Boletim NK – ‘Ninguém fala por mim’, diz Bolsonaro sobre ‘enquadrar’ a Anvisa

//Boletim NK – ‘Ninguém fala por mim’, diz Bolsonaro sobre ‘enquadrar’ a Anvisa

‘Ninguém fala por mim’, diz Bolsonaro sobre ‘enquadrar’ a Anvisa

O presidente Jair Bolsonaro disse que ninguém fala por ele sobre a Anvisa. A declaração ocorreu após o líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (Progressistas-PR), afirmar ao Estadão que pretende “enquadrar” a diretoria da Agência. Bolsonaro anunciou que convidou o presidente da Agência, o contra-almirante Antônio Barra Torres, para participar da sua live semanal nesta quinta-feira, 4. As informações são do Estadão.

Bolsonaro também assegurou que o governo comprará a vacina Sputnik V assim que ela for aprovada pela Anvisa. “Estamos trabalhando nesse sentido com o ministro Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia) e faltam poucos milhões para ele dar mais um passo na busca desse bem”, assegurou. “Vamos investir na nossa vacina.”

Em um discurso breve, o presidente tentou se justificar sobre a gestão da pandemia e disse que “o governo federal fez sua parte”. Disse lamentar todas as mortes, “não importa a causa delas”, e voltou a se posicionar contrário aos avisos sobre isolamento social com restrição de circulação da população: “O que não podemos fazer é deixar que medidas para conter uma pandemia possam vir a causar mais mortes que o próprio vírus. É uma pandemia que veio pra ficar”.

‘Ou ele denuncia ou se retrata’, diz chefe da Anvisa após líder do governo ameaçar enquadrar agência

O presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antonio Barra Torres, reagiu nesta quinta-feira, 4, a declarações do líder do governo na Câmara, Ricardo Barros, ao Estadão, que acusou o órgão de estar “nem aí” para a pandemia e ameaçou enquadrá-lo. “Que enquadramento é esse que o deputado se refere? Ele está no dever de formalizar uma denúncia no canal competente ou se retratar. Acho que para ele não tem mais outra saída: Ou ele denuncia ou se retrata”, disse Barra Torres ao Estadão nesta quinta-feira, 4.

A briga entre a Anvisa e o líder do governo, que integra o Centrão, ocorre no momento em que Planalto e Congresso pressionam a agência para liberar novas vacinas. Para não depender principalmente da Coronavac, imunizante associado ao governador paulista, João Doria (PSDB), o Ministério da Saúde avança na compra da Sputnik V e da Covaxin, desenvolvidas, respectivamente, na Rússia e na Índia. A Anvisa, porém, ainda aguarda mais dados sobre a segurança e a eficácia destes produtos.

Barra Torres afirmou que jamais recebeu pressão do presidente Jair Bolsonaro ou de emissários do Palácio do Planalto para aprovar alguma vacina. Para ele, a frase de Barros “destoa” e é um “desserviço aos esforços nacionais de combate à pandemia”. “As pessoas estão com dificuldade de entender em quem confiar. Fica uma guerra de versões. Agora vem o líder do governo dizendo que vai enquadrar a agência reguladora.”

O presidente da Anvisa disse que não irá procurar Bolsonaro para tratar do assunto. Se for preciso, afirma que receberá Barros com “a mesma cordialidade de sempre”. “Hoje foi um ponto fora da curva. Realmente não sei o que acontece. Me causa muita tristeza isso”, disse.

Pazuello depõe à PF em inquérito no qual é investigado por crise sanitária do Amazonas

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, começou a prestar depoimento no início da tarde desta quinta-feira à Polícia Federal, em Brasília, no inquérito que investiga a conduta dele em relação à crise sanitária no Amazonas. No depoimento, o ministro detalhou as ações realizadas no Amazonas e se colocou à disposição da Justiça.

O inquérito foi aberto por determinação do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), que atendeu a um pedido da Procuradoria-Geral da República. Lewandowski avaliou que, por se tratar de uma fase inicial das investigações, Pazuello poderia escolher data, horário e local do depoimento.

O ministro depôs no hotel militar onde mora. No pedido do inquérito, a PGR argumentou que o Ministério da Saúde recebeu informações sobre um possível colapso do sistema de saúde na capital do Amazonas ainda em dezembro, mas só enviou representantes ao estado em janeiro deste ano. As informações são do G1.

Países com rápida distribuição de vacinas fortalecem moedas

O ritmo irregular da distribuição de vacinas ao redor do mundo oferece aos investidores uma nova rota para ganhos nos mercados de câmbio, que movimentam US$ 6,6 trilhões por dia.

Dos cinco países que lideram o combate à covid-19, todos, exceto um, registraram ganhos em suas moedas em relação ao dólar em janeiro, segundo estudo da Bloomberg sobre as 15 maiores economias com dados disponíveis de vacinação e casos de coronavírus. O avanço da imunização no Reino Unido compensou o elevado número de casos o suficiente para impulsionar a libra, enquanto a distribuição caótica da União Europeia pesou sobre o euro. Esses movimentos turvaram o cenário para o dólar, que está do outro lado dessas apostas e desafiou as expectativas de desvalorização, mesmo com as diferenças em número de casos e ritmo de vacinação nos EUA.

Para o Valor Econômico, com o impacto da pandemia na negociação de moedas, uma coisa é certa: já se foram os dias em que os cenários para os juros dos bancos centrais e diferenciais de crescimento eram os principais fatores das estratégias de negociação. Agora, gestores de bilhões de dólares em empresas como Aberdeen Standard Investments e Brandywine Global Investment Man se especializam em imunidade de rebanho, analisando as crescentes correlações entre vacinações e mercado de câmbio para guiar as negociações.

 

NA IMPRENSA

 

G1 – Matéria-prima para Fiocruz produzir vacina de Oxford chega ao país no sábado, diz ministério

G1 – Pazuello depõe à PF em inquérito no qual é investigado por crise sanitária do Amazonas

G1 – Pesquisadores britânicos estudam combinação das vacinas contra Covid-19 da Pfizer e de Oxford

G1 – Venda de remédios sem eficácia comprovada contra a Covid dispara

G1 – Israel começa a vacinar contra Covid todos acima de 16 anos

Valor – Países com rápida distribuição de vacinas fortalecem moedas

Valor – Senadores protocolam pedido de CPI para investigar ações do governo na pandemia

Valor – EUA e Israel estão anos à frente da Europa em ritmo de vacinação

Valor – Na OMC, Brasil fica calado diante de proposta da Índia para patentes

Valor – Merck & Co. registra prejuízo de US$ 2,09 bi no último trimestre de 2020

Estadão – ‘Ou ele denuncia ou se retrata’, diz chefe da Anvisa após líder do governo ameaçar enquadrar agência

Estadão – ‘Ninguém fala por mim’, diz Bolsonaro sobre ‘enquadrar’ a Anvisa

Estadão – Primeiro lote de ingrediente para vacina de Oxford chega ao Rio neste sábado

Estadão – PGR abre apuração preliminar sobre atuação de Bolsonaro na pandemia

Folha – Zambelli quer proibir demissão por justa causa de quem optar por não tomar vacina contra Covid-19

JOTA – Anvisa retira exigência de estudo em fase 3 no Brasil para uso emergencial de vacinas

Agência Saúde – Mais sete municípios do Amazonas recebem usinas de oxigênio

Agência Saúde – Engenheiros clínicos do BID fazem diagnóstico da rede de abastecimento de oxigênio em Manaus

Agência Saúde – Vacinação indígena está em andamento em todo o país

Agência Senado – Senadores se reúnem com embaixador da China para tratar sobre vacinas

Agência Senado – Bolsonaro diz que governo está pronto para a vacinação contra a covid-19

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »