Boletim NK – Setor aeroagrícola quer ser incluído em medida que poderá permitir compra de etanol nas usinas

//Boletim NK – Setor aeroagrícola quer ser incluído em medida que poderá permitir compra de etanol nas usinas
Setor aeroagrícola quer ser incluído em medida que poderá
permitir compra de etanol nas usinas
O presidente do Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag), Thiago Magalhães Silva, esteve nessa quarta-feira (29) no Ministério da Economia propondo a inclusão das empresas de aviação agrícola em uma possível medida do governo para permitir a venda direta de etanol das usinas para postos de combustíveis. A intenção e possibilitar que os operadores com aeronaves movidas a biocombustível também possam fazer suas compras a granel diretamente das usinas. Segundo o portal Agrolink, Nagalhães estava acompanhado do tesoureiro do Sindag, Francisco Dias da Silva, e os dois conversaram com o diretor de Desburocratização da Secretaria Geral de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Geanluca Lorenzon. “Explicamos que as empresas aeroagrícolas também compram grande quantidade de combustível e que a medida daria um alívio considerável no custo operacional a frota a etanol”, ressalta o presidente. A estimativa do Sindag é de que a economia poderia ficar entre 30 e 60 centavos por litro. “Mas muita gente desconhece que uma parte significativa da frota aeroagrícola brasileira (que é a segunda maior do mundo) é movida a etanol”, completa Magalhães.

Agência dos EUA conclui que glifosato ‘é improvável’ de causar câncer

A Agência de Proteção Ambiental americana (EPA, na sigla em inglês) concluiu que o glifosato “é improvável” de provocar câncer em humanos e que não oferece riscos à saúde humana desde que usado de acordo com as instruções das embalagens. O órgão exigiu, porém, que as embalagens passem a apresentar informações para mitigar o desvio de produto para fora da área do cultivo-alvo, que costuma ocorrer em pulverizações – situação conhecida como deriva.  De acordo com reportagem do Valor Econônimico, a agência americana reavalia o risco dos agrotóxicos registrados no país a cada 15 anos. Nos EUA, o glifosato é registrado desde 1974. Sobre os impactos ambientais, a agência afirmou que, no caso das abelhas, o risco do glifosato é considerado baixo, considerando uma determinada taxa de aplicação. Para as borboletas-monarcas, cuja população está diminuindo na América do Norte, a EPA concluiu que o risco para as asclépias — plantas que são o único alimento das lagartas-monarcas e que são atingidas pelo herbicida — é similar ao de outras plantas terrestres, que está relacionado à deriva de pulverizações. Por isso, a EPA informou está impondo novas medidas para mitigar os efeitos negativos. As embalagens terão que ter recomendações sobre condições de pulverização para evitar a deriva, indicando, por exemplo, para o agricultor não pulverizar em épocas de mudança de temperatura ou para não realizar aplicação aérea quando o vento está acima de uma determinada velocidade.

Bayer cogita suspender vendas de glifosato a jardineiros amadores

Em meio a uma avalanche de processos que atrelam o uso do glifosato à causa de câncer nos EUA, a multinacional alemã Bayer cogita suspender as vendas do produto a jardineiros amadores, conforme informou ontem o jornal alemão Handelsblatt. Segundo a reportagem do Valor Econômico, esse público representa uma pequena parcela do negócio da Bayer, sendo que 90% das vendas do Roundup são direcionadas a agricultores profissionais. Por outro lado, os amadores formam uma grande massa entre os demandantes dos mais de 42 mil processos contrários à companhia. A exposição ao glifosato foi associado linfoma non-Hodgkin, um tipo de câncer com origem nas células do sistema linfático. Consultada pelo jornal alemão para comentar a intenção da companhia de suspender as vendas aos jardineidos amadores, a advogada Elizabeth Chamblee Burch, professora da Universidade da Geórgia, disse que, a princípio, faz sentido a Bayer restringir o uso do produto. “Mas isso não resolve o problema de ações que podem surgir por parte de quem já usou o glifosato”, disse. Na visão dela, o assunto é delicado porque pode dar a entender que a empresa está assumindo certa culpa pelo ocorrido.

Governo lança proposta para fiscalização por autocontrole

O Ministério da Agricultura prepara uma medida provisória para estabelecer a fiscalização por autocontrole de produtos de origem animal e vegetal, fertilizantes, medicamentos veterinários, ração, sementes e insumos em geral. O objetivo é tornar obrigatória a implantação de programas de autocontrole, mais amplos do que os sistemas de controle de qualidade já exigidos. O Valor Econômico, que obteve acesso à minuta da proposta, publicou reportagem contando que ela já sendo discutida com o setor privado. Uma das novidades é a criação de um programa de incentivos para estimular mais transparência e fluxo de informações das empresas. A ideia é que, por meio de um sistema de rating de adesão voluntária, as melhores classificadas recebam um “atendimento prioritário” do Ministério da Agricultura. Em troca, as companhias terão de oferecer mais detalhes do que no autocontrole padrão, como disponibilizar as análises de controle de qualidade à fiscalização. A proposta tem potencial para gerar polêmica. Em tese, empresas com maior poder de investimentos poderiam sair na frente em processos como o de habilitação para exportação – esse já é um tema que gera discórdia. O Ministério ainda avalia o melhor momento para publicar a medida provisória ou até se vai optar por transformá-lo em projeto de lei para análise do Congresso.

NA IMPRENSA
Sindag – ONU deve intensificar operações aéreas contra gafanhotos na África

Agrolink – Setor aeroagrícola quer ser incluído em medida que poderá permitir compra de etanol nas usinas

Agrolink – Nova legislação de agroquímicos entra em vigor na Argentina

Agrolink – 2,4-D: a polêmica necessária

Valor Econômico – Agência dos EUA conclui que glifosato ‘é improvável’ de causar câncer

Valor Econômico – Bayer cogita suspender vendas de glifosato a jardineiros amadores

Zero Hora – Colheita do milho no RS deverá ser a pior desde seca de 2012

Zero Hora – Preços do trigo e do leite batem recorde em 2020

Canal Rural – O que o agro reserva para homens e mulheres em 2020?

Estadão – Acordo entre EUA e China deve reduzir exportações do agronegócio brasileiro

Dinheiro Rural – Política externa de Bolsonaro prejudica o agronegócio brasileiro, afirma pesquisador de Harvard

Dinheiro Rural – PIB do agronegócio cresce 1,15% entre janeiro e outubro de 2019

O Pantaneiro – Agronegócio: um bom exemplo de pecuária de precisão

A Gazeta – Chuvas deram R$ 88 milhões de prejuízo ao agronegócio do ES

Gazeta do Povo – “Campo desconectado: falta de acesso à internet afeta o agronegócio no Paraná”

Diário da Amazônia – Rondônia firma protocolo de integração do agronegócio

Notícias Agrícolas – Entrevista com Cesar de Castro Alves – Consultor de Agronegócio do Itaú BBA sobre o Mercado do Boi Gordo
________________________________________

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »