Boletim NK – Surto de vírus na China expõe perigos do comércio exótico de animais selvagens

//Boletim NK – Surto de vírus na China expõe perigos do comércio exótico de animais selvagens
Surto de vírus na China expõe perigos do comércio exótico de animais selvagens
Um novo coronavírus que se espalha a partir da cidade chinesa de Wuhan colocou em evidência o pouco regulamentado comércio de animais selvagens da China – impulsionado pela demanda incansável por iguarias e ingredientes exóticos para a medicina tradicional. Os mercados chineses, onde animais selvagens e caçados muitas vezes de maneira ilegal ficam juntos, foram apontados como um terreno fértil para doenças e uma incubadora onde diversos vírus se desenvolvem e rompem a barreira das espécies para os seres humanos. De acordo com o portal Terra, mais de 500 pessoas foram infectadas pelo novo vírus semelhante à gripe que, segundo as autoridades, emergiu de animais silvestres comercializados ilegalmente em um mercado de frutos do mar na cidade central da China. O número de mortos chegou a 17 e deve aumentar. “A origem do novo coronavírus é a vida selvagem vendida ilegalmente em um mercado de frutos do mar de Wuhan”, disse Gao Fu, diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças da China. Pesquisas preliminares sugeriram que, no estágio mais recente de sua evolução, o vírus de Wuhan foi transmitido aos seres humanos por cobras. Mas o consultor médico do governo chinês Zhong Nanshan também identificou texugos e ratos como possíveis fontes. “A parte do bem-estar animal é óbvia, mas muito mais oculta é o acúmulo e a mistura de todas essas espécies em uma área muito pequena, com secreções e urina juntas”, disse Christian Walzer, diretor executivo da Wildlife Conservation Society em Nova York.

Cuidados com manejo de caprinos e ovinos podem evitar ataques de predadores

Ataques de predadores são uma preocupação na rotina de produtores de caprinos e ovinos. Investidas de onças, raposas, gaviões e outros animais podem causar perdas em rebanhos, com consequente prejuízos para sistemas de produção. Algumas recomendações simples de manejo, porém, podem evitar algumas dessas ocorrências e minimizar os problemas produtivos. Segundo o médico veterinário Marcílio Frota, analista da Embrapa Caprinos e Ovinos em Sobral (CE), dois cuidados de manejo são fundamentais: recolher os rebanhos para instalações ao fim da tarde e proteger os animais em condições mais vulneráveis, como as crias. A primeira recomendação acontece porque boa parte dos predadores têm hábitos noturnos. A segunda, porque esses animais, mais frágeis, são vítimas preferenciais da caça dos predadores. Confome publicação da Embrapa, os ataques são mais comuns em ambientes de matas ou florestas do que em pastagens. Mesmo assim, reforçar piquetes com telas ou cercas também é útil para proteger contra as investidas. Um manejo de cria e recria que mantenha animais mais jovens próximos da atenção do manejador também é recomendável. “Uma sugestão é você ter locais como piquetes, onde as fêmeas venham a parir, próximos às instalações da fazenda”, recomenda Marcílio, lembrando que recém-nascidos são vítimas de ataques de animais como os gaviões carcarás, que podem matar ou ferir com gravidade os cabritos ou borregos. Na fauna brasileira é possível identificar animais como onças, raposas e gaviões entre os principais predadores (animais que atacam com objetivo de se alimentar) de caprinos e ovinos. Em alguns biomas, como o Pantanal, as serpentes de maior porte, como a sucuri, também podem devorar os pequenos ruminantes.

Lei formaliza adoção de animais em estabelecimentos comerciais no Amazonas

Está determinado por lei que estabelecimentos que recebem animais para adoção os registrem em termo formal. A lei nº 5.120 de 15 de janeiro de 2020, de autoria da deputada estadual Joana Darc (PL), indica que pet shops, estabelecimentos agropecuários, clínicas veterinárias ou similares que recebem e disponibilizam animais para adoção, de forma gratuita ou paga, registrem o ato em um documento chamado termo de adoção, como forma de resguardar as condições de saúde e vida do animal. De acordo com a lei, os estabelecimentos deverão apresentar o termo de adoção com a cópia do documento de identificação de quem adotou aos órgãos públicos, sempre que solicitado. De acordo com reportagem do portal ANDA, o termo de adoção deverá ser mantido pelo estabelecimento por período mínimo de 18 meses. A lei tem por finalidade a proteção à vida, a prevenção contra o abandono e o combate aos maus-tratos de animais. De acordo com Joana Darc, a demanda surgiu com a necessidade do controle e da destinação dos animais doados por pet shops e estabelecimentos similares. Os estabelecimentos descritos no projeto que descumprirem a lei serão passíveis de advertência escrita e intimação na primeira infração, para que possam se adequar. Em caso de reincidência, poderão receber multa de até R$ 342,00. As multas serão revertidas ao Fundo Estadual de Meio Ambiente e destinadas a atividades de bem-estar animal vinculadas à Secretaria de Estado do Meio Ambiente.

Hotel nos Estados Unidos é projetado para animais e deixa humanos em segundo plano

Caso você tenha um cachorro ou um gato (ou talvez os dois, juntos e misturados), certamente já escolheu um hotel específico somente por ele aceitar animais de estimação, não é mesmo? Mas você já se hospedou em um hotel onde o hóspede principal é o seu cachorro ou gato? É o que faz o hotel  Best Friends Roadhouse e Mercantile, em Utah, estado da região oeste dos Estados Unidos. Segundo o portal ANDA, o hotel fica a 8 km ao sul do famoso Santuário de Animais Best Friends, que recebe animais órfãos e perdidos, oferecendo abrigo e atualmente comportando quase 1.600 animais como gatos, cães, coelhos, pássaros e cavalos. No entanto, como o espaço foi completamente projetado para os animais, você pode ter dificuldades para entrar e sair do ambiente. A estrutura do hotel conta com 40 quartos e suítes, além de um parque cercado para cães, estação de banho e um armazém geral. Os animais também podem ser levados para passeio, mediante o pagamento de uma taxa.

NA IMPRENSA
Panorama Farmacêutico – Medicamentos vencidos e animal morto são encontrados em clínica veterinária em Uberaba

Terra – Surto de vírus na China expõe perigos do comércio exótico de animais selvagens

Embrapa – Cuidados com manejo de caprinos e ovinos podem evitar ataques de predadores

Ibama – Ibama identifica cerca de 100 transações irregulares entre criadores amadores de pássaros em Alagoas e São Paulo

Ibama – Ibama realiza soltura de 5 mil filhotes de tartaruga no Rio Tapajós (PA) e lança livro sobre plano nacional para conservação de quelônios amazônicos

G1 – Comedouros comunitários para animais de rua são instalados em Tangará da Serra (MT)

G1 – Mulher doa cachorro gigante, se arrepende e Justiça nega devolução do animal em Cuiabá

G1 – Vai viajar nas férias? Confira quais os cuidados que precisa ter com seu pet

O Povo – Homem é preso por maus-tratos de animais em Cascavel

Portal do Holanda – Lei formaliza adoção de animais em estabelecimentos comerciais no Amazonas

Paraná Portal – Podem os animais demandar seus direitos em juízo?

Metrópoles – Carnapet! Brasília tem dois eventos de pré-Carnaval para animais

Folha de S. Paulo – Reinaldo José Lopes – Degradação ambiental, interação com animais e população densa são receita para novos vírus

ANDA – Justiça autoriza pet shop a vender animais após prática ser proibida em Santos (SP)

ANDA – Novo México, nos EUA, aprova caça de animais

ANDA – Hotel nos EUA é projetado para animais e deixa humanos em segundo plano
_____________________________________________________

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »