Boletim NK – Nova doença da soja preocupa produtores

Home/Informativo/Boletim NK – Nova doença da soja preocupa produtores

Nova doença da soja preocupa produtores

Uma nova doença apareceu nas lavouras de soja do Mato Grosso e causa preocupação entre os produtores. Os casos apareceram em Sorriso, campeão nacional da oleaginosa. A doença faz os grãos apodrecerem e é mais notada em áreas com irrigação e ocorre em várias cultivares. Especialistas estão pesquisando qual seria esta nova doença e por enquanto não há fungicida para combatê-la. O Sindicato Rural orienta aos produtores que perceberam as características nos grãos da sua propriedade, que faça a imediata comunicação.

“Está aparecendo uma anomalia nova na soja, fui nas áreas de alguns produtores, não sabemos o que é. Está apodrecendo o grão da soja, especialmente nas aéreas irrigadas. A gente achava que era uma variedade de soja só, mas não é. Está aparecendo em três, quatro variedades. É um negócio muito pontual e está se expandindo. Os agrônomos que estão no campo vão ficar atentos. Não tem o que fazer, não tem fungicida. Existem manejos que estamos estudando para diminuir o problema”, explicou o presidente do Sindicato Rural Silvano Filipetto ao portal Só Notícias.

 

Aquecimento global favorece ervas daninhas, diz estudo

Tabalhando com modelos de computador para prever o provável impacto da mudança climática na disseminação de ervas invasoras, o Dr. Farzin Shabani do Laboratório de Ecologia Global da Flinders University encontrou um provável aumento nas áreas de adequação de habitat para a maioria das espécies invasoras de ervas daninhas em países europeus, partes da Austrália e que representam um grande perigo potencial para a biodiversidade global. Inicialmente, os pesquisadores modelaram a adequação climática atual do habitat para cada uma das ervas daninhas, identificando aquelas com uma faixa espacial comum de adequação. Eles então modelaram a adequação das 32 espécies no clima projetado para 2050, incorporando diferentes cenários.

Ao prever o impacto da mudança climática na distribuição global atual e futura de espécies invasoras de ervas daninhas, o Dr. Shabani também descobriu que as tentativas existentes de erradicar as populações invasoras são inadequadas. Os pesquisadores investigaram 32 espécies invasivas de ervas daninhas globalmente importantes para avaliar se a alteração do clima pode levar a mudanças espaciais na sobreposição de IWS específicos globalmente. “Nosso objetivo era avaliar as alterações potenciais, sejam ganhos, perdas ou estática, no número de invasões potenciais de ecorregiões por IWS, em cenários de mudança climática”, disse o Dr. Shabani. “Usamos toda a concentração possível de gases de efeito estufa para examinar uma série de resultados possíveis”, indica. As informações são do Portal Agrolink.

 

Política de Pagamento por Serviços Ambientais é sancionada com vetos

Foi sancionada nesta quinta-feira (14), com vetos, a lei que cria a Política Nacional de Pagamento por Serviços Ambientais (PNPSA), destinada a fomentar medidas de manutenção, recuperação e melhoria da cobertura vegetal em áreas de preservação. Originária do PL 5.028/2019, aprovado no Senado em dezembro, a nova política prevê incentivos para que produtores rurais, índios, quilombolas e comunidades tradicionais prestem serviços que ajudem a conservar essas áreas. De acordo com o texto, serviços ambientais são atividades individuais ou coletivas que favorecem a manutenção, a recuperação ou a melhoria de ecossistemas.

A norma também disciplina a atuação do poder público, das organizações da sociedade civil e de agentes privados em relação aos serviços ambientais. De autoria do deputado Rubens Bueno (Cidadania-PR), o projeto foi relatado pelo senador Fabiano Contarato (Rede-ES), presidente da Comissão de Meio Ambiente (CMA).  As informações são da Agência Senado.

 

Grupo de caminhoneiros chama greve para 1º de fevereiro

Um grupo de caminhoneiros marcou para 1º de fevereiro uma paralisação nacional da categoria como forma de tentar pressionar o governo de Jair Bolsonaro. O movimento é liderado pela Associação Nacional de Transporte no Brasil (ANTB) e pelo Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC), duas entidades cujos líderes apoiaram a eleição de Bolsonaro mas que, até o momento, não tinham interlocução com o Ministério da Infraestrutura. Plínio Dias, presidente do CNTRC e do Sindicato dos Caminhoneiros de São José dos Pinhais (PR), afirma ter sido chamado para uma reunião em Brasília no dia 26 para que o ministro Tarcísio de Freitas ouça as reivindicações. “A repercussão está tão grande que tem muitos caminhoneiros que querem estar em Brasília no dia 26. Compareçam lá. A pauta é de vocês. Espero que o ministério arrume um auditório para nos receber”, diz Dias em vídeo que circula por grupos de WhatsApp de caminhoneiros. Segundo apuração feita pelo Valor Econômico, o encontro ainda não foi confirmado pelo ministério.

 

NA IMPRENSA

Folha de S. Paulo – Novas lideranças de caminhoneiros tentam emplacar greve

Valor Econômico – Grupo de caminhoneiros chama greve para 1º de fevereiro

Valor Econômico – Cargill negocia saída da Alvean

Agência Senado – Política de Pagamento por Serviços Ambientais é sancionada com vetos

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »