Boletim NK – Combustível de aviação (AVGAs) distribuído no Brasil apresenta alterações

Home/Informativo/Boletim NK – Combustível de aviação (AVGAs) distribuído no Brasil apresenta alterações

Combustível de aviação (AVGAs) distribuído no Brasil apresenta alterações

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) foi comunicada na manhã desta quarta-feira, 3/02, sobre alterações no combustível de aviação (AVGAs) fornecido no Brasil. A Agência vem acompanhando o caso atentamente, especialmente no tocante à avaliação da qualidade do combustível feita pela Agência Nacional de Petróleo (ANP), que é responsável pela fiscalização da distribuição, qualidade da composição e demais atividades relacionadas ao combustível no Brasil. Essa avaliação busca compreender o nível de alteração no combustível e qual o impacto dessa possível irregularidade.

Aos operadores aéreos, a ANAC recomenda que, caso exista histórico ou evidências de contaminação, busquem imediatamente uma oficina de manutenção aeronáutica credenciada para uma avaliação mais detalhada, além de interromper o abastecimento das aeronaves com o combustível de aviação. Ao identificar esse tipo de caso, os relatos deverão ser enviados para o endereço de e-mail: assop@anac.gov.br

Com as informações recebidas da comunidade aeronáutica e com a avaliação feita pela ANP, a ANAC poderá avaliar potenciais impactos na aviação geral. Se houver confirmação de contaminação que comprometa de imediato a operação de aeronaves, ANAC atuará imediatamente em prol da segurança da aviação, podendo, inclusive, recorrer a medidas cautelares e emergenciais.

Fungicidas para tangerina perderam efeito

As pesquisas foram publicadas na revista científica britânica Crop Protection e indicam a resistência do fungo agente causal da doença às estrobilurinas e mostraram também que a resistência ocorre não apenas no Sudoeste Paulista, como indicavam os estudos iniciais do Instituto Biológico, mas em todo o estado, que concentra a maior produção nacional de citros.

Segundo o portal Agrolink, a doença causa danos na estética dos frutos e reduz seu valor comercial. Também provoca também a queda prematura de frutos, reduzindo a produtividade das plantas.

O pesquisador também aponta que pode ser feita a utilização dos fungicidas à base de cobre no manejo químico da doença. Esses fungicidas já vêm sendo muito usados, porém, seria essencial otimizar sua utilização, compatibilizando as doses dos produtos com as melhores épocas e intervalos de sua aplicação.

“Doses menores de cobre podem ser usadas nas aplicações desde que os intervalos entre as pulverizações também sejam reduzidos. Como os fungicidas cúpricos somente apresentam ação preventiva e de contato, a redução no intervalo entre as aplicações contribuirá para também diminuir o período em que os órgãos suscetíveis da planta ficam desprotegidos da ação dos produtos, principalmente no caso dos frutos novos em desenvolvimento”, destaca.

As pulverizações feitas com baixo volume de calda de cobre também evitarão o escorrimento do excesso de calda e, consequentemente, o seu acúmulo no solo.

Na reforma ministerial, empresários falam em troca entre Tereza Cristina e Ricardo Salles

Entre as ideias que circulam nas reuniões de Brasília nesta semana surgiu uma possível troca de posições entre a ministra Tereza Cristina, da Agricultura, e Ricardo Salles, do Meio Ambiente. A sugestão da inversão dos cargos apareceu em conversas de empresários próximos do presidente Bolsonaro.

A mudança entraria na esteira da reforma ministerial que o presidente Jair Bolsonaro pretende fazer após a eleição de seus aliados do centrão no Congresso.As informações são da Folha de São Paulo.

Um grande nome do agronegócio avalia que a presença da ministra poderia levar credibilidade à imagem do Brasil na questão ambiental. Salles na Agricultura é visto com uma incógnita maior, mas atrai simpatia de alguns grupos.

Tereza Cristina e Ricardo Salles não comentaram.

Agro está de olho em Arthur Lira

A eleição de Arthur Lira (PP-AL) para a presidência da Câmara dos Deputados foi bem recebida pelo agronegócio. O deputado é membro da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) além de ser proprietário de fazendas e sócio de uma empresa de consultoria agropecuária. Durante seus mandatos participou de pautas importantes do setor e comissões-chave para o setor, como Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (2011-2013) e de Demarcação de Terras Indígenas (2014-2015).

Um dos primeiros compromissos de Lira como dirigente da Câmara foi uma reunião com a própria FPA, durante a posse do novo presidente da frente, Sérgio Souza (PR). Entre as agendas prioritárias para o agro estão as causas ambientais, a regularização fundiária e os defensivos agrícolas. Integrantes da FPA preveem dificuldades no avanço dos temas. As informações são do portal Agrolink.

O Projeto de Lei Geral de Licenciamento Ambiental (PL 3729/04) tramita há mais de um ano mesmo em regime de urgência. A medida propõe uma centralização das regras para a avaliação ambiental e pode dar maior segurança jurídica para investidores, além de facilitar o desenvolvimento sustentável de propriedades rurais.

Outro projeto tido como fundamental é o Projeto de Lei de Regularização Fundiária ( PL 2.963/19). Ele já foi aprovado no final de 2020 pelos senadores e foi encaminhado para votação na Câmara de Deputados. O projeto permite a compra de terras por estrangeiros em até 25% do território do município, pode atrair investimentos para a agropecuária.

Por fim o PL 6.299/02 pretende faciltar a liberaração de licenças temporárias de defensivos agrícolas, prevendo a proibição apenas das substâncias que apresentem “risco inaceitável”. A medida também prevê a mudança do nome dos agrotóxicos para “defensivos agrícolas” e “produtos fitossanitários”.

 

NA IMPRENSA

 

Valor – Jalles Machado deve reduzir faixa de preços para IPO, diz agência

Valor – CNH Industrial fecha 2020 com prejuízo de US$ 493 milhões

Valor – BR interrompe venda de gasolina de aviação e recolhe produto já comercializado

Valor – Eduardo Cunha é alvo de operação sobre propina para baixar imposto de combustível da aviação

Valor – Protestos de caminhoneiros dificultam escoamento de grãos na Argentina

Valor – Desmatamento na Amazônia ainda é principal entrave a acordo, diz embaixador da UE no Brasil

Folha – ICMBio versus Ibama: por que essa fusão pode prejudicar áreas protegidas

Folha – Na reforma ministerial, empresários falam em troca entre Tereza Cristina e Ricardo Salles

O Globo – Apesar da pandemia, agronegócio tem a maior geração de empregos dos últimos dez anos

Agrolink – Produção agrícola europeia diminuirá 56,13 mi tons 0

Agrolink – “Superetanol” ganha espaço na França 

Agrolink – Café do Caparaó recebe Indicação Geográfica

Agrolink – Manejo integrado controla bolor-verde da laranja

Agrolink – Agro está de olho em Arthur Lira

Agrolink – Fungicidas para tangerina perderam efeito

Canal Rural – Incra desburocratiza processo de regularização fundiária no país

Canal Rural – ‘Congresso e FPA devem unir forças para avançar com pautas importantes do agro’

Canal Rural – FPA vê convergência única e favorável às pautas do agro no Congresso

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »