Banana, a política e o mal da sigatoka, por Xico Graziano

//Banana, a política e o mal da sigatoka, por Xico Graziano
Em artigo publicado no portal Poder360, nesta quarta-feira (9), Xico Graziano destaca que, ao proibir a pulverização aérea de defensivos, o Ceará está aniquilando sua bananicultura. Pior. Aumentou o risco de intoxicação de trabalhadores. Mais ainda. Está prejudicando o meio ambiente. Parece exagero, mas é a pura, e triste, realidade. A desastrosa decisão política, imposta pela lei estadual 16.820 (2019), abriu as portas do bananal para a devastadora sigatoka amarela, doença causada por um fungo (Mycosphaerella musicola) que destrói as lavouras. Os fruticultores cearenses fazem suas malas para mudar de estado. Vai aumentar a pobreza no Ceará. Conheci de perto esse problema ao visitar a Tropical Nordeste, maior exportadora de bananas brasileiras para a Europa, Inglaterra principalmente. Situada em plena Chapada do Apodi, local de férteis solos em plena caatinga, a fazenda se aproveita dos canais de irrigação administrados pelo DNOCS. A água vem bombeada do rio Jaguaribe. A Tropical Nordeste, também conhecida por Banesa, se estabeleceu há décadas naquela região especial. Seu foco é produzir banana nanica de qualidade para mercados exigentes. Por isso, precisa conduzir os pomares sob rigorosas normas de boas práticas agrícolas, bem estar social e proteção ambiental. Certificada pelos protocolos do Globalgap e da RainForest Alliance, a empresa rural conduz atualmente 300 hectares com fruticultura. Adubação orgânica pesada, complementada com nutrição química mineral, garantem os frondosos bananais da Tropical. Alta tecnologia, agronomia de ponta. Curiosamente, porém, os cachos de banana, após serem colhidos, são retirados do pomar e levados ao packing house por meio de tração animal. Jumentos ecológicos. A vantagem da bananicultura cearense –nordestina em geral– reside na grande produtividade, conseguida pela elevada capacidade fotossintética. Como o clima é árido, quase desértico, o segredo reside na irrigação. Molhadas por micro aspersores, as bananeiras da Tropical produzem, em média, 1,6 cachos por ano. No Vale do Ribeira, em São Paulo, grande região produtora da fruta, são necessários 13 meses para vingar um cacho. Acontece que essa doença vegetal se instala na parte de cima das folhas da bananeira. Assim sendo, seu controle é muito difícil se realizado por baixo, de dentro do pomar. Os pulverizadores operados por terra não conseguem distribuir as gotículas de fungicidas –ou agrotóxicos– sobre a plantação. Daí, a pulverização aérea se impõe. Em todo o mundo funciona assim. A fruticultura do semiárido nordestino tem vantagens comparativas com os competidores mundiais. No Equador, por exemplo, maior produtor mundial de bananas, utiliza-se até 48 pulverizações aéreas para controlar o mal da sigatoka. No Vale do Ribeira (SP), ou em Minas Gerais, é necessário entre 10 a 15 pulverizações. A Tropical Nordeste sempre manteve uma média de, apenas, 3 pulverizações aéreas. Graças ao clima seco. Proibidos agora, os aviões especializados foram substituídos por máquinas costais, manuais ou motorizadas. Resultado: nesta safra, a fazenda pulverizou até 9 vezes seus pomares de banana. Mas a sigatoka amarela lá está, fazendo estragos impressionantes. A tarefa dos trabalhadores rurais mostra pouca eficiência. Nas condições atuais, sem aviões, existem 8 pessoas, trabalhando todo o dia, durante 6 meses da safra, pulverizando os pomares. O consumo de calda fungicida bateu nos 200 litros/hectare, ou seja, dez vezes mais que a pulverização aérea. Mesmo assim, com baixa eficiência no controle do terrível fungo.

Palestra mostra como usar drones na gestão de defensivos

Como utilizar drones na gestão de defensivos para economizar na aplicação e otimizar o trabalho no campo é foco da palestra online promovida pela Aegro em parceria com a Horus Aeronaves, informou o portal Agrolink nesta terça-feira (8). O evento acontece no dia 10 de setembro a partir das 18h (horário de Brasília). As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo link http://bit.ly/webinardrones. A boa gestão de defensivos agrícolas faz muita diferença nos custos operacionais, especialmente com o dólar alto. Durante a transmissão online, os produtores rurais poderão tirar dúvidas sobre o funcionamento adequado de diferentes tipos de drones e câmeras, utilização dos equipamentos na lavoura, geração de mapas e aplicação localizada de insumos. Também poderão entender como estimar os custos para a aquisição de um drone agrícola e se agora é o momento ideal para fazer esse investimento. A palestra online será ministrada pela engenheira agrônoma Karina Goulart, da Horus Aeronaves, especialista no assunto. O webinar integra uma série de ações da Aegro voltadas ao compartilhamento de conhecimento, tecnologia e inovação para fomento do agronegócio.

Camex pode definir hoje isenção de tarifa para importação de arroz 

Em reunião nesta quarta-feira (9), a Câmara de Comércio Exterior (Camex) poderá decidir suspender a Tarifa Externa Comum (TEC) para a importação de arroz de fora do Mercosul. Em entrevista à CNN, a ministra da agricultura, Tereza Cristina, afirmou que vai pedir para os membros da câmara isenção para até 400 mil toneladas. As tarifas que vigoram hoje são de 12% para o arroz beneficiado e de 10% para o arroz em casca de outras origens fora do bloco. Discutida há algumas semanas, a isenção da TEC valeria até 31 de dezembro. Seria uma resposta do governo à pressão de entidades de defesa do consumidor e da indústria de beneficiamento depois de o cereal ter subido mais de 120% neste ano. Os produtores são contra a medida. Rizicultores têm reclamado em grupos de discussão no WhatsApp e no Telegram que os consumidores e a indústria não apoiam o campo e afirmam que o preço do arroz está remunerador pela primeira vez em três safras. “Na hora de comprar um tênis por R$ 1 mil ou gastar R$ 40 em um lanche no shopping ninguém reclama. Agora a culpa de não ter dinheiro é do arroz”, diz um vídeo divulgado nas redes sociais dos rizicultores. Alguns produtores, mais ponderados, dizem que a saca deveria custar entre R$ 70 e R$ 90 para remunerar o produtor e não afungentar o consumidor. Nesta terça-feira (8), a saca de arroz valia R$ 104,17 no mercado gaúcho, um novo recorde segundo o indicador Esalq/Senar (RS), que é uma referência nacional. A alta pode ser explicada por problemas na oferta, derivados de adversidades climáticas, e da demanda relativamente firme em meio à pandemia. Em 26 de agosto, o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, César Halum, já havia adiantado ao Valor Econômico que o pedido de redução da TEC estava em análise. Nesta terça-feira (8), o presidente Jair Bolsonaro se manifestou sobre o tema e pediu ao setor supermercadista que sua margem de lucro na comercialização de produtos essenciais seja próximo de zero.

Bolsonaro diz a usineiros que renovará cota de importação de etanol sem tarifa por 90 dias

O presidente Jair Bolsonaro comunicou a representantes do segmento sucroalcooleiro que renovará, por 90 dias, a cota de importação de etanol com tarifa zero. Segundo fontes oficiais e da iniciativa privada ouvidas pelo Valor Econômico nesta quarta-feira (9), Bolsonaro afirmou que sua intenção é permitir a entrada de 187,5 milhões de litros no mercado brasileiro até dezembro. A informação ainda não foi divulgada publicamente porque uma parte do governo ainda tem esperanças de reverter a decisão. Uma reunião do presidente com os ministros Paulo Guedes (Economia), Teresa Cristina (Agricultura) e Bento Albuquerque (Minas e Energia) está ocorrendo no Palácio do Planalto, nesta manhã, para discutir o assunto. Os Estados Unidos são o principal país beneficiado pela cota de etanol com tarifa zero no Brasil.

NA IMPRENSA

Agência Câmara – Proposta prorroga vencimento de operações de crédito rural

Agência Câmara – Projeto destina para assistência rural parte dos royalties do petróleo no regime de partilha

O Estado de S.Paulo – Governo não vai fazer intervenção em preços de alimentos, diz Tereza Cristina

G1 – Tecnologia do café robusta é transferida de RO para o AM e produtores investem na plantação

G1 – Bolsonaro apela a comerciantes a fim de conter preço do arroz; para ministra, produto ‘não vai faltar’

Valor Econômico – Camex pode definir hoje isenção de tarifa para importação de arroz

Valor Econômico – Bolsonaro diz a usineiros que renovará cota de importação de etanol sem tarifa por 90 dias

Valor Econômico – México bate Brasil em venda de suco aos EUA

Valor Econômico – Vittia avança na área de adubos organominerais

Valor Econômico – Pequenos produtores terão mais dificuldade

Valor Econômico – Terra Santa encerra colheita de milho de 2019/20 com área e produtividade menores

Valor Econômico – Commodities: Demanda firme eleva preços de soja e milho em Chicago

CNA – Treinamentos aprimoram trabalho de apicultores atendidos pelo Programa ATeG em Minas Gerais

CNA – CNA discute desafios da rastreabilidade na horticultura

CNA – Agro pelo Brasil mostrará experiências de sucesso no campo, cultura e gastronomia

CNA – Bom relacionamento com parceiros mantém alto índice de treinamentos em Campo Verde

Mapa – Cerca de 1,3 mil lavouras que tiveram operações de seguro rural contratadas com o apoio do governo federal serão fiscalizadas

Mapa – Ministra diz que não vai faltar arroz no país

Mapa – Mapa abre inscrições do Garantia-Safra para período 2020/21

Embrapa – Frutos da BRS Princesa ganham mercado na região de Campinas

Embrapa – Projeto altera perfil de produção pecuarista familiar no Semiárido Baiano

Embrapa – Artigo: Vespas e abelhas na agricultura e em ambientes urbanos

Embrapa – Webinar aborda os desafios e avanços do MIP em grandes culturas no Brasil

Embrapa – Especialistas dizem como tornar uma planta de biogás lucrativa e debatem o futuro do setor no Fórum Sul Brasileiro de Biogás e Biometano

Canal Rural – Embrapa negocia com ministério ante perspectiva de corte no orçamento

Canal Rural – Produtor rural sustentável terá limite maior de crédito, anuncia BC

Canal Rural – Seguro rural: Conab fiscaliza propriedades beneficiadas com subvenção

Globo Rural – Ministério da Agricultura pede tarifa zero para a importação de 400 mil toneladas de arroz

Globo Rural – Gafanhotos “gigantes” atacam frutas e hortaliças e causam prejuízos no Mato Grosso

Agrolink – Palestra mostra como usar drones na gestão de defensivos

Agrolink – Preços da pluma do algodão recuaram neste mês

Agrolink – Herbicida ultrapassa 2 milhões de hectares tratados

Agrolink – Cotações recordes estimulam orizicultores

Agrolink – Emater-MG realiza live sobre inovação e sustentabilidade no agronegócio

Agrolink – Bioeconomia europeia opera 2,4 trilhões de euros

Agrolink – MG: treinamentos aprimoram trabalho de apicultores atendidos pelo Programa ATeG

Agrolink – Agrishow se rende ao digital

Agrolink – Expointer Digital teve 42 mil acessos

Agrolink – GO: regularização fundiária transforma vida de produtores rurais

Poder360 – Banana, a política e o mal da sigatoka, por Xico Graziano
______________________

O Boletim NK, produzido pela NK Consultores Relações Governamentais, é uma compilação das principais notícias publicadas em meios de comunicação do país sobre temas ligados ao setor.

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Translate »