Boletim NK – Tecnologia no reforço da sanidade animal entra em nova fase

Home/Informativo/Boletim NK – Tecnologia no reforço da sanidade animal entra em nova fase

Tecnologia no reforço da sanidade animal entra em nova fase

A análise dos últimos focos de febre aftosa registrados no Rio Grande do Sul, há 20 anos, vai contribuir para a definição dos parâmetros utilizados nos modelos matemáticos que determinam a velocidade e direção da disseminação do vírus em caso de reintrodução da doença. “É possível usar parâmetros descritos da literatura, mas com realidades distantes do que ocorreu no estado. Com essa retrospectiva, poderemos simular – com maior precisão – o tamanho do foco, seus impactos, e a quantidade necessária de vacinas para aplicação emergencial, não só para o RS, mas para todo o país”, explica Diego Viali dos Santos, do Programa Nacional de Vigilância para a Febre Aftosa.

A afirmação ocorreu durante reunião virtual, que marcou o início oficial do trabalho da segunda fase do convênio do Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal do RS com a Universidade da Carolina do Norte (NCSU), o Ministério e a Secretaria da Agricultura. O professor Gustavo Machado, da NCSU, apresentou as temáticas que serão abordadas nesta etapa: a automatização da análise de movimentação animal, o desenvolvimento de modelos matemáticos de espalhamento de doenças exóticas, a implementação de planos de biossegurança nas propriedades com maior número de conexões e o apoio ao Programa Sentinela sobre trânsito de animais e abigeato na fronteira.

Como apurado pelo Vida Rural, na parte de automatização, os técnicos da Secretaria da Agricultura receberão treinamento para utilizar o “RabApp” (Rapid Access Biosecurity), um aplicativo que permitirá a qualquer servidor realizar a análise de movimentação, democratizando o acesso às informações geradas pelos modelos matemáticos. “Esse aplicativo foi desenvolvido para uso nos Estados Unidos, mas será criada uma versão para o Rio Grande do Sul, trazendo agilidade no uso das informações e permitindo a análise da movimentação retroativa em propriedades suspeitas, para todas as espécies de animais”, afirma Gustavo Machado.

 Serviços para pets crescem 17% em cinco anos, segundo Instituto Pet Brasil

Considerado como um dos mais promissores do mercado brasileiro, o segmento de serviços para pets – como banho e tosa, hotéis e creches, passeadores, pet sitters e adestramento vem crescendo no País. Segundo o Instituto Pet Brasil (IPB), somente entre 2015 e 2019, o número de empresas atuantes no varejo e serviços pet saltou cerca de 17%. Eram 36.800 em 2015 e em 2019 já eram cerca de 42 mil empresas. Os números não levam em consideração os serviços veterinários, o pet vet, que representa 11,8% do faturamento do setor, de acordo com os dados mais recentes do IPB. A malha de serviços espalha-se de acordo com a população de animais de estimação no país. São Paulo, estado mais “pet-populoso” concentra 25% de todas as empresas atuantes no varejo pet. Em seguida, Minas Gerais (13,2%) e Paraná (8,41%).

“Em especial em 2020, onde atravessamos um cenário desafiador para todo o varejo nacional, o varejo pet e seus serviços mostraram resiliência e forte poder da adaptação”, comenta o presidente-executivo do IPB, Nelo Marraccini em entrevista ao Cães&Gatos.

O mercado pet brasileiro apresentou projeção de crescimento de 13,5% em 2020 em relação aos números de 2019. Os dados dão conta de um faturamento previsto para R$ 40,1 bilhões no ano passado. A cifra é 6,88% maior do que aquela projetada nos primeiros seis meses de 2020. Pet food e produtos veterinários lideram, com alta de faturamento de, respectivamente, 22,5% e 16%.

“Os empregos gerados pelos serviços pet também seguem em alta, foram mais de 27 mil empregos formais gerados nos últimos cinco anos – prossegue o representando do IPB – e de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, do Governo Federal, o varejo pet saltou de 124.8 mil empregos em 2015, para mais de 152 mil empregos em 2019”.

 

Haras Rosa Mystica implanta chip em éguas, e com isso melhora qualidade do atendimento durante partos

Os potros recém-nascidos, também chamados de neonatos, são frágeis e susceptíveis às doenças. Salvar a vida de um potro, na maioria das vezes, pode ser uma questão de horas, ou seja, se não houver interferência logo após a constatação de sintomas indicativos de que algo não vai bem durante o parto, o risco de morte será muito alto. Sabendo disso, o Haras Rosa Mystica buscou por uma tecnologia ainda não produzida no Brasil. O chip é importado e inserido nas éguas prenhas no último mês de gestação, a fim de garantir que o nascimento do potro, que normalmente ocorre de madrugada, possa ser assistido pelo médico veterinário e assim sejam feitos os primeiros procedimentos ao neonato, garantindo que égua e filhote estejam em condições ideais para o nascimento, por exemplo.

O processo de implantação, segundo Nilson, sócio proprietário do Haras Rosa Mystica. é simples e indolor. Ele explica que próximo ao período do nascimento, o médico veterinário faz a instalação do sensor na vagina da égua por meio de um procedimento com anestesia local e ponto cirúrgico. A égua não percebe que este sensor está implantado. O pequeno objeto não causa nenhum tipo de alergia e é mantido constantemente limpo pelos tratadores.

Assim que se inicia o trabalho de parto da égua, o potro força a vagina e afasta o sensor magnético que emite o aviso e o alarme é disparado na casa do tratador. Este é encarregado de avisar o médico veterinário e providenciar os materiais de cuidados ao neonato. “Por meio dessa tecnologia é possível observar o quanto antes problemas como consistência das fezes, grau de hidratação, nistagmo (doenças nos olhos do animal), se está deglutindo o leite, se há refluxo, se urina normalmente, se os cascos estão bem formados. Além de avaliar a égua, identificar se houve sinais de traumatismo na vagina, se ela está emitindo algum sinal de dor, se foi machucada internamente”, pontuou Nilson, em entrevista ao Portal do Agronegócio.

O alerta também garante que mãe e filhote estejam em local ideal  de nascimento, evitando cercas, barrancos, sujeira, lama, pois nem sempre as éguas livres em pastos estão em ambientes controlados e adequados, como cocheiras maternidades.

Suécia vai abater 1,3 milhão de frangos após surto de gripe aviária em granja

A Suécia vai abater cerca de 1,3 milhão de frangos após a confirmação de gripe aviária em uma fazenda no sudoeste do país, informou o Conselho de Agricultura do país. A variante H5N5 da gripe aviária foi descoberta no maior produtor de ovos da Suécia, perto da cidade de Monsteras, em 18 de janeiro.

“Infelizmente, a doença se espalhou dentro das instalações, o que significa que uma grande parte de todos os animais, cerca de 1,3 milhão, serão abatidos e destruídos”, ressaltou o Conselho de Agricultura, em comunicado. As informações foram verificadas pelo Portal do Agronegócio.

 

NA IMPRENSA

 

Agência Câmara – Projeto institui política de incentivo ao turismo rural

IstoÉ – Gorila tratado com anticorpos sintéticos superou quadro grave de covid-19 nos EUA

IstoÉ – Dinamarca indenizará criadores de vison com de US$ 3 bilhões

IstoÉ – Miami Heat usará cães farejadores de coronavírus na volta da torcida ao ginásio

FIOCRUZ – ICTB promove aula aberta sobre métodos alternativos ao uso de animais de laboratório

Vida Rural – Tecnologia no reforço da sanidade animal entra em nova fase

Cães&Gatos – Pesquisadores indicam relação entre microbioma intestinal e artrite em cães

Cães&Gatos – Mercado brasileiro: Serviços para pets crescem 17% em cinco anos, segundo Instituto Pet Brasil

Portal do Agronegócio – Centros de recursos pesqueiros e aquicultura da Codevasf produziram 8,3 milhões de peixes em 2020

Valor – USDA retira proposta que pretendia acelerar produção de frango nos EUA

Valor – Grãos mais caros puxam forte alta de custos de produção de suínos no país

Agrolink – Brasil inicia registro de bovinos Speckle Park

Agrolink  – Custos de produção de suínos cresceu quase 50% e de aves 39% em 2020

Agrolink – Os desafios críticos da produção avícola industrial passam pelo uso da tecnologia

Agrolink – Produção global de rações aumenta 1%

Portal do Agronegócio – Carrapato do bovino: é preciso estar atento a vários fatores para um controle efetivo do parasita no rebanho leiteiro

Portal do Agronegócio – Haras Rosa Mystica implanta chip em éguas, e com isso melhora qualidade do atendimento durante partos

Portal do Agronegócio – Divisão de pets da Boehringer Ingelheim Saúde Animal anuncia parceria com biofarmacêutica no Reino Unido

Globo Rural – Suécia vai abater 1,3 milhão de frangos após surto de gripe aviária em granja

 

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »