Boletim NK – Veterinários terão curso sobre Cannabis Medicinal

//Boletim NK – Veterinários terão curso sobre Cannabis Medicinal

Veterinários terão curso sobre Cannabis Medicinal

A Dr. PetCannabis vai realizar, nos dias 30 e 31 de janeiro (sábado e domingo), o primeiro curso canabinologia na Medicina Veterinária do Brasil, com o objetivo de formar médicos veterinários prescritores de cannabis medicinal. Segundo uma série de estudos recentes, a cannabis medicinal pode ajudar não apenas os humanos mas, também, seu bichinho de estimação.  O curso acontecerá das 9h às 18h, em ambos os dias, através da plataforma de conferências online Zoom. O valor para se tornar um veterinário prescritor é R$ 700,00 e a inscrição pode ser feita clicando aqui.

Sobretudo, quem participar do curso poderá aprender sobre: receptores, dinâmica e efeito entourage; atuação sistêmica dos fitocompostos da Cannabis; potenciais terapêuticos; biologia e utilização da cannabis; tipos de genéticas; plantio da semente a colheita e equipamentos do cultivo indoor e outdoor; potencial paliativo da Cannabis para casos veterinários terminais; Fitocanabinoides e suas interações com demais substâncias; concentrações e dosagens mais adequadas para pets; cannabis x ortopedia; cenário jurídico na medicina veterinária. Além disso, o curso conta também com casos clínicos para potencializar o aprendizado. A divulgação é do portal SEChat.

 

Tecnologia no reforço da sanidade animal entra em nova fase

A análise dos últimos focos de febre aftosa registrados no Rio Grande do Sul, há 20 anos, vai contribuir para a definição dos parâmetros utilizados nos modelos matemáticos que determinam a velocidade e direção da disseminação do vírus em caso de reintrodução da doença. “É possível usar parâmetros descritos da literatura, mas com realidades distantes do que ocorreu no estado. Com essa retrospectiva, poderemos simular – com maior precisão – o tamanho do foco, seus impactos, e a quantidade necessária de vacinas para aplicação emergencial, não só para o RS, mas para todo o país”, explica Diego Viali dos Santos, do Programa Nacional de Vigilância para a Febre Aftosa.

A afirmação ocorreu durante reunião virtual, nesta terça (19), que marcou o início oficial do trabalho da segunda fase do convênio do Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal do RS com a Universidade da Carolina do Norte (NCSU), o Ministério e a Secretaria da Agricultura. O professor Gustavo Machado, da NCSU, apresentou as temáticas que serão abordadas nesta etapa: a automatização da análise de movimentação animal, o desenvolvimento de modelos matemáticos de espalhamento de doenças exóticas, a implementação de planos de biossegurança nas propriedades com maior número de conexões e o apoio ao Programa Sentinela sobre trânsito de animais e abigeato na fronteira. As informações são do portal Agrolink.

Na parte de automatização, os técnicos da Secretaria da Agricultura receberão treinamento para utilizar o “RabApp” (Rapid Access Biosecurity), um aplicativo que permitirá a qualquer servidor realizar a análise de movimentação, democratizando o acesso às informações geradas pelos modelos matemáticos. “Esse aplicativo foi desenvolvido para uso nos Estados Unidos, mas será criada uma versão para o Rio Grande do Sul, trazendo agilidade no uso das informações e permitindo a análise da movimentação retroativa em propriedades suspeitas, para todas as espécies de animais”, afirma Gustavo Machado.

 

Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores avançou nas áreas de tecnologia e melhoramento genético

Em um ano atípico e de incertezas, proporcionado pelo grande desafio de saúde pública que enfrentamos em face à nova pandemia, 2020 encerrou com grandes lições, sendo a principal delas a capacidade de se adaptar ao novo. E foi exatamente isso o que a Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores (ANCP) conseguiu realizar, e com grande êxito. Apesar das restrições, a entidade cumpriu todos os seus objetivos, se aproximou ainda mais de seus associados e ainda avançou nas áreas de tecnologia e melhoramento genético. Ao longo do ano, investiu na qualidade da informação genômica, no avanço e lançamento de novas tecnologias, além de promover a disseminação do conhecimento.

Desenvolvida em parceria com a Embrapa Cerrados e a Universidade da Califórnia (Davis/EUA), a nova DEP, lançada em 2020 para a raça Nelore, traz informações sobre altura e idade do animal, carcaça aferida por ultrassom, incluindo as medidas para área de olho de lombo, espessura de gordura subcutânea e espessura de gordura na picanha. Tais características aumentam significativamente a capacidade de predizer o frame de animais da raça Nelore. A expectativa é que com a utilização da nova DEP o produtor possa decidir o biotipo mais adequado ao seu negócio, levando em consideração o objetivo econômico da propriedade, sua localização e o ambiente de criação. O frame é importante na decisão de manejo em sistemas de bovinos de corte, adequando o tamanho do animal ao sistema de criação no qual está inserido.

Outra novidade foi a incorporação de informação fenotípica de dados de animais de FIV (fertilização in vitro) para as DEPs de Peso e de Perímetro Escrotal, aos 450 dias de idade. O objetivo é avaliar a viabilidade dessas informações. Além disso, serão incluídas na avaliação genética as receptoras cadastradas no banco de dados da ANCP. Fernando Baldi, diretor de Pesquisa e Inovação da ANCP, esclarece que se trata de um progresso importante para uma demanda muito antiga e acredita que esse é o primeiro programa de melhoramento genético brasileiro que vai avaliar informações fenotípicas de animais FIV. As informações foram apuradas pelo portal Agrolink.

 

Leptospirose bovina preocupa com aumento das chuvas

A intensificação das chuvas nesse período é propícia para a proliferação de diferentes microrganismos causadores de doenças, como a leptospirose, que acomete diversas espécies de animais, incluindo os bovinos. A infecção causa abortamentos em vacas no final da gestação na forma crônica da doença. Já na fase aguda, em bovinos jovens e adultos, ocorrem lesões renais que podem levar à falência renal e à morte.

De acordo com o médico veterinário Raul Mascarenhas, da Embrapa Pecuária Sudeste (São Carlos – SP), os prejuízos para o pecuarista estão associados principalmente ao abortamento. “Como ocorre apenas ao final da gestação, muito provavelmente a vaca irá permanecer mais de um ano sem produzir leite. Outro prejuízo é a perda do bezerro, que pode ser uma fêmea leiteira ou um animal de elevado valor genético”, explica Mascarenhas. O veterinário ressalta que ao evitar casos de abortamento, o produtor já paga o investimento de um ano em medidas preventivas adotadas.

O veterinário recomenda fazer o diagnóstico de forma rotineira no rebanho em casos da presença da Leptospira spp nos animais de uma propriedade e também conhecer qual sorogrupo é predominante. Isso é feito por meio de exames de sangue. “Por que isso é importante? Suponha que ao fazer exames de sangue nos animais, o sorogrupo mais comum encontrado seja o ‘Icteriohaemorrhagiae’, comum de roedores. Portanto, os ratos possuem um papel importante na transmissão da doença nesse rebanho. Ou pode ser que o sorogrupo predominante seja o “Hardjo“, mais comum de bovinos. Nesse caso, a transmissão da doença ocorre principalmente por meio dos próprios bovinos”, esclarece. A entrevista foi concedida para a Revista Rural

Com essas informações o produtor poderá definir a melhor estratégia de controle e prevenção. Se o problema for a Leptospira transmitida por ratos, o pecuarista terá que fazer um controle mais eficiente de roedores, mantendo os ambientes limpos de restos de comida, uso de armadilhas, acondicionamento e proteção da ração em depósitos, higienização frequente das instalações, etc. Se a transmissão estiver ocorrendo entre os próprios bovinos, Mascarenhas aconselha que o produtor foque em medidas que evitem a infecção, como redução e cercamento de áreas alagadas, vacinação e tratamento dos animais.

 

NA IMPRENSA

 

Revista Rural – Nova espécie de abelha é descoberta em Goiás

Revista Rural – Leptospirose bovina preocupa com aumento das chuvas

Revista Rural – Tratamento de doenças pela água é mais efetivo e prático

Revista Rural – Suplementação pode ser aliada no processo de desmame dos leitões

Valor Econômico – Vendas globais da Basf crescem 8% no quatro trimestre

Agrolink – Em 10 dias, exportações de carne suína já são metade de janeiro de 2020

Agrolink – FAEP e IAT lançam material com orientação sobre barragens

Agrolink – ANCP avançou nas áreas de tecnologia e melhoramento genético

Agrolink – Ijuí terá serviço para análise da qualidade do leite

Agrolink – Tecnologia no reforço da sanidade animal entra em nova fase

Mapa – Grupo de Trabalho vai avaliar técnicas sustentáveis para a pesca da piracatinga

ND+ – Associação R3 Animal divulga balanço de 2020 com reabilitação de 303 animais marinhos

G1 – Prefeitura de Nova Odessa retoma programa de castração gratuita de animais

Midiamax – Após queimadas, Conselho avalia local para centro veterinário na Serra do Amolar

SEChat – Veterinários terão curso sobre Cannabis Medicinal

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »