu que os frigoríficos sejam liberados para exportar aos russos. De acordo com portal AgroLink o Brasil tem 46 unidades de bovinos, frangos e suínos sem restrições e 51 habilitadas mas com restrições temporárias. Segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), recentemente, autoridades russas sinalizaram a possibilidade de reduzir as tarifas para importações de carne de frango provenientes do Brasil. Neste sentido, há expectativa tanto por novas habilitações como também pela expansão dos volumes de carne de frango e de carne suína importados pelo principal mercado do Leste Europeu. No ano passado o Brasil vendeu 143,8 mil toneladas de carnes para a Rússia em 2020, negócios que renderam US$ 311,4 milhões. O principal produto comercializado é a carne de frango, com 83,6 mil toneladas, volume 30% maior que o vendido em 2019. Na sequência aparece a carne bovina, com 58,8 mil toneladas, mas que representaram maior valor: US$ 199,7 milhões contra US$ 108,7 milhões da venda de aves, segundo dados do Ministério da Agricultura. Apesar de ter cinco plantas habilitadas para a Rússia, o Brasil quase não vendeu carne suína em 2020. Foram apenas 100 toneladas, muito abaixo, por exemplo, das 918 toneladas de carne de cavalo vendidas no mesmo período. O baixo fluxo do produto deve-se aos investimentos da Rússia para produção de suínos internamente. São 30 unidades com permissão para exportar frangos e 11 para a venda de carne bovina. Muitos outros frigoríficos aparecem na lista de plantas habilitadas, mas com restrições, principalmente a partir de 2017. Para a exportação de carne de frango, por exemplo, são listadas 54 unidades no site do governo russo. Dessas, 23 têm restrições e uma teve a certificação suspensa. No caso da carne bovina, são 58 frigoríficos licenciados para exportar para a Rússia, mas 47 têm restrições temporárias. De carne suína, além dos cinco habilitados, outras 27 plantas estão com restrições.

Frente Parlamentar Ambientalista promove debate sobre caça

A Frente Parlamentar Ambientalista promove um debate virtual na noite desta quarta-feira (7) contra a caça no Brasil. Segundo a Agência Câmara a discussão poderá ser acompanhada, a partir das 19 horas, pelo canal do colegiado no YouTube ou no Facebook. Foram convidados para discutir o assunto com os deputados: – o presidente do Mater Natura do Instituto de Estudos Ambientais, Paulo Pizzi; – a presidente da Confederação Brasileira de Proteção Animal, Carolina Mourão; – o biólogo Roberto Cabral; e – o presidente da Associação Mata Ciliar, Jorge Bellix.

Circovirose suína: entenda como a doença afeta os plantéis

A Circovirose é uma das doenças mais importantes à nível econômico na suinocultura, pois sua presença nas granjas pode acarretar uma série de perdas zootécnicas que geram prejuízos para os criadores. A patologia tem como agente o Circovírus Suíno do tipo 2 (PCV2), que é altamente contagioso e resistente, destacou o portal AgroLink nesta quarta-feira (7). O vírus ataca o sistema imunológico dos animais e pode afetá-los em qualquer fase produtiva, desde o desmame até a terminação. Como afeta o tecido linfóide dos suínos, o PCV2 causa imunossupressão, facilitando a ação de outros patógenos, que geram co-infecções que agravam o quadro clínico dos animais afetados. Entre os agentes oportunistas mais comuns envolvidos nos casos de circovirose estão o vírus da Influenza suína e o Mycoplasma hyopneumoniae. A circovirose pode se manifestar clinicamente das seguintes formas: doença sistêmica, doença respiratória, doença entérica, doença reprodutiva e síndrome de dermatite e nefropatia. No caso dos leitões, o quadro mais comum é a síndrome de refugagem, que causa retardo no crescimento, anemia, icterícia e pode levar os animais a morte. Como afeta os animais em diversas fases do ciclo produtivo, a presença da circovirose na granja aumenta as taxas de mortalidade e gera uma série de prejuízos econômicos, associados às perdas zootécnicas, piora na conversão alimentar e gastos com tratamento. A prevenção é a melhor forma de manter os suínos protegidos contra a circovirose. Para auxiliar nessa missão, a Ceva, uma das maiores empresas de saúde animal do mundo que é referência no desenvolvimento de soluções para manutenção da sanidade das granjas, oferece ao mercado a Circovac. A vacina confere proteção robusta aos suínos contra a circovirose e protege os leitões pela vida toda. Além disso, a Circovac reduz a excreção viral, o que auxilia na diminuição da pressão de infecção na granja.  Circovac tem “C” de confiança, Circovac tem “C” de Ceva.

Como a tecnologia voltada aos cuidados animais impactará a pecuária brasileira

Quando falamos sobre inovação pensamos, geralmente, em uma ideia genial que revoluciona toda a maneira de fazer algo. De certa forma essa visão está correta, mas não está completa, informou o portal AgroLink nesta quarta-feira (7). As tecnologias das quais usufruímos hoje são possíveis porque muitos investimentos em pesquisa e desenvolvimento foram feitos ao longo dos anos, porque as pessoas começaram a construir alternativas às coisas que as cercavam, e que hoje dão frutos. O Brasil há muitos anos recebe a alcunha de “o celeiro do mundo” porque aprendeu a valorizar e utilizar seus recursos naturais de forma a se tornar um País extremamente competitivo quando o assunto é a exportação de commodities, por exemplo. As demandas do mercado também estão mais voltadas a fatores relacionados ao bem-estar animal: compradores de mercados mais exigentes, como os asiáticos, a exemplo de Hong Kong, China, priorizam fornecedores que ofereçam a chamada “grass-fed beef”, a carne produzida sobre pastagens. Esse fator acaba sendo um grande diferencial apresentado pelo agronegócio brasileiro, que é capaz de atender a essas demandas de forma bastante efetiva, pois possui recursos naturais – como pasto, água, grande produção de grãos e um clima favorável para que esses recursos sejam gerenciados ao longo de todo ano, ao contrário de países que precisam enfrentar estações muito frias que tornam a produção muito mais desafiadora. Ótima oportunidade para produtores brasileiros, que, em sua maioria, já fazem isso, trabalham com animais no pasto e, em alguns casos, só precisam aprimorar as técnicas de manejo e manutenção de suas criações. Como o maior exportador de proteína animal do planeta e com um crescimento do ramo pecuário, entre janeiro e outubro de 2020, de 21,95% e quando comparado ao mesmo período de 2019, de acordo com dados do Cepea Esalq/USP, a pecuária bovina brasileira une a experiência da lida diária do produtor com a modernidade que se apresenta e mostra a sua resiliência. É a isso que se deve o constante crescimento da oferta de soluções que permitem ao produtor ter melhor controle da prevenção de doenças em seus animais e, consequentemente, trazer mais qualidade de vida aos seus animais. Sem dúvidas, esse é um grande avanço para a pecuária, já que contribui e muito para uma melhor gestão de produção e para um manejo mais assertivo e cuidado com os animais. O que antes era visto como a pecuária do futuro, hoje já é a pecuária do presente. O emprego dessas tecnologias vai ao encontro da visão de saúde única, tão importante para o fortalecimento do nosso mercado. Temos sempre que pensar que, os cuidados com os animais impactam não somente no seu bem-estar, mas em toda a cadeia em que ele está inserido, inclusive na qualidade do alimento que nos é oferecido e na gestão sustentável de produção. Tudo está diretamente conectado, e esse equilíbrio é imprescindível para o avanço da nossa pecuária em todo o mundo.

NA IMPRENSA

Agência Câmara – Diego Andrade é novo líder da Maioria na Câmara

Agência Câmara – Frente Parlamentar Ambientalista promove debate sobre caça

O Estado de S.Paulo – Proteger os leões ajuda toda a cadeia alimentar nas reservas da África do Sul?

O Estado de S.Paulo – Como cuidar da saúde e da diversão dos pets na pandemia

G1 – Frigorífico fecha as portas e demite 410 funcionários em Cachoeira Alta

G1 – Filhote de girafa dá seus primeiros passos em zoológico de Miami, nos EUA; veja vídeo

G1 – Homem é preso suspeito de maus-tratos a animais em Betim

G1 – Polícia Civil resgata animais que seriam comercializados em Juiz de Fora

G1 – Nos últimos quatro anos, 960 animais resgatados pela Dibea foram adotados por famílias

Aleam – Joana Darc garante quase 4 toneladas de ração para protetores de animais

Valor Econômico – Bolsonaro pede a Putin que mais frigoríficos brasileiros sejam liberados para vender à Rússia

CNA – CNA debate atuação dos estados na concessão do Selo Arte para produtos artesanais e tradicionais

CNA – ATeG Leite e Balde Cheio são unificados

CNA – Agronordeste incrementa produção agropecuária em PE

AgroLink – Bolsonaro pede a Rússia liberação de frigoríficos

AgroLink – Associação lança Prêmio Top Produtor Carne Angus

AgroLink – Alimentação permite identificar o cio em vacas

AgroLink – Ovos: mercado ainda não apresenta a evolução esperada

AgroLink – Apesar da pandemia, embarques de carne de frango permanecem em níveis elevados

AgroLink – Consumo per capita de ovos pode crescer 6% no ano

AgroLink – Brasil tem cerca de 175 mil produtores de queijo

AgroLink – Leite: queda na produção, mas demanda fraca

AgroLink – Terceiro mês de queda no preço do leite pago ao produtor

AgroLink – Circovirose suína: entenda como a doença afeta os plantéis

AgroLink – Tecnologia para revolucionar a avicultura

AgroLink – Alta na cotação da arroba do boi gordo

AgroLink – Como a tecnologia voltada aos cuidados animais impactará a pecuária brasileira

AgroLink – Asgav orienta consumidor a comprar ovos com selo de referência

AgroLink – Estudo compara desempenho em três tipos de ILP

Anda – Égua e filhote recém-nascido são brutalmente mortos com golpes de facão em MG

Anda – Onça recebe dentes de porcelana após sofrer desgaste dentário que impediria sobrevivência na natureza

Anda – Abandonada para morrer, cadela luta para sobreviver após resgate

Anda – Cadela morta a pauladas é jogada em buraco e agressor é preso

Anda – Ambientalista critica parecer que incentiva exploração de cavalos em carroças

Anda – Cadela é adotada após esperar em hospital por tutor que morreu de Covid-19: ‘exemplo de fidelidade’

Anda – Especialistas fundam primeira associação de juristas pela defesa animal da Espanha

Anda – Cão chora de saudade de tutor que o abandonou com pata quebrada em meio à mata

Anda – Animais são feridos com flechadas e polícia investiga o crime em Piracicaba (SP)

Anda – Estudo conclui que 71% dos tutores não teriam suportado pandemia sem animais

Anda – Investidores do Reddit usam os recursos do GameStop para ajudar a proteger os gorilas

Anda – Detentos constroem casinhas de madeira para cães abandonados: ‘a gente faz com amor’

Portal do Agronegócio – Tecnologia da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de SP aumenta em 20% o ganho de peso de peixes panga

Portal do Agronegócio – Apesar da pandemia, embarques de carne de frango permanecem em níveis elevados

Portal do Agronegócio – Itapitocai ofertará 1,2 mil animais cruza Angus no 12º Remate de Produção

Portal do Agronegócio – Mercado de suínos apresenta reação para o animal vivo em alguns Estados

Revista Globo Rural – Setor de carnes quer isenção de taxa para importar milho e registros de exportação

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »