Boletim NK – Organização Mundial de Saúde Animal notifica novos focos de gripe aviária em três países

//Boletim NK – Organização Mundial de Saúde Animal notifica novos focos de gripe aviária em três países
Organização Mundial de Saúde Animal notifica novos focos
de gripe aviária em três países
A Organização Mundial de Saúde Animal (OIE, sigla em inglês) notificou a identificação dos primeiros focos de gripe aviária na Ucrânia, na República Checa e na África do Sul. Na República Checa e na África do Sul, o vírus identificado foi o H5N8, considerado altamente patogênico pelos organismos de saúde; enquanto na Ucrânia, o vírus verificado foi o H5. Segundo reportagem do Canal Rural, além dos casos reportados, a OIE já confirmou a verificação do surto na Romênia, Polônia, Índia, Eslováquia, Hungria e China. Os avisos de notificação da organização sobre a ocorrência da doença se acentuaram desde o início do ano. O Ministério da Agricultura da Alemanha informou nesta terça-feira a identificação do primeiro foco de gripe aviária no país. De acordo com a pasta, o surto foi detectado em um ganso selvagem no Estado de Brandemburgo – leste do país, região fronteira com a Polônia. O vírus identificado foi o H5N8 – considerado altamente patogênico pelos organismos de saúde. “Atualmente, na Alemanha, este é um caso individual, não envolvendo aves domésticas”, disse o Ministério Federal da Agricultura, em comunicado divulgado para a imprensa.20 anos sem vacinação contra febre aftosa em Santa Catarina

Neste ano de 2020, Santa Catarina completa duas décadas sem vacinar os rebanhos bovinos contra a Febre Aftosa. O Estado foi certificado como zona livre sem vacinação pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) em 2007, ou seja, os animais não são vacinados há 20 anos. Essa medida foi decisiva para a obtenção do status sanitário de área livre da aftosa sem vacinação, conquista que contou com cooperação do Instituto Catarinense de Sanidade Agropecuária (ICASA). O conselheiro técnico do ICASA Gerson Catalan relata que para atingir determinado status sanitário são necessários alguns requisitos, entre eles a quantidade de pessoas envolvidas no programa e ligadas ao Serviço Oficial. Catalan assinala que a Febre aftosa é uma das mais temidas doenças dos grandes animais, a sua existência impede a comercialização de outras espécies, quer na forma viva ou de seus produtos cárneos e industrializados. No entanto, a reportagem do portal Agrolink alerta que os animais não têm não imunidade contra o vírus da febre aftosa, o que significa que são altamente susceptíveis a serem acometidos pela enfermidade caso tenham contato com o vírus da doença. Santa Catarina também é livre de outras doenças que acomete bovinos/bubalinos, suínos e aves e, também, mantém níveis muito baixos de animais contaminados por tuberculose e brucelose, não sendo permitido o uso de vacina para estas enfermidades.

Departamento é criado pela Prefeitura de Imbé (RS) para fomentar políticas voltadas à proteção e cuidado com os animais

O município de Imbé (RS) passou a ter, no final do ano passado, um departamento especialmente voltado à defesa e questões da causa animal. Segundo o secretário municipal de Meio Ambiente, Pesca, Proteção Animal e Agricultura, Clairton Alves, a criação do departamento reforça o compromisso com as causas relacionadas aos animais e terá suas ações concentradas especialmente na elaboração e na implantação de normas e políticas públicas específicas para proteção e bem-estar animal na cidade. A reportagem do Jornal do Comércio também cita que a implantação do Programa de Proteção e Controle Populacional dos Cães e Gatos será um dos principais objetivos neste primeiro momento de atividades. “Vamos focar na proteção e controle de equinos, asininos, muares e bovinos utilizados em veículos de tração animal, além de promover programas permanentes de educação, informação e comunicação a respeito da propriedade, da posse e da guarda responsável de animais domésticos”, detalhou o titular da pasta.

Veterinária faz próteses de resina para bichos acidentados em São Paulo

Eles são resgatados em estado crítico. Mutilados, chegam à clínica muitas vezes sem patas ou sem parte do bico. Pelas mãos da veterinária Maria Ângela Panelli Marchió, mamíferos e aves ganham uma nova chance de sobreviver e voltar à natureza. Há um ano, a especialista em ortopedia animal reabilita bichos acidentados na região de Barretos (SP) com próteses de resina plástica feitas à mão. De acordo com reportagem da Folha de S.Paulo, a reconstituição das partes atingidas é feita a partir de uma resina plástica. O material utilizado é o polimetilmetacrilato, que misturado a um pó catalisador resulta em uma resina extremamente resistente. O processo de endurecimento do material é rápido —acontece entre três e cinco minutos. “Não envolve impressora 3D, nada disso. É totalmente artesanal”, afirmou. A resina plástica utilizada pela veterinária serve para reconstituir bicos de aves e fixadores externos de patas. Já foram resgatados dez animais, entre eles periquitos, papagaios, curicacas e até gaviões. Para cada cirurgia realizada, o custo médio fica entre R$ 1.000 e R$ 1.500. Metade dos animais que recebeu as próteses conseguiu voltar para a natureza. “É um sentimento maravilhoso. A gente se emociona quando vê o bicho podendo ter um pouco de conforto novamente. No estado que eles chegam à clínica, muitos certamente iriam a óbito”, disse.

NA IMPRENSA

Câmara dos Deputados – Entidades protetoras de animais poderão ter isenção de contribuição previdenciária

Folha de S.Paulo – Veterinária faz próteses de resina para bichos acidentados em SP

G1 – Único de barba branca e costas vermelhas, nova espécie de macaco ‘zogue-zogue’ é descrita na Amazônia

G1 – Campanha online busca salvar leões desnutridos e doentes em parque no Sudão

Canal Rural – Gripe aviária: OIE notifica novos focos da doença em três países

Canal Rural – Bolsonaro determina criação de conselho para ações na Amazônia

G1 – Polícia descobre clínica veterinária e canil clandestinos com mais de 80 animais em Biritiba Mirim

Zero Hora – Como proteger a pele do seu pet no verão

Jornal do Comércio – Departamento é criado pela Prefeitura de Imbé (RS) para fomentar políticas voltadas à proteção e cuidado com os animais

Agrolink – Especialista dá dicas de como a nutrição pode auxiliar o produtor no manejo de aves durante o verão

Agrolink – Após 35 meses, cotação do couro volta a subir

Agrolink – Movimento de alta segue firme, com sustentação vinda da pecuária

Agrolink – Aumento nos abates em MT deve manter preços altos

Agrolink – SC: 20 anos sem vacinação contra febre aftosa
_____________________________________________________

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »