Boletim NK – Brasil importou US$ 7,2 bilhões de fertilizantes em 2020

Home/Informativo/Boletim NK – Brasil importou US$ 7,2 bilhões de fertilizantes em 2020

Brasil importou US$ 7,2 bilhões de fertilizantes em 2020

Os ingredientes químicos intermediários para produção de fertilizantes foram perceptivelmente o principal item da pauta de importação da indústria química brasileira, aponta a Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim). As compras chegaram a US$ 7,2 bilhões no ano passado, o que foi o equivalente a 61,7% (31,8 milhões de toneladas) das 51,5 milhões de toneladas em compras externas de produtos químicos.

Ao todo o Brasil importou US$ 41,4 bilhões em produtos químicos em 2020, um valor total pago pela aquisição das mais de 51,5 milhões de toneladas. Trata-se de recorde em volume importado pelo País ao longo de toda a série histórica de acompanhamento da balança comercial setorial pela Abiquim (desde 1989).

Foi registrada, porém, uma redução de 6,3% no valor monetário das importações na comparação com os resultados de 2019. Por outro lado, houve uma significativa elevação de 8,2% nas quantidades físicas adquiridas, em especial “tendo em vista as graves conjunturas econômicas global e nacional decorrentes da pandemia de Covid-19”, comenta a entidade.

“Quando comparadas com as 37,5 milhões de toneladas de 2013, ano em que foi registrado o maior déficit no histórico da balança comercial de produtos químicos, de US$ 32 bilhões, observa-se um aumento de 37,5%, sobretudo em produtos químicos orgânicos e para o agronegócio, para os quais o Brasil tem domínio técnico e expertise empresarial de produção e poderiam ser fabricados no País, diminuindo a dependência externa em cadeias estratégicas, caso as condições de competitividade em fatores de produção como energia, gás-natural e logística, fossem favoráveis para a atração de investimentos”, afirmam a Abiquim em nota. As informações são do portal Agrolink.

Ministra da Agricultura defende inovação como forma de avanço da agropecuária

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou hoje que a inovação é a única maneira de conciliar o aumento da produção agropecuária, necessário para garantir a segurança alimentar do planeta, e a preservação ambiental. Durante sessão virtual promovida pelo Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, ela disse que os próximos anos devem ser marcados pela união entre a evolução digital e biológica e que essa transformação tem ocorrido muito rapidamente no Brasil, com um “ecossistema” propício aos avanços tecnológicos no campo.

Tereza Cristina disse que os investimentos públicos e privados em empresas de tecnologia do ramo agropecuário saltaram de US$ 4 milhões em 2013 para mais de US$ 200 milhões em 2019. “Temos mais de 2 mil agtechs trabalhando em protocolos de rastreabilidade e blockchain para entregar produtos mais sustentáveis”, destacou.

Segundo o Valor Econômico, a sessão discutiu a transformação de sistemas alimentares dos países por meio da tecnologia e inovação. “A próxima década será marcada pela convergência entre digital e biológico na agropecuária. A transformação digital e as tecnologias de edição genômica são exemplos claros desse processo”, afirmou a ministra. Tereza Cristina também citou desafios que o Brasil precisa superar, como a necessidade de expansão da conectividade do espaço rural. “O foco está na inclusão, integrando os mais de 4,5 milhões de pequenos produtores. Essa integração fará com que o jovem fique no campo”, pontuou.

Bolsonaro faz apelo a caminhoneiros e diz que pode zerar impostos para baratear diesel

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quarta-feira que está disposto a zerar os impostos federais para reduzir o preço do diesel, mas gostaria que a medida viesse acompanhada de redução nas alíquotas de ICMS pelos governos estaduais. A entrevista acompanhada pelo Valor Econômico ocorreu após audiência com o ministro da Economia, Paulo Guedes,

Este trecho é parte de conteúdo que pode ser compartilhado utilizando o link https://valor.globo.com/politica/noticia/2021/01/27/bolsonaro-diz-que-pode-zerar-impostos-federais-para-reduzir-preco-do-diesel.ghtml ou as ferramentas oferecidas na página.
Textos, fotos, artes e vídeos do Valor estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do Valor (falecom@valor.com.br). Essas regras têm como objetivo proteger o investimento que o Valor faz na qualidade de seu jornalismo.

Bolsonaro considera “razoável” o preço do diesel nas refinarias. O problema, segundo o presidente, é que até chegar nas bombas incide a alíquota de ICMS, a margem de lucro de empresários e das transportadoras. “Tem muito monopólio no meio disso, estamos buscando alternativas, mas não é fácil.” O presidente garantiu que poderá zerar os impostos federais, mas só haverá impacto significativo com redução do ICMS.

Questionado sobre a possibilidade de greve dos caminhoneiros, Bolsonaro fez um apelo para que não haja paralisação. “Reconhecemos o valor dos caminhoneiros para a economia do Brasil, apelamos para que eles não façam greve porque todos nós vamos perder”, disse. “[Vai] causar um transtorno, estamos vivendo época de pandemia.”

Fretes do agronegócio movimentaram R$ 16,3 bi em 2020 na plataforma Fretebras

O valor gasto pelas empresas do agronegócio em fretes publicados na plataforma online Fretebras somou R$ 16,3 bilhões no ano passado, 34% dos R$ 48 bilhões movimentados no total. Esse montante geral foi transacionado em 6 milhões de publicações, que representaram uma alta de 62% ante o número de 2019.

“As medidas de distanciamento social trouxeram um aumento exponencial das compras online”, justifica a empresa em estudo divulgado hoje e analisado pela equipe do Valor Econômico. O volume de produtos do agronegócio transportado por caminhoneiros cadastrados na plataforma cresceu 71,3% entre os anos. Mas o número absoluto de fretes do setor não foi divulgado pela empresa. A Fretebras informa que mais de 12 mil transportadoras assinam seu serviço, que possui mais de 470 mil caminhoneiros cadastrados.

Na plataforma, fertilizantes foram os produtos de maior destaque do agro, com pico de transporte no terceiro trimestre do ano passado, como normalmente ocorre devido às compras de insumos para preparação das lavouras de verão.

 

NA IMPRENSA

 

Valor – Foco da estratégia agrícola da Bayer estará em inovação, soluções digitais e sustentabilidade

Valor – Irga muda critério para classificação de empresas de arroz, mas Camil segue líder

Valor – Cresce dependência de estradas para exportar grãos, diz estudo

Valor – Fretes do agronegócio movimentaram R$ 16,3 bi em 2020 na plataforma Fretebras

Valor – Codevasf investiu R$ 217 milhões no desenvolvimento rural mineiro em 2020

Valor – Conftac diz que momento não é oportuno para paralisação de caminhoneiros

Valor – Bolsonaro faz apelo a caminhoneiros e diz que pode zerar impostos para baratear diesel

Valor – Evitar o desperdício de alimentos continua a ser um desafio, diz representante da ONU

Valor – Etanol de milho representou 6,7% da produção do biocombustível desde o início da safra

Valor – Vendas de etanol das usinas do Centro-Sul recuaram 2,5% na 1ª quinzena de janeiro

Valor – Ministra da Agricultura defende inovação como forma de avanço da agropecuária

Folha – Número de espécies de abelhas observadas na natureza caiu cerca de 25% desde os anos 1990

Agrolink – Tecnologia para o solo aumenta a produtividade no cultivo de feijão

Agrolink – Governo Federal institui sistema para monitorar Plano ABC

Agrolink – Brasil importou US$ 7,2 bilhões de fertilizantes em 2020

Agrolink – MS: projetos do PAA recebem recursos de mais de R$ 3,7 milhões em 2020

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »