Boletim NK – Pesquisa inicia coleta de amostras para investigar covid em animais

//Boletim NK – Pesquisa inicia coleta de amostras para investigar covid em animais

Pesquisa inicia coleta de amostras para investigar covid em animais

A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) vai começar a coletar amostras de cães e gatos cujos donos estejam com covid-19, a partir da próxima segunda-feira (1º), em Campo Grande. O “Projeto PetCovid” busca identificar alguma possível transmissão da doença nos animais de estimação, e será realizado por pesquisadores dos cursos de Medicina Veterinária e Medicina da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) da instituição.

As equipes farão 2 coletas nos animais, de sangue e swab, uma no dia “zero” e outra 2 semanas depois, para ver se houve mudança no perfil de diagnóstico. Além de averiguar se há transmissão da doença do humano para os pets, os pesquisadores irão avaliar se os animais desenvolveram algum sintoma compatível com a doença ou se houve mudança no perfil de anticorpos ou isolamento do vírus, em caso de detecção. A expectativa é de que as amostras sejam coletadas em pelo menos 100 pets de famílias em Campo Grande. A participação é gratuita e sigilosa.

EUA habilita frigorífico brasileiro para exportação de carne bovina

A planta frigorifica de Bagé, no Rio Grande do Sul da processadora de carnes Marfrig teve mais uma unidade habilitada pelas autoridades a exportar aos Estados Unidos. A liberação foi obtida ontem, quinta-feira (28) e ocorreu após uma ampla auditoria na unidade que constatou o cumprimento do protocolo sanitário exigido pelo país. As informações são do portal SBA.

“Essa habilitação representa uma oportunidade em ampliar a exportação para EUA e outros mercados que são guiados pelo mesmo protocolo”, afirma Alisson Navarro, diretor de exportação da Marfrig. As unidades de São Gabriel, Bataguassu e Promissão já são habilitadas a exportar para os Estados Unidos.

Vacina mb-1, da Phibro, supera 55 milhões de aves imunizadas contra doença de Gumboro no Brasil

A vacina MB-1, da Phibro Saúde Animal, já imunizou 55 milhões de aves em todo o país contra a Doença de Gumboro, um dos problemas sanitários mais importantes e prevalentes da avicultura nacional. A marca foi ultrapassada em dezembro, cerca de cinco meses após o lançamento da tecnologia no país.

“A Doença de Gumboro é recorrente e difícil de controlar. Ela causa imunossupressão nas aves, o que abre as portas para a ocorrência de diversas outras doenças”, explica Eva Hunka, gerente de negócios biológicos da Phibro. “O vírus acomete um importante órgão linfoide primário, a Bursa de Fabricius, e sua infecção compromete a produção de anticorpos.”

Segundo a Folha do Litoral, a MB-1 faz parte de uma nova geração de vacinas e possui tecnologia inovadora. Por ser uma vacina de vírus livre, tem a capacidade de formar o imunocomplexo naturalmente, usando os próprios anticorpos maternais presentes no pintinho. Assim, promove imunidade precoce, cerca de quatro dias antes de outras vacinas.

Adesão ao Susaf aumenta faturamento de frigoríficos do Rio Grande do Sul

A adesão ao Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agroindustrial Familiar e de Pequeno Porte (Susaf) garante que os Serviços de Inspeção Municipal (SIM) sejam equiparados ao serviço estadual. Na prática, significa que os estabelecimentos submetidos à inspeção de um município incluído no Susaf podem comercializar seus produtos de origem animal em todos os municípios gaúchos, e não apenas em sua sede. Para muitos frigoríficos e abatedouros, é o fator determinante para a expansão de suas atividades.

O caso da Embutidos São Bento, de Lajeado, é exemplar: a planta do frigorífico é localizada perto da divisa com o município de Santa Clara do Sul. “Mesmo com a proximidade, sem o Susaf, não podíamos acessar aquele mercado”, conta Janete Pflugseder, proprietária da instalação especializada em produção de linguiças, embutidos e derivados de carne suína.

Pflugseder conta que a fábrica de embutidos já foi construída com base no modelo disponibilizado pela Divisão de Inspeção de Produtos de Origem Animal da Secretaria da Agricultura, e que, por isso, foram necessárias poucas adequações. “Apenas a aquisição de uma câmara fria a mais para o abate, para nos ajustarmos ao Susaf”, complementa. Os trâmites burocráticos duraram cinco anos, de idas e vindas, até a simplificação para adesão ao Susaf, a partir de 2019. “Foi em janeiro de 2019 que finalmente conseguimos. E com o Susaf, nossa expansão foi instantânea. Foi um estouro, tivemos incremento de 30% nas vendas”, celebra Janete ao Presente Rural.

 

NA IMPRENSA

 

Valor – CNA quer produtores rurais em grupo prioritário de vacinação contra a covid-19

Agrolink – Governo de Alagoas extingue créditos tributários para fortalecer setor de laticínios

Agrolink – Suíno vivo despenca no Brasil e influenza aviária assusta Europa

Campo Grande News – Pesquisa inicia coleta de amostras para investigar covid em animais

Canal Rural – Braquiarinha pode estar associada a requeima em bezerros

O Liberal – Ultrassom ocular é protocolo para cirurgia de catarata nos pets

SBA – EUA habilita frigorífico brasileiro para exportação de carne bovina

SBA – Pesquisadora analisa redução do rebanho bovino no país

Folha do Litoral – Vacina mb-1, da phibro, supera 55 milhões de aves imunizadas contra doença de gumboro no Brasil

O Presente Rural – Adesão ao Susaf aumenta faturamento de frigoríficos

CNN – Novo mosquito da malária invade cidades africanas e gera alerta entre cientistas

 

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »